1. Spirit Fanfics >
  2. Minha Salvação >
  3. Surpresas

História Minha Salvação - Capítulo 18


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que gostem sz

Capítulo 18 - Surpresas


Fanfic / Fanfiction Minha Salvação - Capítulo 18 - Surpresas

Quando se aproximou se Hiashi, a rosada lhe acertou um único golpe, mais precisamente um soco, que fez com que o corpo do Hyuuga fosse lançado para longe, ele arregalou os olhos quando seu corpo parou ao ser arrematado em uma rocha. 

Sakura caminhou em passos lentos e firmes até eles, o Hyuuga levantou pra revidar, mas tomou outro golpe que teve um impacto diferente, como se o seu corpo fosse drenado para fora e voltasse em questão de segundos.

" Ela está mais poderosa que ele" pensou o Hyuuga, temeroso, pensando em fugir, mas antes de concluir seu pensamento Sakura o atacou novamente. Distribuindo um poderoso soco no seu rosto. 

Com O corpo mais danificado, e em uma desesperada tentativa, foi até o ponto fraco de Sakura. Sasuke.

Quando ele se aproximou do corpo, Sakura já partia pra cima, gritando.

- Fique longe dele - deu impulso no seu corpo- Shanaroo 

Deu mais um soco forte no Hyuuga, fazendo seu corpo ser lançado contra uma árvore, quando ele pensou em se recuperar, Sakura já estava próxima e distribuiu um último soco, desta vez no rosto do perolado.

O rosto ficou enterrado no chão e ao seu redor, o chão rachou. 

-A morte é o mínimo que você merece depois do que fez a mim, a Hinata e ao Sasuke. 

Sakura sorriu ao olhar pro rosto, machucado e sujo do Hyuuga. Sua vingança não era só por ela.

Desgastado, sem força e surpreendido, ele não pode fazer nada quando Sakura apoiou o joelho no seu peito, forçando-o para baixo, segurou a clavícula com as duas mãos e usou toda a força que não sabia que tinha. 

A cabeça de Hiashi voou, e as mãos de Sakura abriram buracos no chão, após entrarem em contato com a superfície.

Correu até Sasuke novamente, deixando a raiva de lado e deixando-se agir pela tristeza. 

Conferiu os batimentos de Sasuke, o coração estava parando, ele está morrendo. 

Retirou, com cuidado,  a estaca de madeira que atravessava o intestino do Uchiha, seus olhos desciam lágrimas, quando a estaca já estava fora do corpo de Sasuke,  ela a jogou longe. Suas mãos estavam sujas de sangue, e já sentia o gosto salgado das lágrimas.

Abraçou o corpo desacordado do Uchiha e se permitiu chorar.

- me desculpa, por favor. 

Em meio às lágrimas, sem querer, tocou no ferimento do Uchiha, e a mesma luz verde se fez presente, ficou confusa, foi quando ouviu a voz de Madara na sua cabeça

As mãos que destroem são as mesma que podem curar" 

Sem muito saber oque fazer, pousou a mão coberta com a luz verde próxima a perfuração do Uchiha. Arregalou os olhos quando, aos poucos, o buraco que havia ficado diminuiu, até simplesmente desaparecer.

Colocou a mesma mão no peito do Uchiha, próximo ao coração, a pequena escoriação foi rapidamente curada. 

Sakura sorriu largo ao perceber que os batimentos do Uchiha não estavam mais fracas, eram fortes e rapidas. 

Ele estava vivo, ela, sem saber como, havia salvado seu amado. Se sentiu forte, capaz e extremamente feliz.

Queria abraçar e beija-lo até que ele acordasse, mas seu corpo estava fraco, então após conferir os batimentos cardíacos de Sasuke, acabou desmaiando, caindo em cima do Uchiha. 

Mas ao longe conseguiu ouvir a voz de Itachi.

                         (...)

Sakura acordou alarmada, quando abriu os olhos, já se sentou e chamou por Sasuke, suas ultimas lembranças eram aterrorizantes e curiosas com o corpo desacordado de Sasuke. Queria saber se ele estava realmente bem.

- Calma Sakura - pra sua surpresa, o ponto claro no meio do quarto escuro de Sasuke era Ino. 

Ela estava sentada em uma cadeira, um pequeno arranhão marcava o seu nariz, mas ela parecia intacta, nem parecia que havia surrado todos os mortos vivos que atravessaram o seu caminho.

- Cadê o Sasuke? E Hinata, como está? 

Ino suspirou e se levantou.

- Hina está bem, ela e o Bebê, e Sasuke, bom..

- Não Me deixe nervosa Ino, diga logo.

- Foi resolver alguma coisa com Naruto, mas te garanto, ele tá melhor que você. - Ela olhou atentamente pra rosada com uma cara esnobe- você está descabelada, provavelmente com bafo, mais branca que um papel e com cara de doente.

- Não quero saber Ino, não quero saber disso, só quero ver o Sasuke. 

Ela revirou os olhos com um pequeno sorriso no rosto, caminhou até o guarda roupa que estava no meio do quarto e prosseguiu.

- E Você vai ver o seu gato assim? Com essa cara de morta? - Ino riu antes de prosseguir- ou melhor, o seu cachorrão.

Sakura não conseguiu conter a risafa com o comentário de Ino, e se sentou melhor na cama.

- Eu só quero ver ele Ino, saber como ele está e como as coisas estão.

A loira bufou, pegando um vestido rosa claro e colocando na cômoda ao lado. Sentando na cama, aos pés da rosada.

- Você vai ver ele sua chata, ele não vai fugir de você e vai te contar tudo Que aconteceu, mas é melhor ele fazer isso olhando pra namorada cheirosa e limpinha né? Você vai ficar por dentro de tudo, mas primeiro tem que tirar essa aura de morte, vamo vamo. Você ta precisando. 

A loira puxou o pé da rosada que sorriu e fingiu estar emburrada enquanto caminhava até o banheiro. Depois de despir-se, olhou para o enorme espelho que tinha ali, notando um curativo no seu braço esquerdo, seus joelhos com sinais de escoriações e arranhões já em processo de cura, um pequeno arranhão em seu nariz, mas de resto estava bem, pela situação dos seus machucados, se pegou pensando a quanto tempo estava desacordada já que os machucados já estavam em processo de cicatrização, tomou um susto ao visualizar no espelho um pequeno losangulo, marcado no meio da sua testa, se perguntou oque era aquilo, mas como não chegou a nenhuma resposta completa, resolveu  ligar o chuveiro na água quente, e fechou os olhos sentindo a água relaxar seu corpo, confirmando pra si mesma que Ino tinha razão, ela precisava disso. Seu corpo inteiro estava cansado, e sujo. 

Se deu o privilégio de tomar um banho demorado, com todo o cuidado com o curativo do seu braço, que parecia ser recém feito, lavou os cabelos fazendo a essência de cereja se espalhar pelo banheiro. 

Após sair do banheiro usando uma toalha branca nca enrolada no corpo, e outra no cabelo, encontrando o quarto vazio, sem sinais de Ino, apenas a roupa dobrada na comoda. Com preguiça de escolher outra, vestiu o vestido e calcinha que Ino havia separado. 

O vestido era um pouco justo no busto e cintura e pouco rodado na saia. Bonito e confortável. 

Escovava Os cabelos enquanto deixou as lembranças tomarem conta dos seus pensamentos, estava muito curiosa sobre oque realmente aconteceu, aquele poder sobrenatural, a força sobrehumana, o ato de conseguir de algum modo curar o machucado fundo de Sasuke sem ao menos tocar nele. 

Oh Céus, ela havia matado Hiashi, não que se sentisse arrependida, pois já havia pensado na possibilidade muitas vezes, mas nunca imaginou ter coragem para executar. No momento não pensou, apenas deixou seus sentimentos a levarem, a tristeza, a raiva. 

Suspirou e largou a escova na cômoda, sentindo uma breve felicidade, então tudo havia acabado? Estava livre de Hiashi? Poderia viver a sua vida sem medo? 

Sorriu ao imaginar que todas as suas perguntas tinham uma única resposta: sim. 

Mas ao mesmo tempo que se sentia feliz, voltava a se sentir curiosa, oque era aquele poder? 

Seria ela alguém como Sasuke? Uma não humana? Uma bruxa? Ou algo do tipo?

Seus pensamentos foram interrompidos pela porta sendo aberta. 

Naquele momento seu corpo inteiro tremeu, o coração bateu mais forte, as mãos usaram e a felicidade aumentou de um jeito que não pode conter o enorme sorriso que se formou em seu rosto.

Era Sasuke ali, vivo, agora sim parecendo o homem dono do seu coração, parecendo forte e superior, com um sorriso bonito no rosto, sorriso ao qual nunca havia visto. Tremeu na mesma hora, sentindo o coração derreter com o sorriso dele, ele precisava sorrir abertamente mais vezes.

Sem pensar muito, levantou da cama e correu até ele, não deixando tempo para pensar, tomou impulso e se jogou no colo do Uchiha, o abraçando com as pernas e os braços ao redor do seu pescoço. Ele abraçou o corpo da rosada igualmente, com força, afundando o rosto no pescoço da mulher, sentindo o cheiro gostoso do shampoo que ela usava se misturar com o perfume suave que ela sempre depois do banho. Lhe trazendo uma sensação de paz.

Durante os três dias que Sakura ficou desacordada, ele ficou ao lado dela, a todo o momento em que conseguiu, que não tinha compromisso com a alcatéia ou com alguma das suas lojas ou na academia. Assistia o corpo desacordado, mas forte, de Sakura, segurando forte em sua mão, pedindo para ela acordar logo, aquela situação foi como uma tortura para ele.

- Que bom que você está bem, eu senti tanto medo de te perder. 

Ele disse em tom baixo, ainda agarrado com ela, sem querer, uma lágrima deslizou pelo seu rosto másculo, uma lágrima de felicidade. Se sentia completamente mais leve com ela ali, lhe dando um abraço caloroso, sorrindo como uma menina e cheirando a cerejas.

- Você sentiu medo de me perder? - ela riu- eu praticamente pirei com a ideia de viver em um mundo que não tivesse você. 

Ele sorriu novamente, aquele sorriso bonito e aberto que ela ama, caminhou com ela ainda abraçada em si até a cama, onde se sentou, mas Sakura continuou em seu colo, com o rosto enterrado no seu pescoço.

- Você poderia me olhar coisa rosa? - pediu, arrancando uma risada que ele julgou ser a mais gostosa que já ouviu dela, que desgrudou dele a contra gosto.

- Eu só estava me dando ao luxo de agarrar o meu lindo namorado. Que eu tive tanto medo de perder.

Sasuke se praguejou mentalmente, o sorriso bobo não queria sair dos seus lábios, levou uma mão até o rosto dela, acariciando levemente a bochecha rosada. 

-  Me desculpe, Sakura - pediu baixinho. Arrancando uma careta confusa dela- por deixar ele chegar até você. 

Ela negou com a cabeça e se aproximou, beijando a bochecha do homem, vendo ele corar minimamente, ok, isso era novo e surpreendente demais.

- Eu deixei você corado? Que fofo! 

Ele fechou a cara no mesmo segundo.

- Fofo Sakura? Sério isso? Eu sou tudo, menos fofo.

- É fofo sim, um cachorro fofinho.

- Sabia que você me ofende quando me chama de cachorro? Eu não sou um cachorro! 

Tentava parecer sério para dar uma bronca nela, mas estava segurando a risada, se sentia ofendido quando ela se referia assim a ele, mas achava engraçado o modo como ela falava tão espontâneo isso. 

- Ino falou que você é o meu cachorrão - Ela riu aproximando mais os rostos. Ficando a poucos centímetros longe.- tô pensando em adotar esse apelido.

- Você não é maluca - acariciou a pele macia da sua bochecha, retribuindo o carinho que recebia na nuca.

- Eu não pagaria pra ver.

Não disse mais nada, pois aproximou mais os lábios dos de Sasuke, era pra ser uma pequena provocação, mas sem paciência, ele tomou seus lábios em um beijo lento.

As mais acariciaram a sua cintura enquanto nas suas continuaram na nuca, o ritmo do beijo era lento, ambos aproveitando aquele momento. 

Depois de mais alguns beijos trocados Sasuke os cortou, deixando selinhos na boca da mulher. Que sorriu. Ele retribuiu.

Quando ele ficou sério, Sakura viu que o Sasuke relaxado de alguns segundos havia sumido.

"Bipolar de merda" pensou.

Saiu do colo dele, sentando ao seu lado, estava ótimo ficar com ele daquele jeito, mas de certo modo estava muito curiosa de como estavam as coisas. Pigarreou antes de olhar pra ele.

- Eu quero que você me conte tudo que aconteceu Sasuke, por favor.

Ele assentiu e esticou as costas antes de começar.

- Lá no campo em que eles iriam invadir, eu reconheci logo de cara que Hiashi não estava no meio, mas como eu deixei você com Itachi, não me importei em lutar. E quando você sumiu e Itachi me chamou, eu deixei toda liderança na mão de Naruto, por ele ser o meu beta, e fui até a minha casa, Itachi me alertou que você sumiu, e acabou que eu segui o seu cheiro, até ouvir os gritos desesperados de Hinata. Fui obrigado a chamar Naruto, pra levar vocês para longe do Hiashi, para uma luta sem distrações, a alcatéia ficou na liderança de Gaara, pois Shisui estava machucado. No fim, acabamos derrotando os mortos vivos. 

Sakura mordeu os lábios logo depois que uma  pergunta saiu de seus lábios.

- Quantas mortes? 

Sasuke suspirou.

- Cinco, Utakata, Hidan, Kakuzu, Son e Neji -suspirou pesado ao dizer o ultimo nome- acabei de voltar do enterro.

Foi quando Sakura percebeu as vestimentas completamente escuras, uma calça preta, acompanhada de uma camisa preta e tênis da mesma corno

Sasuke não iria admitir, mas a morte de Neji estava lhe afetando mais do que as outras, afinal, de algum modo, cresceram juntos, mesmo que Neji fizesse o tipo calado e na dele, assim como o próprio Sasuke, sempre se deram bem, inclusive Neji era um dos melhores homens da alcatéia.

- Neji... eu lembro de Hinata chorando pela morte dele, oque aconteceu? - sentiu um nó na garganta ao perguntar.

- Ele foi na casa de Naruto atrás de Hinata, atentou contra a vida de Kushina,  a mãe do Naruto, Neji a salvou e tentou impedir ele de levar Hinata, Hiashi o matou. 

Sakura baixou a cabeça, deixando algumas lágrimas rolarem, não tinha tamanha proximidade com nenhum dos homens que tiveram suas vidas interrompidas, mas com Neji era diferente, mesmo o contato sendo sempre muito pouco, tinha um certo apreço pelo Moreno de olhos perolados, e ele ainda era irmão de uma das suas amigas ali.

- Hinata? Tenten? 

- Hinata está se conformando que perdeu o irmão mais velho, a quem ela admirava. E Tenten, bom, ela é durona e tenta não demonstrar que está sofrendo, mas está e Lee, como era um amigo muito próximo de Neji, está lhe ajudando a aceitar. 

O choro da rosada se intensificou, fazendo Sasuke olhar surpreso para ela.

- Por que está chorando?

- É culpa minha, a morte de Neji, você quase ter morrido por que foi me salvar, a morte dos seus outros companheiro. Me desculpa Sasuke, eu não queria ser um problema para você.

- Não é sua culpa - ele a abraçou de lado- Todos eles morreram de formas honrosas, defendendo a cidade que abriga a família deles, os conhecidos, e Neji, bom, com certeza se sentiria feliz de ter uma morte digna, honrada, defendendo a irmã, assim como eu não me importaria de morrer, se você pra manter você viva.

- Mas de qualquer modo, essa luta toda foi por mim, porque eu Fuji dele, não tem como não me culpar por essas mortes e por todas as pessoas que se machucaram para me proteger.

- Não era somente para te proteger, o nosso dever é proteger a cidade, e todos os habitantes dela, mesmo que seja com a própria vida, e foi oque fizemos . E o interesse de Hiashi não era apenas você, era Hinata, e a minha família... 

Ela ergueu a cabeça, olhando de olhos arregalados para Sasuke.

- Ele fez algo com ?.... 

- Não -cortou a fala dela- os primeiros alvos era você e Hinata. Então não deu tempo de fazer nada contra ninguém da minha família. 

Ela suspirou pesado e limpou o rosto que já estava vermelho. Ficou em silêncio enquanto fungava, olhando para a parede pintada de azul escuro.

- Oque eu fiz... - começou meio incerta- eu estava descontrolada, uma luz forte e verde envolveu os meus punhos , mas não sei como acertei socos tão fortes em Hiashi, ao ponto de fazer ele voar para longe, de arrancar a cabeça dele do corpo apenas usando as mãos. E quando eu toquei na perfuração que a estaca havia feito em você, a luz verde voltou, e de alguma maneira que eu não sei explicar, fez o corte desaparecer. Você sabe oque isso quer dizer? 

Ele suspirou novamente, era complicado, mas teria que revelar logo, afinal, era um assunto que envolvia ela.

- Lembra que eu te disse que existe mais coisas entre o céu e a terra do que você imagina? Que não são só Vampiros e lobisomens que existem realmente? - assentiu- tem mais uma criatura bem famosa pelas lendas, que também existem, bruxas. Mesmo com o extermínio de milhares pela igreja católica a centenas de anos atrás. Mas muitas sobreviveram e se isolaram, transformando-Se em lendas para a maioria das pessoas, mas como eu já disse, elas existem e estão espalhadas pelo mundo.

A rosada engoliu em seco ao constatar uma coisa. 

- Eu sou uma bruxa? - perguntou incerta, mas ele assentiu.

- Se certa forma, mas é diferente - ele levou dois dedos até a testa da rosada, dando um toque no losangulo- esse sinal que você provavelmente viu na sua testa, certifica isso, você é uma bruxa, só que não uma comum. É como se os podores fossem intensificadas, entende? 

A rosada ficou com o olhar fixo a parede, tentando encaixar as peças, será que Mebuki era uma bruxa e escondeu da filha? 

- Merda, eu não sei explicar isso, na verdade nem seu muito sobre o assunto, sei só oque o Madara disse, sobre o losangulo chamado de Byagukou ser uma marca das "bruxas lendarias"  ou "Bruxas do Byakugou", sobre a força destrutiva, e o rápido poder de cura. 

Ela assentiu ainda olhando para a parede,  a ficha caindo.

- Você tá bem? - indagou para a namorada.

- Eu já estava tentando me acostumar com um namorado que virá um lobo e agora vou ter que acostumar que sou uma bruxa. Caraca,  a alguns meses atrás eu era só uma rejeitada sem amigos e com a vida fodida. Agora parece que estou em uma livro da Stephanny Mayer. 

O mesmo não evitou o revirar de olhos, mas sorriu. Ela lidou melhor do que ele pensou que iria.

Depois de uma meia hora, Sasuke conseguiu convencer Sakura a descer, pois Mikoto, Naruto  e Itachi que estavam na sala  estavam tão preocupados quanto ele.

A rosada foi esmagada pelos braços da matriarca dos Uchihas, e por um sermão daqueles por fugir, oque deixou o Uchiha mais novo irritado, além dela se colocar em perigo, ainda tinha contrariado a suas ordens. 

- Fico feliz que você esteja bem cunhadinha - Itachi foi outro que deu um abraço de Urso na rosada, tirando seus pés do chão- você quase morreu... mas olha pelo lado bom, se você morresse seu lugar Já estaria garantido, porque pra aguentar o Sasuke, só sendo um anjo. 

O irmão mais novo revirou os olhos com a provocação e a rosada riu.

- Não seja exagerado Itachi -  riu e se direcionou a Naruto, ganhando outro abraço- Desculpa qualquer coisa Naruto. 

- Fica tranquila Sá - soltou ele recebendo um beijo na bochecha - está tudo bem, Hinata está se recuperando. E o bebê está melhor do que nunca.

- Diga a Hinata que logo irei lhe visitar. 

O loiro assentiu.

- Agora que já vimos que a Sakura está bem, vamos almoçar, porque logo logo chega mais visita para ver ela, e vamos acabar esquecendo de almoçar. - Mikoto chamou abstenção de todos Caminhando até a cozinha.

- Comidaaa -Naruto e Itachi comemoraram juntos, deixando somente o casal pra trás. 

Sakura sentiu as mãos transpirarem, e não sabia como perguntar, e se castigava por isso. Suspirou e assentiu contigo mesma, antes de pedir, baixo, enquanto segurava a mão de Sasuke.

- Você me leva no cemitério depois? Eu quero levar flores para Neji.

E ele a  levou, Sakura presenteou todos os falecidos com uma rosa branca, e Neji com um buquê de margaridas. Mesmo com o olhar desaprovador de Sasuke, se desculpou perante todos os túmulos, mais demoradamente no de Neji. 

                            (...)

A rosada batucava a caneta no seu caderno de capa dura, enquanto observava o professor explicar, depois de conseguir uma segunda via de seus documenros, já com 20 anos, fazia a faculdade que sempre sonhou. Achou incrível a habilidade que tem por ser bruxa, inclusive até tentava treinar seus poderes com Mikoto, mas o seu desejo de ter um diploma na mão, ainda mais da profissão tão amada, não havia mudado. Iria se aperfeiçoar tanto na magia quando na ciência.

Haviam 5 meses desde a morte de Hiashi, os meses mais felizes da sua vida, meses  tranquilos, sem a sensação de que a qualquer momento um maluco viria atrás dela. Apenas vivendo o seu amor, tanto pela medicina, quanto pelo namorado mal humorado que dizia estar sendo trocados por meia dúzia de livros. Era uma vida tranquila.

Quando o professor anunciou o fim da aula e disse que iria entregar as provas na saída , a rosada guardou os poucos materiais que levava e seguiu para a porta, nervosa.

O professor Iruka procurou sua prova, fazendo o nervosismo dela aumentar. E quando ele entregou a prova, o sorriso dela aumentou. 9.0 

Estudou por madrugadas, quando chegava do bar, depois do trabalho, dormindo apenas 2 horas por dia durante 3 semanas, vivendo a base da cafeína e parecendo um zumbi. Ao menos seu esforço valeu a pena. 

Saiu saltitante da sala, caminhando até a saída da Universidade, mas ao passar pelo portao, sua felicidade quase acabou. 

Sasuke estava de carro, com o vidro aberto, o antebraço encostado na porta, como sempre quando busca a namorada , mas uma garota está claramente flertando com ele, ao lado do carro. 

Revirei os olhos caminhando até o carro, o único motivo que odiava Sasuke chegar antes que ela saisse, é que sempre tinha uma garota ali pra dar em cima dele.

A garota falava e ele não se dava nem ao trabalho de responder, apenas olhava para um ponto fixo pra frente.

- Você poderia pegar meu número... - A rosada ouviu a garota falar enquanto ela se aproximava. 

- Não vai dar querida, a namorada dele é ciumenta - Disse Sakura, chamando a atenção dos dois. 

Sasuke sorriu de lado e a menina sorriu debochada.

- E quem é a namorada dele? 

Dessa vez Sakura sorriu.

- Eu, agora com licença, se poder dar em cima do meu namorado eu agradeço.

Ela apenas assentiu e saiu com uma cara emburrada, a rosada entrou no carro batendo a porta, jogou a mochila no campo de tras do carro e escutou uma risada.

- Se você fizer uma piadinha novamente, eu vou te deixar sem sexo. - brincou, mas com o rosto sério querendo parecer emburrada.

- Só ameaça... depois você não resiste. - o Moreno sorriu de lado, começando a dirigir.

Sakura lhe olhou fazendo uma cara ofendida.

- Você fala como se eu fosse uma safada, Sasuke Uchiha. 

Ele riu, e ela não demorou para acompanhar a risada. 

O relacionamento nesses 5 meses, se tornou algo mais sólido, sem ter muitas dificuldades, sua confiança um nó outro havia aumentado e o amor crescia cada dia mais, e as brigas quase nem existiam, somente implicância causada pela intimidade criada, e para a alegria tanto de Sasuke como de Mei, há meses que Mei e Sasori não faziam gracinhas. Estava no mínimo, ótimo. 

- Quer que eu te espere? Pra irmos juntos? 

O Uchiha perguntou quando o carro se aproximava da casa de Mikoto. A Haruno negou.

- Ino está, disse que precisamos  nos "arrumar" - fez aspas com os dedos.

O Uchiha sabia que "arrumar" era um jeito de dizer que iriam fofocar enquanto cada uma se arruma.

O Uchiha assentiu e parou na frente da casa da mãe, Sakura pegou a mochila e selou rapidamente os lábios do namorado, antes de sair do carro.

- Eu vou buscar na faculdade e não ganho nem um beijo decente.- ouviu o resmungo dele e sorriu.

Quando entrou na casa encontrou Mikoto com cara de tédio enquanto Ino falava pelos cotovelos.

- Sakura, que bom que chegou - a Uchiha levantou e foi até a hora a abraçando- estou desnorteada com o tanto que Ino fala.

Sakura não conteve a risadinha com o sussuro da sogra.

- Ino, vamos lá pro quarto - chamou a loira, que em pouco tempo se tornou sua melhor amiga.

As duas foram se arrumar, enquanto Ino contava como foi a conversa com Kankuro, que agora encontrou sua marcada e está namorando, acabou perdoando o irmão e Ino.

No dia em questão, 18 de julho, toda a alcatéia iria fazer uma pequena reunião, com vários tipos de bebidas e carnes ao redor de uma fogueira, onde cada um vai escrever seu maior arrependimento em um pequeno papel e colocar para queimar na fogueira. Em um símbolo do que queria fazer difente. Parecia algo bobo, mas era uma tradição. 

Depois de prontas, Sakura e a Amiga desceram, como estava um clima frio, Sakura usava calças pretas, uma blusa de mangas preta  e um grande cardigã vermelho por cima, Já Ino optou por uma calça branca e uma blusa de mangas violetta enfeitada, que deixava um pouco a sua barriga de fora.  O clima não estava tão frio, mas a rosada constatou que iria tremer se chegasse a usar a mesma roupa que Ino. 

A rosada estava com os cabelos até os ombros estavam soltos, e levemente ondulados, depois de insistir, Ino fez com que a rosada se maquiasse, Rímel, pó, um delineado de gatinho fino nos olhos feito por Ino, e para finalizar um batom vermelho cereija nos lábios. Estava se sentindo bonita. 

O longo cabelo de Ino estava preso em um rabo de cavalo alto, e sua maquiagem era muito mais carregada, com base, pó, corretivo, delineador, rimel, iluminador, batom, mas sem sombra. 

Ambas calçavam botas, e estavam lindas. 

Encontraram com Mikoto, vestida totalmente de preto, com seus lindos cabelos sedosos soltos, e uma maquiagem básica, assim como a de Sakura. 

- Vocês estão lindas meninas - ela abraçou as duas que retribuiram o elogio- Obrigada, vamos? 

Ambas assentiram e começaram a caminhar para fora, a reunião seria perto da academia ao qual os homens se juntavam. Nenhuma das três eram mulheres fracas, então não se importaram de ir andando, mesmo com a noite já caindo.  

Conversaram o caminho todo, e perceberam que estavam perto ao escutar barulhos de falas e ver uma luz. 

O local estava cheio de gente, crianças brincando e correndo até onde os pais permitiam, adultos bebendo, as crianças que não brincavam estavam atacado a imensa mesa de gostosuras, variando de salgados e doces. 

De longe Sakura avistou Sasuke, sentado em um círculo de pessoas, homens e mulheres, todos riam e ele tinha um sorriso no canto dos lábios. 

- Eu vou atrás do meu ruivo, tchau - Ino disse já saindo.

- E eu vou procurar minha amiga - Mikoto fez o mesmo que a Yamanaka- Eii Kushina.

O que sobrou pra Sakura foi ir atrás do namorado. Caminhou pelo campo vasto, cumprimentando as pessoas que passavam por ela. Era um ambiente alegre e aconchegante. 

Assim que chegou na roda, sentou no colo de Sasuke, chamando sua atenção, ela riu e ele passou as mãos pela sua barriga, a abraçando por trás, cheirou seu pescoço antes de dizer.

- Você está muito linda. 

Nos últimos meses já estava acostumada com os elogios do Uchiha, os adorava tanto que muitas vezes se arrumava apenas para receber-los.

- E você não está nada mal.

Riu, ele ainda vestia uma calça surrada escura, uma camisa preta e uma jaqueta de couro da mesma cor.

- Vejam se não é a senhora Alpha - Disse Suiguetsu claramente alterado, ele se aproximou e beijou a mão da Haruno que riu- ao seu dispor vossa majestade.

Sasuke revirou os olhos, mas não disse nada, não adiantava dizer nada a Suiguetsu e já estava claro que a noiva Karin iria fazer isso por ele. 

Olhando ao redor  Sakura viu Hinata ao lado de Naruto, na mesa, enquanto tinha um beijinho em uma mão e um brigadeiro na outra, a Hyuuga abanou com o docinho na mão quando viu que a rosada lhe olhava. A barriga já estava enorme e ela estava para ganhar Boruto a qualquer momento, mas contrariava Naruto e saia para passear, principalmente para pevar flores ao tumulo de Neji a única pessoa que lhe colocava na linha era Kushina, que batia o pé até a morena desistir.

Sakura tomou o copo de Sasuke bebeu um gole, sorriu ao constatar que era cerveja e continuou bebendo enquanto Suiguetsu contava piadas péssimas, que para  ela, eram super engraçadas.

- Eu estou levando você pro mal caminho- estremeceu quando a voz rouca e grossa disse no seu ouvido. 

Bebeu mais um gole da cerveja que já estava acabando. Tentando disfarçar o arrepio que entrou.

- Você é o próprio mal caminho, Uchiha.

Ele Riu, verdadeiramente do modo sério em que ela falou. 

E a festa foi rolando em um clima de paz e alegria, quando chegarem era 20hrs e agora já se passava das 23hrs, a maioria das crianças já dormiam, e os adultos enfiam a cara. Menos Sakura e Hinata que atacavam a mesa dos doces e salgados.

Sentiu braços rodearam a sua cintura, e sorriu. Reconhecia aquele toque, o toque de Sasuke.

- Voce já escreveu seu arrependimento no papel e colocou na fogueira? - ele perguntou e ela negou com a cabeça- vá fazer isso, eu preciso te levar em um lugar. 

- Aonde vamos? -perguntou olhando pelo canto do olho para o Moreno.

- É surpresa -a soltou com um pequeno sorriso no rpsto-o agora vá logo. 

E foi oque ela fez, pegou um papel rosa e escreveu o seu maior arrependimento, e depois de colocá-lo na enorme fogueira, se despediu de todos, recebendo um olhar malicioso de Ino quando foi dizer que estava indo embora com Sasuke, ignorou e o encontrou falando com Naruto, uma cerveja na mão encostado na parede da academia. 

- vamos Uchiha? - chamou.

O Uchiha assentiu indo ate ela eUzumaki riu.

- Já está domado assim, Uchiha? -gritou e as pessoas que estavam próximas soltaram risinhos.

- Se você não quiser levar um soco, vai calar a boca - Disse o Moreno em tom de ameaçada, mas estava brincando.

De mãos dadas, ambos caminharam até o carro do Uchiha, ele sentou no banco do motorista e a rosada no do carona. 

- Pode me falar onde vamos agora? 

Ela perguntou assim que ele começou a dirigir.

- Falei que é surpresa -olhou para a face emburrada dela de canto de olho- relaxa, acho que você vai gostar.

Ela assentiu e deitou a cabeça no banco do carro, olhando para o caminho escuro. Depois de poucos minutos a voz dele soou.

- Oque você escreveu no papel? 

Perguntou com os olhos ainda nas ruas escuras. E ela desviou os olhos para ele.

- Que meu maior arrependimento é não ter fugido antes de Hiashi e você?

- Não escrevi nada.

- Nada?

- Eu não tenho arrependimentos Sakura, tudo que eu fiz na minha vida foi preciso para que eu estivesse aqui nesse momento, feliz. Então não me arrependo de nada.

Ela sorriu mas não disse nada, no fundo, pensava que talvez, se tivesse fugido de Hiashi antes, não teria encontrado Sasuke e nem metade das pessoas que fazem parte da sua vida hoje. 

Não demorou mais que dez minutos para Sasuke estacionar, na frente de uma casa, grande, pintada de marrom, Sakura julgou ser menor que a casa de Mikoto, e parecia igual a de Itachi.

- Oque estamos fazendo aqui? - perguntou assim que desceu do carro.

Sasuke fechou a porta do carro, nervoso, pegou na mão de Sakura, sem dizer nada ele a guiou até a porta, tirou uma chave do bolso e abriu a porta.

Ela olhou confusa pra ele mas entrou.

- De quem é essa casa Sasuke? 

Seu olhar passou por toda a casa, por dentro ela era mais Bonita que por fora, tinha uma sala ampla, com poucos móveis, uma porta de vidro que  dava visão  para a cozinha, também tinha uma escada que provavelmente dava acesso para os quartos. Não era enorme, mas aconchegante.

- É minha, mas se você quiser ela pode ser nossa - ela arregalou os olhos surpresa e olhou para ele- Ja está na hora de eu sair da casa da minha mãe e eu não tenho dúvidas que te quero comigo até o fim da minha vida, todos os dias, acordar todos os dias do seu lado, mesmo eu já fazendo isso, e quero... construir uma família construir uma família com você. . Oque você acha, quer vim morrer aqui comigo? 

Ela deu um sorriso largo, oque aliviou um pouco o nervosismo do homem.

- Isso é um pedido de casamento? 

- Você sabe que não me importo com rolutos, mas quero você comigo, como minha mulher, perante a todos. Então... isso é a porra de um pedido de casamento.

Enlaçou seus braços no pescoço másculo e selou seus lábios antes de responder.

- É claro que eu aceito a "porra" do seu pedido grosseiro - Ironizou rindo. 

Dessa vez ele deu um sorriso, um sorriso lindo, antes de beija-lá.

Um beijo lento, amoroso, cheio de sentimentos, transmitindo a felicidade que ambos estavam sentindo, os corações acelerados .

Sakura se sentiu mais feliz que nunca, o príncipe que ela sempre leu nos livros realmente existia, um pouco grosseiro, bipolar, mas extremamente apaixonado e protetor. 

Com o beijo esquentando cada vez mais, quando a rosada percebeu já estava contra a parede gelada, com as mãos grande de Sasuke apertando seu corpo contra ele, e os lábios grudados. Tirou a jaqueta do Uchiha, antes de arrancar a sua camisa e passar as unhas pelas costas masculas. Ele riu e Sussurou.

- Eu disse que você não resiste.

Ela rosnou.


-  Cala a boca e me beija.


Notas Finais


Entao meninas, capítulo com gostinho de final né?
Mas não é o final ainda, falta algumas coisitas para acontecer.
Nem demorei dessa vez. Capítulo grande e feito com carinho. Espero que gostem sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...