História Minha história - Fillie - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias It: A Coisa, Stranger Things
Personagens Benjamin "Ben" Hanscom, Beverly "Bev" Marsh, Dustin Henderson, Edward "Eddie" Kaspbrak, Eleven (Onze), Lucas Sinclair, Maxine "Max" Mayfield / "Madmax", Michael "Mike" Hanlon, Mike Wheeler, Richard "Richie" Tozier, Stanley "Stan" Uris, Will Byers, William "Bill" Denbrough
Tags Cadie, Fillie, Jaephia, Wyphia
Visualizações 94
Palavras 2.535
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Quem é vivo sempre aparece!!
Obrigada aos 110 anjos que favoritaram a fic, voltei por vcs.
Aproveitem o cap.

Capítulo 18 - Nossa despedida


POV GATEN

Passo a noite revirando na cama, a surpresa de encontrar Finn com a Millie no parque ainda me abala, não tanto de vê-los se beijando ja que isso ia acontecer uma hora ou outra mas de terem me visto com Chloe, me pergunto se talvez Finn deva estar me odiando por esconder o relacionamento com Chloe já que ele me conta tudo, ou pior, deve estar irritado pois sabe que Chloe é como um fruto proibido pra todos nós amigos do Noah.
Posso sentir o julgamento de todos em cima de mim quando descobrirem. Me levanto com dificuldade devido ao cansaço pela falta de sono, faço minhas higienes e me preparo pro colégio.
Prometi a Chloe que falaria com Finn assim que o visse, tenho certeza que ele não falaria nada a Noah antes de termos uma conversa e eu preciso esclarecer tudo isso o mais rápido possível.
Ao chegar no colégio me deparo com Noah, Chloe, Júlia e Caleb na entrada, cumprimento a todos normalmente, Chloe discretamente me lança um olhar preocupado que eu entendo o que significa então apenas sorrio em sinal de que está tudo bem e em breve resolveria isso com Finn. Durante as primeiras aulas do dia me sinto aflito, não paro de encarar Finn e ele percebe, faço sinal de que gostaria de falar com ele no almoço e ele acena afirmando, depois do que me pareceu uma eternidade, enfim chega o almoço.
- E aí cara? - Ele diz quando chegamos a um local mais deserto do colégio.
- Finn precisamos conversar - Digo nervoso.
- É eu acho que sim - Ele responde sorrindo fraco. - Sobre o que você viu ontem... - Ele começa mas eu o interrompo.
- Que? Não, estou falando de mim e Chloe, preciso me explicar. Me perdoe por não ter te contado, você sempre se abre comigo e eu não tive coragem de falar nada pra você. - Digo atropelando as palavras.
- Gaten, calma, tá tudo bem eu jamais ficaria bravo com você por isso, aliás você tem todos os motivos do mundo para não contar isso a ninguém, se isso cai nos ouvidos do Noah eu nem sei o que pode acontecer. - Ele diz e eu sei que é verdade.
- Eu sei, eu sei mas aconteceu, não escolhi isso, essa situação toda. - Respondo ja sentindo as lagrimas inundarem meus olhos.
- Mas Gaten, quando foi que isso aconteceu, vocês dois? - Ele pergunta preocupado.
- Foi na festa da Millie aquele dia, estávamos eu e Jaden sozinhos e chegou ela e Lilia, acabamos todos nos enturmando, Jaeden e Lilia estavam no maior clima e eles acabaram se beijando, depois Chloe me beijou acho que levada pelo momento, eu fiquei meio em choque mas depois da briga entre você e Jacob fomos pra um lugar mais escondido e rolou da gente ficar. Eu me apeguei a ela porque você sabe que passei anos num amor platônico pela Sadie, Finn por favor estou muito feliz com ela, vamos contar ao Noah mas não estamos prontos ainda. Não conte a ninguém eu te imploro amigo. - A essa altura as lagrimas ja escorriam por todo o meu rosto, meu choro era descontrolado quase que o de uma criança quando perde o brinquedo favorito.
- Claro que não contarei a ninguém sobre vocês e prometo que Millie também não vai falar nada só por favor tentem se resolver logo com o Noah porque quanto mais esconderem, mais difícil sera para contar, quem sabe ele namorando agora tenha amolecido um pouco o coração, nunca se sabe. Estamos do seu lado amigo. Seja feliz cara. - Finn me abraça, sinto alívio na mesma hora, essa cara sempre foi incrível comigo, isso me da confiança pra me resolver com Noah o quanto antes.
- Obrigado amigo. - É o que consigo responder. - E você e a Millie, parabéns, eu sei o quanto você esperou para estar com ela, boa sorte a vocês. Você já terminou com a Karin? - Pergunto me afastando de seu abraço ja mais calmo.
- Bom, fiquei de resolver isso com ela hoje, ela pediu que eu fosse a sua casa hoje, eu ate prefiro assim ja falo com seus pais e resolvo isso da melhor forma possível afinal vou magoar a filha deles, eles merecem uma explicação. - Seu semblante é triste e preocupado e eu percebo que sua situação é tão ruim quanto a minha.
- Millie já sabe que você vai a casa dela? - Pergunto intrigado pois não faz o feitio de Millie ficar tranquila numa situação assim.
- Não, mas nada de mais vai acontecer, vamos apenas conversar e eu vou embora. Não faça essa cara Gaten. -Ele se refere a minha cara de deboche ao ouvir sua ingênua frase.
- Finn essa menina não parece flor que se cheire pelo que a Chloe me disse, tome cuidado para não acabar machucando a Mills.
- Quê? Não cara ta tudo sob controle, não vou cair em nenhuma cilada mas também a Karin não é assim, não me bote na pilha da sua namorada. - Ele responde franzindo o cenho.
- Ta bom, ta bom não ta mais aqui quem falou, vai dar tudo certo. Agora vamos porque o pessoal ja deve estar estranhando nosso sumiço. Obrigado por ser meu amigo Finn. - Ele sorri e nos abraçamos uma ultima vez, saímos dali e vamos ao encontro de nossos amigos no refeitório.

POV MILLIE
Avisto Finn e Gaten vindo em nossa direção, me alivio ao ver o sorriso maroto de Gaten a mim, que o respondo com uma careta, Finn vai se sentar na mesa com Karin mas antes de se sentar, lança uma piscadinha e um sorrisinho discreto a mim que retribuo com um sorriso não tão discreto. Karin parece não perceber o gesto ou finge não ver, desconfio que no fundo essa ridícula deve saber que é de mim que o Finn gosta mas deve fazer joguinhos com ele, sinto um tremor subir pela barriga quando ela o beija de repente, tenho certeza que a vadia fez para me provocar, espera só até ela levar um fora dele hoje, não vou rir porque não estarei com eles mas assim que der faço questão de retribuir o gesto que ela acabou de fazer.
- Millie ta tudo bem? - Ouço a voz de Sadie a minha frente.
- Está sim. - Minto. - Acho que perdi a fome, vou esperar vocês na sala ta?! - Digo visivelmente irritada, lanço um olhar rancoroso a Karin que me observava e saio do refeitório bufando mais que uma búfala.
- Millie espera. - Ouço Sadie correndo atrás de mim.
- Sadie você deixou o Caleb la sozinho, volta pra la, termina seu almoço não precisa vir atrás de mim estou bem. - Minto mais uma vez a ela.
- Não Mills não ta nada bem, você ta nervosa demais e você sabe que não pode mentir pra mim, eu te vi olhando pro Finn e pra Karin. O que ta havendo?
As vezes o poder de observação dela me espantava, assim como o fato dela conhecer cada jeito meu, cada olhar feliz ou triste. Sadie me conhece da cabeça aos pés e sabe absolutamente tudo sobre o que quero dizer apenas pelas minhas expressões corporais. Sem poder mais mentir, desabafo.
- Tudo bem, eu sei que não vou conseguir esconder isso de você mesmo. - Começo dizendo.
- Que bom que a senhorita sabe, anda sou todo ouvidos. - Ela me interrompe brevemente.
- Ta Sadie só não grita. - Eu a advirto pois sem bem que ela adora um escândalo.
- Millie o que foi? Ta me assustando. - Seu semblante se fecha em preocupação.
- Calma não é nada ruim, é coisa boa. Eu e o Finn meio que estamos juntos. - Digo esquecendo a raiva, sorrio com a lembrança do dia anterior.
- MILLIE NÃO ACREDITO. - Sadie berra e eu corro tapar sua boca em reflexo, desesperada.
- Sadie eu falei pra você não gritar, ninguém sabe ainda porque ele vai terminar com a Karin hoje. Não queríamos que ninguém soubesse ainda, ele é muito certinho pras coisas. - Falo tirando a mão da sua boca.
- Millie do céu eu to em choque, como você não ia dizer nada pra mim, ta louca? Eu to super feliz por vocês, eu conheço o jeito certinho do Finn mas ele esta certo em querer se resolver com a lagartixa desengonçada, assim ela não pode vir atras dizendo que não sabia que tinham terminado e dar uma de louca, que bom amiga. - Ela se atira em cima de mim sem que pudesse ter qualquer reação imediata, isso quase nos derruba mas eu não ligo, rio alegre por ter uma amiga como ela ao meu lado, eu nao conseguia esconder nada dela mesmo.
O tempo tarda a passar, após o almoço o pessoal retorna as suas salas, a raiva ja havia ido embora e deu espaço ao sorriso mais largo que eu ja havia dado na vida, nem prestei atenção nas aulas seguintes apenas pensando que dali ha algumas horas Finn ia estar totalmente livre pra mim.
Sinto o celular vibrar no bolso, o sorriso largo insiste em não sair dos meus labios, no visor uma mensagem enviada por Finn.

Whatsapp on

Finn: Oi princesa, falarei com a Karin mais tarde e depois passo na sua casa pra dar seu beijo de boa noite. Eu te amo minha Mills.

Whatsapp off

Respondo apenas com um coração a ele e volto a guardar o celular no bolso. O sinal toca, indicando o final de mais um dia, vou com Sadie pra casa.
Chego em casa e corro ao meu quarto, deito em minha cama aguardando ansiosa as horas passarem até o momento em que Finn finalmente apareça sendo unico e exclusivamente meu.

POV FINN
O Combinado era estar as 19:00hrs na casa da Karin, me senti nervoso o dia todo ainda mais sabendo que enfrentaria seus pais, fiquei com receio no começo quando ela sugeriu que conversassemos na sua casa mas depois achei uma boa idéia, preciso agradecer a oportunidade que me deram (sem que eu quisesse de verdade) de namorar sua filha. Eu partiria seu coração em pouco tempo então achei correto dar minha cara a tapa, na pior das hipóteses eu sairia de lá de maca porém tudo isso é por uma boa causa.
Toco sua campainha no horário combinado e é a própria Karin quem me recebe, procuro rapidamente por seus pais dentro da casa mas ela me diz que precisaram sair as pressas mas que em breve voltariam, assenti nervoso; mal adentro a casa e ela me convida a ir em seu quarto.
- Mas Karin, seus pais não vão achar ruim se chegarem e nos virem sozinhos no seu quarto? Não me importo em ficarmos aqui na sala. - Digo envergonhado.
- Não Finn, tudo bem, eles sabiam que você viria e fala sério você é meu namorado, meus pais não são tão caretas assim. - Ela ri e me puxa escada acima ate adentrarmos em seu quarto.
Sento-me ainda envergonhado em sua cama, ela se senta em minha frente, nos encaramos em silêncio por alguns minutos até que tomo coragem de começar.
- Karin eu vim aqui por um motivo meio sério, acho que precisamos conversar. - Falo olhando em seus olhos, preciso falar logo enquanto estou com coragem.
- O que houve Finn? Esta me assustando. - Ela pega em minha mão, eu encaro a sua mão na minha e volto a encarar seus olhos.
- Karin eu... eu acho melhor a gente terminar sabe, passamos bons momentos juntos mas acho que namorar não era bem o que queria na verdade, pelo menos não nesse momento.
- Finn do que você tá falando? A gente começou a namorar agora...você falou com meus pais a pouco tempo e...- Ela começa a dizer, se perdendo nas palavras e enchendo os olhos de lágrimas. Eu a interrompo.
- Eu sei, eu sei que estou sendo muito escroto ao terminar tudo assim de repente, eu sei que seus pais vão querer me matar, estou ciente de tudo isso mas a verdade é que eu sou apaixonado por...
- Não, não se atreva a terminar essa frase.- Ela me interrompe, dessa vez com um tom ameaçador na voz.
- Mas eu amo a...
- Não Finn Wolfhard!!! - Ela mais uma vez me interrompe - Não por favor, não termina comigo assim, eu faço qualquer coisa, você não me ama agora mas pode me amar mais pra frente, enquanto isso eu amo por nós dois. - Seu semblante é de desespero.
- Karin não faça isso consigo mesma. - É o que consigo responder diante de toda a situação.
Um silêncio invade violentamente o quarto e dura alguna longos segundos até ser quebrado por seu soluço, ela permanecia de cabeça baixa desde minha resposta, aparentemente estava pensativa ou assimilando tudo aquilo.
- Tudo bem então Finn. - Ela responde após longos 10 minutos contados em meu relógio de pulso enquanto levanta sua cabeça, um sorriso triste aparente em seu rosto.
- O quê? - Respondo tentando entender o que ela havia acabado de falar.
- Tudo bem, eu aceito o término.
Não tenho certeza da expressão que apresentei pois naquele momento eu podia jurar que havia esquecido até como se respira, será possível que ela tenha aceitado uma coisa dessas tão depressa? Mas ela havia acabado de implorar para que eu não fizesse aquilo e...
- Mas tenho uma condição. - Disse ela por fim, me fazendo sentir um estúpido por achar que ela havia sido compreensiva com minha decisão.
- Qual? - Pergunto apreensivo.
- Quero algo que me faça lembrar de nós.
- Tipo o quê? - Juro que fiquei com medo de sua resposta e em breve descobri que estava certo em ter medo.
- Você nunca me deixou ser sua totalmente.- Ela fala com um sorriso maroto em seus lábios.
- Karin, eu não posso! - Afirmei me levantando rápido da cama, eu sei me controlar mas ja havia a evitado, com muito custo, em outra situação, dessa vez tive medo do instinto falar mais alto, afinal, Karin é muito gostosa, um tremendo mulherão pra sua idade.
- Por favor Finn, só dessa vez, como se fosse nossa despedida.- Ela usou a sua melhor voz sedutora, paralisei naquele momento com seu olhar, que ja não havia mais lágrima alguma, congelei, minhas pernas não me obedeciam, a mente dizendo pra sair dali antes que fizessemos algo com que eu me arrependesse depois mas alguma outra parte do meu corpo, não queria que eu saísse de jeito nenhum.
Ela levantou e veio em minha direção olhando fixamente em meus olhos, senti meu coração acelerar, quase sair pela boca, ela segura em minha mão, sua pele é quente e me traz uma sensação que eu não queria me permitir a sentir até aquele momento. Millie aparece em minha mente me tirando do transe de Karin, consigo me desvencilhar de seu toque e digo apenas:
- Não, eu não posso fazer isso!


Notas Finais


Então, voltei pra ficar eu prometo, obrigada por nao desistirem de mim kkkkk
Até o próximo cap.
Amo todos ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...