1. Spirit Fanfics >
  2. Minha luz, minha esperança, minha cura - Jung Hoseok (18) >
  3. Você nunca está sozinha, Carol

História Minha luz, minha esperança, minha cura - Jung Hoseok (18) - Capítulo 49


Escrita por:


Capítulo 49 - Você nunca está sozinha, Carol


Faltavam somente cinco dias para o casamento e eu não sei como que eu estava conseguindo me manter tranquila. Parece que o universo havia me enviado uma onda de calma e serenidade e eu não estava me reconhecendo, mas agradecia a todo o momento por estar assim zen. Todos os preparativos já estavam 100% e seria lindo e perfeito, exatamente como eu o Hobi sonhamos.

Nesse momento estou a caminho do aeroporto para buscar a Lana e o Pieter que estavam chegando. Uma das minhas maiores felicidades era poder ter eles comigo nesse dia, pois eles são tudo o que restou da minha família. Já no portão de desembarque, avisto eles e abro um enorme sorriso.

- Eu não acredito que vocês estão aqui! – Digo dando pulinhos e abraçando os dois, meio desajeitada.

- Oi amiga! Estamos aqui, por você! Nossa, como eu estava com saudade! – Lana diz me apertando ainda mais no abraço.

- Como que a gente iria perder um evento tão importante como esse? – Pieter diz feliz.

- Também estava com saudade de vocês. Obrigada por estarem aqui comigo, vocês não fazem ideia de como isso é importante para mim! – Digo emocionada.

- A gente sabe amiga! E nunca vai te abandonar, principalmente nos momentos mais importantes da sua vida! – Lana diz com os olhos cheios de lágrimas.

- Agora vamos gente, eu estou louca para mostrar tudo a vocês. – Digo.

- Não vejo a hora, eu sempre quis conhecer a Coréia do Sul. – Pieter diz empolgado.

- Caroles... de boa para você ficar andando por aí com a gente? – Lana pergunta.

- Claro que sim, eu peguei folga no trabalho. – Digo rindo.

- Não foi isso que eu quis dizer... você sabe... por você ser a quase esposa de um idol... – Lana diz baixinho essa última parte.

- Tudo tranquilo Lana, as pessoas não sabem quem eu sou.... espero... – Digo rindo. – Mas até hoje nada me aconteceu.

Fomos em direção ao carro e seguimos para a minha casa. Hobi e eu fazíamos questão que eles se hospedassem lá com a gente, afinal, eles fizeram tanto por mim quando eu estava em Amsterdam. No caminho fui mostrando alguns lugares de Seul para eles, passamos em frente a Big Hit e eles ficaram impressionados com a cidade.

- Você não tem nem tempo de não pensar no Hoseok ne? Tem foto dele e do BTS em tudo quanto é lugar aqui! – Lana diz, se referindo a quantidade de publicidade que o BTS faz.

- É loucura né? – Digo pensativa. – Mas já estou acostumada. – Digo rindo.

- O Hoseok está trabalhando? – Pieter pergunta.

- Para variar um pouco, está sim. – Digo rindo. – Mas ele disse que chegaria mais cedo em casa hoje para ficar com a gente.

(...)

 

Chegamos em casa e mostro tudo para a Lana e o Pieter, e os apresento para a Sra. Kang. Eles se acomodam no quarto de hospedes e deixo eles a vontade para descansar, afinal, eles acabaram de chegar de uma longa viagem e logo o fuso horário iria começar a pegar.

Enquanto isso, vou para a cozinha para começar a preparar o nosso jantar.

- A Srta. está muito calma para quem vai casar daqui a cinco dias! – Diz a Sra. Kang, que está me ajudando a preparar alguns pratos coreanos para nossos convidados.

- Graças a Deus que eu estou assim! Se não, já estaria surtando! Vamos ver como vai ser no dia né... – Digo rindo.

- Vai dar tudo certo. Você vai estar linda e casando com o amor da sua vida. E vou estar lá para ver tudo isso de perto! – Ela diz feliz.

- Eu estou muito feliz que você e a sua família vão estar lá! A Woo Ri deve estar muito empolgada porque vai ver os meninos do BTS de perto né? – Digo me referindo a filha dela, que tem 12 anos.

- Sim, ela não para de falar sobre isso. – Diz a Sra. Kang revirando os olhos. – Mas eu disse para ela se conter! E ela também está empolgada para ver você, ela disse que você vai ser a noiva mais linda do mundo. Ela te adora, Carolina.

- Querida, também gosto muito dela! – Digo sorrindo. – E diz para ela que eu logo vou mandar algumas coisas do BTS para ela, como mandei no ano passado.

- Ela vai amar, mas já disse que não precisa ficar fazendo essas coisas por ela.

- Isso não é nada! – Digo dando os ombros e sorrindo.

- Você é uma pessoa muito boa, você e o Sr. Jung, e merecem toda felicidade do mundo. – Diz ela.

- Obrigada Sra. Kang. – Digo dando um abraço nela.

Nisso, Lana entra na cozinha e se junta a nós. Fiquei fazendo a tradução de português e coreano para as duas se entenderem.

- Você está arrasando no coreano amiga! – Lana diz.

- Tive que aprender né, eu moro aqui. Mas ainda me confundo com algumas pronuncias. A Sra. Kang me ajuda bastante com isso. Ela foi a minha maior professora, além de me ensinar a culinária daqui. Ela é demais. – Digo feliz.

(...)

 

Algumas horas depois, Hobi chega do trabalho. Ele cumprimenta nossos hospedes alegremente e vamos jantar.

- Nossa gente, a comida coreana é realmente deliciosa. – Pieter diz.

- É sim, é a minha preferida no mundo! – Hobi diz feliz.

- A minha preferida é a brasileira! – Digo para provocar o Hobi, e falando a verdade, porque era mesmo.

- Pensando bem... a minha comida preferida também é a brasileira. – Hobi diz dando uma risadinha safada e me olha com malicia.

- Jung Hoseok! – Digo brava, entendendo a insinuação dele.

Lana e Pieter começam a rir alto. Eles também entenderam.

- Eu te entendo amigo, a brasileira é a minha preferida também. – Pieter diz rindo.

Lana e eu nos olhamos, reviramos os olhos, mas por fim começamos a rir.

- Se contenham meninos! – Lana diz.

Nosso jantar seguiu animado e cheio de risadas. Aproveitamos esse tempo para colocar o papo em dia, e fazer os planos para os próximos dias que Lana e Pieter estiverem aqui. Hobi não poderá nos acompanhar nas atividades ao ar livre, por motivos óbvios, mas vamos nos divertir mesmo assim. Senti que ele ficou um pouco chateado em não poder nos acompanhar. Tem vezes que ele questiona sua vida de idol por ter limitações de uma vida normal, e percebi que esse era um momento que ele estava travando suas batalhas internas. Quando fomos para o quarto dormir, conversei com ele sobre isso.

- Lindo... está tudo bem que você não vai com a gente nos passeios, todo mundo entende a sua vida. – Digo o confortando.

- Eu sei princesa, mas eu queria tanto estar com vocês, afinal, esse é o meu país, é a minha casa e eu gostaria de mostrar para os nossos amigos, como eles fizeram para mim na Holanda. – Ele diz um pouco chateado.

- Eu sei amor, mas a gente precisa entender e aceitar que nem sempre podemos fazer o que queremos, que as nossas escolhas de vida nos levam a caminhos e opções que muitas vezes não temos saída. Com cada escolha, automaticamente vem uma renúncia, mas não que isso seja ruim.

- Eu fico feliz que você ainda possa ter essa liberdade que eu não tenho. Isso é o mais importante para mim, e por isso que eu prezo tanto para a sua imagem ser anônima. Mas eu gostaria de poder sair com você de boa, ir para o parque passear.... Quem sabe um dia. – Diz Hobi com um pequeno sorriso.

- Vamos, um dia com certeza nós vamos poder fazer tudo o que quisermos juntos! E por favor, para de se culpar por isso, ou de se sentir mal. Eu tenho muito orgulho de você, muito orgulho do seu trabalho e de tudo o que você conquistou, com a vida que você tem e que você escolheu. E graças a essa sua escolha que estamos juntos hoje. – Digo sorrindo.

- Você tem razão. Se eu não fosse o J-Hope, eu não estaria naquele avião indo para LA, não teria te conhecido e não estaria casando com você daqui a quase 4 dias. – Diz ele feliz. – Obrigada por sempre estar comigo e me apoiar. Eu te amo!

- Sempre meu amor, eu te amo muito e faço, e aguento tudo por você. – Digo lhe dando um beijo leve.

- Quatro dias, princesa! – Hobi diz empolgado.

- Quatro dias, meu lindo! – Digo feliz.

(...)

 

E claro, esses quatro dias passaram voando e o dia primeiro de abril chegou. Um dos dias que eu mais esperei chegar em toda minha vida, e ele finalmente estava aqui. Levantei cedo, e fui direto para a janela. O dia estava lindo e ensolarado, perfeito para o nosso casamento ao ar livre. Ontem havia recebido uma mensagem da assessoria do casamento informando que as cerejeiras estavam repletas de flores. Obrigada universo!

- Bom dia meu amorzinho mais lindo! – Digo enchendo Hobi de beijinhos, tentando acordar ele.

- Bom dia minha princesinha linda! É hoje! – Hobi diz sonolento, mas empolgado ao mesmo tempo.

- É hoje! – Digo e o abraço. – Logo, logo vou para o salão e só vou te ver de novo no altar.

- Eu não vejo a hora de você ser oficialmente minha esposa e eu poder gritar para o mundo que a minha é a mais linda de todas... – Hobi diz sussurrando e apaixonado.

Nos despedimos com um beijo demorado, o último como namorados e noivos.

(...)

 

Lana e eu seguimos para o salão de beleza, onde iriamos nos encontrar com a mãe e irmã do Hobi. Os meninos iriam se arrumar todos na nossa casa.

- Ansiosa amiga? – Lana pergunta.

- Mais empolgada e feliz do que ansiosa. Estou tranquila, pois o dia está lindo, nada vai dar errado e eu estou certa da minha escolha de ficar com ele para sempre. – Digo sorrindo.

- Vocês dois são perfeitos! Eu estou tão feliz em finalmente ver você casando. Essa vida é muito louca né? – Lana diz feliz e pensativa.

- Muito..., mas nada acontece por acaso, e nós estamos exatamente onde deveríamos estar nesse momento... na Coréia... e eu vou me casar com o Hobi... que é um idol de K-pop... do grupo de K-pop mais famoso do mundo... que eu conheci por acaso em um avião... que mudou a minha vida completamente... e que me curou e que eu sou completamente apaixonada... É, essa vida é muito louca mesmo! – Digo rindo.

Chegamos no salão e apresentei a Lana para a minha sogra e cunhada. Lana era minha irmã de coração e eu estava feliz em ter as mulheres da minha vida ali comigo nesse momento, as únicas da família que a vida me deu. Claro que me deu uma pontinha no coração por não ter minha mãe comigo fisicamente nesse momento, mas ela estava presente de alma.

As meninas terminaram de se arrumar antes que eu e elas já seguiram para o local do casamento. Eu ainda fiquei no salão terminando de me arrumar. Quando estava finalmente pronta, com vestido e tudo, as assessoras me levaram até um enorme espelho e eu finalmente pude me ver como uma noiva. Modéstia à parte, eu nunca me vi tão linda em toda minha vida. Meus olhos encheram de lágrimas ao me ver naquele vestido perfeito. Meu coração começou a acelerar. Estava chegando a hora.

 

(...)

 

Cheguei no local do casamento e me dirigi a uma salinha para esperar a minha hora de entrar. Meu coração acelerava mais a cada segundo e a minha calmaria estava se transformando em ansiedade.

- Amiga... – Lana diz abrindo a porta bem devagar. – Posso entrar?

- Claro... – Digo sorrindo.

- Carol... nossa... você está linda! – Lana diz e começa a chorar. – Você está mais linda do que nunca! – Ela se aproxima de segura minhas mãos.

- Obrigada... – Digo segurando meu choro.

- Não chora, olha a maquiagem...

- Você está chorando... – Digo fazendo biquinho.

- Sim, mas é de emoção por ver você assim, eu não consegui segurar! - Ela diz com um sorriso tímido.

Nisso, alguém bate na porta.

- Quem é? – Lana pergunta.

- É o melhor amigo da Carol... – Jin diz do outro lado da porta.

Começo a rir e faço sinal para a Lana abrir a porta.

- E eu sou a melhor amiga dela, você não pode ver a noiva... – Lana diz colocando sua cabeça para fora da porta, impedindo ele de entrar.

- Oi melhor amiga da Carol... – Jin diz sorrindo, fazendo charme para cima dela dando uma piscadinha. - Muito prazer, eu sou o...

- Jin, eu sei quem você é. – Lana diz cortando ele. – Você é um gato, mas eu sou casada.

- Ah, que pena... a Carol tinha me falado que você era bonita... e acabei de lembrar que ela comentou algo sobre você ser casada também... então, eu posso entrar? Eu preciso falar com ela.

- Pode deixar ele entrar Lana... – Digo rindo da conversa deles.

Lana abre a porta para ele. Jin me vê e abre um grande sorriso.

- Nossa Carol, você é a noiva mais linda do mundo. O Hope vai desmaiar quando ver você assim... – Jin diz todo bobo.

- Ela é né... – Lana diz me olhando com carinho.

- Obrigada, e espero que ele não desmaie! – Digo rindo. – Como ele está?

- Ele não vai desmaiar, mas vai morrer mais ainda de amores por você, tenho certeza. E ele está bem... um pouco nervoso, mas feliz e todo bobo, sabe, quando ele fica ansioso ele começa com aquelas besteiras dele... – Jin diz rindo. – Mas então, eu vim aqui pedir se você quer que eu te acompanhe até o altar. Eu, ou qualquer um dos meninos, mas de preferência eu que sou seu melhor amigo... – Ele diz todo fofo.

- Ah Jin, você é um amor. De verdade, eu te amo pra caramba, obrigada por se preocupar comigo e com isso. Mas eu vou entrar sozinha, eu já tinha me decido quanto a isso. Mas mesmo assim, obrigada, de coração. – Digo sorrindo para ele e feliz por ele ter me perguntado isso.

-Tudo bem Carol, mas se precisar de alguma coisa, é só me chamar! – Jin diz sorrindo.

- Amiga, você não vai entrar sozinha. Eu tenho um presente para você, por isso que eu estou aqui agora. – Lana diz e me entrega uma caixinha.

Abro a caixinha e dentro dela se encontra um relicário, com três fotos: do meu pai, da minha mãe e do Edu. Ao ver, lágrimas silenciosas caem sobre o meu rosto.

- É para você colocar no buquê. Você não vai entrar sozinha, eles vão entrar com você. – Ela diz emocionada.

- Lana... – Digo com a voz embargada e emocionada.

- Eu tenho certeza que eles estão muito orgulhosos de você, e estão aqui agora, de verdade, e vão te acompanhar com muito amor e felicidade. Você nunca está sozinha. – Ela diz e me abraça. – Eu te amo Carol, muito, muito!

- Eu te amo Lana, você não faz ideia do quanto. Obrigada, isso foi... sem palavras, é lindo demais. Obrigada mesmo! E eu sei que eles estão comigo. – Digo apontando para o meu coração.

- O que é isso? – Jin pergunta pois não entendeu nada do que estávamos falando em português.

Mostro para ele e traduzo o que eu e a Lana acabamos de dizer. Jin abre um sorriso e seus olhos ficam marejados. Ele levanta o polegar para a Lana em sinal de aprovação para o que ela fez.

- Olá Srta. Carolina, está na hora. – Diz a assessora entrando na sala. – Vocês dois são padrinhos, precisam ir. – Ela diz a Lana e Jin e os dois saem da sala.

A assessora me entrega o buquê e coloco o relicário nele. Meu coração estava cheio de amor e felicidade por esse gesto que a Lana teve comigo. Eu nunca vou esquecer isso que ela fez por mim.

(...)

 

Pronto, chegou a hora. Todos já haviam entrado e eu estava parada sozinha do outro lado da porta. Meu coração estava acelerado, minha respiração descompassada, minhas mãos um pouco tremulas, e não conseguia conter a felicidade que estava me dominando. Abro um sorriso imaginando como o Hobi estaria ali do outro lado me esperando. Tenho certeza que ele está apertando suas mãos e uma das suas pernas está balançando devido ao nervosismo. E com certeza estaria lindo e perfeito no seu traje de noivo, isso eu não tinha dúvida nenhuma.

Ouço a música que escolhi começar a tocar. Meu corpo todo se arrepia e meu coração estava prestes a explodir. A porta se abre e uma claridade rosada das flores de cerejeira invade todo o ambiente onde eu estava. Uma sensação de paz invade meu ser. Olho para frente e lá estão nossos amigos e família, mas eu só tenho olhos para uma pessoa: Jung Hoseok, o meu Hobi. Abro um dos sorrisos mais lindos e felizes de toda minha existência, suspiro e começo a caminhar em direção ao amor da minha vida, em direção a minha melhor escolha e meu melhor sim.

(...)



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...