1. Spirit Fanfics >
  2. Minha família odeia o meu marido >
  3. Minha família conhece meu marido

História Minha família odeia o meu marido - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Minha família conhece meu marido


POV. Ana Paula del Castillo

Fui abordada por Eduardo beijando meu pescoço.

Eduardo: seu celular ficou tocando por pelo menos dez minutos.

Ana: por que não atendeu?

Eduardo: não achei que você gostaria que eu atendesse uma ligação do seu pai.

Ana: meu pai? Será que aconteceu algo?

Eduardo: ele não te vê a cinco anos Ana, provavelmente quer te ver.

Ana: vou ligar pra ele e descobrir o motivo da ligação.

Eduardo: vou tomar banho, preciso ir para a empresa daqui a pouco.

Pego meu celular e ligo pro meu pai.

No segundo toque ele atende.

Ligação on

Rodrigo: pensei que você não fosse me atender mais Ana Paula.

Ana: me desculpa pai, estava dormindo e não vi o celular tocar.

Rodrigo: como você está?

Ana: estou bem, como estão todos aí?

Rodrigo: todos que você não vê a cinco anos? Estão bem.

Ana: me desculpe por não ter ido aí pai, assim que surgir uma oportunidade eu pego um voo e vou ver vocês.

Rodrigo: já tem uma oportunidade Ana, vamos nos reunir aqui em casa dia vinte de dezembro pra fazer um churrasco, você virá.

Ana: eu tenho trabalho.

Rodrigo: tire férias. Você nunca tira férias, venha nos visitar pelo menos de cinco em cinco anos.

Ana: tudo bem pai. Vamos nos reunir aí, dia quinze eu apareço por aí sem falta. Satisfeito?

Rodrigo: muito. Pode ir fazer suas malas. Te vejo em breve. Sua mãe está mandando um abraço.

Ana: outro pra ela. Tenho que desligar agora. Fique com Deus.

Rodrigo: você também.

Ligação off

Dou um pulo quando Eduardo fala meu nome perto do meu ouvido.

Eduardo: o que seu pai disse?

Ana: ele exigiu que eu fosse a uma reunião de família e eu aceitei, estou me arrependendo.

Eduardo: por que amor? Acho que essa será a oportunidade perfeita pra nos apresentar. Não pode esconder da sua família que se casou comigo por muito tempo. Além do mais é uma viagem a outro continente, é perigoso pra você ir sozinha e você sabe disso.

Ana: você está querendo ir comigo?

Eduardo: estou preocupado com a minha esposa.

Ana: não vão gostar de saber que sou casada com você a um ano.

Eduardo: vão gostar menos ainda se descobrirem isso através de outra pessoa que não seja você.

Ana: tudo bem. Não pode ser tão ruim.

Eduardo: quando será a viagem?

Ana: temos que partir amanhã.

Eduardo: vou a empresa resolver tudo e instruir meu irmão a como proceder como CEO enquanto eu não estiver.

Ana: tá bom. Se cuide.

Eduardo: você também amor.

Quebra de tempo

Eduardo: pare de bater os dedos na mesa desse jeito, não é como se fosse sua primeira viagem de jatinho.

Ana: é a primeira e única vez que vou te apresentar aos meus familiares. Tem como não ficar nervosa?

Eduardo: quando eu te apresentei aos meus pais não estava assim.

Ana: seus pais já me conheciam e gostavam de mim Eduardo. Eu tenho 100% de certeza que eles vão te odiar.

Eduardo: eu sou tão ruim assim?

Ana: você é muito bom, esse é o problema. Vão te achar metido eu tenho certeza, vão dizer que você é um riquinho metido que tem tudo o que quer nas mãos. Vão pensar que você está apenas me usando e que logo vai se cansar de mim.

Eduardo: você sabe que isso não é verdade. Eu te amo mais que a minha vida e daria tudo por você, se sua família não acreditar nisso não é problema nosso amor.

Ana: você está certo. Me desculpe.

Eduardo: não precisa pedir desculpas, agora vem aqui e me deixa te acalmar um pouco.

Ana: como vai me acalmar?

Eduardo: do seu jeito preferido.

Quebra de tempo: na casa do pai da Ana Paula:

POV. Marcelo Oliveira

Chega uma mensagem no meu celular e o tiro do bolso.

Virgínia: quem é amor?

Marcelo: minha irmã dizendo que já chegou e pra abrir o portão.

Fui até a entrada da chácara fazendo o que ela pediu e quatro carros de luxo pretos entram na propriedade.

Logo as portas deles se abrem e alguns homens de preto saem.

O motorista e o “passageiro” de um dos carros descem e abrem as portas de trás. Um homem alto no estilo playboy desce ao mesmo tempo que minha irmã.

Ele anda até ela e a abraça pela cintura.

Os homens ficam ao redor dos dois e não permitem que ninguém se aproxime.

 Ana: tudo bem rapazes, acho que não vão tentar nos matar.

???: Escutem o que ela diz mas fiquem atentos, o perigo nunca está longe o suficiente.

???: Sim senhor. Devemos vasculhar a área?

???: Não é necessário. Apenas observem com cautela a movimentação.

Os homens de preto se afastam e minha irmã puxa o playboy até estarem de frente com todos os nossos familiares e amigos mais próximos.

O homem dá um olhar assassino ao André ( melhor amigo da Ana) quando o mesmo abraça Ana com força e dá um beijo muito próximo da boca dela.

 Quando André se afasta Ana sorri para todos que a observam sem sair do lugar.

Ana: vocês não devem estar entendendo nada então lhes darei uma explicação rápida. Esse é Eduardo del Castillo meu marido e os outros são nossos seguranças.

Alguns se engasgaram com as bebidas outros cuspiram-nas ou arregalaram os olhos.

Meu pai não disse nada e simplesmente abraçou minha irmã. Isso não é bom.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...