1. Spirit Fanfics >
  2. Minha namorada de aluguel >
  3. Parte 1 - Capítulo 3

História Minha namorada de aluguel - Capítulo 3


Escrita por: Lettranda

Notas do Autor


Vamos para mais um capítulo!?

Capítulo 3 - Parte 1 - Capítulo 3


No início da semana da festa, minha mãe me mandou uma mensagem que me fez pular da cama como um gato assustado:

“Bom dia, querido. Como está? Passando pra te dizer que os planos mudaram um pouco, a festa de Natal com toda família vai ser dois dias antes da festa normal. Seus tios brigaram e eles se negam a passar a noite de Natal juntos, então a festa vai ser em outro dia e na véspera de Natal cada um vai ficar na sua casa.”

Apenas respondi: tudo bem, mãe. Obrigado por avisar.

  Em meio toda essa confusão de fim de ano, finalmente uma notícia boa, pois a briga foi pesada o suficiente para dividir todos na véspera de Natal. Ruim para eles, bom para mim, assim o Natal vai ser só com o pessoal de casa, mamãe, papai, meus irmãos e suas respectivas esposa e noiva. Serão momentos de paz, eu acredito.

  Antes de comemorar, lembrei-me que tinha que avisar a Sakura que iríamos dois dias antes.

Rapidamente peguei meu celular.

“Aconteceram alguns imprevistos na minha família”

Eu ainda estava digitando a outra parte quando chegou a mensagem dela.

“O que aconteceu?”

“Brigas na família, a festa com todos juntos teve dois dias adiantados, precisamos viajar amanhã ou quarta, e já chegaremos em cima da hora. Tem problema em irmos antes?”

“Nossa, nem comecei a arrumar minhas malas. Quantos dias vamos ficar?”

“Duas semanas, mas não precisa levar tantas roupas, podemos lavar lá”

“Okay, vou me organizar, vamos quarta pela manhã?”

“Está ótimo! Te vejo quarta pela manhã”

“Até lá!”

  Nesses últimos dois dias eu praticamente nada fiz além de arrumar o que iria levar para casa, esperava que minhas roupas ainda estivessem lá, pois não levaria tanta coisa.

  No fim, as minhas malas se resumiram em uma sacola com besteiras para comer no caminho, uma bolsa térmica com água e sanduíches, pois seriam cinco horas de viagem, e uma garrafa térmica com café.

  Deixei as garrafas pet que tinha separado para mijar em casa, estava viajando com uma mulher dessa vez, eu não faria ela parar para mijar no meio da estrada, então pararia em postos de gasolina.

  Mas ainda assim, coloquei dois rolos de papel higiênico para caso de não ter nos postos, nem todos eram organizados.

  Na quarta-feira por volta das 10h, saí de casa e fui em direção ao apartamento das meninas, avisei a Sakura logo quando saí de casa, e assim como eu esperava, ela já estava na portaria me esperando.

  Estava usando uma roupa mais composta, provavelmente para garantir caso encontrasse minha família antes do esperado. Levava uma mochila nas costas e ao seu lado tinha uma mala cinza.

— Bom dia! — me cumprimentou enquanto eu pegava a mala dela pra colocar na mala do carro. — Pensei que seu carro fosse mais chique. Tipo uma Ferrari.

— Bom dia. Por quê?

— Pesquisei sobre sua família na internet, são muito mais que ricos, são ricos tipo tio patinhas e riquinho o rico, mas sem a sovinice do tio patinhas.

— Hahaha — Fingi uma risada. — Não preciso de um carro chique, preciso de um resistente que aguente 5h de viagem. — Falei olhando meu Toyota corolla na cor branca.

— É, você não parece ter dinheiro.

— É que é como se o dinheiro não fosse meu, e na verdade, não é, pelo menos não ainda. Apesar da família ser rica e meus pais terem ações em alguns empreendimentos, prefiro usufruir do conforto mínimo que ele me proporciona e ver como faço para ter o meu próprio.

— É um bom ponto de vista. Desse jeito você não precisa se preocupar tanto com a questão financeira e foca nos estudos para ser o melhor.

— Eu tento... Viu se caiu o dinheiro? — Falei me referindo ao pagamento do acordo.

— Caiu sim, obrigada! — Ela sorriu animada. — Já adiantei três meses do aluguel que divido com Hinata, com isso tenho seis meses pagos, já são os do próximo semestre! — Ela completou animada.

— E como vai pagar as outras contas? — Perguntei preocupado, pois ela já não estava com mais dinheiro nenhum.

— Isso eu me viro fazendo uns bicos aqui e ali, não se preocupe.

— Não estou preocupado. — Menti.

— Aham. — Ela me respondeu, desconfiada, claro.

— Podemos ir, quer conferir se não esqueceu alguma coisa?

— Não, está tudo aqui, conferi rapidamente enquanto você estava no caminho.

— Então vamos! — Liguei o carro de partimos em direção a saída da cidade.

  Não demorou muito para Sakura começar com as perguntas.

— Esqueci de perguntar... quanto tempo levaremos para chegar lá?

— Umas cinco horas. Algum problema?

— Não, se eu soubesse que iria demorar assim, teria colocado uma roupa mais leve. — Falou se referindo a calça jeans que usava.

— Se você tiver algo fácil de encontrar, pode trocar o jeans quando fomos abastecer o carro.

— Tenho sim, vou fazer isso. — Ela sorriu animada e reparei no quando ela ficava linda quando fazia isso. Tenho certeza que ela fazia sem querer e no fim, todos os caras deveriam ser apaixonados por ela, pois até agora eu não vi motivos para que aquilo não acontecesse.

 

  Isso fez com que eu lembrasse da conversa que tive com Naruto no fim de semana.

— Cara, você não pode ficar dormindo com ela.

— Isso é um absurdo, Naruto, não estou pagando por isso.

— Eu sei, mas também sei como você é apaixonado!

— Hey, eu não sou apaixonado!

— Como não? Pelo que me contou, você ainda criança, se apaixonou pela professora que cortava seu lanche.

— Ela tirava a borda do pão de caixa e cortava em triângulos, ninguém nunca tinha feito aquilo pra mim! — Eu tentava manter a minha dignidade, mas as coisas só pioravam.

— Se você se apaixona por quem corta o sanduíche em triângulos, imagina por alguém com quem você transa!

— Me deixa, como já disse, não vou me apaixonar por ela. Esse tempo passou. — Eu agradeci por ter contado a Naruto sobre todas as vezes que eu me apaixonei, aí sim eu estaria sem saída.

  Dos 14 aos 20 anos devo ter me apaixonado umas dez vezes. Queria ser mais seletivo com minhas paixões.

— E aquela garota que você jurava que ela gostava de você logo quando entrou aqui? — Ele parou para pensar. — Lembrei! O nome dela era Kasumi!

— Ela foi a única nesses dois anos. — Rebati lembrando no quanto sofri naquela época, mas foi quando aprendi que eu não poderia continuar daquele jeito, e fui até fazer terapia.

— Porque depois da decepção, você deixou de manter conversas com elas e passou apenas a encontrar para comer e depois transar.

— Que é basicamente o que vou fazer com Sakura.

 

— É bem diferente: ela vai conhecer sua família, dormir na mesma casa, comer da comida da sua mãe... — Ele gargalhou da minha derrota. — Você tá muito ferrado.

 

 


Notas Finais


O que acham de um Sasuke apaixonado?? hahahha


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...