1. Spirit Fanfics >
  2. Minha namorada de aluguel >
  3. Parte 1 - Capítulo 4

História Minha namorada de aluguel - Capítulo 4


Escrita por: Lettranda

Notas do Autor


Olá queridoos. Esse é o último capítulo da primeira parte.
Logo logo estarei postando a segunda parte, que vai ser na visão de Sakura!
Espero que gostem!

Capítulo 4 - Parte 1 - Capítulo 4


Liguei o som do carro e viajamos assim por um tempo, Sakura vez ou outra perguntava algo sobre mim ou minha família, perguntas básicas para caso alguém a questionasse sobre aquilo.

Como ainda tinha gasolina no carro, viajamos por cerca de uma hora, e a partir daquele ponto seria difícil encontrar postos de gasolina, então resolvi abastecer.

  Sakura aproveitou o momento e foi até a mala pegando uma roupa e indo em direção ao banheiro.

— Já volto! — Falou quando estava praticamente na metade do caminho para o banheiro, ela era um pouco sem juízo.

  Quando estava pagando ao frentista, ela chegou usando realmente algo confortável, uma blusa de alças preta e uma calça de moletom.

— Podemos parar para comer alguma coisa?

— Não precisamos parar, trouxe comida no carro. — Já tinha pago e fui em direção ao lado do motorista. — Está no banco de trás, pode pegar.

  Antes de sentar no lugar do passageiro, ela abriu a porta de trás de foi fuçar nas sacolas o que eu tinha trazido, acabou pegando alguns salgadinhos, chocolate e sanduíches, sem falar na garrafa de café e uma lata de refrigerante e levou tudo para o banco da frente.

— Você não comeu pela manhã? — Ela balançou a cabeça negando.

— Não deu tempo, tinha que organizar tudo que poderia precisar nessas duas semanas. — Eu agradeci por ela estar empenhada em fazer essa farsa dar certo.

  Com um pouco de dificuldade por causa do movimento do carro, ela conseguiu se alimentar, fiquei um pouco chocado ao ver ela comer tudo que tinha pego, talvez eu devesse ter trazido mais comida.

— Você quer comer alguma coisa? — Ela me perguntou. — Posso segurar ela enquanto você dirige.

— Vai colocar na minha boca também? — Não pude deixar de brincar.

— É claro, querido, como uma boa namorada faz. — E me deu um sorriso falso. Deus me defenda de uma namorada dessas.

— Agradeceria. Comi, mas era bem cedo.

  Ela retirou o sinto e se jogou para trás pelo espaço entre os bancos procurando a comida. Pra variar, deixou a bunda empinada praticamente esfregando na minha cara.

— Se quiser, pode ir o caminho inteiro desse jeito. — Ela percebeu a situação e deu uma risadinha.

— Como se você fosse tão bom motorista, bateria o carro no primeiro cruzamento. — Ela abriu um sanduíche que estava embalado e enfiou na minha boca.

— Que tal a gente fazer um teste? — Falei depois de engolir. — Vê me dá uma mamada e vemos se eu causo um acidente. — Sakura gargalhou.

— Eu prefiro não arriscar a minha vida desse jeito. Por isso estou dando a comida na boca, pra evitar que você tire a mão do volante.

  Concordei com ela e continuamos na estrada. Depois de ter comido, Sakura dormiu por cerca de uma hora usando um casaco meu de apoio para não bater com a cabeça na janela. Acordou quando paramos em outro posto de gasolina, eu precisava usar o banheiro.

— Você quer ir ao banheiro, estou indo lá.

— Não sei... — ela pensou um pouco. — Acho que não preciso.

— Aconselho ir, vai demorar para vermos outro posto, é bom pra esticar as pernas também.

— Tá bom, eu vou. — Ela saiu pelo outro lado e travei o carro.

  Não demoramos no posto, logo pegamos a estrada novamente e juro que, do nada, veio na minha mente umas novelas antigas que passavam na TV e que minha mãe amava ver, mas tinha um detalhe naquelas novelas que era marcante: a péssima atuação.

  Então se na televisão tinha aquele tipo de ator, entre os estudantes deveria ter bem mais do tipo.

  Do nada veio uma agonia em meu corpo. E se Sakura for do tipo de atriz que não saber fazer seu papel?

  Resolvi entrar no assunto pra ficar mais tranquilo.

— Sakura... — Ela olhou para mim enquanto arqueava uma sobrancelha sem imaginar o que eu iria falar com ela naquele momento. — Você treinou alguma fala em casa, sobre o que vai acontecer esses dias com minha família?

— Treinar? Para que?

— Ora, para sair natural.

— Vai sair natural, Sasuke. É um dom que eu tenho, fica tranquilo.

— Se tudo é um dom, pra que vocês treinam? Ensaiam?

— Porque nem todos tem o dom, então eles precisam treinar com quem tem. — Ela falou presunçosa.

— E como sabem quem tem e quem não tem?

— Cada um sabe, está dentro de si.

  Vocês não têm noção de como aquela frase plantou o medo dentro do meu coração.

— Sakura... — Ela me interrompeu.

— Eu vou treinar bem na sua frente, okay, pra você ter certeza.

— Está bem, isso me deixaria mais tranquilo... Que tal começar com a história de como nós nos conhecemos?

— Claro...

  Quando Sakura acabou de contar, percebi que ela não tinha como ser pior contando uma história.

— Eu acho que vou ter um ataque cardíaco.

— Hey, não foi ruim.

 

— Foi sim, se quiser eu gravo pra você ver como foi ruim.

— Oh meu Deus! — Ela falou chorosa. — Não posso acreditar que sou do grupo dos que não tem o dom, sempre me elogiaram tanto em casa quando eu fazia alguma atuação, sempre ganhava prêmios quando criança... O que vai ser da minha carreira?

  Prevendo que ela iria começar com o choro, tentei remediar a situação.

— Se acalma... vamos dar um jeito. Que tal você começar agora a treinar? Ainda temos duas horas de viagem, vamos ver os pontos principais e corrigi-los. — Ela fungou, engolindo o choro e assentiu.

— Claro, vou dar o meu melhor pra tudo isso dar certo. — Eu não queria pressioná-la, mas acabei respondendo.

— Tem que dar, Sakura, tem que dar!

  Bom e neste exato momento eu estou avaliando a atuação de Sakura no quesito convencer que ela me conhece como uma namorada, cada vez que eu vejo/ouço algo que ela diz, sinto que nada vai dar certo.

  Pelo amor de Deus, quanto tempo ela tinha de curso? A essa altura esperava que pelo menos ela soubesse fingir um desmaio.

— Uma dúvida! — Interrompi mais uma das péssimas atuações dela, não faria diferença mesmo pelo que vi. — Você sabe fingir um desmaio?

— É claro que sei, eu sempre era colocada para desmaiar nas aulas, os professores dizem que eu sou a melhor fazendo isso!

  Agora estou entendendo pelo que esses pobres professores passam!

— Isso é perfeito! Se algo der errado ou você não souber o que fazer, basta fingir um desmaio, que eu te levo lá pra dentro e ficamos livres de todos. Ninguém vai discutir por você estar um pouco doente.

— Está bem — ela sorriu ainda apreensiva com a descoberta de não ser uma boa atriz. — Muito obrigada, Sasuke, você está sendo muito bom comigo. Mesmo tendo pago por tudo, está sendo muito paciente.

— Não se preocupe, se der errado, a culpa vai ser minha de toda forma. Eu quem decidiu enganar a todos com essa história, não você. — Sakura apenas balançou a cabeça assentindo enquanto dava um leve aperto na minha mão que segurava a marcha.

  Depois disso, não demorou muito para que chegássemos na casa de meus pais. Já passava das 15h da tarde, e apesar de ter trazido lanche, meu corpo pedia por uma comida de verdade.

  Logo avistei a grande casa onde cresci, quase tudo estava do mesmo jeito: o caminho de pedras, as plantas em uma área da frente de casa, a rede na varanda e as várias cadeiras acolchoadas onde papai costumava dormir a tarde.

  Exceto pela cor da casa, que antes era amarela e agora está branca, todo o resto era o mesmo.

  Já no caminho entre meu carro e a porta da minha casa eu pude sentir o cheiro de comida da minha mãe. Certeza de que ela tinha atrasado o almoço para que tivesse comida fresca quando eu chegasse em casa, era o que eu merecia quando estava em casa, segundo ela, pois passava a semana comendo comida congelada.

  Senti Sakura meio travada ao meu lado, então segurei a mão dela e a puxei para mais perto.

— Não se preocupe, namorada, essa é a parte fácil.

— A gente tá ferrado. — Foi a única coisa que ela respondeu, apenas ri. Já tinha repetido demais essa frase nesses últimos dias.

 

Antes mesmo de chegar até a porta, ela foi aberta revelando minha mãe com um sorrido simpático que se tornou radiante quando viu Sakura segurando minha mão.

 

Preciso repetir aquela frase? Espero que não!

 

 


Notas Finais


E aí, o que acharam?? Vejo vocês na próxima parte!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...