1. Spirit Fanfics >
  2. Minha Outra Metade >
  3. Cap. 8 - I'm Gay

História Minha Outra Metade - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


nome do capitulo fantastico neeh
mds muito tempo que eu não venho aqui, se ainda tiver gente lendo isso pls comentar algo kk

Capítulo 8 - Cap. 8 - I'm Gay


... Acorda ... Ela ouviu quase como que em um sussurro, em seguida, algumas batidas abafadas, que foram aumentando sequencialmente. Até Jungeun despertar por completo.

- ACORDA JUNGEUN A CASA TA PEGANDO FOGO!

Ainda meio dispersa, a menina cambaleou rápido até a porta.

- CADE? FOGO?  TENHO QUE SALVAR A- Ela encarrou seu pai que a olhava um tanto curioso e como se quisesse rir da mesma.

- Salvar quem filhota? – Ele perguntou vendo a menina a sua frente corar e rapidamente fechar a portar.

-Vai se foder! – Ela gritou com as costas colada na porta, ainda estava excessivamente vermelha. – Merda, porque eu ela não sai da minha cabeça? – Sussurrou para si mesma.

- Não fique braba por isso corujinha, só ia avisar que eu e a sua mãe estamos indo fazer compras, e eu acho que você não vai querer vir junto então... não coloque fogo na casa!

- Vai ser só no seu quarto pai, não se preocupe. – Ela respondeu já não esperando respostas.

- Disse algo?

- Vai logo oferenda.

- Beijo filha! – Ela ouviu agora de mais distante.

- Não se pode nem dormir direito... – Dito isso, a Kim se deitou novamente. Enrolada em seus edredons, confortável como nos céus, isso sim a deixava feliz, em alguns poucos minutos já estava quase pegando no sono novamente...

 

Din-don!

 

 

- INFERNO! – Ela berrou jogando tudo que tinha sobre ela para longe. E saiu resmungando do quarto – Pra que dormir né? Dormir nem é importante, dormir é mera per- Perdida entre as palavras e a escada, a Kim escorregou no primeiro degrau da vasta escada, rolando abaixo por toda sua extensão. - Eu acho que morri... – Ela disse estirada no chão.

Mas os toques da campainha não cessaram, pelo contrário, alguém a tocava continuamente.

- Eu juro que eu mato seja lá quem for. – Se pôs de barriga para cima, e sentou ali mesmo vendo tudo girando um pouco. Soltou alguns gemidos de dor e finalmente se firmou de pé, no primeiro passo, sentiu a dor aguda ao tentar se apoiar em seu tornozelo esquerdo, soltou um gritinho mas logo caminhou para a porta.

Abrindo-a, deu de cara com sua prezada amiga Hye.

- Ah não – Jungeun disse fechando a porta.

- Nem vem com essa Kimberly. – Hyejoo respondeu interrompendo a outra de a deixar para fora. – Eu falei com a Jiwoo, e ela disse que você não tinha mandado mensagem nenhuma pra ela.

- E porque caralhos isso te trouxe aqui?

- Com isso eu deduzi que você estava tristonha. Pela sua cara eu acertei. – Ela riu baixo. – Então, vai lá se trocar pra gente ir no cinema.

- Minha cara não é de tristeza, eu caí da escada vindo pra cá. Mas sim, claro que eu vou, você paga né? Obrigada anjo.

- Vadi- Jungeun a abraçou.

- Poupe as palavras. – Disse logo a soltando.

- Ah, essa é Park Chaewon, minha... – Ela soltou alguns risinhos suspeito. – Amiga. – Logo, uma menina loira saiu de trás da Hye.

- Prazer! – A menina disse estendo sua mão.

- Todo meu... – Jungeun respondeu sorrindo enquanto a cumprimentava.

- Deu né, vai lá se arrumar aberração. – Hyejoo disse interrompendo a interação entre as duas. – Tem 30 minutos.

E no primeiro passo de Jungeun, que de tanta inteligência havia esquecido da sua torsão, ela tropeçou e caiu, depois de todas rirem muito, Park e Hyejoo a levaram até seu quarto, e para descer as escadas depois a mesma coisa.

 

 

                                                                                                 [...]

 

 

- Então vai ser esse mesmo. – Hyejoo disse orgulhosa olhando para o cartaz do filme a qual elas iriam assistir, ela havia sido a responsável pela escolha do filme pois a mesma havia ganhado no jokenpo.

- Eu vou gritar muito, tenho medo de terror. – Jungeun disse com os braços cruzados e a cara amarrada.

- Não adianta fazer birra meu amor, eu ganhei, eu escolho.

A outra continuou com a cara fechada.

- Relaxa Lippie, se der muito medo a gente se abraça. – Gowon disse sorrindo para a Kim. Que retribuiu o sorriso.

-Parece que ver esse filme não é tão ruim.. – A morena disse fazendo ambas rirem, exceto a Hye que não achava graça nenhuma no flerte entre as duas.

Algum tempo depois de mais discussões, risos e flertes, as três haviam se separado. Jungeun ficaria na fila para comprar os ingressos enquanto as duas sairiam para comprar a comida, todas concordavam que só pipoca não era o suficiente para duas horas e meia de filme.

Enquanto esperava na fila, Jungeun havia visto um pouco à frente de si uma das veteranas de sua escola, Wong Kahei saindo com alguém? Ela pensou um tanto confusa, a ruiva sempre havia dito que só havia interesses nos estudos e etc, pelo menos nas palestras ela dizia isso. Observou também a menina ao lado de Kahei, tinha a altura de Jungeun, cabelos escuros, mesmo estando de costas a Kim deduziu ser uma garota bonita. Um pouco depois a fila já havia mudado, e agora Jungeun conseguia ver as pessoas em frente a Wong; Pobre Jungeun, viu apenas por alguns segundos Jinsoul abraçada a uma estranha de cabelos roxos, mas logo elas se dirigiram ao caixa.

 

Mais azar que eu, só duas de mim né?  A Kim pensou já se virando para ir embora, não queria ficar e ter que assistir aquilo. Ela estava tão perdida em seus pensamentos, que nem se deu conta das pessoas em torno de si, só voltando ao mundo quando esbarrou com tudo em um garoto que passava por ali também.

- Desculpa e-eu não te vi – Ela disse tentando retomar seu equilíbrio.

- Eu quem deveria me desculpar, não estava prestando atenção, você tá bem? – Eles se encararam.

- Eu te conheço? – A Kim perguntou.

- Eu tenho a estranha impressão de que sim, talvez, eu acho.

- Espera... – Ela cerrou os olhos buscando vestígios de algo que ela reconhecesse no garoto. – Você é o garoto da cafeteria?

- Cafeteria... Ah sim! Eu estava com a Choi aquele dia, ela te passou meu número eu acho, mas você nunca me chamou.. – Ele sorriu meio sem graça.

Ele era fofo demais para ser deixado ali sozinho.

- Bem... Tem uma segunda chance pra tudo, que filme você vai assistir? - Ela perguntou.

- Ainda não sei, eu ia ver com um amigo mais parece que ele não vem.

- Quer assistir junto comigo?  

- Adoraria! – Ambos sorriram.

- Olha elaa, Kim Jungeun desencalhou? – Hyejoo chegou dizendo.

- Cala a boca pirralha. – A Kim respondeu brincando, ou não.

- Parece que eu não ter que te abraçar mais.. – Chaewon disse brincando, fingindo uma expressão triste.

- Até você Park? – Jungeun respondeu ainda ‘brincando’. Seu temperamento não era dos melhores. – Eu ainda não sei seu nome. – Ela disse rindo sem graça ao garoto.

- Me chamo Lee Dongmin. – Ele respondeu sorrindo para a garota.

 

 

                                                                                                      [...]

 

 

O filme havia acabado, e eles haviam decidido ir para um bar famoso da região, Jungeun e o garoto ainda não estavam lá, pois a Kim queria passar em casa antes de ir, e para a surpresa da mesma Dongmin ofereceu carona e ela obviamente aceitou.

- Eles ficaram grudados o filme todo né? – A Hye disse com a boca cheia.

- Sim, puta casal, os dois são gatos. – Chaewon respondeu ganhando um olhar intimidador da outra. – Seu ciúme é tão fofinho. – Ela apertou as bochechas de Hyejoo.

- Isso dói! – A outra respondeu escondendo o rosto com as mãos.

- Nem doeu nada. – A Park disse rindo.

- Eu gostei de ver a Jungeun assim, ela parecia mais feliz, não sei direito.

- Não conheço ela muito bem, mas ela ficou mais alegrinha quando eles se encontraram.

- Falando de mim? – Jungeun encostou ao lado da mesa das duas. Ambas estavam sem reação. – É brincadeira, eu sei que era sobre mim mais não ouvi nada.

- Se acha o centro do universo né?

- Eu sou quase isso Hye. – A outra respondeu convencida, abraçando o garoto ao seu lado.

- Senta logo aí casal, vamos começar a pedir as bebidas. – A Park disse animada.

- Lee! – Alguém havia gritado o nome de trás dos dois, se virando Jungeun deu de cara com as mesmas meninas do shopping, vulgo Jinsoul, Yerim, a veterana e a outra desconhecida.

- Choi! – O garoto respondeu olhando para a mesma, mas ainda abraçado com a Kim. – É muito azar te encontrar até aqui! – Ele disse brincando.

- A para, eu sei que você me ama. – A de cabelos roxos respondeu.

A Kim se esforçava o máximo para não olhar para Jinsoul, mas sentia o olhar da outra queimar sobre todo o seu corpo.

- Querem juntar as mesas? – Jungeun perguntou sabendo que não era uma boa ideia, mas mesmo assim gostava de provocar.

- Claro! – Yerim respondeu animada.

Duas horas haviam se passado e todos ali já conversavam entre si, Jungeun conheceu as amigas de Jinsoul, fez amizade com o garçom e até dançou com ele, e agora ela estava bêbada conversando com uma das pilastras do local, fazendo várias pessoas ali rirem. A Kim só tinha bebido tanto pois não queria ter que ficar sã e ver sua bela meia-irmã  se agarrando com aquela cebola roxa, mas para descontar ela também se agarrou e muito em Dongmin, que não parecia nada incomodado com as atitudes da mesma.

- Jungeun, larga essa pilastra e vem pra cá, é sua vez!

 A Kim parou ao lado da mesa.

- O que ‘cê’ quer hm?

- Joga uma verdade na roda aí. – Hyejoo disse trazendo a atenção te todos para a Kim.

- Sem criatividade, me pergunta algo que eu respondo. – Ela disse sorrindo meio grogue.

- Já sofreu por alguém dessa mesa? – A Choi perguntou fitando Jungeun.

- O, e como. Já chorei litros. – Jungeun respondeu olhando para a garrafa em sua mão.

- Isso foi sarcasmo ou real? – Kahei se pronunciou.

- Aí fica pra vocês decidirem. – Ela disse rindo, causando um alvoroço na mesa, todos queriam uma resposta completa, que a Kim obviamente não iria dar. Ela se sentou novamente na mesa.

- Posso falar com você a sós? – O garoto sussurrou no ouvido da Kim, a causando arrepios.

- Opa, claro que pode princeso. – Ela respondeu sorrindo.

- Vem comigo – Ele entrelaçou seus dedos aos dela e a puxou para fora da mesa.

- Hyejoo! Obrigada por ter me tirado de casa. – A Kim sorriu disse e sorriu  um jeito um tanto quanto malicioso para a amiga.

- Por nada praga. Já vai embora? – A outra quase gritou do outro lado da mesa.

- Sim, sim. Dor no pé sabe.. – As duas riram.

- Entendo bem. Usem camisinha viu! Eu não quero ser titia tão rápido. – A Hye exclamou soltando risos de todos, ou quase todos, Jinsoul apenas mexia no celular.

 Os dois logo saíram dali juntos, Jungeun esperava que ele a levasse para a casa dele ou algo do tipo, mas não entendeu direito quando eles pararam em uma lanchonete, comendo um lanche cada um e depois saindo andar a pé na rua, até quando os dois sentaram no meio fio e ficaram ambos em silencio.

- Bem, você me trouxe aqui por algum motivo certo? – A Kim perguntou sentindo uma brisa fria contra seu corpo, ela pelo menos se sentia mais sóbria.

- Sim.. Eu me sinto muito na obrigação de te contar isso, vou entender se ficar brava. – Mais silencio. – Eu sou gay. – Ele disse encarando o céu noturno.

Ela quase se engasgou rindo com o suco.

- Sério? – Ela o encarou.

- Eu achei que cortava pros dois lados... Mas hoje eu vi que realmente é diferente.

- Entendi, eu fui tipo um teste drive pra você?

- Sim... Me desculpe por isso.

- Bem que você era fofo até demais, devia ter cogitado isso. – Eles riram. – Olha, não é tão ruim assim, sempre quis ter um amigo gay.

- Você não tá braba? Eu fiquei com muito medo de te machucar com isso.

- Comparado ao que eu estou passando, isso nem arranha direito, só é engraçado mesmo.

Eles ficaram mais um tempo em silencio.

- Pode me dar uma carona? – Ela perguntou se levantando e arrumando suas roupas.

- Com certeza, aonde deseja ir madame?

- Pra sua cama. – Ele a encarou. – É brincadeira relaxa, eu te falo no caminho. – Ela disse rindo.

 

 

                                                                                                  [...]

 

Jinsoul não conseguia tirar aquela imagem de sua cabeça. Havia acabado de sair do apartamento de Yerim, mas ela mal ligava para os momentos que havia tido com a mesma, ver Jungeun sair com aquele garoto era o que mais a afetava agora. E ela se sentia novamente vazia e perdida.

- Porque você não sai da minha cabeça senhor! – Ela quase gritou com as mãos no próprio rosto.

- Precisa de ajuda? – Uma menina estava parada em pé ao seu lado. – Eu sou Kim Hyunjin. – A mesma estendeu a mão.

...


Notas Finais


eu ia postar ontem mais eu dormi em cima do notebook mano
mereço neh rapidz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...