História Minha Melhor Amiga Virgem - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Vampire Diaries
Personagens Damon Salvatore, Elena Gilbert, Malachai "Kai" Parker
Tags Amizade, Amor, Comedia, Delena, Desejo, Erótico, Sexo
Visualizações 159
Palavras 1.643
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


VOLTEI
Mano eu fiquei muito feliz.
18 FAVS E 6 COMENTARIOS com apenas um capítulo? Vocês são demais.
Espero que gostem.

*Boa leitura.

Capítulo 2 - Parte 2


Saio da faculdade com uma luta agendada. Honor Black, nunca lutei com ele, mas já o vi lutar. E sei que posso vencê-lo tranquilamente. Isso significa dinheiro no final de semana. Encontro Stefan me esperando em seu carro, ele faz uma careta ao me ver, minha cara não está das melhores.

— Cara, você deveria esperar esse hematoma sumir antes de fazer mais deles. Não sei como consegue pegar garotas com essa cara!

— Não terei novos hematomas, seu frango. E isso já, já melhora. Além do mais, ninguém resiste aos meus olhos azuis e esse cabelo preto — provoco-o e recebo um palavrão como resposta. — Resolveu me dar carona hoje? A que devo a gentileza?

— Sei que sua moto ainda está no conserto. E você sabe, nunca perderia a oportunidade de ver sua companheira de apê.

Dou um tapa na cabeça dele e entro no carro. Stefan é meu amigo há anos, sabe todas as merdas que já passei, as que fiz e que fizeram comigo. Elena é minha amiga desde a infância. Morávamos em Winsconsi, e ela se mudou antes de mim. Depois de tudo o que aconteceu, precisei sair da cidade, e vim morar com ela. Stefan também morava em Winsconsi, embora não tenha conhecido Elena lá, ele se mudou comigo para cá e desde que a viu pela primeira vez, ficou de bolas presas por ela. O problema é que minha adorada preciosa, só pensa em estudo. E trabalho. Imagino que ela pegue uns caras, porque dificilmente está estressada e ninguém é feliz sem uns bons orgasmos, mas nunca vi nenhum. E ela não está interessada no meu amigo. Ainda bem, porque seria estranho ver meus dois melhores amigos de casinho amoroso pelo apartamento. Deus me livre encontrar Stefan com as bolas balançando uma manhã qualquer, como Elena sempre pega minhas garotas nuas. Então prefiro não interceder nesse caso. Elena que decida se dará uma chance a ele ou não. Eu espero que não.

Quando chegamos ao apartamento, Elena está sentada, seu longo e volumoso cabelo castanho preso no coque de sempre, com aquelas mexas soltas que cobrem seu rosto. Usa um pijama de flanela, cheio de patinhos que deve ser de sua mãe, pelo tamanho. Está com seus óculos de professorinha e claramente irritada. Ela tem uns dez livros à sua frente e não deve estar entendendo algo, pois escreve rapidamente, risca e bufa.

— Boa noite, Elena. Precisa de ajuda? — Stefan logo se oferece.

— Não Stefan, agradeço.

— Você parece tensa, precisa de uma massagem?

Ela desvia o olhar dele para mim, claramente me pedindo socorro, mas me divirto vendo-a tentar se livrar do meu amigo pegajoso. Então dou de ombros e ela me lança aquele olhar de vou me vingar, seu babaca .

— Ok — diz surpreendendo a Stefan e a mim.

— C-como? — ele gagueja.

Ela se levanta, tira a blusa de frio de flanela, por baixo usa uma camisetinha de seda branca, que é transparente ao ponto de dar para ver seu sutiã cor de rosa com lacinhos. Volta a se sentar e fica parada.

— Então, essa massagem é pra hoje?

Stefan sai de seu transe e acho que parece tremer ao tocar a pele dela, eu ouvi mesmo ele gemer? Babaca! Pego uma Coca na geladeira, dou uma espiada no trabalho de Elena, a pergunta que ela não consegue responder, e aponto para ela a resposta em um dos muitos livros que estão espalhados pela mesa.

— Damon, muito de vez em quando, eu te amo — diz animada marcando a página que mostrei.

Stefan me lança um olhar acusador e dou de ombros, não tenho culpa se sou bom com as mulheres. Até mesmo com a minha melhor amiga. Rio da cara de idiota dele ao massageá-la e quando Elena emite um pequeno grunhido de satisfação pela massagem, eu meio que não consigo me mover. Olho para Stefan e o filho da mãe tem um volume na calça. Ele está excitado com a minha melhor amiga? Nem pensar!

— Já chega Stefan, temos que ir ao clube.

— Não tem luta hoje — ele diz irritado.

— Tem sim, do Parker. Quero vê-lo lutar de fora.

— Parker é aquele cara que sempre ganha de você? — pergunta Elena escondendo um sorriso.

— É — assumo entredentes.

— Ah, entendi. Você quer vê-lo lutar da plateia, para não apanhar dessa vez, certo? — ela provoca.

— Quero vê-lo lutar da plateia para achar seu ponto fraco. E na nossa próxima luta, você será a Ring girl, vou derrubá-lo e calar sua boca, atrevida!

Eles ficam rindo e eu vou tomar meu banho.

Elena nos dá um leve aceno com a mão quando estamos saindo, e mal passamos pela porta, Stefan me barra.

— Vamos mesmo deixá-la aí?

— Quem? Elena? E para onde a levaríamos?

— Ao clube. Para ver uma luta. Para sair de casa. Pelo menos uma vez na vida, ela precisa sair de casa. — Ao ver que não estou convencido, ele insiste — Cara, olhe para ela. Está exausta e estressada, você sabe que ela irá descontar tudo isso em você e nas suas festinhas. Pense bem, uma Elena feliz é um Damon livre.

Sorrio.

— Pura balela tudo isso que você disse, mas ok, vou tentar tirar a professorinha de casa.

Voltamos para o apartamento e Elena nem parece se dar conta disso. Está tão centrada em seus afazeres, lendo algo claramente chato, estala o pescoço numa tentativa de relaxar e morde a ponta do lápis.

— Eu poderia gozar vendo-a morder o lápis desse jeito — Stefan diz quase emocionado.

— Que nojo! Pare já com isso!

Aproximo-me de Elena e reparo que ela não apenas morde a ponta do lápis, ela também bate com a língua nele e de vez em quando o gira na boca. Stefan também percebe, pois se escora em mim ao sussurrar:

— Cara, eu vou mesmo gozar.

O empurro para longe e isso chama a atenção de Elena. Ela nos encara, parecendo perdida por um tempo, mas então seus grandes olhos claros se focam em mim e ela sorri.

— Voltaram? Que horas são?

— A mesma de quando saímos, viemos buscar você.

— Ah — é tudo o que ela diz e volta a se concentrar no livro chato à sua frente.

— Vamos Lena, é quarta à noite, as jovens normais saem nas quartas.

— Achei que saíssem nas sextas. Que eu saiba quartas são dias de semana, as jovens normais provavelmente estudam ou trabalham nas quintas, certo?

— Errado. As jovens normais saem todas as noites, se divertem muito e trabalham contentes no dia seguinte.

— Isso explica o grande aumento do uso de cafeína pelos jovens da atualidade.

— Você parece uma enciclopédia falando. Largue este livro e venha comigo.

Estendo minha mão, que ela tranquilamente ignora e isso se torna uma questão de honra para mim. Quero ver essa menina séria fora de casa em uma quarta à noite. Sento-me na mesa, em cima de um livro, bem à sua frente, fecho seu notebook e a encaro.

— Onde você quer me levar? — ela pergunta cruzando os braços e me encarando irritada.

Um pequeno franzido aparece em seu nariz e o desfaço com o dedo, como sempre faço.

— Ao clube. Para ver a luta de Parker comigo.

— Deixe-me pensar. Você quer que eu vá a um clube, para ver homens se batendo até sangrar, mulheres seminuas gritando por sexo e bêbados idiotas dando toda sua mesada apostando em algum daqueles homens ensanguentados?

Assinto.

— Parece ridículo com você falando assim — defendo meu ganha pão.

— É mesmo? Por que será?

— Elena, é só uma noite. Você nunca sai de casa, não sai desde Liam.

Sei que peguei pesado, tocar no ex cafajeste dela é golpe baixo, mas ela precisa sair um pouco, se distrair, ver homens lutando e mulheres seminuas. Precisa ver algo além dessas letras miúdas e de palavras escritas. Ela precisa viver um pouco.

— Liam não tem nada a ver com isso, Damon. É meu futuro.

— E você é a garota mais inteligente que eu conheço, não vai perder tudo porque saiu por uma noite. Lena você tem dezenove anos, é jovem, bonita, precisa sair mais. Sair pelo menos um pouco, vamos, prometo que se não estiver se sentindo bem eu a trago para casa.

Ela respira e tira os óculos e sei que estou a um passo de convencê-la. Eu sempre consigo o que quero com as mulheres, não importa que mulher seja.

— Você vai chegar lá, gritar palavrões enquanto assiste a luta, depois vai achar uma garota seminua e trazê-la para cá e eu vou ficar como uma retardada sem falar com ninguém e tendo de pedir carona para não ser a vela exótica do seu amasso no carro. Saio com você na próxima luta que vencer, prometo.

Desço da mesa e a faço se levantar, segurando suas mãos pequenas nas minhas, apertando-as para acalmá-la e deixá-la mansa para fazer o que quero que ela faça.

— Damon, nem comece. O que eu vou fazer enquanto você se pega com uma mulher qualquer lá?

— Ficar comigo! — grita Stefan de repente. — Estarei ao seu lado o tempo todo, juro não sair de perto de você.

Ela faz uma cara engraçada que me faz rir e me olha desesperada.

— Por favor, dê-me logo um tiro na testa, mas não me obrigue a isso.

Eu a abraço apertando-a em meus braços e beijo o alto de sua cabeça, que alcança meu peito, por ela ser tão pequena e eu, tão grande.

— Se você for comigo, Elena Gilbert, eu prometo não pegar nenhuma mulher hoje.

Ela se afasta num rompante e me encara com a sobrancelha arqueada, se divertindo com minha promessa absurda.

— Você? Vai a um clube com mulheres seminuas e vai recusar se uma delas quiser lutar com você?

— Sim. Eu juro. Esta noite você será minha mulher, não vou pegar nenhuma outra.

Ela parece sem graça num primeiro momento, mas logo se recompõe e diz sorrindo:

— Ok, essa eu pago pra ver. Dois minutos enquanto eu troco de roupa.


Notas Finais


AAAAAAAAAAAAAA
Só digo uma coisa: esse clube de lutas promete.
Espero que gostem.

Xoxo★
Até o próximo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...