História Minha Querida Gangster - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Demi Lovato, Justin Bieber
Personagens Demi Lovato, Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Justemi, Nelena, Sadomasoquismo
Visualizações 38
Palavras 2.073
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Luta, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - The Truth?


Capítulo 06

A verdade?

Casa de Ryan

Jeremy caminha tranquilamente até o porão da casa de seu aliado, estava na hora de ter uma conversar séria com seu próprio filho e, mesmo que tivesse quase certeza que Justin não o aceitaria de volta, tentaria de qualquer modo, devia isso a Patrícia, mesmo ela não estando mais viva, honraria com sua promessa. Ao descer as escadas do porão, se depara com seu filho olhando-o fixamente, enquanto o irmão de sua amante apenas sorri e abaixa a cabeça, como um bom subordinado que se tornaria.

— Justin, fico feliz em ver que finalmente acordou e está bem. — Jeremy diz exalando sinceridade, queria mostrar ao seu filho que ainda era confiável.

— Estaria melhor ainda se estivesse em minha casa. — Drew responde o pai rudemente, fazendo o mais velho apenas dar de ombros e seguir até a direção de Charles. —O que vai fazer? — Pergunta desconfiado, mas logo em seguida suas dúvidas são sanadas ao vê-lo soltar seu parceiro.

— Suba, não tente nenhuma gracinha, meus seguranças estão em prontidão e a ordem é mata-lo caso tente qualquer coisa. — Chaz apenas acena saindo do local abafado, deixando Justin sozinho com seu pai. —Agora que estamos sozinhos, vamos ter uma conversa séria.

— Séria? Você acha mesmo que irei escutar um cara que fingiu estar morto por seis anos e que, pelo jeito, dorme com minha maior inimiga? De jeito nenhum. —Justin cospe as palavras sem se importar.

— Vai sim, não tem como fugir e, tenho certeza que quer saber o que aconteceu aquela noite, não é? — Jeremy usa sua tacada final vendo o Bieber mais novo abaixando a cabeça, sem ter como escapar, o mais velho senta-se na cadeira, onde outrora estava Charles e observa o filho. Ele havia crescido, estava mais forte, porém seu semblante parecia cansada, abatido. — Antes de contar o que realmente aconteceu naquela noite preciso que entenda duas coisas, a primeira é que Demetria não foi a culpada e segundo, eu fingi que estava morto para te proteger.

— Me poupe dessas desculpas, apenas me conte o que aconteceu. — Bieber diz encarando o pai que suspira cansado.

—Eu sempre trabalhei no mundo do crime, assim como seu avô, o crime está em nossa família a anos. Porém, os Bieber’s não eram apenas conhecidos no mundo do crime, tínhamos uma reputação a zelar, uma empresa para gerenciar, vivíamos uma vida dupla.

— E onde os Somers entram nisso? — Justin pergunta direto, queria saber qual era o real envolvimentos de Demi em tudo.

— Os Somers mandavam e desmandavam em quase todo o território dos Estados Unidos, bem antes de seu avô pensar em entrar nesse mundo e eles foram os primeiros que viram o potencial dele, mostrando tudo que sabiam a ele.

— Deixe-me adivinhar, seu pai os traiu? —O loiro mais novo pergunta já desconfiando, porém fica surpreso quando seu pai nega e continua a estória.

— Quando seu avô mostrou seu verdadeiro valor, os Somers, querendo fugir do mundo do crime, deixaram tudo para ele, contudo, sempre estiveram por perto controlando tudo, só não possuíam seu nome envolvido. Entretanto, quando o legado fora passado para mim e Erick, pai de Demetria e Charles, tudo mudou completamente, pois como fomos criados juntos, acabamos tendo as mesmas ambições e começamos a governar o mundo do crime juntos. Porém, anos depois, Erick se apaixonou, casou e teve sua primeira filha, foi quando decidiu se afastar do crime, mas com a promessa que não me abandonaria.

“Erick começou a cuidar de nossa empresa enquanto eu cuidava dos nossos negócios obscuros. Erámos imbatíveis nos negócios, mas através dos anos criamos diversos inimigos e, ao descobrirem nossas identidades, começaram a nos chantagear, ameaçaram matar nossas famílias, então Somers e eu decidimos acabar com todos antes que chegassem a vocês. Em um em um, derrubamos quase todos, porém não imaginávamos que seriamos derrubados pelos nossos pais quando você e Demi tinha por volta de catorze anos.

Em um dia, durante uma reunião, seu avô apareceu e disse que precisávamos manter o negócio da família ou perderíamos tudo, era como um testamento, dando tudo que construímos aos nossos piores inimigos, sem escolhas, tivemos que aceitar colocar um sucessor. Teríamos que escolher entre você, Demi e Charles...”

— Por que escolherem a Lovato? —Justin pergunta interrompendo Jeremy.

— Eles não me escolheram, eu me voluntariei. —A voz de Devonne preenche todo ambiente, ambos os Bieber olham em direção a porta, vendo a mulher completamente suja de sangue caminhando pesadamente até os mesmos.

— Onde estava? —Jeremy pergunta calmo.

— Desculpe a demora, querido. Estava derrubando nosso inimigo. — Demi fala simples. —Quando cheguei avisaram que estava aqui.

— Ah sim. Estava contando à Justin sobre tudo. —Bieber encarava a cena entre seu pai e sua inimiga com nojo.

— Por que decidiu se voluntariar? —Justin pergunta interrompendo os dois.

— Não queria que Charles se machucasse, então para evitar que algo ruim acontecesse a ele ou que, como eu, descobre-se que nossos pais não era quem pensava, me voluntarie e tomei o lugar deles, tornando-me parceira de Jeremy, mas isso anos depois.

— Com apenas dezessete anos, Demi, já era considera uma das maiores assassinas e traficante do estado de Geórgia. —Jeremy completa a frase sorrindo orgulhoso da loira ao seu lado. — No fundo ela também queria te proteger.

—Me proteger? — Drew questiona encarando a loira que abaixa a cabeça, deixando seu chefe falar por si, enquanto o amaldiçoava em mente.

— Sim, quando crianças, vocês eram inseparáveis, mas quando houve aquela explosão, você perdeu sua memória e esqueceu completamente dela. — O Bieber mais velho diz deixando Justin pasmo, nunca imaginou que Lovato poderia ser aquela pessoa corajosa que seu pai descrevia, que deixou toda sua vida de lado para proteger dois garotos quer a odiavam. — Ela usou isso ao seu próprio favor e se afastou de você, mas anos depois você começou a incriminá-la pela explosão, sem escolha, ela teve que jogar.

— Por que simplesmente não me contou a verdade? Eu teria parado. — Começando a acreditar em tudo.

— Esquece isso, Bieber. Passado é passado. — Demetria diz indiferente. — Vou tomar um banho, com licença.

— Vá direto para meu quarto depois. —Jeremy diz, causando um arrepio no corpo de Devonne que assente com certo nojo, algo que não passou despercebido pelo Bieber mais novo.

—Pode deixar, querido. — Diz saindo por fim daquele lugar.

— O que ela é sua? — Justin pergunta vendo o pai dar de ombros.

— Demi é apenas uma vadia que eu uso, claro que é minha aliada, mas quando está ao meu lado, me obedece feito uma cachorra. —Drew sentiu seu sangue ferver ao ver o pai falando assim de Lovato, não porque gostava dela, mas porque seu pai era tão hipócrita que chegava a irritá-lo. — Pronto para continuar nossa conversa.

— Claro.

[...]

Sunny respirou fundo ao sair do porão, não aguentava mais manter aquelas mentiras, mas Justin teria que descobrir sozinho, não podia ajuda-lo, não agora, além disso, ainda eram inimigos e, sabia que no momento que o loiro saísse daquela mansão, contra-atacaria com força total, ela tinha que está preparada para tudo.

— Demetria? —Ao escutar a voz de seu irmão, a Somers para imediatamente.

— Sim?! — Responde ao chamado, virando-se para olhar o mais novo.

— Me diga, tudo aquilo é realmente verdade? — Devonne observa dentro da íris de seu irmão um pouco de esperança.

— Descubra sozinho, não posso te ajudar e nem irei, no momento que me expulsou do seu quarto, me tornei sua pior inimiga. — A cada palavra que proferia, Demi sentia o peso do seu corpo aumentar e sua humanidade ceder para escuridão. — E, apenas para avisar, nenhum inimigo meu saiu com vida, a prova está bem na sua frente. —Charles olha para irmã horrorizado, ela estava o ameaçando, onde estava o amor que a mesma havia dito que sentia, tinha algo errado, ele desconfiava. É algum sinal? — Pensou.

— Quem você matou? — Perguntou por fim, vendo Sunny recuar.

— Não importa, mas vou te dar mais um último aviso, Somers. O legado da nossa família vai continuar. —Lovato diz virando-se em direção à escada, deixando seu querido irmãozinho confuso para trás.

Dia seguinte

Cafeteria

Harry tomava sua xicara de café expresso rapidamente, sentia seu corpo inteiro ansioso pelo encontro que logo se seguiria, Louis, ao seu lado, parecia calmo enquanto terminava de conversar com alguém por telefone, parecia algo importante, então logo deduziu ser da empresa que seu marido trabalhava. Lou nunca aceitou trabalhar consigo em sua própria empresa, o mesmo dizia que eles nunca iriam trabalhar e, que gostava de trabalhar onde sempre trabalhou.

— Vadia! — Stiles sentiu todos os pelos de seu corpo se eriçarem ao escutar o grito do amor da sua vida enquanto o mesmo corria em direção à porta e abraçava uma loira um tanto mais baixa que si.

— Viado! Que saudade. Cadê seu marido idiota? — A loira pergunta deixando-se ser guiado por Louis totalmente animado.

— Logo ali, não sabe o quanto ele ficou ansioso pela sua chegada. Até parece que você é uma assassina profissional que pode mata-lo a qualquer momento. — Ao escutar a piada do marido, Harry se engasga com a própria saliva, vendo-os sentar em sua frente. — Ah, esqueci, você realmente é uma. — O cacheado sente o ar dos seus pulmões acabarem ao ver Louis o encarando com um olhar totalmente indiferente e frio.

— C-como...

— Louis, querido, vai acabar matando seu marido desse modo. —Demi diz rindo, vendo seu inimigo quase roxo.

—Verdade, Hazza, se acalme, Demi não vai te matar, ela nunca faria algo que me magoasse, somos parceiros. — Louis diz sorrindo docemente para o marido, que se acalma.

— Como assim parceiros?

— Eu trabalho com a Lovato, sou um assassino tão bom quanto ela.

— Como nunca me disse isso?!

—Você nunca perguntou e eu queria ver até quando você mentiria para mim sobre seu trabalho sujo. — Tomlinson diz dando de ombros.

— Você me traiu!

— Pare de drama gay, Harry. — Demi diz sorrindo. —Louis e eu marcamos esse encontro para te contar a verdade. Sinto muito por destruído seu império. Na verdade, sinto não, mas era algo necessário.

— Foi tão divertido matar todos aqueles seguranças chatos. —Louis diz sorrindo ao lembrar.

— Você estava envolvido com aquilo? Como pode?

— Família em primeiro lugar, meu amor. Além disso, era mesmo necessário, Jeremy precisa pensar que você está mesmo destruído, mas não se preocupe, suas coisas estão sobre meu comando.

— Então você realmente quer acabar com o Bieber? — Harry pergunta olhando diretamente para a loira.

— Não só eu, minha família.

— Que eu saiba, apenas Charles faz parte da sua família. — Hazza diz tentando entender algo.

— Na verdade, nossa família é nossa equipe, as únicas pessoas que confiamos, sendo ela: eu, Demi, Zayn, Liam, Ryan e Niall. —Louis fala. — Estamos juntos desde o treinamento, quando o Bieber e os Somers nos juntaram.

— Todos meus amigos me traíram?! — Harry diz completamente indignado.

Stiles não podia acreditar que aqueles que ele tanto confiou, retirando Ryan, ele não fazia ideia de quem fosse aquele, haviam o traído, seus amigos era praticamente seus irmãos. A raiva o dominava, principalmente ao saber que Louis estava mais envolvido do que ele pensava.

— Vocês estão de brincadeira comigo. Eu não vou ajudar vocês. —Diz exasperado levantando-se da cadeira.

—Harry, acalma-se. — Louis fala, mas não causa nenhum efeito, o moreno não queria ver o marido morto, porém, se ele não contribuísse, não iria impedir.

— Stiles, sente-se ou juro que atiro no seu joelho. — Mesmo contrariado o cacheado senta. — Vamos de dar duas opções ou você coopera e nos ajuda, ou se considere morto. —A frieza no tom de voz de Demi faz as batidas do coração do moreno acelerarem.

— Louis vai permitir?

— Eu serei o cara que vai te matar. —Tomlinson responde no mesmo tom da amiga.

—Pegar ou lagar.

—Eu odeio vocês dois e repito, Demetria, você ainda se arrependerá do que está fazendo.

— Como eu disse, pode ter certeza que não.

A loira levanta e sai do estabelecimento, deixando o casal para trás, estava cansada daquele papo e, seu celular não parava um minuto sequer de tocar, ao ver o nome no visor, suspirou, logo escutando a voz raivosa de Jeremy.

— Onde você está? Quero você de volta em casa agora.

— Sim, querido, já estou voltando.

—Espero que com um bom motivo para seu sumiço.

— Me ameaçando, Bieber? —Demi pergunta e logo escuta o grito de Charles. — NÃO TOQUE NO MEU IRMÃO MALDITO.

— Venha rápido então, ou transformo a mão de seu precioso em carne amassada. —Lovato encerra a chamada correndo até seu carro.

— Você não perde por esperar.

 

 


Notas Finais


O que acharam meus amores? Adoro ler suas opiniões, eu juro que não mordo kk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...