1. Spirit Fanfics >
  2. Minha Musa -GaaSaku >
  3. Capitulo 6

História Minha Musa -GaaSaku - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 6 - Capitulo 6


Gaara 

No instante em que os lábios de Sakura tocam os meus, o que restou do meu controle se desfez em farrapos. Meus braços vão ao redor dela, e eu pego sua bunda redonda, levantando-a para que ela esteja sentada no meu colo. Eu a abaixei devagar para que ela sentisse cada centímetro do meu pau enquanto pressionava o calor entre suas pernas. Ela solta um pequeno gemido e é o som mais sexy que eu já ouvi. Seus braços trancam em volta do meu pescoço e puxam minha cabeça para frente enquanto ela inclina a cabeça, tentando aprofundar nosso beijo. Ao mesmo tempo, ela começa a se esfregar no meu pau, buscando seu próprio alívio. Eu puxo minha cabeça para trás e aperto seu rosto com as duas mãos.

 - Eu estou no comando, pequena musa. - eu rosno.

 Eu tenho que estar ou posso perder todo o controle. Eu preciso levar isso devagar, e com ela empurrando forte contra mim, o meu controle está prestes a quebrar. Eu quebro seu aperto e coloco suas mãos em cada um dos meus ombros.

 - Não mova estes a menos que eu diga a você. Entendeu?” Ela balança a cabeça e sua língua se lança para molhar os lábios, fazendo-os brilhar.

 Em breve, eu vou ver os mesmos lábios brilhantes do meu esperma enquanto ela olha para mim de joelhos. Eu grunho de dor quando minha ereção fica incrivelmente mais dura. Eu tenho que empurrar essa imagem para longe para que eu não exploda como um adolescente fodido antes mesmo de começarmos. Seus quadris pressionam para baixo e esfregam novamente, me levando a mover minhas mãos para sua cintura e segurá-la imóvel. Ela solta um pequeno gemido de protesto, mas mantém a boca fechada.

 Seus brilhantes olhos verdes estão cheios de desejo febril, mas eles se concentram em mim enquanto eu falo.

 - Esta buceta é minha, baby."-  Eu movo uma das minhas mãos sob o cós da calça dela e entre as coxas dela para segurar seu sexo. - Minha para provar, foder, dar-lhe prazer sem fim.- Meus olhos se estreitam em aviso enquanto eu continuo.

- Minha. Você goza quando eu lhe dou permissão”-  eu me inclino para perto - E eu quero dizer todas as vezes. Seus orgasmos pertencem a mim. Você não se toca a menos que eu te diga.”

 Sakura visivelmente engole quando ela balança a cabeça e seu corpo treme. Não por medo, no entanto, de necessidade que posso ver construindo em seus olhos. Ela está no jogo de poder. Eu nem sabia que tinha isso dentro de mim, mas está se esgotando agora. A necessidade de dominá-la. Somente ela.

 - Alguém mais tocou minha boceta, Sakura?-  Meu dedo do meio desenha uma linha do fundo de sua boceta até o topo, sentindo o quão molhada está sua calcinha. Ela estremece e balança a cabeça.

 "Você está guardando essa buceta virgem para mim, não é?" Deslizo um dedo sob o tecido de seda e repito a ação antes de empurrá-lo dentro de seu buraco virgem.

-  Você está apertada pra caralho", eu gemo. - Vou ter que ter certeza de que você está bem e pronta para o meu pau antes de eu pegar a cereja que você salvou só para mim." Sakura choraminga e se mexe inquieta, mas não tenta buscar seu próprio prazer.

- Boa menina", eu elogio antes de tomar seus lábios em um beijo faminto.

 Eu deslizo um segundo dedo dentro dela e a estico um pouco antes de empurrá-las para dentro e para fora enquanto a palma da minha mão mói contra seu clitóris. Não demora nem um minuto antes que ela se quebre, e eu engulo seus gritos de liberação. Eu trabalho com ela até que o orgasmo dela passe e colapse no meu peito. Nós dois estamos respirando com dificuldade, e enquanto eu gozei em minhas calças junto com ela, ainda estou duro e desesperado para estar dentro dela.

- Eu nunca - quero dizer, vaca sagrada. Isso foi incrível”, ela solta, desviando os olhos de vergonha.

 - Foi sexy pra caralho, minha pequena musa. Não se envergonhe, baby, porque eu não terminei com você ainda. Nós nem sequer tocamos a superfície do incrível.” Recolhendo-a em meus braços, eu enfio a cabeça na curva do meu pescoço e rapidamente me levanto. Eu a carrego para fora e tranco a porta antes de correr de volta para a casa. Não perco tempo para chegar ao nosso quarto e deitá-la na enorme cama king size que fica no meio do quarto.

- Tire tudo, exceto sua calcinha", eu exijo. Quando ela se apressa para obedecer, ajuda a acalmar a fera furiosa dentro de mim. Nunca tirando meus olhos dela, eu puxo minha roupa até que eu estou nu diante dela, tomando tudo dela. Meu pau é grosso e duro, a ponta vermelha e irritada apontando para mim, claramente chateada por não estar embrulhado na boceta apertada de Sakura. Logo, prometo a mim mesmo, enquanto dou outra respiração profunda e firme. Quando Sakura termina de se despir, seus olhos caem para o meu pau e se ampliam com uma mistura de medo e desejo.

 - Não se preocupe, pequena musa. Nós nos encaixaremos perfeitamente. Sua boceta foi feita para o meu pau.” Eu o acaricio algumas vezes enquanto ela assiste, a necessidade lentamente ultrapassando o medo.

Eu vou fazer funcionar. Eu não me importo se eu posso apenas pegar metade do meu pau dentro dela. Isso será bom o suficiente para mim. Eu vou pegar o que puder quando se trata dela. Meus olhos perseguem sobre todo o seu corpo e ela é tão linda que quase dói. Seus peitos são pesados e cheios, o suficiente para sair de minhas mãos enquanto seus mamilos rosados cavam em minhas palmas. Sua barriga é macia e um pouco redonda, com um umbigo bonitinho. Sua cintura se contrai antes que seus quadris se alarguem, prontos para o parto. Eu imagino suas coxas grossas apertando meus quadris enquanto eu mergulho dentro dela e eu não posso mais esperar. Eu subo na cama e escarrancho suas pernas antes de me inclinar para colocar um beijo suave em seu lugar privado. Sua calcinha está saturada. Eu deslizo um dedo sob sua calcinha e desloco para cima o centro, cobrindo-a em seu desejo.

 - Tão fodidamente molhada para mim", murmuro antes de lambê-lo limpo. - Eu sabia que você teria um gosto doce. Como açúcar e mel.” O rosto de Sakura está vermelho, mas eu ainda vejo o vermelho mais escuro em suas bochechas enquanto ela cora. Eu não posso deixar de sorrir maliciosamente.

 - Não há necessidade de ser tímida, Sakura. Você foi excelente.” Ela sorri tão lindamente, estou momentaneamente atordoado, mas meu pau está tornando muito difícil saborear o momento. Eu preciso dela como nunca precisei de nada.

-  Abra suas pernas, baby." Quando ela faz, eu me ajoelho entre elas. - Use seus dedos para se abrir para mim. Mostre-me o que é meu.” Ela está hesitante, mas faz o que foi dito. Seus lábios se separam e minha boca molha sua buceta rosa e suculenta.

 - Mantenha aberta. Ou eu vou parar." Eu encontro seu olhar e levanto uma sobrancelha até que ela grita

 -  Tudo bem.” Suavemente, eu empurro suas coxas separadas, tão largas quanto elas podem ir confortavelmente, então apenas um pouquinho mais. Seu corpo está tenso e seu pequeno broto está inchado e duro. Descendo de bruços, me inclino e respiro fundo. Ela cheira como ela prova. Eu não espero mais, eu mergulho e me delicio com ela como se estivesse morrendo de fome e ela é minha primeira refeição.

 De certa forma, suponho que seja verdade. Eu estive esperando por ela, eu só não percebi como eu estava com fome até que sua doçura estivesse bem na minha frente. Sakura ainda está preparada de seu último orgasmo e em pouco tempo, ela está levantando seus quadris para implorar por mais. Eu agarro-os e seguro-a no lugar, continuando a lamber e morder e foder com a minha língua.

 - Sim! Sim!” Ela grita. - Eu não posso... sim! Não pare!” De jeito nenhum vai acontecer. Eu faço uma pausa, porém, e afasto as mãos dela, substituindo-as por minhas próprias.

 - Brinque com seus mamilos, baby. Finja que é a minha boca sugando e arrancando esses picos doces.” Suas mãos seguram seus seios, e eu tenho que empurrar minha pélvis para dentro da cama para evitar disparar como um canhão. Minha cabeça cai e eu volto a comê-la, mas mantenho meus olhos para cima, observando seus dedos brincando com seus seios e seu rosto se contorcendo de prazer.

- Goze, Sakura", eu exijo. Então eu dirijo minha língua e belisco seu clitóris ao mesmo tempo, empurrando-a sobre a borda no esquecimento. Sua expressão exultante e seus gritos do meu nome estão vazando como uma torneira do meu pau.

Eu tenho que entrar nela. Eu não quero mais desperdiçar meu sêmen. Eu rapidamente rastejo até seu corpo e empurro as bolas profundas enquanto ela ainda está no meio do orgasmo.

- Oh, sim", eu assobio. A dor de sua virgindade registra por um instante, mas eu capturo seus lábios em um beijo apaixonado e pressiono minha pelve para baixo em seu clitóris para prolongar seu orgasmo um pouco mais, ajudando-a com a dor.

 Eventualmente, seu batimento cardíaco diminui e sua respiração se torna menos irregular. Eu faço uma oração de agradecimento porque não sei por quanto tempo mais ficaria quieto. Eu pego seus pulsos e levanto os braços sobre a cabeça, pedindo-lhe para segurar a cabeceira da cama.

 - Segure firme, pequena musa", eu rosno. Seu sexo está me segurando em um torno de ferro, mas eu consigo arrastar meu pau alguns centímetros, depois volto em todo o caminho. "Foda-se!" Eu grito. Nada nunca se sentiu melhor do que isso.

Eu puxo um pouco mais desta vez e quando eu soco de volta com força, a ponta do meu pau bate contra o colo do útero. Eu sinto espasmos e sei que vai sugar cada gota do meu esperma. Sua boceta está gananciosa por isso. Eu estabeleço um ritmo constante, dentro e fora, dentro e fora, minhas bolas batendo contra sua bunda toda vez que dou o fora. Eu deixo cair a cabeça e chupo um de seus mamilos na minha boca, puxando com força o broto antes de pegar tanto de seu peito que eu possa encaixar na minha boca e girando minha língua ao redor do pico sensível. Suas costas saem da cama com um grito e pressiona mais fundo no meu rosto.

 Eu alterno de um lado para o outro, amando os dois seios até que as pontas estejam vermelhas e haja pequenas mordidas de amor por toda parte. Minha espinha começa a formigar, e eu sei que estou chegando perto, então eu paro para pegar um travesseiro ao lado dela e o enfio sob seus quadris. Então eu volto a empurrar, indo mais rápido, mais profundo e mais duro. Este ângulo também torna mais fácil acertar seu doce ponto interior toda vez.

- Sim! Ali! Sim!” Seus gritos são penetrantes e isso me deixa mais quente e mais louco.

- Você está em alguma coisa, baby?" Eu grunho quando eu a assolo como um animal no calor do acasalamento. Eu não tenho certeza se minha mente é minha mais.- - O que...?" Ela pergunta em transe. - Oh! Gaara! Ai sim!"

 - Você está tomando a pílula?" Eu rosno. Se ela disser sim, eles estão indo pela primeira vez na pia.

- Não", ela suspira. - Eu não pensei - você tem alguma coisa?"

 - Não." Eu não estou mentindo. Eu não preciso de camisinha, então não guardo nada em casa. - E eu não vou sair", eu digo a ela antes que ela possa perguntar. Então, deixo-me ir e ceder a uma necessidade primitiva e possessiva.

 Meu empurrão se torna selvagem, fazendo a cama balançar e Sakura gritar de prazer.

 "Eu vou gozar dentro de sua buceta madura, pequena musa. Vou encher você. Me sugue bem dentro de você. Apenas um lugar para ir.” Para ela, fazendo-a bonita e redonda com nosso bebê.

 - Gaara!" O corpo de Sakura bate duro e sua vagina aperta como se não quisesse me deixar ir.

-Viu? Seu corpo sabe o que você quer.” Eu me empurro um pouco mais forte.

- Tome isso, baby", peço. Nossos corpos estão escorregadios de suor, então minha mão desliza facilmente entre nós e eu belisco seu clitóris enquanto eu dirijo uma última vez, indo o mais fundo possível, selando nossas áreas pélvicas firmemente juntas para que nada escape. No segundo em que ela cai, eu estou caindo atrás dela. Eu gozo com tanta força que há pontos negros dançando na frente dos meus olhos. Meu esperma jorra, quente e cremoso, em seu ventre e o absorve vorazmente.

 - Porra! É isso mesmo, baby,” eu grito. - Sugue do meu pau cada gota do caralho. Porra, sim!”

Eu começo a balançar um pouco, empurrando para frente e para trás sem quebrar o selo. As paredes de sua buceta apertam cada vez que eu puxo para trás, praticamente sugando a vida do meu pau. Se eu não estivesse tão completamente perdido no céu da buceta da minha mulher, eu poderia estar preocupado em quebrar meu pau. Mas… agora eu não dou a mínima.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...