História Minha Melhor Amiga - Capítulo 4


Escrita por: e Neko-Pe

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 2
Palavras 2.851
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, FemmeSlash, Ficção Adolescente, Fluffy, Romance e Novela, Saga, Seinen, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Slash, Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Eu tentei fazer uma coisa fofa, mas acho que não deu certo, sou péssima sendo fofa e acho que a fic For You de Jikook que eu fiz é a prova disso:')
Boa leitura<3

Capítulo 4 - Capítulo 4


Ser romântico é difícil

Você imagina mil cenas românticas de como se declarar pro crush

Ir a praia e no por do sol aviões vão aparecer soltando fumaça que forma uma simples e linda frase de amor

Balões com formato de coração junto a uma carta bem decorada acompanhada por chocolates

Ou invadir um palco de um show ao vivo do cantor favorito da pessoa (o que seria impossível pra mim porque um ingresso pro show dos BTS é dois rins e os EXO... bom... Brasil né? Quando eles vierem pra cá a gente vai tá só o pó no caixão)

Mas nesse momento tão importante, acaba saindo algo tão bosta mais tão bosta que as outras pessoas vão achar que o médico que pariu sua mãe errou o buraco e acabou te tirando do ânus ao invez da barriga ou varginha (BRINCADEIRAS A PARTE, SE VOCÊ RECENTE SAIU DO CU DA SUA MÃE, se é que é possível, NÃO ME CULPE)

Mas você ama tanto a pessoa que esse momento tão bosta acaba virando o mais importante pra você

Pois esse momento pode mudar a sua vida

Pode ser pra melhor ou pra pior

E quer saber? Eu nunca tinha ficado tão nervosa como nesse dia

Achei que iria ser tranquilo, por alguns segundos eu estava tão confiante

Mas estava errada

É sempre assim, quando eu acho que vou encontrar alguém no supermercado por exemplo, então eu me arrumo toda bunitinha só pra ir no supermercado e no final encontre só os fantasmas do frizer já que nem os trabalhadores eu encontro, aí quando eu vou igual a um saco de batatas eu encontro quinhentas pessoas que saíram do além, E EU NEM LEMBRAVA DA EXISTÊNCIA DELAS

PARECE QUE O CAPIROTO SÓ QUER FODER COM MINHA VIDA A CADA SEGUNDO

Ok, calma, você está saindo do roteiro, vamos voltar com a programação normal

Além de ter perdido a droga da aposta que eu fiz com meu lindo e maravilhoso amigo (tomara que se perca na floresta da casa da vovózinha e o Slenderman te leve depois que o lobo mal comer suas tripas)

Eu perdi minha melhor amiga

E a mim mesma

12 de junho de 2017_

Hotel - 00:56_

Eu sei o que vão dizer

Yui, seu tempo acabou, ainda não se declarou pra ela?

O problema meu pequeno garfanhoto, eu decidi tomar banho primeiro e aproveitar o pequeno tempo para pensar no que dizer, mas quando sai do banheiro

Ana estava dormindo...

Brincadeira?

Sim, é brincadeira

Na verdade ela tá jogando um joguinho no computador do hotel e nem deve lembrar de minha existência, só não reclamo porque quando eu começo a jogar nada mais chama minha atenção, pode tá acontecendo um apocalipse zumbi que só vou perceber depois que a bateria do meu celular acabar

-Ana, está tarde, vem dormir- digo lhe encarando achando que essa desculpa a faria sair dali e finalmente prestar atenção em mim

-Estou ocupada- a mesma frase de sempre, parece que realmente estou no apocalipse

Desisto, eu desisto

Depois digo aos meninos que acabei dormindo sem perceber

E mesmo agoniada com o sentimento preso dentro de mim, durmo escutando Ana comemorar baixo enquanto jogava

Pior que eu no Free Fire, nunca vi

2:59_

Me levanto da cama e arrumo o roupão em meu corpo. Caminho até a cozinha que tinha no quarto e abri a geladeira pegado a garrafa grande de água, pego um copo de vidro que estava ali e bebo a água gelada que coloco. Guardo a garrafa e lavo o copo o deixando no escorredor antes de seguir meu caminho de volta ao quarto

Antes de deitar em minha cama, olho novamente para Ana a vendo mexer em algo, mas não parece ser algum jogo já que antes suas duas mãos estavam sempre no teclado, mas agora só tinha uma

Momento perfeito?

-Ana, posso falar com você?- digo meio insegura sentido a adrenalina voltar novamente

-Diga- diz curta sem desviar o olhar da tela brilhante do computador

Caminho em sua direção ficando ao seu lado, me abaixo um pouco e deixo minha cabeça do lado da sua encarando a lateral e seu rosto de perto ao pondo de eu ver seus pequenos poros. Depois de um curto tempo Ana vira seu rosto rapidamente em direção ao meu e vejo seus olhos encararem os meus antes de cair para meus lábios, aproveito a situação e deixei um sorriso sacana escapar

-Você pode dar atenção a sua amiga agora?- pergunto sugestiva vendo a mesma concordar lentamente como se estivesse hipnotizada

Percebi que a mesma foi se aproximando devagar e prendo a respiração sentindo seu rosto cada vez mais perto do meu até finalmente seus lábios tocarem nos meus delicadamente

Fecho meus olhos aproveitando a sensação de seus lábios finos nos meus enquanto meu corpo entra em colapso. Separo nossos lábios em um estralo observando os olhos brilhantes e negros de Ana percorrer por todo meu rosto antes de parar em meus olhos

-Eu te amo Yui- Ana sussurra e abri meus olhos no mesmo momento me sentando na cama com a respiração pesada

Olho ao redor vendo o quarto no total breu, olho para o lado de minha cama conseguindo ver pela luz da lua Ana dormindo tranquilamente

Um... sonho?

12 de junho de 2017_

Hotel - 10:43_

-O que? Agora chega Yui, você vai dizer  pra Ana o que sente e é agora- me encolho envergonhada com o sussurro alto que meu irmão deu

-Mas Rafa-

-Mas nada Yui, nem eu tô acreditando que você ficou tão medrosa a esse ponto- Izumi com raiva de mim? O que eu fiz foi tão ruim assim?- Yui, você vai continuar a deixar isso pra lá, e quando perceber, Ana vai estar com outra pessoa, que teve a coragem de se declarar pra ela- diz Izumi sério

-Se você acha tão fácil assim, por que não faz você?- pergunto emburrada

-Eu gosto da Ana por acaso?- pergunta ironicamente

-Você está me tratando mal Izumi-kun- digo fazendo um bico triste

-Ah, desculpa bebê- diz me abraçando em seguida

-Izumi- o mais velho dali chama sua atenção e Izumi volta a sua posição de durão

-Agora vai- pede me encarando sério e mordo meu lábio em nervosismo

Respiro fundo e respondo

-Ok, mas se eu pagar mico vocês vão me ajudar

-Estamos aqui pro que precisar Yui- diz meu irmão tocando meu ombro

Sorrio mínimo antes de virar meu corpo e encarar Ana que nos esperava encostada na lateral do carro bufando, provavelmente pela nossa demora

-Estamos esperando aqui, se algo acontecer ou quando acabar entra no carro que iremos correndo- vejo que meu irmão destrancou o carro e caminho nervosamente até Ana, sentido novamento, a mesma adrenalina de ontem, mas dessa vez pior

Meu coração bate tão alto que não consigo ouvir meus próprios pensamentos, só espero que Ana não os ouça

-Posso falar com você Ana?- peço baixo a pequena já a minha frente, sua atenção foi pra mim, ela franziu a testa e concordou- P-promete não me odiar ou me bater?- pergunto nervosa vendo sua confusão aumentar

-Por que iria lhe bater Yui? Você é minha- uma mini pausa- Melhor amiga- meu coração da uma pequena falhada de dor e minha mente gritou "PARE" enquanto Ana massageava sua própria nuca demostrando seu nervosismo

Ok... isso é estranho

Encosto minhas costas no carro encarando meus dois "cupidos" que fizeram sinal de joinha enquanto sorriam

Se eu levar um fora e ainda pagar mico vou arrancar os dentes desses dois e dar pra Kesha chupar (quem já escutou canibal levanta a mão🙋)

Respirei fundo e olhei pro chão antes de começar

-Lembra quando minha mãe disse quando nos conhecemos?- pergunto para contrair um pouco o clima estranho

-Sim- responde baixo, se o ambiente não estivesse silencioso nem escutaria- Nossas mães eram amigas e uma dia nos encontramos no supermercado, elas aproveitaram e nos apresentou uma pra outra, eu lembro que você não saia de trás das pernas de sua mãe, ela até tentou sair do lugar mas você foi junto- sua risada ecoou pelo ar me fazendo rir junto

-Eu estava com vergonha- faço um bico fofo

-E no carnaval você foi vestida com uma fantasia feminina do capitão América e eu de homem de ferro, a gente começou a brigar mas depois você correu até mim chorando dizendo que não queria ficar brigada comigo, aquilo foi tão fofo- abaixo a cabeça envergonhada sentindo seu olhar em mim

-O que eu acho fofo é quando descobrimos que talvez você ia mudar de país, lembro que fugimos pro parque de diversão com o dinheiro do meu pai, fizemos a promessa que eu sempre ficaria ao seu lado

-"E se você não comseguir me ver, é só fechar os olhos e me sentir"- ela completa sorrindo boba

-E depois fomos tomar sorvete e você se lambrecava toda hora- rio alto sentido um tapa de Ana acertar meu ombro

-Nem vou dizer de você Yui, você sujou a testa tentando encaixar o sorvete nela, A TESTA- gritou divertida aumentando meus risos

-Eu queria imitar um unicórnio igual aqueles caras- digo com dificuldade pelas risadas

-Isso não justifica- diz Ana fingindo indignação

-Você também não pode dizer nada Ana, quando foi na minha casa pela primeira vez desenhou um unicórnio e pendurou no carrinho de controle remoto do meu irmão, deixou o carrinho correr pela casa toda enquanto gritava "NA CASA DA YUI TEM UNICÓRNIO!"- sussurro alto fingindo um grito e ri junto a Ana

-Era engraçado ver você correndo atrás do carrinho tentando pegar o desenho pra ficar pra você- a olho indignada antes de voltar a rir

-Por que estamos falando de unicórnios?- pergunto baixo

-Você que começou- rimos uma pra outra deixando um silêncio reconfortante dominar o lugar, por pouco tempo- Lembra da última coisa que fizemos quando pequenas antes de você viajar?

-Escrevemos nossas iniciais na árvore do pátio da escola- sorri- Elas estão lá até hoje- lhe encaro vendo seu olhar perdido em algo e um pequeno sorriso em seus lábios finos- Eramos tão próximas...

-Eramos?- pergunto tentando a corrigir

-Agora somos mais- seu braço abraçou minha cintura me trazendo para mais perto enquanto sorria envergonhada- O que queria me dizer?- sua voz calma me fez fechar os olhos por breves momentos

-Uma coisa séria e muito importante- digo encarando seus olhos que duplicaram de tamanho

-Não vai viajar de novo, vai?- rio negando

-Não Ana

-Ah que bom, porque iria te trazer de volta pela orelha, custei a aguentar três meses sem suas palhaçadas- diz brava me fazendo rir ainda mais pela fofura

-Ta, mas agora é sério- fico séria novamente querendo acabar logo com isso, receber meu "não" e ir pra casa chorar um monte- Eu não sei como começar isso- digo rindo sem humor

-Começa falando o motivo pelo qual quer conversar tão seriamente comigo- responde Ana com uma voz grave que me fez rir antes de bater em seu ombro

-Ana, nos conhecemos desde pequenas, tivemos realmente vários momentos, bons e principalmente ruins, a escola era horrível sem você- faço um bico triste antes de continuar- Na escola, um exercício pedia para eu escolher uma pessoa e escrever o que ela é pra mim

-Você...- me interrompeu sugestivo me fazendo rir

-Sim, eu escolhi você- olho nos seus olhos negros que me encaravam com atenção com um sorriso brilhante- Disse que você era como...- penso- Uma melhor amiga, só que bem mais que isso, escrevi que você era a única pessoa que me conhecia melhor que ninguém, alguém que me fazia ser uma pessoa melhor- sorrio no final pelo sorriso envergonhado que Ana soltou, levo minha mão ao meu coração sentido o quanto estava agitado- Você foi a única que se importou comigo na escola, a única que sabia quem eu era e me aceitou, você acreditava em mim acima de todos, eu aprendi a ler por sua causa e olha que sou mais velha- rimos- Você sempre me ajudava, como eu também sempre te ajudava, sempre fui uma melhor amiga para você- digo sentindo meu coração doer um pouco com minhas próprias palavras- Sempre te conheci melhor que sua própria mãe- digo lhe fazendo rir novamente enquanto concordava- E te fiz ser uma pessoa melhor mesmo eu sendo inútil

-Você não era inú-

-Shhh, tô no meu momento, não interrompa- digo fingindo uma cara irritada a vendo se calar e segurar o riso- Eu era a única que sentava no pátio da escola esperando a turma dos mais novos serem liberadas só para nós duas irmos juntas pra casa- aproximo meio incerta de Ana que me observava olhando cada movimento meu- Eu era a única que prometeu te amar pra sempre- sussurro sentindo meus olhos marejarem ao me lembrar do dia em que prometi isso a ela, mas eu sussurrei tão baixo naquela noite que eu acho que ela nem tinha escutado

-Yui- Ana sussurra baixo fechando os olhos quando minha mão pousou em sua bochecha a acariciando. Me abaixo um pouco e beijo sua testa com carinho antes de juntar nossas testas fechado meus olhos e sentindo a típica lágrima solitária correr pela minha bochecha

-Eu te amo Ana- sussurro lhe contando o segredo que guardava de si desde que tinha voltado daquela maldita viajem- Agora você entende que meu amor não é de amiga?- separo meu corpo do seu encarando seu rosto desacreditado

Sorrio sem humor e dei a volta no carro sentando no banco ao lado do motorista, logo vejo meu irmão e Izumi se aproximarem e entrarem no carro junto a Ana que estava calada

-Como foi?- meu irmão sussurra em meu ouvido

-Conversamos em casa- sussurro de volta segurando o choro

-Ok- meu irmão liga o carro e logo saímos do hotel voltando a estrada em direção a cidade onde todos moramos

Casa de Yui - 13:21_

Me jogo na cama sentindo o colchão macio deixar meu corpo descansar antes das lagrimas finalmente começarem a rolar pelo meu rosto desesperadamente

No caminho de volta pra cidade conversávamos sobre várias coisa, bom, a dupla e a Ana conversavam, eu estava isolada no banco da frente pensando em mil jeitos diferentes de morrer

Pular de um abismo e cair no mar cheio de tubarões é uma boa...

Será que dá pra eu me afogar de baixo do chuveiro?

Se eu tentei conversar com Ana? Ah, lógico, mas ela me ignorava, como se minha existência fosse o mordomo menta de Hora de Aventura, todo mundo tá pouco se fudendo, então acabei virando uma depressiva no banco do carro onde três pessoinhas berravam alegremente igual aquelas crianças no carnaval quando vê doce de graça, mas depois ficam chorando porque era de papel

Já tinha contado tudo ao Rafa que ficou confuso e saiu de casa na mesma hora, apenas ignorei e fui para meu quarto, onde agora estou chorando me sentindo uma droga

Por que ela?

Por que justo minha melhor amiga hétera?

Tantas pessoas por aí

E justo.. ela?

Estou decepcionado com você Yui, nem pra conquistar Ana você serviu...

Você teve quase a infância e a adolescência inteira

Aonde foi que eu errei?

Aonde foi que eu errei Ana?

O que eu fiz que você não gosta de mim?

É o meu corpo?

Então está tudo bem, eu faço uma dieta e fico magra ou engordo mais um pouco

É meu cabelo?

Tudo bem, eu pinto de outra cor, a que você quiser e até corto ele

Acha que eu sou muito chata?

Tudo bem, posso tentar mudar isso

Acha que eu não tenho futuro?

Tudo bem, eu faço direito ou medicina pra ter denheiro

Quer ter filhos?

Não tem problema, a gente adota

Quer alguém que tem pênis?

Eu faço cirurgias se for possível

Mas eu quero dizer, que em troca disso tudo, eu peço apenas uma coisa, uma coisa bem simples

O seu amor

Quero sentir seus carinhos de manhã ao acordarmos

Quero que me deixe te abracar por trás enquanto faz comida para nós duas

Quero que me conte tudo o que lhe incomoda

Quero arrumar a casa enquanto não está

Quero lhe protejer quando uma barata indefesa invadir nosso banheiro

Quero estar na sala com nossos filhos assistindo um programa qualquer esperando você chegar do trabalho

Quero lhe receber com beijos sempre que chegar de alguma viagem e lhe fazer uma massagem para te deixar relaxada

Quero ser aquela que lhe da prazer sempre que quiser na onde quiser a qualquer hora

Eu apenas quero...

Que me ame

Não importa se não for da maneira que eu sou

Não importa se eu vou ter que me apagar e transformar em alguém perfeito

Apenas quero ter você ao meu lado

Porque quando a gente ama de verdade, as vezes podemos esquecer nosso orgulho, as vezes devemos nos apagar por completo e nos transformar em uma pessoa totalmente diferente do que éramos

Pego meu celular que estava no meu bolso e procuro o contato de Ana lhe mandando uma mensagem antes de tentar me levantar, mas quando senti aquela tontura dominar meu corpo apenas me deito na cama e durmo esquecendo meus problemas


Notas Finais


Fiquei triste com o final, não era pra contar como Yui estava se sentindo, mas decidi colocar pra vocês terem uma ideia do que vai acontecer
Obrigada por lerem💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...