História Minha Luz - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Chiyo, Deidara, Hyuuga Hiashi, Ino Yamanaka, Kakashi Hatake, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Tsunade Senju
Tags Alcateia, Alfa, Guerra, Lobos, Possessivo, Sasuke, Sasusaku, Vampiros
Visualizações 196
Palavras 2.402
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Vamos para mais um??

P.S.: Gente, não consegui revisar o capítulo! Desculpem-me antecipadamente por qualquer erro!

Capítulo 5 - Sobre Coisas que Não Deixaremos Acontecer


POV Sasuke

 

 Estava em meu quarto, fechando a mala, quando ouço três batidas na porta, que foi aberta em seguida deixando Itachi em meu campo de visão.

- Naruto chegou em minha casa correndo e disse que queria falar comigo, aconteceu algo?- questiona entrando completamente no cômodo e se aproximando de mim.


 

Ainda estava nervoso, então simplesmente apontei com a cabeça para as fotos espalhadas pelo colchão, num sinal de que ele deveria pegá-las e vê-las. A expressão de Itachi passou de interrogatória para sombria em segundos.


 

- Mas o que significa isso, Sasuke? Que fotos são essas? Onde é esse lugar e quem são essas pessoas?-


 

- Essas fotos foram mandadas por Gaara pra cá. Essas pessoas eram habitantes de um povoado no interior da França. Não há mais ninguém vivo por lá, Itachi! Os jovens e adultos desapareceram e os corpos encontrados estavam completamente drenados. Gaara reconheceu o cheiro de vampiros.


 

- Não é possível!- sentia a raiva saindo por seus poros, meu irmão tremia enquanto processava minhas palavras.- Não é possível, Sasuke! Os vampiros foram derrotados há muito tempo, não temos notícia de qualquer atividade anormal há séculos.


 

- Você sabe que eles foram derrotados, mas não extintos! Sempre fomos alertados sobre a possibilidade de um enfrentamento futuro, eles estarem quietos claramente não era um bom sinal, a prova disso está aí.- digo apontando para as folhas em sua mão.- Pensa só, Itachi, a prole de Orochimaru não foi destruída, o filho mais novo sobreviveu à guerra, junto com outros vampiros. Ele sabia que, a qualquer sinal que nos desse, qualquer rastro que deixasse, iríamos atrás e acabaríamos de exterminar as pontas soltas dessa raça maldita. Então, ele ficou no escuro por todo esse tempo, sem chamar atenção.. não acha intrigante que, justo agora, vampiros ataquem um vilarejo que se encontra num país sede de uma das nossas alcateias? E, convenhamos, não foi um ataque nada sutil!


 

- Onde você quer chegar, Sasuke?- pergunta me olhando com seriedade.


 

- Eles não estão com medo de mostrar que sobreviveram, não estão com medo de chamar nossa atenção!- exaspero-me passando as mãos no rosto.- Logo, não estão com medo de nos enfrentar e você só perde o medo de enfrentar um inimigo dessa forma se tiver forças suficientes para tanto.- concluo meu raciocínio.


 

- Eles se reergueram…- solta meu irmão num tom mais baixo, alcançando o entendimento da coisa.


 

- Temo que sim! Se ainda não foi de forma completa, estão bem próximos disso. Não armariam esse circo, do contrário.


 

O silêncio recai sobre o quarto, sendo possível ouvir apenas nossas respirações pesadas e meus passos, enquanto me direciono para a janela e vejo nuvens de chuva se aproximando pelos leste.


 

- O que vamos fazer, Sasuke? Não podemos ficar parados enquanto esses miseráveis estão por aí!


 

- Eu sei disso.- solto um suspiro descontente.- Te chamei aqui porque estou indo para a França, preciso me encontrar com Gaara, ver isso de perto, tentar achar pistas ou rastros.- viro minha cabeça para a esquerda, em sua direção e continuo.- Você fica aqui e toma conta de tudo na minha ausência.- Itachi assente sem quebrar o contato visual.- Naruto e mais cinco lobos vão comigo, todos os que ficarem aqui estão responsáveis pela proteção do bando. Sei que nós treinamos mesmo em tempos de paz, mas a situação é outra agora. Aumente a frequência, nível e intensidade dos treinos. Machos e fêmeas devem participar, sem discussões.


 

- Pode deixar, irmão, eu me encarregarei disso!


 

- Também quero mais lobos em patrulha os limites da cidade devem ser monitorados dia e noite. Ininterruptamente, Itachi.


 

- Eu já estava pensando nisso. Vou elaborar a escala e comunicar a todos.


 

- Falando em comunicar, eu me sentaria com o conselho hoje, para a reunião mensal…


 

- Irei chamá-los, explicar a situação e deixá-los ciente do que está acontecendo.


 

- Ótimo, é só isso. Assim que tiver informações na França, entro em contato com você.- termino e vejo meu irmão mais velho se aproximar e colocar a mão sobre meu ombro direito, em sinal de apoio.


 

- Vai dar tudo certo, irmãozinho, derrotamos esses desgraçados uma vez e o faremos de novo.- afirmo tentando imprimir confiança em meu tom.


 

- Tome cuidado na França, Sasuke. Não esqueça de dar notícias.- pede enquanto dá um toque com os dois dedos em minha testa, mania irritante que tem desde que éramos crianças, para sair do quarto logo depois.


 

Volto minha atenção para a janela, vendo as nuvens cinzentas se aproximarem cada vez mais. Sim, o dia estava lindo, mas agora uma tempestade se aproxima.


 


 

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx


 

 

Tínhamos chegado no aeroporto de Paris às dez da manhã e Gaara, o alfa responsável pela Terceira Alcateia, já nos aguardava.

 

- Soberano!- cumprimenta-me curvando o corpo para frente, assim como os dois lobos que o acompanhavam.- Espero que tenham feito uma boa viagem até aqui.

 

- Gaara.- digo de volta fazendo um breve aceno com a cabeça.- A viagem foi tranquila, muito diferente do meu estado de espírito. Eu quero explicações detalhadas sobre o caso.

 

- Claro! Os carros já estão nos esperando no estacionamento para irmos até minha casa, lá poderemos conversar melhor.

 

- Então vamos, tenho pressa em resolver esse assunto.- digo já me dirigindo para a parte externa do prédio.

 

Ao longo do caminho, conversamos sobre assuntos da alcateia, coisas mais triviais, porém importantes. Tudo que dizia respeito a meu povo era de meu interesse. O percurso até a casa de Gaara foi feito num tempo razoavelmente rápido e logo já estávamos em frente ao grande portão de ferro do jardim. Ao adentrarmos na residência, Matsuri, sua companheira, nos recepcionou.

 

- Soberano, é uma honra recebê-lo!- saudou-me curvando-se junto com os presentes ali.

 

- É bom vê-la novamente, Matsuri!

 

- O senhor deseja que algo para comer? Quer descansar? Podemos providenciar o que o senhor e os lobos que trouxe precisarem.- diz solícita.

 

- Não, Matsuri, muito obrigado! No momento, tenho outras coisas que demandam urgentemente minha atenção, então comer e descansar ficarão para depois. Meus homens também estão bem.- declino a oferta tentando exprimir minha gratidão por sua gentileza e hospitalidade e ela solta um leve sorriso meneando a cabeça brevemente.

 

- Suri, peça para que levem as malas do Soberano e seus acompanhantes para os quartos. Nós estaremos no escritório e não quero que ninguém interrompa nossa reunião.- avisa Gaara.

 

- Certo! Cuidarei disso agora mesmo.

 

Mal esperamos que Matsuri terminasse de falar e já estávamos seguindo para o escritório. Seria um longo dia.

 

xxxxxxxxxxxxxxxxx

 

As fotos originais conseguiam ser mais macabras do que as escaneadas, meus olhos as varriam por completo e a minha fúria crescia desenfreadamente.

 

- Pode começar, Gaara.- permito que ele inicie a explicação sobre o que houve.

 

- Bom, sendo a Terceira Alcateia responsável pelo oeste europeu e tendo lobos espalhados por todo o território, tenho persistido na política de patrulhamento. Eu já tinha pedido sua autorização para estabelecer rondas há alguns anos, lembra, Alpha?- pergunta recebendo uma confirmação curta minha.- Então, há cinco dias atrás, em uma dessas rondas aqui na França, dois lobos da patrulha que estavam na parte sudoeste do país resolveram parar no rio Dore para descansar e beber água, quando sentiram um cheiro diferente trazido pelo vento. Seguindo contra ele, chegaram num vilarejo próximo à Saint- Émilion e o que encontraram foi um cenário de guerra, com casas destruídas e abandonadas, tudo vazio, exceto pelos corpos pálidos de crianças e idosos pelo chão. Fui para lá imediatamente e não precisei de muito para saber que aquilo era obra de vampiros, o fedor deles estava impregnado no lugar. A confirmação veio com as marcas de mordidas dos cadáveres.- um silêncio absoluto recaiu sobre a sala, mas a tensão dos lobos ali podia ser sentida com força.- Achamos alguns rastros e fomos na direção em que eles seguiram, mas, depois do rio, não localizamos mais nada.

 

- Você disse que eles levaram consigo os jovens e adultos, certo?- questionei já sabendo a resposta.

 

- Sim, junto com os rastros dos vampiros, havia rastros humanos.

 

Aquilo era péssimo, inacreditavelmente péssimo. Minha cabeça fervilhava pelas perguntas e ideias que surgiam, eu precisava me acalmar e pensar com coerência. Perder o controle não era uma opção, então obrigo-me a respirar profundamente e coordenar o fluxo de pensamentos.

 

- Isso demonstra nosso despreparo.- começo me pronunciando, atraindo a atenção de todos pra mim- Presumo que esses lobos da patrulha são jovens, já que não conseguiram determinar que se tratava do cheiro de um vampiro. Não posso jugá-los, eu mesmo nunca o senti, ao contrário de você, Gaara, que lutou contra eles na Guerra de Sangue, ao lado de meu bisavô. Muitos acreditaram que eles estavam extintos, mas eis a prova de que não estão.

 

- E agora, Soberano? O que vamos fazer?- indaga Mito, um dos meus homens de confiança.

 

- Já ouviu aquela frase de que não existe crime perfeito? Pois bem, essa fuga não pode ter sido perfeita. Eles devem ter deixado algum rastro na outra margem do rio indicando para onde seguiram e nós vamos varrer toda a área para encontrá-lo. Eu quero cada lobo dentro da França nessa busca e eu irei liderá-la.

 

- Mas, senhor, e se eles já não estiverem dentro do país? Não seria melhor convocar também os lobos que estão espalhados pela Europa?- diz um lobo da Terceira Alcateia.

 

- Não. Por ora, não vou disseminar esse clima de expectativa. Vamos fazer tudo com calma e por partes. Se ficar confirmado que eles ultrapassaram as fonteiras do país, estenderei o chamado. Porém, a ordem seguinte é para todas as alcateias: os treinamentos de batalha devem ser retomados imediatamente, sem questionamentos e sem exceções. Que todos saibam.- dito impassível.- Agora, providenciem para que aqueles da nossa raça residentes na França estejam aqui nas primeiras horas da manhã. Dividiremos as equipes e partiremos.- termino vendo todos os presentes fazerem um aceno de respeito e saírem, ficando apenas eu e Gaara no amplo cômodo.

 

- Sinto algo estranho no ar. Por que não chamar todos os lobos do oeste europeu para ajudar nas buscas?- verbaliza a pergunta que eu já esperava receber.

 

- Você me conhece bem demais.- reflito alto, deixando um sorriso irônico escapar.- Primeiro, porque não quero realmente causar alarme, prefiro colher o máximo de informação possível antes de chamar esse tipo de atenção, o que vai acontecer uma hora ou outra.

 

- Humm .. mas não é só isso que te perturba.- insiste.

 

- Não, não é. Meu pai sempre me alertou que os vampiros não haviam desaparecido, eles só estavam se reorganizando, ganhando tempo. Eu venho sentindo a existência deles, Gaara, e, apesar da descrença com esse ataque, é algo que, no fundo, já esperava. A questão é: Por que tanta demora?

 

- Por que tanta demora para se mostrarem para nós?- devolve meu questionamento.

 

- Sim! Veja bem, há mais de um milênio não temos notícias deles, nem uma pista ou sinal, nada. Então, de repente, eles resolvem fazer um ataque desse porte. Ainda que tenha sido um vilarejo pequeno do interior, foi um vilarejo completo. Eles deixaram os corpos, não fizeram questão de camuflar seu cheiro. Queriam que nós soubéssemos que eram eles ali. Isso demonstra muita confiança, não acha? Afinal, você não buscaria tanta exposição para si caso ainda estivesse numa posição de fragilidade.- concluo o raciocínio.

 

- Não tinha parado para avaliar isso, mas tem razão! Só não entendo como eles conseguiriam se fortalecer sem que tomássemos conhecimento de qualquer atividade suas.

 

- Você chegou exatamente no ponto! Acredito que não soubemos de nada do que eles faziam porque alguém que deveria reportar- se a mim os encobria deliberadamente.

 

- Mas se algum de nós os encobrissem teríamos um…

 

- Traidor! Nós teríamos uma traidor.- falo transparecendo raiva.

 

- Isso é muito sério! Um lobo se aliando a um sugador?! Minha mente não processa isso.- fala Gaara fazendo uma careta de descrença.

 

- Já a minha processa e aponta para essa direção. Justamente por ser algo tão grave, preciso agir com cautela. Se houver um traidor, eu vou achá-lo e dar-lhe um fim pessoalmente.- encerro deixando que uma aura sombria emane de mim.

 

- É muita coisa para digerir! Parece mentira que estou vivo para lutar contra vampiros de novo.- afirma e consigo sentir insatisfação em sua voz.

 

- De todos, sempre acreditei que você seria o mais animado diante da possibilidade de um embate com eles.- Gaara teve toda a sua família assassinada por vampiros bem na sua frente quando tinha apenas nove anos. Cresceu só, escondendo-se para sobreviver, passou por um inferno até encontrar meu bisavô e se juntar a ele. Dentre os alfas, sempre foi o que mais odiou aquela raça.

 

- Há séculos atrás, ficaria mais do que satisfeito com a oportunidade de poder matar mais alguns deles, mas então conheci Matsuri. Depois de tanto tempo levando uma vida solitária, achei minha destinada, minha mulher.- divaga soltando um suspiro ao fim.- Ela está grávida, Sasuke. Descobrimos há uma semana.

 

- Mas isso é ótimo, Gaara! Sua linhagem permanecerá! Meus parabéns, meu amigo.- falo entusiasmado com a notícia, pelo menos algo bom no meio de toda a turbulência.

 

- É, estamos muito felizes, mas é justamente sobre isso que paira minha frustração. Estou há muito tempo nesse mundo e à frente da Terceira Alcateia. Ao receber a notícia, já tinha decidido que falaria com você para deixar a liderança, indicando Kankuro para o meu lugar. Lógico que passaríamos por um período de transição até que me afastasse de vez. Obviamente, permaneceria como parte da alcateia, mas gostaria de levar uma vida mais tranquila ao lado da minha companheira e futuros filhotes. Só que aí veio esse ataque...

 

- Você ainda pode se afastar de seu posto, Gaara! É o alfa mais antigo, já fez muito por nossa gente! Jamais lhe negaria isso.- garanto pegando em seu ombro.

 

- Eu conheço seu senso de justiça e sei que não me negaria, mas minhas responsabilidades com nossa espécie e com os humanos não podem ser negligenciadas dessa forma. Não posso simplesmente fechar os olhos. Ficarei como alfa até derrotarmos os vampiros. Meu primogênito vem aí e eu não quero que ele nasça em um mundo dominado por aqueles monstros. Ele não passará pelo que eu passei.

 

- Não, meu amigo, ele não passará! Nós não deixaremos que isso aconteça.


Notas Finais


Olha as coisas acontecendo kkkkkk até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...