História Minha Garota - Camren - Capítulo 102


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Ally Brooke, Austin Marrone, Bruno Mars, Camila Cabello, Camren, Demi Lovato, Dinah Jane, Halsey, Justin Bieber, Lucy Vives, Normani Kordei, Norminah, Veronica Iglesias
Visualizações 213
Palavras 1.783
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 102 - Enquanto amar ... que dure.


L A U R E N

Parada na frente o apartamento da minha amiga não sabia se a convidava para ser a chef ou encomendava a comida, até se eu inventar de cozinha, algo pode dar ruim. Mas ela não é uma pessoa indicada pra mim, não me refiro a cozinha, por que ela faz cada prato delicioso, mais eu vou querer conversar e Dinah estar sem credito comigo. Observei as manchas no braço da Normani, e na moral, também estou cansada desse vai e vem delas e... (rum).
peguei meu celular pra visualizar o zapzap e tinha duas chamadas da Ally e de Clara. Nossa como quis falar com minha mãe naquele momento. Umas das três mensagens que existiam lá, era de Ally.

“Vaca, estou em casa. Saudades de você. Passa aqui.” — pedia em sua mensagem. Mas eu perderia tempo, decidi arrancar com o carro dali, quando me assusto com DJ, que bateu de repente na minha janela.

— Me assustou, pit! — brinquei, iria chama-la de pitbul mas ela não tem pedigree. Abaixei o vidro.

— O que faz aqui? — perguntou.

— Eu vim pedir ajuda, mas desisti. Entra ai, pra gente conversar um pouco.

— To indo trabalhar. É coisa rápida, posso te ajudar depois se ainda quiser. — falava aos gritos dando a volta no carro e logo ocupou o lugar ao meu lado. — diz ai.

— Voce não é a pessoa indicada para me ajudar, desculpe. — falei , ela lançou um olhar diabólico. — e mais... você foi agressiva com Normani, não pode fazer isso com ela. Vira costume.

— costume de que? Acha que tenho coragem de espanca-la? Lauren, ela estava fazendo charme. Ela é uma tremenda masoquista.

— Ta isso não me interessa! Quer carona? —pergunto e já ligo o carro.

— Você estar estranha. Posso ter um palpite por isso, mas como não sou indicada para tal ajuda, nem vou me intrometer. E não. Eu não preciso de carona! — pos a bolsa de volta no ombro e abriu a porta. — o que seja que esteja pensando, não vai dar certo, nunca dar certo quando forçamos a barra.

— do que você estar falando? — puxei seu braço antes que ela pudesse sair. — o que você estar falando?

— Eu sou sua amiga. E você deveria confiar mais em mim. Mas entendo , por que agora você tem um amiga nova hospedada em sua casa e ela foi a grande mentora. Ela é tipo uma Ariana da vida. Mas não tenho nada haver com isso , certo?

— Paola não tem nada haver com isso. — falei. — e você não sabe o que eu te pediria.

— Tá bom. Só que quando você estar perdida e envolve mulher, seu olhar muda. — deu de ombros, e arrancou minha mão que prendia sua antebraço. — lhe digo mais. Sou enrolada com a melhor amiga da sua mulher, acha mesmo que eu não saberia da sua vida amorosa, ficaria no superficial , fingindo ser amiga sem saber das coisas, acredita mesmo nisso?

— e do que você sabe?

— Lauren não se faça de boba, inocente para mim o problema é Paola, já pra você... você é minha amiga e já curtirmos muito , mas acredito que se você não tiver certeza das suas decisões não as faça acontecer. Sabemos que consequências doem mais que amar sem ser amada?

— você é uma grande filha da puta! Sai do meu carro.

— olha só não fui eu que sai perdida de pensamentos, com a porra da ex que fodeu com a sua vida e que você insisti em aceita-la próxima. Quer saber, vai se foder.

— sua otaria! — gritei e arranquei com o carro mesmo antes que ela pudesse fechar a droga da porta. Foi uma força absurda a forma como a porta se fechou. Fiquei com raiva, ela parece saber mais coisas que eu e sabe exatamente o que pode estar acontecendo, mas ficar com a boca no cú e encarar como se nada estivesse acontecendo, no mesmo momento em que me considera amiga, ah vá pra casa do caramba.

As 10:30 da manhã, terminei encomendando o almoço com pavê de sobremesa. Estavam o arrumando na mesa o pessoal do restaurante. Tentei ficar o mais apresentável possível e simples. Calça jeans , sandália e uma camisa regata, cabelo molhado mesmo, meio bagunçado. Pronto eu estava perfeita.

“se puder vir aqui em casa, agora ao meio-dia, seria legal. “ — mandei uma mensagem para Selena. Ela não demorou a responder.

“Ok. Mas tem certeza que não quer acabar comigo?”— perguntou na resposta. Eu teria respondido se PAOLA, não tivesse chego e acabar com meus planos. Imaginei que fosse Camila, se esparramando no sofá.

— O que você estar fazendo aqui? — ela estava toda largada no meu sofá.

— eu moro aqui. Apenas não dormi essa noite em casa. Quero dizer, sou hospede aqui. — ela levantou de mãos erguidas e o tom brincalhão, me deixou nervosa, não quis ficar louca, ou pedir para que ela fosse dar uma voltinha. Eu podia ouvir as palavras da Dinah corroerem minha cabeça.

A porta se abriu, revelando Com flores na mão. Era brincadeira, eu podia ter tido o almoço mais legal e bacana com a minha garota e estraguei tudo. Era quase meio-dia a campainha podia tocar a qualquer instante, revelando alguém que pela expressão boba de Camz, não representaria o momento...

– Oi ... — Paola observou a cena e sorriu para mim. — te trouxe flores.

— E ela preparou um almoço delicioso para você. — entregou Paola. Nos olhando derretida , talvez. Mas nos olhava encantada.

— Obrigada. — fui para perto dela, e recebi as flores com todo amor e carinho, elas tinham o cheiro de Camz.

— Paola espero que não fique conosco. Precisamos desse momento. — objetiva não, um amor de menina. Paola gargalhou e mais uma vez estava rendida, pegou sua mochila e cruzou a porta atrás de nós. Camz largou a sua mochila no sofá. Retirou os saltos e me puxou para ela. — gostou das flores?

— sim, muito! Só que preciso falar algo para você, antes que seja tarde. — sorri frio. O desespero em meu ventre foi violento.

— Lá vem você com besteira. — disse ela agarrada na minha cintura e alisando minha boca com seu dedo polegar. Pareceu tão certo aquilo

— OHHHHH LAUREN! – paola gritou invadindo a casa outra vez. — você convidou Selena para o seu almoço romântico? Pra que isso?

PUT’Z ... Camila na mesma hora me soltou e me olhava indignada. Tentei segurar sua mão mais ela se desfez do toque quando Selena entrou logo atrás de Paola, encarando-a.

— eu fui atrás dela, pra saber o que estava rolando entre vocês ... — pronto cavei minha própria cova. Camila deu um passo para trás e a sensação de dor profunda me invadiu o peito, os olhos delas marejaram, seguida das mãos que taparam sua boca e inevitavelmente as lagrimas corria seu rosto.

— o que estar Rolando? Lauren tá maluca? — Paola perguntava. Apertei firme as rosas em minhas mãos.— Selena o que estar acontecendo? — voltou-se para a morena a sua direita.

— sua IDIOTA... — gritou camz com a voz de choro — É VOCE QUEM EU AMO. — Afagou o cabelo.  — acha mesmo que tentando transar com nós duas daria certo , e eu não te deixaria. PORRA VOCE É CABULOSA E BURRA! Você não consegue pensar, não quando envolve a cabeça de baixo. PRA MIM CHEGA!

— Camz...

— Camz o caralho, eu respeito você. Te trago flores na tentativa de nos entendermos e mesmo que sua ideia tenha sido a mesma, tentar agradar, isso não te faz menos egoísta. Eu amo você ... caralho eu amo você. — ela só chorava, sua reação estava me provocando um desespero danado — Não tenho merda nenhuma na cabeça para querer estragar minha vida com quem acredito no amor, sua filha da puta! Pensei estar cometendo o maior erro da minha vida, por que você vem demostrando o quanto quer mudar e concertar o passado... Porra , eu me perco de casa as vezes, de tanto pensar em você e da vida que imagino ter ao seu lado, e quando me dou conta estou no quarterão errado. Mas é por você, tudo é por você, é pra você! to cansada disso, só precisa um pouco mais de atenção.

— Camila calma. — pediu a Paola.

— e você — apontou para a maior. —  faça bom proveito com essa dai, eu não dou a mínima para ela, nunca dei. O meu problema é eu ter medo de entender que quem é torto não tem concerto. Eu vou embora ... — ela se aproximou de mim, se tivesse uma arma em sua mão eu estaria morta. — eu vou levar meu filho e, por favor... De coração, não chega perto de mim, estou com nojo de você.

Eu fui ao chão sem conseguir cair sobre ele. Selena saiu correndo e Paola a seguiu. Então fui atrás de Camila. E entrei com tudo no nosso quarto, ela tinha uma mala em cima da cama e estava colando suas coisas dentro.

— Não faz isso, vamos conversar?— pedi.

— conversar o que? Que você planejou me comer junto com Selena? Vocês combinaram isso? Estar com saudade de foder com ela, assim como fodeu com Ariana na porra dessa cama maldita? É? — ela gritava e estava a beira de um colapso, percebi o quanto que ela tremia. —acredita que eu posso estar apaixonada por ela? Ou que eu queira ter uma transa magica com ela e tu aceitar tudo, mais ate quando? Me diz.

— Camz para. Vamos conversar ... — puxei seu braço e sem querer acabei a machucando então ela me bateu com violência o rosto e ela estática. Pensando: porra como mereço isso.

— oh , me desculpe.

— Não vai embora. — pedia outra vez — eu posso explicar. Eu não estava tentando “comer” — frisei fazendo aspas com os dedos. — ou muito menos repetir meus erros do passado, acreditei que nós três juntas pudesse rolar ...

— sexo! É só nisso que consegue pensar. Eu no seu lugar, deixaria você ter paz e te daria espaço , para que pudesse refletir, tentaria ser mais prestativa. Foi o que imaginei ...  — falava enxugando suas lagrimas. Eu continuava estática, sentido toda ardência do tapa queimar minha alma burra. — Mas você me mostrou o diferente.

— você vai me deixar? — perguntei , e era minha vez eu não conseguia mais esconder meu medo e minhas lagrimas... — camz por favor não.

— preciso de um tempo! — fechou sua mala. Não me encarou mas tentou procurar forças para dar o primeiro passo, depois de respirar profundamente pendendo a cabeça para trás e soluçar. — você é minha pessoa.

— então fica!

— não posso, preciso que você entenda isso e que me queira. Não preciso de mais ninguém, mas se você não consegue entender isso e me enxergar além do seu umbigo, eu não posso ficar!

Me pediu licença , saindo sem me olhar. 


Notas Finais


Poxa gente... esse cap ...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...