1. Spirit Fanfics >
  2. Minha grande família >
  3. Lembranças - naruto

História Minha grande família - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - Lembranças - naruto


P.O.V Naruto 

 

     Corro pelos corredores do hospital senju até achar a porta de número 77, minha mão para no meio do caminho até a maçaneta, puxo o máximo de ar que consigo antes de abrir a porta do quarto assim que entro vejo minha mãe próxima à cama de hinata ninando um pacotinho de cabelos loiros ao seu lado está meu pai com konohamaru no colo do outro lado da cama está hiashi e hanabi ao seu lado ambos sérios, antes de entrar completamente sinto uma mão no meu ombro olho de quanto de olho era neji com um sorriso amigável no rosto.

 

     - não precisa ter medo é apenas seu filho. - fala neji e com isso percebo que estou tremendo dou meu típico sorriso e entro para pegar o embrulho nos meus braços, assim que ele vem para meu colo vejo o quanto ele era parecido comigo, "como eu queria sasuke aqui para fazer algum de seus comentários azedos ou então ver mamãe o obrigando a segurar o afilhado no colo." suspiro pesado, o bebê me dá um grande sorriso banguela, riu e penso "onde você tá seu bastardo maldito?!... minha vida se tornou uma bagunça e você nem está aqui pra me ajudar." me lembro bem como tudo começou.

 

flashback 

 

    O dia estava chuvoso, talvez para anunciar a chegada da notícia que eu receberia mais tarde, o despertador tocou até não poder mais porque eu o joguei na parede, mas parece que o universo não vai muito com minha cara já que konohamaru meu irmão adotivo entrou no quarto saltitando.

 

     - acorda nii-san! - falou o mesmo se jogando em cima da minha barriga, por isso só o agarrei o jogando na cama e voltei a dormir.

 

     - nii-san! Acorde! okaa-san quer fala com você e mandou descer agora. - abri os olhos e o encarei para saber se o mesmo estava mentindo.

 

      - konohamaru se isso for uma brincadeira você sofrerá mais tarde. - falei de mau humor "o que a velha queria? puxar minhas orelhas por que me esqueci de pôr o lixo fora?"  pensei me levantando e como eu disse aquele dia estava me avisando que era uma péssima idéia sair da cama, já que quando eu levantei bati o mindinho no pé do criado-mudo. - PORCARIA! - a dor dos infernos subiu por toda a perna e depois voltou a dedo mindinho.

 

      - OTOU-SAN! OKAA-SAN! NII-SAN FALOU UM PALAVRÃO! - gritou konohamaru correndo pra fora do meu quarto, "filha da mãe!" corri pro banheiro antes que dona kushina aparecesse, após fazer todo o ritual do banho desci pra cozinha, vendo okaa-san, otou-san e otouto tomando cafe da manha.

 

     - o-ha-yo! Família linda. - falei me sentando na cadeira em frente à mesa que tinha um grande banquete com um sorriso estilo uzumaki.

 

      - naruto, precisamos conversar. - falou kushina seria, e meu sorriso foi diminuído cada vez mais até sumir enquanto encarava minha mãe e meu pai.

 

       - sim, podem falar. - falei temeroso.

 

       -  você vai se casar com a herdeira dos hyuuga. - falou tudo de uma vez.

 

       - kushina! - meu pai a repreendeu.

 

      - o que? Você queria que eu ficasse enrolando? - perguntou minha mãe e eu? Só encarava os dois estático, não conseguindo acreditar.

 

      - vocês estão falando sério? - perguntei, mesmo sabendo que sim.

 

     - sim naruto, - respondeu meu pai com seu jeito calmo. - o motivo do casamento vai ser pra junção das empresas hyuuga e uzumaki. - se fosse antes eu estaria gritando que não queria aquilo que queria me casar por amor, mas eu não amo ninguém ou amo? E hinata é bonita então não tenha nada do que reclamar.

 

      - e quando será o casamento? - perguntei começando a tomar meu café da manhã.

 

      - daqui duas semanas. - respondeu meu pai.

 

      - hmm, cedo. - comentei terei só duas semanas para curtir pelo visto.

 

      - sim, sim, eu e hiashi queremos netinhos logo. - respondeu minha mãe, e com sua resposta eu me engasguei começando a tossir logo em seguida "EU JÁ ENTENDI QUE NÃO ERA PARA TER SAÍDO DA CAMA VIDA, POR ISSO PARE DE TENTAR ME FUDER!" meu pai que estava ao meu lado veio me socorrer.

 

      - netos? - perguntei ainda tossindo um pouco.

 

      - sim, netos, ah daqui a três dias terá um jantar aqui em casa com as duas famílias para terminar de combinar tudo. - apenas concordei e voltamos todos a comer até konohamaru havia parado de comer.

 

        E para resumir o jantar conheci um lado de hinata que não achei que existisse um lado frio que combinava bem com seus olhos, percebi que neji era apenas pau mandado do hiashi e que ele parecia ter medo do homem e ao mesmo tempo odiar o mesmo, hanabi a irmã mais nova de hinata era uma mimada e ficou todo o jantar ignorando konohamaru que parecia ter se apaixonado pela beleza da menina, e hiashi disse que o quanto antes eu lhe desses netos melhor e minha mãe parecia ignorar tudo que estava acontecendo e só pensar nos netos que ela teria o único que parecia ter o mínimo de sensatez era meu pai, e após essa noite estranha só vi a família hyuuga novamente no dia do casamento, casamento esse que não aconteceu nada demais só fomos obrigados a fingir ser o casal mais feliz e apaixonado do ano, o que realmente aconteceu de interessante foi uma briga minha com hinata duas semanas depois do casamento, ela estava sempre saindo e nunca me dizia nada e sempre estava ao telefone quando estava dentro de casa sempre me ignorando isso tudo me levou a pensar o obvio a hyuuga estava me fazendo de corno.

 

     - ADMITA HINATA! VOCÊ ESTÁ ME TRAINDO NÃO TEM COMO NEGAR, A PRINCIPAL COISA QUE SEU PAI DISSE QUE NÃO PODERÍAMOS FAZER SERIA TRAIR E VOCÊ ESTÁ FAZENDO ISSO! - gritei em plenos pulmões sem me importar com os funcionários da mansão onde nós morávamos.

 

     - COMO SE NAS DUAS SEMANAS ANTES DO NOSSO CASAMENTO VOCÊ NÃO FEZ A MESMA COISA NARUTO! - aquela hinata era nova pra mim, não era uma menina tímida e envergonhada de antes, após aquela frase que dizia sim ela estava me traindo sai dali correndo e peguei o carro e fui ao um bar que sempre freqüentava assim que cheguei lá vi sasuke o que me surpreendeu me sentei ao seu lado.

 

       - sasuke? - chamei e o mesmo me encarou um pouco surpreso e vermelho, "ele ta vermelho será que bebeu demais? ou é vergonha?" - tudo bem sasuke? Você tá vermelho. - falei e vi o mesmo virar o rosto pro lado.

 

      - é o calor, o que faz aqui? - perguntou virando novamente sua bebida.

 

      -  vim beber é óbvio, - chamei o barman e pedi a bebida mais forte que ele tivesse. - mas e você sasuke porque está aqui?  

 

      - vim beber também. - ele falou irritado, não entendi o porquê mais tive a impressão do mesmo me chamar de baka baixinho.

 

      - mais porque você veio beber, sasuke? - perguntei me aproximando dele eu sentia a necessidade de ficar perto dele mesmo o uchiha não gostando que invada o espaço pessoal dele, nossos rostos estavam a um palmo de distância, sasuke pareceu ficar mais vermelho, só deu pra perceber por que eu estava bem perto dele.

 

       - apenas deu vontade de beber, - voltou a virar o rosto para o outro lado de novo. -  dobe! - rir e fiquei ali bebendo e aproveitando a companhia de sasuke, mesmo que eu quisesse falar tudo que aconteceu e como foi ruim sem ter ele por perto para me ajudar.

 

       Após alguns copos é que minha memória começa a ficar confusa, lembro de ter dormido com alguém, mas não lembro seu rosto, mas me  lembro do seu cheiro natural era suave com o cheiro de uma rosa, me lembro de sua pele se eu fechasse os olhos ainda podia sentir a textura de sua pele em meus dedos, e ainda me lembro de seu corpo pernas grossa, peitoral magro e bunda redondinha ótima para apertar, ainda me lembro de seus gemidos.

 

       - na-naruto mais forte! - "e que gemidos" e seu jeito mandão na cama, mais sempre que tento lembrar seu rosto me vem uma sombra, me lembro de tudo nele menos seu rosto, só tem uma vaga memória de seus olhos e que eles eram profundos e que era fácil de se afogar neles, sei que na manhã seguinte não o vi, ele acordou primeiro e pagou metade do quarto que a gente se hospedou, assim que cheguei em casa fui recebido pela seguinte cena, assim que abro a porta de casa vejo hinata estava chorando no colo de kushina meu pai estava ligando pra alguém e hiashi estava amaldiçoando até minha décima geração, quando boto o pé dentro de casa todos olham pra mim.

 

      - ONDE VOCÊ ESTAVA NARUTO? - por eu esta de ressaca, eu ficava facilmente de mau humor e por isso agia sem pensar.

 

      - bebendo, e não grite velha! - falei irritado, “acho que não possuo amor a vida", tapei os meus ouvidos, e fui direto ao quarto que dividia com hinata ignorando qualquer falatório daqueles infelizes que aparentemente não tinha mais o que fazer, e fui dormir, quando acordei os velhos sem juízo ainda estavam em minha casa e hinata ainda estava se fingindo de vítima, tanto kushina quanto hiashi ameaçaram deserda a mim e hinata se não fizéssemos logo um filho, então na mesma noite me deitei com hinata só que não senti nenhum prazer, na verdade senti que estava traindo alguém e sempre que eu estocava em hinata me vinha à lembrança daqueles olhos escuros.

 

       Algumas semanas depois minha mãe fez questão de levar hinata no medico pra ver se ela já estava grávida e obviamente fui obrigado a ir junto, mas não me arrependo de ir já que foi mágico ouvir o coraçãozinho do meu pequeno boruto, no mesmo dia liguei para sasuke, mas ele não me atendeu, então decidi visitar ele depois e arrumar logo a festa para anunciar a chegada do boruto quando tudo ficou pronto resolvi ir atrás do sasuke não ia deixar ele começa a me ignorar de novo, assim que cheguei lá fui recebido pelo itachi o mesmo disse que sasuke estava no quarto e como eu já conhecia a casa fui direto ao quarto dele e bati na porta.

 

          - SASUKE SEU TEME! SAIA DAÍ AGORA SE NÃO ARROMBO ESSA PORTA! VOU CONTA ATÉ 3 SE NÃO SAIR EU ENTRO, 1 -  gritei - 2, 3. - a porta quase foi abaixo quando eu entrei. - que idéia idiota é essa de me ignorar em seu bastardo vai começa com isso de novo? - pergunto e aí me lembrei da época que sasuke começou a me ignorar, com certeza foi à pior época da minha vida.

          - não se sinta especial dobe, não estou ignorando só você, estava estudando para entrar pra uma boa faculdade, - respondeu. - mais o que você faz aqui? - foi aí que me lembrei do motivo de estar ali e abri meu maior sorriso.

 

          - eu vou ser pai! Dá pra acreditar teme? - falo animado, e estranho sasuke parecia nervoso. - a hina! A hina ta grávida teme! - falo pulando pelo quarto, assim que olhei pra ele o mesmo parecia triste. - demonstra algum sentimento teme! – falei emburrado por ele esta daquele jeito “achei que ele ficaria animado”.

               - parabéns dobe. - falou curto e grosso “o que será que está acontecendo com ele? Acho que essa notícia não é muito boa pra ele se bem me lembro ele não gosta de crianças”.

    - tinha esquecido que você não gostava de crianças, como pretende ser pai assim? – o vi ficar alguns segundos pensativo depois deu de ombros. - ok, ok,  não vim aqui pra isso, vim te chamar para festa que eu vou dar pra contar aos nossos amigos sobre a gravidez da hinata, você vai né teme? - perguntei e ele só concordou. - que bom então até amanhã à noite e vista algo menos emo! – gritei brincando enquanto descia as escadas.

        Na noite seguinte quando sasuke chegou à festa ele tava lindo uma blusa cinza calça preta e um casaco azul escuro, eu e hinata atendemos ele sorridente como fizemos com todos os outros mais dessa vez realmente me senti feliz em ver sasuke, esse que sorria pequeno, como eu sabia que ele veria com aquela franja de emo, eu já até tinha comprado uma presilha pra colocar nele por isso me aproximei repentinamente o assustando, sorri travesso e peguei sua franja, aproveitei que estava perto dele e respirei fundo para sentir seu cheiro, assim que prende a franja dele me afastei orgulhoso por ter conseguindo sem levar uns tapas do moreno.

 

  - e aí, como ficou hinata? –perguntei encarando sasuke, hinata soltou uma risadinha.

 

     - fofo. - falou sorrindo, e vi sasuke ficar mais vermelho que antes e pensei “você está certa hinata ele está fofo” logo chegou mais gente e todos parabenizaram a mim e hinata alguns até trouxeram presentes, e estávamos conversando num jardim na casa que, aliás, era bem grande.

 - pode deixar que eu vou pagar toda as roupas da criança vai ser meu presente. – falou ino animada.

 - tudo bem. – respondi enquanto procurava por sasuke com o olhar.

- nossa e nem pra ser um pouquinho humilde e dizer que não precisava. – falou ino risonha.

- isso vai ser problemático, mas ainda sim aceito ser o padrinho. – falou shikamaru respondendo a proposta que eu havia feito a ele mais cedo.

– então eu serei a madrinha! – falou ino animada.

 - eu já estava pensando mesmo em lhe chamar para ser a madrinha ino. –falou hinata se aproximando de onde a gente estava junto a ela veio tenten e gaara e percebi que quando gaara se aproximou ficou um clima estranho entre ele e shikamaru.

- eu vou atrás da temari ver o que ela ta fazendo. – falou shikamaru se afastando.

 - ela ta competindo com o kiba pra ver quem bebe mais. – respondeu tenten, procurei sasuke novamente com os olhos e vi-o do outro lado do jardim conversando com neji e quando me decidi ir até ele vi madara do outro lado da rua me chamando.

  - ola madara-sama. – falei sorrindo e madara apenas acenou com a cabeça.

 - vim pegar o sasuke, poderia o chamar pra mim? – confirmei com a cabeça e voltei pra dentro do jardim e fui em direção do sasuke e neji, vi eles próximos de mais e senti uma imensa vontade de socar o neji mas me controlei, assim que cheguei lá levantei sasuke o puxando pra perto de mim.

    - sasuke seu tio veio lhe buscar ele disse algo sobre já está tarde e o bebê ter que ir dormir. - falo forçando um riso, ele se afastou de mim e eu percebi que havia agido meio estranho.

 - obrigado por me avisar naruto agora eu já vou, tchau neji! – sasuke ia saindo quando neji se levantou e o puxou pra fora e aquela cena me fez ficar me roendo de raiva, neji demorou demais para voltar e isso me fez pensar se eles realmente tinham se beijado, quando ele voltou fiquei fuzilando ele com o olhar durante toda a noite.

 2 mês de gestação

 

Logo no segundo mês de gestação de hinata fui obrigado a assumir a empresa dos meus pais o que foi um saco, já que não tive tempo nem pra respirar e agradeço muito ter shikamaru com meu secretário se não eu iria endoidar antes de conseguir entender como tudo funciona lá dentro, eu queria muito falar com sasuke ele com certeza iria me ajudar e eu também queria saber se ele entrou pra faculdade, mais toda vez que chegava em casa só conseguia cair na cama e dormir.

 

3 mês de gestação

Terceiro mês de gestação foi realmente um mês surpreendente, estava eu no meu escritório, em meio a um mar de papéis sobre propostas e outras coisas em relação às empresas quando shikamaru entrou na sala e diferente dos outros dias ele parecia animado e isso é difícil de acontecer principalmente num dia de reunião.

- me conte shikamaru o que te deixou tão animado assim para vim sorrindo num dia de reunião com um bando de velhos? – perguntei ao mesmo que parecia esta no mundo da lua.

- a temari está grávida de quatro meses, - falou sorrindo e eu sabia que ele amava a loira e estava feliz com a notícia, e por um momento eu pensei que eu deveria ter me casado por amor que nem ele e temari. – acredita que ela me escondeu isso desde segundo mês de gestação apenas porque não queria que eu a proibisse de ficar fazendo esforço e mandasse ela pausa a faculdade? E se dependesse dela eu só saberia quando não desse mais pra esconder a barriga.

- shikamaru como você não percebeu que a barriga da sua mulher estava aumentado? – perguntei risonho.

- como se eu tivesse com tempo pra isso, parece que seus pais fizeram questão de deixar tudo bagunçado aqui, que bom que kakashi - kakashi era o secretário do meu pai e o cara que praticamente me criou já que meus pais não tinham tempo pra mim por causa das empresas. - ainda está me ajudando se não nem eu saberia o que fazer aqui. - admitiu shikamaru e depois disso passamos o dia conversando e assinando papéis, eu realmente fiquei feliz que temari esteja grávida, por que se o garoto puxar a shikamaru ele e meu filho serão bons amigos mais se for uma garota, tenho até pena do meu filho, eu tenho certeza que vai ser um menino e por isso já até escolhi o nome, eu estava concentrado nos papéis de uma reunião quando de repente a sala é invadida por uma loira escandalosa chamada ino.

 - vocês não vão acreditar! Eu to grávida gente! – falou ino se jogando em cima de shikamaru e depois me puxou para o abraço. – nos filhos serão melhores amigos eu tenho certeza. – falou com um sorriso ainda nos abraçando.

- porque loiros tem que ser tão escandalosos? – se perguntou shikamaru e eu e ino rimos. – ino você não deveria esta trabalhando? Eu sei que você assumiu a empresa yamanaka esses dias.

- ah isso eu deixei o sai cuidando de tudo por lá por quê? – perguntou ino se sentando em uma das poltronas e pegando uma pilha de papéis e os olhando de forma desinteressada.

- pobre coitado dele ino, ele se formou em design de moda e não administração de empresas. – falei voltando para minha cadeira.

- ino não mexa nessas coisas, - falou shikamaru tomando os papéis que ino tinha pegado. - e você deveria voltar lá porque se seu pai aparecer vai sobrar paro o sai, e você sabe que ele já não vai com a cara dele. – avisou shikamaru e ino bufou vencida.

- tá, tá, eu sei quando não me querem em algum lugar, vou lá volta pra amor da minha vida que é o único que gosta de mim. – falou ino dramática e dando tchau.

- é coisa de gente loira ser dramático assim? – perguntou shikamaru, me fazendo rir ainda mais, e ficamos assim até o final do dia. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...