História Minha razão ( Gadizaski ) - Capítulo 5


Escrita por:

Visualizações 86
Palavras 1.918
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura!!

Capítulo 5 - Capítulo cinco



                       Bruno


- Roberto! Eu estava ajudando a Talita, por que você veio atras de mim? Ela poderia ta pelada. - a Daphne disse e eu respirei fundo umas 15 vezes. Ouvi a voz dela me fez lembrar da nossa conversa segundos atrás, antes de eu me esconder atras dessa cortina enorme.

- A sua tia teve que ir embora mais cedo com a sua prima e falou que iria te ligar assim que chegasse em casa. Achei melhor trazer a sua bolsa.

- Agradeço. Eu estava falando com a Talita que nao estou me sentindo muito bem será que você poderia me levar pra casa? - eu sabia que aquilo era desculpa para ela sair dali, mas depois de tirar essa história a limpo eu iria atrás dela. Se tinha um lugar que eu ainda lembrava muito bem era o endereço da empresa dela.


Cinco anos atrás ...


Estava tudo pronto, eu arrumei mais uma vez a cama, me olhei pela milésima vez no espelho e, olhei para a pulseira que eu iria dar a ela. 

A Daphne era uma mulher muito simples , embora tivesse todo o dinheiro que tinha.

Confesso que assim que soube de todo o dinheiro que ela tinha eu até pensei em me afastar, na verdade nao era nem para termos chegado onde chegamos, mas a paixão falou mais alto.


*DING DONG ...


Sorri e fui rapidamente na direção da porta, mas deixei de sorrir ao ver a tia da Daphne bem ali na minha frente.

 Eu so sabia que ela era tia da Daphne porque em um passeio, dias atrás , a Daphne me mostrou uma foto dela. Eu so nao entendia o porque dela estar bem na minha frente já que a mesma nao me conhecia e que segundo a Daphne ela teria que ter uma longa conversa com a tia para que a mesma aceitasse isso que nos estávamos tendo. Parece que após a morte dos pais dela a tia tinha ficado responsável por ela.


- Bruno? - perguntou e eu assenti  - Podemos conversar?

- Sim. Pode entrar. - dei espaço mas a mesma negou.

- O que eu tenho pra falar nao vai demorar muito, a Daphne me contou sobre vocês. 

- Ela contou? 

- Contou. E eu vim aqui para dizer tres coisas. Primeiro que você não é homem para ela, segundo , eu nao sei se ela te contou, mas muito em breve ela vai se casar - franzi a testa - E terceiro, ela so ficou com você apenas para me provocar. Então como você perdeu algumas semanas com a minha sobrinha - ela mexeu na bolsa e tirou um envelope. - Aqui tem cinquenta mil. - ri debochado

- Você realmente acha que eu vou aceitar esse dinheiro?

- Aceite e nunca mais se aproxime dela.

- Eu não quero dinheiro, cade ela? Eu quero falar com ela. Se ela quer distância ok, mas que fale diretamente comigo.

- Olha rapaz, eu conheco bem o seu tipinho sei que você quer apenas se aproveitar da minha sobrinha. 

- Não é nada disso, eu gosto muito da Daphne. - ela deu de ombros rindo.

- Gosta o que? Em uma semana? Vocês mal se conhecem, quer dizer ela mal te conhece porque voce sabe muito bem que pode receber um ótimo cache ficando com ela.

- Eu nao estou com ela pelo dinheiro e se quer saber eu nao tenho que te provar nada. Se a Daphne vai se casar eu quero que ela fale olhando nos meus olhos.

- Isso nao será possível porque ainda hoje ela vai viajar para Londres. - travei o maxilar.

- Eu nao ....

- O noivo dela vai ser mil vezes pior que eu então acho melhor você se afastar dela, eu nao quero que a minha sobrinha se prejudique por sua causa. Se nao vai aceitar o dinheiro ok, mas quero distância dela. Ou é isso ou eu mesma darei meu jeito. - ela saiu e eu passei a mao no rosto sem acreditar que a Daphne ja tinha uma outra pessoa. Coloquei as maos no bolso em busca do meu celular, mas nao encontrei. Procurei por todo o quarto e nada.


- Droga! Ficou em casa.


Dias atuais ...


- Eles ja foram. - a tal Talita disse e eu sai de trás da cortina.

- Por quanto tempo a Daphne é noiva desse cara? - ela mordeu os labios e suspirou.

- Na verdade ela vem enrolando ele a mais de um ano. - neguei com a cabeça. - Vocês ja tiveram um rolo não foi?

- Quando a Daphne tinha mais ou menos 21 e 22 anos ela estava noiva ou com outro cara?

- Ela foi estudar fora. Ninguém sabe bem o porque dessa decisão já que ela estava estudando por aqui. Mas depois dessa viagem ela mudou bastante. Foi depois dessa viagem que ela decidiu se casar com esse homem. - ela disse sentando na cama. - Eu tenho certeza que ela sabe, porém finge nao saber. Ele é um cara muito possessivo, é o que dizem. E insuportável também. Eu so nao entendo o porque dela querer conviver com esse homem.

- Eu preciso ir. Você não precisa me pagar nada, obrigada por ter me contado tudo isso. - disse rápido

- Espera! - corri na direção da porta, eu ainda precisava acertar alguns pontos.


( .... )


- Chegou cedo! - minha mae sorriu e abaixou o volume da TV.

- Eu sei que já se passou um longo tempo, mas a senhora tem uma memória boa, vai lembrar. - joguei a mochila no sofá. 

- Do que você está falando? - sentei no sofá maior, ficando ao seu lado e respirei fundo antes de falar. 

- A senhora lembra de mais ou menos cinco anos atrás, quando eu cheguei aqui em casa todo feliz e a senhora perguntou o motivo da minha felicidade? 

- Não. Poderia ser mais claro? - ela me olhou com cara de interrogação. 

- Daphne. Esse nome te lembra alguem? - ela desviou o olhar demonstrando estar desconfortável com a nossa conversa.

- A garota que você se relacionou. - afirmou - Por que entrar nesse assunto agora? Pelo que me lembro ela te deixou mal por meses.

- Acontece que hoje eu descobri o porque dela ter me deixado. Por que a senhora mentiu pra ela sendo que sabia que eu ia me encontrar com ela? 

- Eu nao acredito que essa mulher surge do nada te conta o que quer e você vai e acredita nas palavras dela. - ela levantou - Eu nao sou obrigada a ouvir essas coisas. Por que so hoje, depois de anos você se tomou por causa de uma riquinha que so quer te usar de novo?

- Eu só quero a verdade.

- Você mesmo disse que a tia dela te ofereceu dinheiro, eu nao fiz nada. Ela veio até aqui e eu falei que você não estava so foi isso. Agora eu posso ir pro meu quarto ou você vai querer falar sobre isso novamente?

- Eu só quero a verdade. - ela suspirou e me deu as costas.


                      Daphne


- ... e os convites amanhã mesmo serão distribuídos. - balancei a cabeça e forcei um riso.

- Os convites! Sim. - passei a mao no rosto, eu estava me sentindo sufocada com tudo que eu tinha ouvido Bruno.

- Se voce quiser adicionar mais alguem a hora é agora. - riu e eu fiz o mesmo. 

- Não, eu nao pretendo adicionar mais ninguém. Pra ser sincera eu nem gostaria que fosse tanta gente.

- So serão 340 convidados. Você sabe que eu me vi obrigado a convidar alguns jornalistas. Claro que eu falei que nao queria ninguem filmando e que seria algo so para os mais íntimos, mas com os jornalistas por la tenho certeza que o nosso casamento será o destaque da semana. 

- Ja decidiu onde será a nossa lua de mel?

- Dubai me parece ótimo. - disse e ele ergueu a sobrancelha.

- Ótima escolha. Nao podia fazer uma escolha melhor.


( ... )


- Chegou cedo do casamento? - Giovanna perguntou guardando o celular quando sentei ao seu lado.

- E voce chegou a ir? - ela assentiu.

- Sim, mas não fiquei muito tempo na festa porque tinha um compromisso. Vim com a minha mae.  - encostei as costas no sofá. - E voce?

- Nao estava me sentindo muito bem. Sabe me dizer se o  Charlie foi levar a sua mae em algum lugar?  

- Acho que nao. Ela saiu de táxi.

- Ótimo, eu vou tomar um banho e depois vou sair com ele.

- Onde você vai? Você está bem? - concordei com a cabeça.

- Sim, vou so da uma volta.

- Ta. Qualquer coisa me liga. - sorri e assenti.


Cinco anos atrás ...


- Mandou me chamar sobrinha linda? - minha tia perguntou entrando no meu quarto e eu assenti.

- Sim. Eu te chamei para falarmos do rapaz que a senhora ... bem ...

- Ah, sim. Da pouca vergonha em publico. Ele nao me parece ser um cara de boa familia.

- Ele é simples sim, mas eu gosto dele tia. A gente se conheceu a uma semana, mas..

- Isso é muito pouco tempo, Daphne! - ela tocou no meu rosto. - Você é nova, linda e a única coisa que temos que pensar é em como vamos tirar a empresa desse buraco. Os seus pais se foram e deixou essa empresa pra você justamente por acreditar que você tinha uma cabeça boa.

- Eu tenho e sobre o Bruno ... - cruzei os braços e fui na direção da janela. - Ele quer algo serio comigo e olha que a gente ja ... - me calei e fechei os olhos por alguns segundos. Pra que merda eu abri a minha maldita boca? Se ela ja estava o odiando sem nem conhece - lo poderia odia - lo ainda mais por saber que eu perdi a minha virgindade com um cara que eu conheci a uma semana.

- Ja o que? - ela se aproximou rapidamente de mim - Nao me diga que vocês já ...

- Eu quis. E se ele realmente nao prestasse teria ido embora depois do que rolou, mas ele ficou e quer ter algo serio comigo. E se por acaso nao quisesse a culpa de ter rolado nao seria dele, porque eu quis tia. - ela respirou fundo e arrumou o cabelo.

- Me passa o endereço dele, eu quero conversar com ele.

- Eu sou de maior e ...

- Eu apenas quero me certificar de que ele quer algo serio com você, Daphne. Apenas isso. Fica tranquila que sera apenas uma conversa. - assenti.


*****


Meia hora tinha se passado e eu ja estava arrependida de ter passado o endereço a minha tia. Como até o momento eu estava sem notícias resolvi mandar uma mensagem para o Bruno perguntando se ele ja havia falado com a minha tia, mas a resposta dele foi : venha até a minha casa, eu preciso falar com você.


Depois disso a única coisa que posso dizer é que a minha vida mudou drasticamente.


Dias atuais ....


- Chegamos. - Charlie disse sorrindo enquanto via eu limpar a minha mão rapidamente.

- Se você pensar em mandar eu ir pro psicologo eu juro que ...

- Nao vou falar nada. 

- Desculpa pela ignorância, mas hoje não foi o meu melhor dia. - ele abriu a porta do carro e logo depois abriu a porta para que eu saisse. Olhei para frente e o meu coracao acelerou assim que os meus olhos pararam na enorme mansão de cor amarela.

- Nao precisa se explicar, acho que agora você vai ficar mais relaxada.- Deixei um sorriso escapar e assenti.




Continua ....



Notas Finais


Huuuumm ... babado.com!!!!!


Até o próximo capítulo ♥♥♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...