1. Spirit Fanfics >
  2. Minha Maldita Chefe - Camren >
  3. Eu tenho que estar pronta.

História Minha Maldita Chefe - Camren - Capítulo 38


Escrita por:


Notas do Autor


como pediram, aqui estou!

perdão os erros.
boa leitura!

Capítulo 38 - Eu tenho que estar pronta.


O dia do casamento havia chegado, e por mais que fosse falso, uma ansiedade enorme tomava conta de mim.

Já tinha explicado tudo para Hailee, que de começo ficou um pouco chocada mas acabou entendendo. Ally seria quem me levaria para o altar, e nesse momento, eu estava trancada em uma sala com algumas mulheres me maquiando e fazendo meu cabelo. O vestido que eu usava não era nada extravagante, era algo bem simples, pra falar a verdade. Iríamos ‘casar’ em um salão aberto, a qual não era tão grande assim.

Dinah estava no quarto comigo, já que estava pronta, enquanto às outras se arrumavam e se ajeitavam sobre o altar. Dizer a palavra casamento ainda era estranho pra mim, já que era sentimentos reais praticamente sendo jogados foras. Poderia ser tudo diferente se a ex da Lauren não tivesse aparecido...

—Se acalma, Mila... —Ouço a voz da minha amiga, provavelmente ela percebeu minha perna começar a se mexer novamente. —Não quero ver você desmaiando justo no seu...

—Não termine a frase. —Rapidamente a cortei, aquilo me enjoava de alguma forma, por saber que tudo não passava de uma farsa. —Por que isso tem que acontecer logo comigo?

—Tenta não pensar nisso, minha pequena. Eu estarei lá do seu lado.

Seria inútil não tentar pensar naquilo, entretanto, tentei fazer aquilo, por mais difícil que fosse.

(...)

Respirei fundo diversas vezes assim que tudo estava pronto. Lauren já me esperava no altar, enquanto Ally me entregava um copo com água gelada pela segunda vez.

—Lauren te ama, ok? E eu creio que vocês irão ficar juntas, apesar de tudo. —A baixinha sorriu de modo confortante e me abraçou, para então entrelaçar nossos braços. —Está pronta?

—Eu tenho que estar...

Uma música baixa começou a tocar, e assim, comecei a andar em passos calmos para o salão. Tentava não tremer ao ver Lauren, ela estava simplesmente magnífica. Ela usava um vestido branco rendado, cujo tinha às mangas caídas sobre seus ombros, e seu cabelo caía como cascata sobre si. Eu queria chorar, por justamente saber que tudo aquilo não era real.

Assim que Ally me deixou no altar, beijou minha testa e entregou minha mão para Lauren, que tratou de entrelaçar nossos dedos. A morena se aproximou do meu ouvido e sussurrou palavras de confortos, para então deixar um beijo em minha bochecha.

—Estamos aqui hoje para juntar o amor de...

—Pode pular essa parte? —Lauren pediu, tentando não rir. —Só... vai mais para o final, por favor.

—Claro... —O senhor sorriu de modo gentil e então virou algumas folhas. —Por favor, virem uma para a outra. —E assim fizemos, nos encarando profundamente. Os olhos esverdeados de Lauren conseguiam de alguma forma me passar conforto. —Lauren Jauregui, repita comigo; Eu, diga seu nome, prometo amar, respeitar e cuidar da minha esposa para todo o sempre.

—Eu, Lauren Jauregui, prometo amar, respeitar e cuidar da minha esposa para todo o sempre.

—Agora, Camila Cabello, faça o mesmo, por favor. —Pediu o senhor, com a voz calma. Intercalei o olhar entre ele e Lauren, para então dizer as tais palavras que ele havia me pedido. —Com a união do amor de vocês, vos declaro casadas. Podem se beijar.

Lauren não perdeu tempo e grudou nossos lábios em um selinho demorado, pude ouvir às meninas batendo palma e comemorando; aquilo não passava de uma encenação para o vídeo que estavam gravando. Trocamos alianças e assinamos a certidão, ficando assim, devidamente casadas.

Eu mal via a hora de chegar em casa e chorar tudo o que eu estava agüentando.

(...)

Quando todo o pesadelo acabou, fiquei chorando por uns três dias seguidos. Meu maior medo era de perder a Lauren e com toda aquela loucura ela poderia acabar se cansando de mim. Falando nisso, Lauren alugou um apartamento para que eu e ela pudéssemos morar juntas, já que tínhamos que ter uma vida de casadas, para enganar o pessoal e livrar minha chefe da ex maluca dela.

Fazia exatamente uma semana que estávamos morando juntas e até agora tudo parecia ir bem, se não fosse pelo o fato de eu chorar a cada vez que ia tomar banho. Eu simplesmente já não conseguia mais segurar meus sentimentos, e nem sequer me entendia. Algumas vezes me afastava de Lauren ou negava o carinho dela, apenas por medo de machucá-la, pois isso é algo que eu jamais quero. Ela tentava questionar o do porquê eu estar assim e minha desculpa sempre era: deve ser apenas minha menstruação que está pra vir — porém, eu não poderia usar essa desculpa para sempre.

Nem sequer contei a Dinah de tudo o que estava acontecendo, tinha certeza que se eu tentasse fazer isso, iria acabar chorando por horas e horas. Chegava a me assustar algumas vezes com as olheiras que se formavam no meu rosto, tudo por conta dos choros. Por sorte, eu escondia com um pouco de maquiagem, fazendo passar despercebido pela minha chefe.

Tudo o que eu mais queria agora era o abraço dos meus pais e o conselho de ambos. Assim que ouço o barulho das chaves, saio do meu transe. Viro meu rosto assim que desligo a televisão, vendo Lauren retirar seus sapatos, sua jaqueta e deixar a bolsa sobre o balcão.

—Hey, Camz! Não sabia que estaria na sala. —Abriu um grande sorriso assim que me olhou. —Como você está?

—Ah... estou bem! —Respondi rapidamente, fazendo com que ela me olhasse confusa, porém não deixou de sorrir. —Irei tomar banho.

Assim que entrei no banheiro, tranquei a porta e retirei minha roupa com pressa. Liguei o chuveiro no quente e fechei a porta de vidro do box, sentindo as gotas de água escorrerem pelo meu corpo. Assim que encarei o anel sobre meu dedo acabei chorando novamente, sentindo um grande vazio dentro de mim.

Soluços escapavam por minha boca, a qual não consegui segurar. Fechei meus olhos com força e tentei a todo custo segurar o choro: o que foi totalmente inútil. Eu já estava acostumada com aquilo, porém, dessa vez o choro parecia mais forte, me deixando totalmente fraca.

Saio do box e enrolo a tolha branca sobre meu corpo completamente molhado. Sentei-me no chão e tratei de chorar, esquecendo completamente de desligar o chuveiro e do mundo ao meu redor. Minha cabeça parecia que iria explodir a qualquer hora e meu coração estava tão acelerado que parecia que eu havia tomado vinte energéticos sem parar.

—Camila? —Ouço algumas batidas na porta, assim como a voz de Lauren. —Camila, está chorando?! Por favor, abre a porta.

—Lauren...

—Está tudo bem? Me responde. —Ela tentava a todo custo abrir a porta, porém não obtinha sucesso. Eu me sentia tão fraca que nem sequer conseguia emitir som com a minha voz. —Estou ficando preocupada, Camila! —Ficou alguns minutos em silêncio, provavelmente esperando por uma reposta minha; mas novamente, não consegui. —Que inferno, Camila! Se afasta da porta, eu irei arrombar.

Eu sequer conseguia respirar direito, sentia o ar fazer falta e nem sabia o porquê. Assim que vejo a maçaneta da porta ser quebrada, a última coisa que consegui ver foi uma Lauren completamente desesperada vindo em minha direção, para então, tudo ficar preto. 


Notas Finais


comentem o que acharam, por favor!


sabem o ''sim'' que vocês votaram? então... foi pra isso, rs.
NÃO ME MATEM!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...