História Minha Nerd Favorita(JORI) - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Victorious
Personagens Beck Oliver, Jade West, Personagens Originais, Tori Vega
Tags Bade, Bissexual, Blackpink, Lesbicas, Prostituta, Traição, Traições, Victorious
Visualizações 44
Palavras 1.026
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 11 - Mudança


Fanfic / Fanfiction Minha Nerd Favorita(JORI) - Capítulo 11 - Mudança

Jade:

"Tomei uma decisão a respeito dessa situação, eu já pedi desculpas e se ela não aceita, que se foda, não vou ficar correndo atrás de ninguém".

Após a confusão no pátio fui para biblioteca, o lugar mais calmo do colégio.

Procurei algum livro, mais aqui as opções são poucas, só tem romance, argh.

Fiquei no celular pra passar o tempo.

Senti meu celular sendo puxado e quando olhei era o Beck, revirei os olhos.

- Proibido o uso de celular aqui.

Falou apontando para placa.

- Devolve.

Falei e ele o fez.

- Tá triste? Terminou com a namoradinha foi?.

Perguntou debochado.

- Graças a você.

Falei.

- Não precisa agradecer.

Falou.

- Não aguentou ser trocado né?.

Perguntei sorrindo.

- Não fui, foi só mais uma das suas decisões impulsivas, que como todas as outras, não teve futuro.

Falou.

- Nisso você tem razão.

Falei.

- E sabe por que?.

Perguntou.

- Adoraria saber.

Falei.

- Por que não importa o que você faça, pra onde for, e com quem for, sempre vai voltar pra mim, é o ciclo da sua vida, me amar.

Falou e me beijou.

Retribui por um tempo pra dar corda, depois o cortei.

- Voltar pra você, só quando eu ficar louca, e te amar? Me poupe né, Oliver.

Falei.

- Vai voltar sim, mais leva seu tempo, não tenho pressa, tchau amor.

Falou, me deu um selinho e saiu.

Não consigo levar ele a sério, parece que tudo que diz é uma piada, a forma como age. Acho que descobri por que passei tanto tempo com ele, é meu bobo da corte, me faz rir.

Vi o horário da aula e era uma aula que eu gostava, então fui pra sala.

Tori:

Depois da cena ridícula que vi, decidi voltar pra casa.

Antes fui até a enfermaria buscar a Trina, falei que ia pra casa e também decidiu ir.

(...)

Quando chegamos entrei no meu quarto e me joguei na cama.

Não tinha percebido que ela tinha entrado também, só a vi quando se sentou do meu lado.

- Ei, quer me contar o que aquela selvagem queria?.

Perguntou.

Me sentei pra conversar frente a frente.

- Passei as férias com ela, pensei que estávamos namorando, mais só foi uma brincadeira pra ela.

Falei.

- O que? Você e a Jade? Juntas?.

Perguntou incrédula.

- É.

Falei.

- E não desconfiou nem por um minuto?.

Perguntou.

- Não, fui meio tonta, eu sei.

Falei.

- Meio tonta não, foi tonta e meio.

Falou.

- E fica pior.

Falei e me incentivou a continuar.

- O André falou comigo, me disse que a Jade sentia alguma coisa por mim, mais quando fui atrás dela, pra, sei lá, tentar de novo, eu a vi beijando o Beck.

Falei.

- Também, olha pra você.

Falou.

- O que tem?.

Perguntei.

- Tori, você parece uma boba mana, com esses moletons e esse óculos ridículo, é fácil brincar com você.

Falou.

- E o que tem nisso? É meu estilo.

Falei.

- Estilo é tudo que isso não é.

Falou.

- Vai me encher também?.

Perguntei.

- Não, mais eu tenho uma idéia pra fazer essa riquinha sofrer um pouco.

Falou.

- Tô ouvindo.

Falei.

- Você como Tori, é tonta, então não seja a Tori.

Falou e não entendi.

- Como assim?.

Perguntei.

- Já te vi como Roxy, e você se transforma totalmente, se torna mais confiante, mais poderosa, mais gata, mais tudo.

Falou.

- O que isso tem haver?.

Perguntei.

- Aí, odeio gente lerda.

Falou revirando os olhos.

- Explica.

Falei.

- Seja sempre a Roxy, mostra pra todo mundo como você é linda e pisa em quem pisou em você.

Falou.

- Odeio a Roxy.

Falei.

- Tenta se acostumar.

Falou e saiu.

Ela tá tão certa, não sei o motivo, mais realmente me transformo quando viro Roxanne.

Talvez não seja de um todo ruim, pegar um pouquinho da personalidade dela.

(...)

Fui e voltei do trabalho, dormi e assim que o dia clareou me levantei.

Tomei banho e fui escolher uma roupa.

Não quero ser vulgar, como sou a noite.

Peguei um casaco verde com detalhes na manga e ao invés de uma calça, eu coloquei um short curto.

Sempre vou de rabo de cavalo, mais hoje não, decidi usar o cabelo solto e no lugar do óculos que todos acham careta mais eu acho fofo, coloquei um que ganhei a um tem atrás, uma maquiagem leve e pronto, meio Tori, meio Roxy, devo admitir que não ficou ruim.

Desci pra tomar café, apenas Trina estava.

- Alguém me ouviu.

Falou.

- Cansei de ser a trouxa que é zuada por todo mundo.

Falei.

- Até que enfim.

Falou.

Comi e dei uma última checada no look.

Saí pra o colégio em seguida.

(...)

Como previsto, recebi muitos olhares, mais não são esses que eu quero.

Fui até meu armário, nossos armários são próximos, tem mais chance que ela me veja.

Esperei um pouco.

- Não sabia que por trás do patinho feio, tinha um cisne lindo.

Um garoto falou se aproximando.

- Cai fora, estúpido.

Falei.

- A pombinha tá com as asinhas de fora.

Falou.

- Chega de metáforas com aves.

Falei já me irritando.

Ele falou alguma coisa, mais não prestei atenção, no momento concentrei todo meu foco nela.

Se aproximou do armário, me encarou e fiz o mesmo.

Ficamos nesse jogo de olhares por alguns segundos.

- Tá me ouvindo?.

O cara perguntou.

- Não, mais me beija.

Falei e ele o fez sem hesitar.

Enquanto o beijava dei umas olhadas pra saber se Jade ainda estava me observando, e estava.

Só que diferente de antes, me olha com deboche, ela sorria enquanto nos observava, e tinha as sombrancelhas arqueadas também.

Afastei o garoto que me olhava e sorria.

Ele realmente não me importa.

Quando voltei minha atenção a ela já tinha sumido.

- Ótimo, agora some da minha vista.

Falei pra o menino.

- Nos falamos depois?.

Perguntou.

- Não.

Falei e saí.

Entrei na sala, muitos alunos já estavam presentes, apenas me juntei ao resto da turma e esperei o professor chegar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...