História Minha nada doce vida - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Culpa É Das Estrelas, Divergente
Visualizações 24
Palavras 1.089
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Volteiiiiii espero que gostem

Capítulo 4 - Cotidiano...ou não


Fanfic / Fanfiction Minha nada doce vida - Capítulo 4 - Cotidiano...ou não

- O que você fez no tempinho que fiquei longe?- pergunto curiosa.

- Vendi drogas, roubei alguns bancos...essas coisas - Marcus responde.

- Sim imaginei, nunca nada incomum na vida de Marcus Peter Halle.

- Claro victória Clark, já está combinando nossos nomes para chegar aos dos nossos futuros filhinhos? .

- sim claro, estou pensando em petrick se ser um menino. - é um bom nome pra ser sincera.

- Uma maravilhosa escolha futura mamãe.

-Não sou o Tipo de pessoa que deve ter filhos, acho que não saberia ser uma boa mãe.- Mas provavelmente melhor que Natalie.

-Só pode estar brincando, o jeito que você trata sua irmã é único, você sem dúvida ten talento.

- Se você diz...- O sono já está tomando conta de mim então não estou com vontade de discutir.

- Quer ir dormir? Cama ou sofá?.

-Cama, mas só se você não tentar nada comigo - falo me esforçando para parecer seria.

- Prometo senhorita Victória Clark, quer uma carona? Ou está velha demais para isso?. - Marcus pergunta já se agachando.

Apenas pulo nas suas costas e dou gargalhadas altas enquanto corremos pelo apartamento, pode parecer infantil mas isso é muito bom.

- Nunca vou me cansar disso - sou “derrubada” na cama, minha barriga estava doendo de tanto rir de Marcus quase caindo.

- Nunca é muito tempo.

- Não quando se trata de você não, nossa amizade é a coisa mais duradoura do universo - Ainda estava difícil de falar mas tentei transmitir minha sinceridade.

- Espero que sim, perder você iria fazer minha vida ser um saco- ele ri.

- Exato então não me deixe.

- Nunca?.

- nunca- repito afirmando.

Pov's Marcus.

vick afunda seu rosto no travesseiro, as vezes ela parecia extremamente frágil, isso acontecia sempre que ela voltava para casa. Tudo isso tinha haver com Natalie, sua capacidade de contaminar Victória.

- O que você acha de passar um tempo aqui?.

- Mais tempo do que eu já passo? - Vick pergunta com o cabelo totalmente no seu rosto, por um momento pensei que fosse a Samara.

- Talvez um tempo maior, uma semana...um mês vai ser legal- falo rindo.

-Poderia ser muito legal mas não posso abandonar a Nick lá.

- Você não iria abandonar, só não dormiria lá...o que vc já não faz muito - Tento argumentar.

- Não sei, vou pensar - Victória diz e apesar do seu rosto coberto posso ver o seu belo sorriso de sempre.

-Pense com carinho.

Aos poucos percebo que ela estava quase dormindo, é madrugada e o vento entrava pela janela fazendo sua pele arrepiar, do jeito que ela estava deitada iria ter um torcicolo perfeito.

- Vick não acha melhor deitar direito doidinha?.

Nenhuma resposta.Eu mesmo vou dar um jeito.

- Por favor não me chute - digo colocando seu corpo todo na cama. Depois de ver que vick estava perfeitamente aquecida deito ao seu lado sentindo os seus pés em minhas costas. Meu deus que menina fria.

......... ......... ......... .......... ......... ......... ........

Acordo como sempre antes de Victória, aproveito isso para tomar banho por que se tem alguem que demora é ela. Deixo a agua cair enquanto penso no que estava fazendo, bom victória é Minha melhor amiga então tenho que proteger ela até da sua própria mãe... Certo é isso que amigos fazem.

A maioria dos homens tem vergonha de demostrar sentimentos, no meu caso é o contrário, não consigo controlar os meus sentimentos pela minha amiga. Tudo que tem haver com ela me faz perder o controle é isso que significa amizade não é? Cuidar do outro sem se importa com você mesmo.

Pov's. Victória

Se eu pudesse passaria o dia todo dormindo mas é impossível, então contra minha vontade levanto da cama. Tudo estava normal menos a falta da presença de Marcus... Cadê ele? Foda-se primeiro vou jogar uma agua no rosto, mas assim que abro a porta me deparo com o mesmo tomando banho.

- Opa desculpa - digo rindo, como se fosse novidade ver ele pelado.

- Deveria bater antes de entrar vick - o mesmo diz olhando fixamente para mim.

- Como se não soubesse cada detalhe do seu corpo.

E como sempre aquele sorriso cafajeste no rosto... Típico. Marcus passa o sabonete pelo o seu peitoral descendo por seu abdômen definido...bom essa cena não é das piores

- Alguém está gostando do que vê.

- Muito...- droga não passava das 10 e já estava excitada.

- não quer entrar? Posso dar banho em você.

- Acho melhor não - Digo lembrando que eu tinha que ir mais cedo para o trabalho.

- Por que está com medo de se apaixonar? - Marcus questiona.

- Cale a boca - reviro os olhos ouvindo tenta bobagem.

- Então entre.

Por que não é mesmo? Tiro minha roupa e entro no mesmo instante, bom a agua estava quente pelo menos. Ele sorri passando os braços pela minha cintura me puxando para perto, o impacto dos nossos corpos me fazem ter um aperitivo do que estava por vir.

- Marcus Peter Halle não posso demorar - tento argumentar sentindo suas mãos irem até minha bunda.

- Vou fazer você ir rápido.

Enquanto a água caía uma das suas mãos vai até minha intimidade, ele acaricia a mesma numa lentidão me deixando maluca. Marcus e os seus joguinhos...

- Já está pronta pra mim baby- ele pergunta com uma voz tão inocente que me dá raiva. Deixo escapar alguns gemidos ao invés de uma resposta - Acho que isso é um sim.

Ele para seus movimentos e sinto o meu corpo gritar por mais, meu rosto é levantado e seus lábios vão ao encontro dos meus, iniciando um beijo totalmente frenético.

...................... ............... ...................

- Victória?

- Ah? Desculpa - digo pegando alguns livros da sua mão.

- Está estranha hoje, parece cansada- Marissa comenta.

Marrisa era uma mulher de quase 70 anos, e eu trabalhava aqui fazia 2 anos por aí...desde que minha mãe cortou o dinheiro que meu pai deixou.

- Não sei, me sinto muito bem - Bom fisicamente...

- Está bem então, o que você acha de tirar uma folga no mês que vem? - Ela pergunta enquanto coloco os novos livros na estante mais alta.

- Eu já tiro folga, um dia de duas em duas semanas - Respondo.

- Estou dizendo, uma folga decente. Que tal duas semanas?

- Estou fazendo algo de errado? Sei que me atrasei ontem mas minha irmã estava sozinha e não pude deixar...

- Calma- Marissa me interrompe - Você é a melhor funcionária que eu já tive, só quero que você tenha umas férias, pra sair com os seus amigos e essas coisas jovens.

Normal? Eu ? Jamais...

- Ta bom...obrigada.

Bom, pode ser legal sair um pouco dessa cidade. E quem sabe não posso levar a Nick?


Notas Finais


Então? Paro ou contínuo?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...