1. Spirit Fanfics >
  2. Minha Plebéia -KimTaeHyung >
  3. Capítulo Cinco

História Minha Plebéia -KimTaeHyung - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


💜💕

Capítulo 5 - Capítulo Cinco


Ninguém é perfeito até que você se apaixone por essa pessoa

 

-漫~*'¨¯¨'*·舞~ "᳓ ~舞*'¨¯¨'*·~漫-

 

Min YoonGi


Corriamos rapidamente, desviando dos galhos das árvores e arbustos. O suor escorrendo pela lateral do meu rosto, enquanto minhas roupas estavam sujas pela poça de lama que acabei de passar. Do outro lado YeWon estava correndo passando por baixo dos grandes trocos de árvores com movimentos precisos e ágeis.

Uma flecha foi disparada ficando presa a uma árvore que acabei de passar ao lado. Eu volto a olhar para YeWon e diante dos meus olhos em câmera lenta uma flecha atravessa seu corpo, ela olha pra mim.

ー YeWon!!! ーeu paro de correr e a chamo. Ela cospe sangue caindo no chão em seguida.

ー Atingimos alguém! ーecooa uma vez grave.

Rapidamente trato de me mover e vou até a YeWon. Chegando lá eu vejo o sangue descer pela lateral de sua boca, eu seguro seu rosto e vejo a flecha com o símbolo do reino Koguryo desenhado.[Um cervo com grandes chifres]  Meus olhos começam a lacrimejar, ela olha pra mim e sorri, partindo meu coração por a ver sorri mesmo nessas condições.

ー Yoon... ーela sussurra.

ー Não fale nada, eu vou te carregar, vamos volta pra casa juntos.

ー E-eu... ーsua mão acaricia meu rosto, sem presta atenção eu vejo seu ferimento.

ー Já disse não fale nada vai piorar. ーrasgo minha camisa e tampo ao redor para evitar que o sangue vaze.

ー Você vai morrer também... ーela diz com dificuldade.

ー Não vamos morrer pare de falar besteiras! ーfalo ríspido enquanto seguro o pano e olho ao  redor.

ー Não vamos? ーela diz receosa.

ー Sim, não vamos. ーretiro a espada da cintura e levanto girando a espada cortando à garganta do primeiro homem que iria sair de trás do arbusto para atacar.

Giro a espada para minha esquerda e o impacto da espada roubada com a do saldado faz com que a espada dele, voe para longe e sem piedade me aproximo  o apunhalando. Em movimentos precisos eu salto para trás evitando de ser atingido pela espada de outro saldado que surgiu, sem perda de tempo ele lança outro ataque que eu bloqueio no mesmo segundo.

Um a atrás do outro, depois de tanto girar e bloquear ataques perfuro o tórax do último saldado. Eu solto a espada e vou até a YeWon que estava pálida, o pano que coloquei ja estava ensopado de sangue.

ー Muito bom... yoon.. ー vejo um sorriso mínimo surgir.

ー Vai ficar tudo bem... ーtiro sua franja do seu rosto.

ー Yoon...

Eu coloco ela em meus braços e começo a correr, ela não vai morrer, eu não irei deixar!

 

S/N


O corredor estava vazio e pelos meus cálculos chamados de instintos, suponho que é a segunda portar logo depois da grande portar onde vinha barulhos estranhos.

ー Mais rápido? Por que ela esta pedindo isso? ーfaço expressão confusa, na ponta dos dedos caminho. Assim que iria passar pela grande portar eu não suporto e resolvo da uma espiadinha.

Abrindo bem pouco a porta vejo uma cena inesquecível me fazendo engulir o seco. Os olhos famintos e intimador do rapaz me olham, a sua boca entre aberta gemendo próximo ao ouvido da garota forma uma um sorriso sádico. Pisco várias vezes e vou para trás atortodada pelo que acabei de presenciar, tirando de meus pensamentos escuto alguém.

ー Ei! ーolhando na direção eu vejo o desgraçado de cabelos acinzentados, seu olhar parace ser confuso e assustado. Ele vem em passos rápidos na minha direção, e em passos rápidos vou indo para trás até que ele começa a correr e eu também.

ー Volte aqui! ーele grita.

Eu entro em um corredor e vou até o final, paro e olho pra trás vendo ele olhar os dois lados e me encontrar no final dele.

ー Você aí, parada! ーaponta para mim enquanto segura o punhal da espada ainda encaixada no cinto.

Já apavorada eu começo a correr e esbarro em uma serva que carrega um balde de roupas, o balde cai no chão espalhando todas as roupas brancas.  Não perdo tempo e entro na grande sala a minha frente, vendo grandes estantes de livros, três messas ao centro e uma grande janela com cortinas.

Escuto a voz do desgraçado de cabelos acinzentados próximo a sala, eu trato de me esconder atrás da cortina ao lado de uma estante de livros.

A porta é aberta bruscamente.


ー Eu já sei que está aqui não adiantar fugir. ーele diz autoritário e eu escuto o som de sua espada sendo retirada.

Eu sou tão burra, burra, burra... Eu deveria seguir os conselhos da YeWon! Eu não estaria aqui se estivesse seguido.

O som alto de passos próximo dos livros ecoa pela grande sala.


ー Vou conta até três para que saia se não sair, eu não pouparei sua vida ...

Mais sons e eu paro de respirar para evitar se mexer ao máximo.

ー Um... ーescuto atentamente ele guarda a espada e seus passos fazerem a volta na primeira mesa, perto da primeira estante.

Eu engulo o seco inicando novamente outra oração para que ele saia da sala.


ー Dois... ーescuto ele fazer a volta na segunda mesa nem tão próxima, mas nem tão longe de onde estou.

Passos na minha direção, então preparo meu psicológico para uma luta.

ー Três! ーtirando a cortina que me cobre eu tento lhe da um soco, mas ele desvia e segura minha mão.

Assim que iria tentar inicia uma luta, ele me vira segurando meus pulsos prendendo meu corpo de costas com seu peitoral. Eu tento o chutar, porém desvia e assim que iria da uma cabeçada com minha nuca ele me vira bruscamente juntando nossos corpos. Sua mão vai até minha cintura a agarrando, eu tento me solta me distanciando mas ele acaba segurando fortemente meus pulsos.

ーInacreditável. ーele rir debochadamente.

ーSolte-me! ーgrito enfurecida.

ーSabia que tinha alguma coisa de errada. ーele diz rindo.

ーNão pedirei outra vez! ーfalo rigidamente.

ーVocê acha que tem algum direito dentro do castelo? Pelo jeito não aprendeu com a última vez que se encontramos. ーele aproxima seu rosto do meu com sorriso sacana nos lábios.

ーVocê está me machucando. ーele segura meu braço com força e arqueia as sobrancelhas com olhar crítico.

ーVocê é bastante atrevida e corajosa. ーele diz enquanto me analisa.

ーEu não sou atrevida, me solte! ーele se aproxima me fazendo prender o ar.

Nossos corpos ficam mais grudados me incapacitado de se mover. Sua mão livre toca meu rosto e eu olho para outro lado pedindo a ele novamente para me solta.

ーQuer mesmo? ーele pergunta e eu o olho indiferentemente.

Ele se aproxima perigosamente do meu rosto. Meu coração começa a bater exageradamente acelerado. Por que estou sentindo atração física por esse desgraçado?! Seus lábios encostam no meu e eu ouso me debater, mas ele me aperta mais contra ele.

A porta são abertas em um estrondo, ele me solta e olhamos na direção da porta vendo aquele mesmo homem intimidador. Eu olho para o jimin e o vejo se curva e em seguida se ajoelhar, meu coração parou.

Não pode ser, não, não...


ーAjoelhe-se. ーo desgraçado sussurra para mim e eu fico em choque.

ーAtrapalhei alguma coisa, Park jimin? ーsua voz grave me faz ter calafrio, seu olhar sério e autoritário está me deixando com medo.

ーNão meu senhor. ーele responde e em seguida levanta.

ーQuem é ela? Por que essa plebéia esta andando pelas salas reais do castelo? ーela pergunta ao jimin e inspira pesadamente.

ー Eu quero ver minha mãe. ーme pronucio, mas ele não olha para mim e apenas ignora oque eu acabei de falar.

ーVamos Park, não respondeu minha pergunta! ーele olha pra mim e suspira.

ーEla entrou pelos fundos do castelo e bateu em um dos guardas.

ーE por que não já a levou para o calabouço? Melhor levar antes que eu conceda pena de morte por invadir o castelo.

ーSim senhor. ーele segura meus punhos, prendendo em uma espécie de algema bastante apertada e grossa e me guia até o príncipe.

ーAntes ajoelhe-se ao futuro rei. ーordena.

ーNão. ーdroga! Não foi porque eu quis!

Ele entre abre a boca de um jeito divertido, mas com uma expressão um tanto cansada e pensativa.


ーEla é... ーdiz receoso enquanto me olha tombando levemente a cabeça para o lado.

ーSenhor... ーo desgraçado se pronucia questionando o que o príncipe estava pensando.

ーEla é a garota rebelde que veio roubando da plantações de nossas terras? ーele fala e um sorriso cresce em seu rosto.

ーSim. ーresponde engolindo o seco.

ーSera um prazer ver você sendo enfocada na frente de todos ou até melhor, com a cabeça decepada em frente de todos. ーele sorri pra mim de um modo frio e brincalhão.

O desgraçado bate com seu pé por trás do meu joelho, fazendo eu dobrar minha perna. Ja ajoelhada sem que eu queira o desgraçado puxa meu cabelo me fazendo olha pra cima. Olho nos olhos do príncipe no qual meus irmãos diziam ser uma boa pessoa, e so iria trazer alegria para o reino. Completamente diferente e pior que o próprio pai, o rei.


ーDepois de tudo que minha mãe fez para cuidar de você, deixando de ir ver os próprios filhos para cuidar de um que nem era filho dela. Você realmente é um hipócrita e me sentirei horanda em morrer sabendo disso. ーcuspo na sua roupa.

Ele me olha minimamente e suspira paracendo cansado e nenhum pouco afetado pelo que falei.


ーNunca pedi para sua mãe cuidar de mim ao invés de ir ver os próprios filhos. Vejo que nasceu sem o mínimo de educação, foi criada por quem? Todos da sua classe, sujos e podres. Por pena irei te deixar ver sua pobre mãezinha, jimin leve ela. ーfaz um sinal com os dedos para que saiam.

ーVocê que é sujo! Podre! Miserável! ーgrito antes de ser tirada da sala.

ーQuem era ela querido? ーdiz ao ver a garota sair da grande biblioteca segurada pelo conselheiro e guarda do rei.

ーApenas uma Plebéia. ーresponde.

ஜ۩۞۩ஜ "᳓ ஜ۩۞۩ஜ

 


Notas Finais


💕💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...