1. Spirit Fanfics >
  2. Minha Garota >
  3. ; aparências enganosas

História Minha Garota - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olá pandinhas S2 Tudo bem?
Andei um pouco afastada, mas a saudade foi maior então aqui apareci. Esta história, inclusive, foi uma pequena inspiração que tive ao que conversei com uma amiga sobre "não julgar um livro pela capa" rsrs Não vou falar mais para não dar spoilers, mas é algo bem simples que espero que gostem!

Boa Leitura

Capítulo 1 - ; aparências enganosas


Fanfic / Fanfiction Minha Garota - Capítulo 1 - ; aparências enganosas

O frio daquela noite com certeza cortaria sua pele caso não estivesse vestindo um casaco grosso de couro. 

Estava ansioso para o encontro que teria, principalmente depois de um dia tão cansativo no trabalho. Yato gostava de atender as pessoas, sempre foi proativo para resolver questões do tipo, mas atualmente estava cansado de trabalhar com o “telemarketing”. Infelizmente, era o que tinha para si no momento.

Contudo, Yato tinha certeza que só precisava olhar para aqueles olhos castanhos meio rosados para sentir-se melhor, enquanto a dona provavelmente falaria sem parar sobre os clientes do estúdio. 

Era um bobão quando se tratava de Iki Hiyori, a princesa de seus olhos. Nada e nem ninguém deste mundo parecia ter o poder de derretê-lo tão apaixonadamente como Iki possuía. E para o desespero do rapaz, ela tinha total ciência disso.

Quando estacionou a moto de frente para o estabelecimento, um sorriso pequeno já se abriu ao ler o letreiro ‘Estúdio Yori’ iluminado por uma luz roxa. O local por fora era todo preto, tendo apenas um pequeno vaso bege com uma planta qualquer perto da porta, mas por dentro se podia ver um ambiente bem mais harmonioso. Do lado direito, a parede cinza fazia um contraste bonito com a parede branca do outro lado, possuindo uma faixa como borda de uma parede de tijolos. Quadros retrô faziam a decoração e um espelho redondo também, a mais, apenas um banco preto comprido do lado esquerdo e dois banquinhos — de bar — da mesma cor de frente para o balcão de atendimento.

Yato era conhecido pelos funcionários e por quase todos os clientes devido sua frequência, tanto que não foi surpresa ser logo cumprimentado quando entrou.

— Yatogami! Quanto tempo cara — cumprimentou Saoki, um cliente fiel.

— Eu que o diga cara, tu sumiu por um tempo que até pensei que já tinha completado a hq — riu.

— Ah, só foi falta de grana mesmo — riu também.

Saoki era conhecido por todos ali por ter a ambição de desenhar por todo o seu corpo.

— Mina, como está? — Yato cumprimentou a secretária que até então digitava algo furiosamente.

— Tudo bem garotão, só uns emails bobos que estou precisando responder agora — comentou. — A Iki está na sala com o Kazu, mas deve estar finalizando já.

— Sem problemas — sorriu. — Até depois Saoki!

— Até cara!

Um estúdio de tatuagem. Aquilo ainda às vezes parecia loucura na visão de Yato, mas seguindo pelo corredor pouco iluminado com várias fotos de tatuagens já feitas por Hiyori ou outros funcionários, a verdade mais uma vez batia em sua cara.

Quem não conhecia a garota, jamais imaginaria sua profissão. Iki Hiyori tinha uma beleza tão doce e feminina, geralmente utilizava até um perfume característico de rosas e era realmente vista como uma mulher delicada por sua aparência, incluindo até as roupas. Mas ela era uma artista. Além de ter gostos bastante divergentes para quem gosta de usar saias fofas e laços no cabelo, Hiyori era apaixonada por desenhos e não se limitava. Mesmo levando seus pais a quase terem um ataque cardíaco, Iki quis e foi fazer um curso para ser tatuadora.

Atualmente, o Estúdio Yori era propriedade total da garota e tinha ótimas recomendações pela internet. As pessoas falavam, e falavam bem.

Sem cerimônias, Yato invadiu a sala de Hiyori com um sorriso grande no rosto.

— Meu amor! — exclamou.

— Ih, já chegou — reclamou Kazu, falsamente chateado. — Deixa nosso encontro para outro dia então Ikizinha.

— Ikizinha vai ser minha mão na sua cara — bufou, fazendo os outros dois presentes rirem.

— Oi para você também — sorriu meiga, deixando um selinho rápido nos lábios do amado. — Mas já pedi para não entrar desta forma. Imagina se erro na hora do desenho?

— Mas você não está atendendo agora.

— Agora, exatamente — retrucou.

— Lindo o casal, mas quando volto Iki? — perguntou Kazu.

Enquanto Hiyori terminava de atender seu cliente, passando algumas dicas para o tratamento da nova tatuagem, Yato tinha o olhar curioso por toda a sala de paredes cinza lisas, mas a de lado da cadeira do cliente, havia enormes espelhos ocupando uma parede toda. Às vezes dançava aleatoriamente só porque gostava muito daquela parede espelhada.

— Pronto Yato, já estou aqui — disse Hiyori, já aproximando-se do amado e recebendo um abraço caloroso.

— Vamos sair? — perguntou esperançoso.

— Por mim, vamos agora — murmurou, ainda encolhida no abraço. — Estou um pouco cansada hoje.

— Também estou, peguei alguns clientes implicantes hoje.

— Falou para eles que não podem te xingar?

— Sim, disse que minha namorada ficaria uma fera — riu e foi acompanhado.

— Já estava com saudades de você.

Hiyori levantou a cabeça o suficiente para que Yato pudesse capturar seus lábios em um beijo amoroso. Era assim que ela gostava. Gostava de ver a imagem de Yato como se fosse um “bad boy” dos filmes americanos se tornar mais doce em sua presença do que ela mesmo era e aparentava; sua saia rodada era de um tom claro lilás, acompanhada de uma camisa social branca e um colete azul pastel, e nos pés, reinava seu “All Star” um pouco surrado.

Suspirou apaixonada ao findar do beijo sentindo um afagar em seus fios longos castanhos.

— Gosto dos seus lacinhos — comentou Yato.

— Gosto de você — sorriu.

Os olhares que trocavam os faziam se teletransportar para um mundinho só deles.

Era por isso que não gostavam quando as pessoas julgavam sem nem mesmo tentar conhecer um pouquinho. Ninguém diria o quão amoroso é Yato apenas por sua aparência, assim como seria impossível Hiyori ser vista como uma tatuadora e empresária, mas eram o que eram. Eles amavam essa diferença.

E se amavam, de uma forma que palavra alguma conseguiria descrever.

 


Notas Finais


O que acharam? Estou com saudades de conversar com vocês, então não deixem de comentar :3
Além disso, se alguém souber de uma capista disponível, aceito recomendações, pois a minha se aposentou e não sei o que fazer rsrs

Obrigada por lerem!
Beijos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...