1. Spirit Fanfics >
  2. Minha Salvação >
  3. Capítulo LXVI - Nunca me deixe ir

História Minha Salvação - Capítulo 66


Escrita por:


Notas do Autor


Oieeee galera! ❤ Como vocês estão? Bem? Espero que sim!

Não vou demorar muito aqui no começo, pra vocês lerem logo kkk lá em baixo conversamos rs

Boa leitura e até as notas finais!

Capítulo 66 - Capítulo LXVI - Nunca me deixe ir


O silêncio se seguiu brevemente após o último disparo dado por Christa, a garota de cabelos loiros abaixou a arma podendo finalmente olhar para as amigas ao longe que permaneciam paralisadas no mesmo lugar enquanto a encaravam desacreditadas.

Nenhumas delas pensou que seriam salvas, muito menos por duas pessoas que até então pensaram ter morrido junto a explosão da mansão. 

- Vocês estão bem? - Christa perguntou ao se aproximarem das garotas, ajoelhando-se em frente a Rico e Annie que possuíam os orbes marejados ao fitar a amiga de perto - Minha nossa Rico, seu braço... - Observou a faixa improvisada, notando o quão terrível estava o ferimento da mais velha - Precisamos levar você até a Hanji, você precisa de cuidados e descansar, perdeu muito sangue. - Falou preocupada, voltando a encarar ambas que continuavam estáticas no mesmo lugar - Meninas?

- Pensamos que estavam mortos... - Annie disse com a voz embargada - Pensamos que nunca mais a veríamos...

- Eu sei... eu também pensei que não iria mais ver vocês... - Christa confessou chorosa, recebendo um abraço de Annie, retribuindo imediatamente.

Pensou que nunca mais poderia abraçar seus amigos, vê-los, ouvi-los. Se não tivesse chegado a tempo para impedir os capangas, agora estaria chorando sobre os corpos delas. 

Quase as perdeu.

- Cadê a... - Mikasa que se encontrava um pouco atrás disse, fitando o Ackerman que até então permanecia parado em silêncio - Levi... - Chamou-o, tendo agora o olhar cinza sobre os seus - Cadê a Ymr? - Perguntou deixando transparecer o tremor em sua voz.

A expressão do mais velho não mudará, mas pode notar seu olhar mudar. Como se sentisse tristeza ao ouvir tal nome, e soube que aquela era a resposta para sua pergunta. Não precisou de mais nenhuma palavra para saber.

Ymr havia morrido. 

- Eu sinto muito. - Levi disse, desviando o olhar para a mansão ainda em chamas.

Haviam conseguido sair, mas isso não significava que não haviam perdido algo. Pois haviam e a dor ainda estava presente em cada segundo. Mikasa olhou Christa que era abraçada por Rico e por Annie, e soube que a garota não só chorava pelo reencontro, mas também pela perda da amada. 

Como era perder aquele que mais amava? Não saberia responder essa pergunta, mas sabia como era ver quem amava correr perigo e quase morrer diante de si. Conhecia bem esse medo.

- Pegaram o Eren... - Disse, limpando uma lágrima, tentando se recompor pois ainda não havia acabado. 

Ainda tinham uma luta pela frente. Eren ainda não estava a salvo.

- Eu sei. - Levi fechou os olhos, soltando o ar devagar tentando manter sua cabeça em ordem. 

O Ackerman não havia se ferido na explosão, quando aconteceu já estavam dentro dos túneis à caminho da saída. Felizmente tiveram tempo de procurar um dos esconderijos de Rico entre as escadas e poderem pegar duas armas e um telefone, era arriscado, mas sem tais coisas não teriam chance nenhuma de se manterem vivos. Tudo se explodiu junto a mansão, exeto o celular que pegou. Precisava dele para contatar seus antigos colegas da máfia, pediria alguns favores à eles para chegar até Zeke e acabar de uma vez por todas com isso. Não tinha escolha, precisava salvar Eren antes que Zeke o matasse, antes que fosse tarde demais. 

Pegou o celular do bolso, discando um número que a tempos não ligava sendo acompanhado pelos olhares das garotas.

Precisava da ajuda dela, e não demorou muito para ouvir a voz tão conhecida.

- Nanaba, preciso de um favor.

¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤

Flash Back On

- Está acordado? - Ouviu a voz rouca e aveludada tão conhecida próximo ao seu ouvido, abrindo um sorriso ao sentir um arrepio passar por sua nuca.

Amava aquela sensação.

- Agora estou. - Respondeu sendo abraçado pelos braços fortes. - Perdeu o sono?

-Hum hum...

Eren suspirou sabendo que o Ackerman tinha pesadelos recorrentes e apesar de sempre insistir, o mesmo nunca lhe contava o que sonhava. Contudo, deduzia que era algo ruim. 

Virou-se para frente do mesmo, podendo visualizar as esferas cinzentas como tempestades, amava ficar olhando para ele, era como admirar uma obra de arte. Os cabelos negros estavam bagunçadas, e seu rosto sonolento, mas continuava o homem mais lindo que já viu. 

Era apaixonado por ele.

- Não quer me contar o que sonhou dessa vez? - Perguntou recebendo um aceno negando.

O moreno puxou o mais velho para um abraço, deixando Levi afundar a cabeça no seu peito enquanto acariciava as costas do mesmo fitando a janela do quarto. A lua era linda do lado de fora, iluminava a noite de forma singela. Amava admirar a beleza da noite. Levi também gostava. 

- O que você tanto sonha meu amor? - Perguntou, se afastando um pouco para encarar o Ackerman após alguns minutos - O que é tão ruim que você não quer me contar?

- Eren...

- Eu só quero saber, porque não acho justo você lidar com isso sozinho. Por favor. - Pediu notando a hesitação do mais velho.

- Eu... - Levi suspirou, olhando para as esferas esverdeadas com receio, desviando o olhar para a janela antes de prosseguir - Eu sonho com você morrendo Eren. - Falou fazendo o moreno se surpreender por um instante com o que ouvirá, não pensou que o sonho que mexia tanto com o namorado fosse aquele, agora entendia suas reações pois se sonhasse o mesmo também as teria.

- Como é o sonho? - Perguntou, agora tendo os olhos de Levi lhe encarando e pode notar o medo neles.

- Estou em um lugar escuro, frio e muito quieto, eu tento andar mas é como se eu continuasse parado no mesmo lugar, nada muda ao meu redor, continuo com a sensação de estar perdido e sozinho. Mas então eu ouço uma voz me chamar e quando olho ao longe...- Houve uma pausa e o jovem soube que o mais velho estava recordando - Você está lá. Chamando por mim e me procurando, e a sensação de estar sozinho vai embora e me sinto bem, como se encontrasse esperança em você. Então eu respondo, digo: "Eu estou aqui Eren", mas por alguma razão você não me ouve. E de repente alguém aparece atrás de você. Eu não consigo ver o rosto e eu tento te avisar, correr até você, mas ele aponta uma arma na sua direção e atira...e...e você cai no chão. Eu grito, e corro, meu deus como eu corro, mas quando eu chego ele sumiu, e você já está...já está morto. - Levi soltou o ar devagar, lembrando do desespero que sentia no sonho. Parecia tão real. - Eu pego você nos meus braços, chamo por você, mas não adianta...você se foi...e a sensação de estar perdido e sozinho volta de novo.

O silêncio se instalou no quarto por alguns segundos, o dono dos orbes verdes não havia ficado surpreso com o que o Ackerman contará, mas triste por saber que o mesmo vivia aquele sonho diversas vezes. 

- Levi... - Tocou no rosto do mais velho, encarando seus olhos cinzentos - Eu estou aqui e nunca vou embora. Nunca meu amor. - Beijou-lhe a testa, limpando uma lagrima silenciosa que escorreu pelo rosto do homem que tanto amava - É só um sonho, não vou a lugar nenhum. E sabe como sei disso? Porque fomos feitos um para o outro, e vamos viver juntos para sempre. Eu amo você Levi, amo cada parte sua e você é tudo que eu sempre quis. Você consegue ver um futuro comigo? Porque isso é tudo que vejo agora. 

- Eu vejo um futuro ao seu lado desde a primeira vez que pus os olhos em você Eren. - Confessou recebendo um sorriso do moreno e em seguida um selar de lábios - Você me fez te amar, e essa deve ser a maior coisa que meu coração já foi digno de fazer.

Eren sorriu de canto, sabendo que não importava o que fosse, se tivesse Levi ao seu lado tudo estaria bem.

Flash Back Off

Aos poucos sua consciência voltava e aquela lembrança se tornava distante, sentiu uma terrível dor em seu pescoço lhe obrigando a querer mexer-se, mas algo lhe impedia. 

Suas mãos estavam amarradas e presas, impossibilitando que as movimentasse, o que foi suficiente para colocar o moreno em um estado de alerta. Abriu os olhos tentando focar sua visão no lugar em que estava, "Que lugar é esse?", se perguntava a medida que visualizava com mais clareza o ambiente ao seu redor. Era uma cela, mas havia algo de familiar nela...

Não. Não poderia ser verdade. 

"Não...não é possível que seja o...".

Um arrepio passou por sua espinha ao conseguir recordar com nitidez onde se encontrava.

Era uma cela, mas não em qualquer cela. Era na mesma onde Zeke o prendeu por anos quando criança. A mesma onde seus amigos foram mortos anos atrás. O mesmo lugar onde era o cenário de todos seus pesadelos. 

Acreditava que estava tendo um sonho, que sua mente estava lhe pregando uma peça, não podia ter voltado para aquele lugar. Apesar de todos aqueles anos longe, ainda se lembrava de cada detalhe. O tamanho, a cor das paredes sem vida, o barulho que a porta fazia ao abrir, o som dos passos do lado de fora, até mesmo o cheiro que somente aquele lugar tinha.

O último lugar na terra que gostaria de voltar.

Eren fechou os olhos tentando acalmar o turbilhão de pensamentos que vinham, se recordando o que de fato havia acontecido. Pieck lhe drogou. E depois disso, tudo virou uma escuridão, e só se recordava de uma voz de gritando seu nome enquanto perdia a consciência completamente.

"Mikasa...", involuntariamente seus orbes ficaram marejados e a dor se apossou de si. Pieck havia lhe enganado, mentido. A mulher nunca deixaria suas amigas irem embora, foi tolo de pensar que a mesma teria misericórdia. A máfia não deixava sobreviventes, muito menos Zeke. Como pode ser tão burro? Agora elas estavam mortas por sua causa.

"Annie...Rico...Mika...vocês não podem ter morrido...não podem...não podem...". Tentou se soltar das algemas que prendiam seus pulsos, mas só serviu para os machucar. Queria correr, queria se libertar daquela dor agonizante que o matava. Sua mente não queria acreditar que realmente as perderá, não queria sequer imaginar tal cena, seu único desejo era que tudo acabasse e pudesse ter um mínimo de paz.

Sentiu falta de ar, pensou estar morrendo.

A dor.

Aquela dor que sentiu quando sua mãe morrerá nunca foi embora, só voltava em formas diferentes.

Hannah.

Rico.

Ymr.

Christa.

Mikasa.

Annie.

Levi...

Todos haviam morrido. 

Tinha perdido todos. 

Todos que amava. 

Quem garantiria que seu irmão não havia encontrado Jean, Armin ou Hanji? Talvez essa era a verdade cruel, nenhum deles havia sobrevivido. 

Estava sozinho.

Queria gritar, mas os soluços tiravam sua voz. 

"Não posso...não posso ter perdido eles...", sua raiva fez com que começasse a forçar as algemas que mutilava seus pulsos. Gotas de sangue começaram a pingar no chão da cela, escorrendo pelo braço do moreno que por mais que aquilo doesse, não era pior do que a dor emocional. 

Nada seria pior do que isso. 

Não soube quanto tempo passou fazendo força contra o metal, mas só parou quando as forças lhe esgotaram. Suor pingava do seu rosto junto com as lágrimas, seus pulsos estavam totalmente dilacerados, sangue manchava suas roupas e marcava sua pele. Tentava regular a respiração, mas era impossível, a dor voltava novamente lhe sufocando.

Queria sair dali e ir atrás do seu irmão, queria o matar mesmo que tivesse que perder uma das mãos pra isso.

Iria voltar a se machucar contra as algemas de novo mas ouviu um barulho do lado de fora chamando sua atenção. Primeiro foram passos e depois duas vozes, em seguida a porta da cela foi aberta revelando Pieck com seus olhos felinos sobre o jovem que a encarava com ódio.

- Pelo visto já se deu conta do que aconteceu. - A voz ressoava em um tom de maldade, adentrando no lugar com um mínimo sorriso surgindo - Minha nossa Eren, está tentando se soltar desse jeito? Perdendo as mãos? - Deu risada, parando poucos metros do garoto observando o estrago que o mais novo fizera nos pulsos  - Não se preocupe, elas não sofreram nadinha, meus homens cuidaram disso com rapidez eu garanto. Diferente claro do seu amado Levi, deve ser horrível morrer queimado em uma explosão.

- Cala a boca. - Falou sentindo raiva em cada parte do seu corpo e se não fosse as algemas lhe prendendo, a mataria ali mesmo.

- Não sei porque está com raiva de mim, a culpa foi sua por ter chegado a esse ponto. - Pieck se agachou ficando na mesma altura do moreno, sorrindo de canto - Se eu fosse você, começaria a me preocupar com você e em todas as coisas que seu irmão irá fazer com você. Sabe são muitos anos de saudade, ele deve ter vários planos em mente. - Esperou por uma resposta vinda do mesmo, mas só recebeu o silêncio e os orbes verdes lhe fuzilando - Já entendi, você não se importa mais, não é? 

Era uma pergunta retórica. Ela sabia a resposta. 

- Tudo bem. - Levantou-se, em seguida dois homens entraram na cela indo em sua direção.

Pensou que os mesmos iriam lhe drogar de novo, mas só tiraram as algemas do ferro que as prendia na parede, o levantando com brutalidade lhe obrigando a andar pra fora da cela.

- Vamos começar com isso logo Eren. 

¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤

Flash back On

- Você quer um? - Levi perguntou para o moreno ao pararem em frente a uma das barracas do parque de diversões.

- Você ainda pergunta? - Brincou com um sorriso puxando a mão do Ackerman para se aproximarem, olhando todos os prêmios que poderiam ganhar caso acertassem os alvos, tendo um lhe chamando atenção - Quero aquele. - Apontou para o maior urso da barraca, fazendo o mais velho sorrir divertido.

- Quero uma ficha, por favor. - Pediu, entregando o dinheiro para o senhor mau humorado que lhe deu a arma de brinquedo de má vontade e pode notar o deboche no sorriso do mesmo com seu pedido.

- Uma só? - Eren questionou confuso, fitando os alvos e depois o namorado.

- Porque? Acha que eu não consigo ganhar de primeira? -  Retrucou, ajeitando a arma de brinquedo e se posicionando da melhor forma para mirar nos objetos.

E para surpresa de Eren e nenhuma do Ackerman, o mesmo acertou todos os dez alvos de primeira, não errando nenhum sequer deixando um casal que aguardavam na fila atrás, admirados e boquiabertos. Até mesmo o senhor mau humorado parecia mudar sua cara de tédio para surpresa, o que fez o dono dos orbes cinzas o fitar com ironia colocando a arma em cima do balcão.

- Como o senhor ouviu antes, meu namorado quer o urso maior. - Sua fala soou mais como uma ordem do que como um pedido.

Eren abriu um pequeno sorriso sentindo orgulho do homem que namorava, fitando a mulher por cima do ombro que estava na fila atrás de si, e pode perceber a inveja que a mesma sentia e a frustração por saber que o parceiro provavelmente não conseguiria o mesmo feito do Ackerman. 

- Aqui. - Levi entregou o grande urso para o jovem dos orbes verdes que abriu um dos sorrisos mais lindos que o mais velho já vira.

Era aquele sorriso que era apaixonado.

Voltaram a caminhar se afastando um pouco da multidão do parque, era primavera na Austrália e o céu se encontrava estrelado naquela noite. O som dos grilos ressoavam em seus ouvidos, e o cheiro de grama lhes trazia algum conforto nostálgico. Sentaram-se no banco, com Eren abraçando o urso como se fosse um tesouro em seus braços, deixando Levi com vontade de rir.

- Você gostou? - Perguntou, mas já sabendo a resposta que viria. 

- Claro que gostei! Obrigado, meu amor. - Selou os lábios alguns segundos no do menor, se ajeitando no banco - Aliás, onde você aprendeu atirar daquele jeito? 

- Meu tio gostava de caçar, e me ensinou depois que fui morar com ele após a morte dos meus pais. - Não era totalmente mentira, a única diferença era que Kenny matava pessoas em vez de animais de caça, mas essa parte não podia contar.

- Ele ainda está vivo? Seu tio. - Eren havia prometido à si mesmo que evitaria perguntas ao Ackerman, justamente para que o mesmo não começasse a lhe perguntar coisas que não poderia responder no momento, mas a curiosidade era maior naquela hora.

- Eu não tenho mais notícias dele desde que me mudei para a Suíça. - Disse sumariamente, doía ter que mentir de novo para o mais novo, mais ainda não era à hora de contar para ele toda a verdade.

- Você sente falta dele? - Quis saber, temendo estar sendo curioso demais e invadindo a privacidade do mais velho.

- Sinceramente? Nem um pouco, ele não foi um bom exemplo para mim em absolutamente nada, me ensinou a ser forte, a não ter medo e a enfrentar tudo que vier de frente, mas tirando isso só consigo lembrar dos maus momentos com ele. - Falou sério, mas abrindo um pequeno sorriso nostálgico em seguida - Do que eu realmente sinto falta é de Paris. Eu amo aquela cidade, os lugares, as praças, os campos, a comida, a ponte...eu corria nela todos os dias, depois ia tomar café na minha cafetaria preferida que dava para ver perfeitamente a torre Eiffel. Era o único momento que eu sentia paz de verdade. 

Eren pode notar nos olhos acinzentados a saudade, Levi sentia saudade daquele lugar, talvez não entendesse ele perfeitamente. Nunca teve um lugar que chamasse de lar, nunca teve um lugar para o qual voltar de fato, mas sabia o quão era importante para o Ackerman.

- Eu quero ir um dia. - Eren falou após alguns segundos em silêncio, trazendo a atenção do Ackerman para si - Quero um dia ir para Paris, conhecer o lugar em que você cresceu e viveu grande parte da sua vida. Conhecer seus lugares favoritos, sua casa, a dos seus pais, a ponte, a cafetaria, tudo. Quero conhecer você por inteiro Levi.

- E se não gostar do que descobrir? - Não podia ignorar essa dúvida que surgiu em sua mente. 

Temia pelo dia que Eren descobrisse a verdade sobre si.

- Isso seria impossível, eu amo tudo em você. Lembra do dia em que pedidos um ao outro em namoro na praia no meu aniversário? - Levi concordou em silêncio - E eu havia dito que você era a minha salvação, que eu estava me sentindo morto por dentro e que você me salvou? Ainda é essa sensação. Nunca me esquecerei do dia em que te vi pela primeira vez aqui na Austrália, apesar de toda a minha reação negativa, naquele primeiro instante quando nossos olhares se cruzaram tive a mesma sensação. Era como se eu saísse de casa em um dia nublado e de repente o sol se abrisse, porque é você Levi, sempre foi você. Antes de te conhecer eu estava vivo somente pela metade, você me trouxe um estado de alegria e paz que eu nunca almejei em conquistar, você é tudo que torna o meu mundo bom, e sem você minha vida existiria, mas só. Se um dia eu tive uma alma acho que deixei uma parte dela com você, porque o único momento que me sinto completo é quando estou ao teu lado. Eu quero tudo com você. Quero os feriados e os aniversários, as épocas corridas e os finais de semanas preguiçosos, quero piadas internas e brigas e todo o resto. Quero uma vida com você, e não vou deixar que outra pessoa, outro destino, outros planos me impeçam de amar você, estar com você e construir um futuro com você, porque você é minha vida. Estar aqui com você aqui e agora é a coisa mais maravilhosa que poderia acontecer, e isso nem se compara ao futuro maravilhoso que iremos ter juntos. Não importa o que aconteça, meu amor por você nunca vai morrer.

Levi não precisou ouvir mais nada, simplesmente puxou o jovem para um beijo que mostrava tudo que sentiu ao ouvir aquelas palavras. 

Uma alegria imensurável.

Era simples: Eren era tudo para si, e se um dia negasse isso poderia parar de respirar imediatamente. 

Flash Back Off

É tão raro encontrar alguém que traz luz a sua existência, quando tudo só são sombras e escuridão. Quando se pega sorrindo mesmo sabendo que deveria estar aos soluços. O coração se aquece pela simples presença do outro, dando cor ao mundo, significado a vida. Alguém que lhe faça se sentir amado e querido, alguém que desperte em você o desejo de ser uma pessoa melhor. Esse tipo de amor é o mais raro e puro de todos, nunca pensou em toda sua vida que iria encontrar alguém que pudesse amá-lo sabendo dos seus crimes, mas Eren o amou. Todos os dias, depois de tudo, o amou e a idade de perdê-lo era irreal.

Não podia viver sem ele.

- Levi? - Uma voz chamou seu nome, lhe trazendo para a realidade. Era Mikasa. - Chegamos. - A asiática avisou, fitando o rosto inexpressivo do mais velho.

O  Ackerman suspirou, não notando que havia estacionado o carro em frente a antiga casa de Hannah. Seus pensamentos estavam bagunçadas demais para sequer perceber onde estava. Respirou fundo tentando manter a calma lembrando da conversa que tivera com Nanaba no telefone minutos atrás.

A loira não demorou para entender seu plano: Precisava de armas, homens e o lugar em que Zeke levará Eren. Nanaba podia muito bem o ajudar com a parte da localização, entretando com o restante teria que pedir favores para outros colegas da máfia. E foi o que fez, ligou para Millius Zermusky, o homem era dono de várias fábricas de armas por toda a Europa, claramente sua ajuda viria a calhar, e por mais que Millius não se metesse em assuntos daquele porte, aceitou ajudar. Segundo ele, Zeke era um problema em seus negócios a muito tempo e seria um alívio não ter mais ele em seus planos. Por último telefonou para Mitabi Jernach, assim como Levi o homem também era francês. Diferente dos outros Mitabi lhe devia um favor de anos atrás, e agora chegou a hora de cobrar, queria homens para que conseguisse entrar onde Zeke estaria, tirar Eren de lá com vida e acabar de uma vez com o Jaeger mais velho. Mitabi possuía muita influência e obviamente que não recusou seu pedido, mandaria seus homens da Rússia o ajudar nessa parte.

Agora somente precisava que Nanaba encontrasse Zeke e lhe desse o endereço, para mandar todos para o mesmo lugar e acabar de vez com tudo aquilo. 

Porém, temia que Eren talvez não tivesse tanto tempo assim. 

Saíram do carro, Annie e Mikasa ajudaram Rico a ficar em pé para andarem até a casa, precisavam contar o que aconteceu a Hanji, Armin e Jean. Contar que Ymr não havia sobrevivido e que agora Eren havia sido levado pelo irmão, além do plano para o salvar. Contudo, assim que abriram a porta e adentraram na casa se assustaram, pois os moveis velhos estavam totalmente quebrados e jogados pelo corredor. O coração do Ackerman disparou e somente um pensamento passava por sua cabeça: Zeke os achou naquela casa, e isso significava que Hanji, Armin e Jean podiam estar...

Seu único instinto foi gritar o nome de Hanji, e correr até a sala de estar. Esperava o pior, imaginava que encontraria todos mortos com um tiro em suas cabeças, mas parou na entrada do cômodo ao encontrar Jean amarrado em uma cadeira com uma amordaçada lhe impedindo de falar. Não esperou um segundo sequer para ir até o jovem que o fitava com os orbes marejados, tentando se soltar das cordas.

- Jean! Meu Deus! - Annie adentrou na sala junto Mikasa e Rico atrás, todas estavam assustadas - Você está bem? O que...

- Eles o levaram. - Foi o que falou assim tivera sua boca livre, sua respiração estava ofegante e trêmula, talvez de medo ou raiva, não dava pra saber.

- O que? - Mikasa encarou o amigo, que respirou fundo como se tentasse processar o que havia acontecido - Jean...

- O Zeke estava aqui! Ele nos achou, ele levou o Armin e a Hanji! 


Notas Finais


E aí meu povo, gostaram? Por favor comentem suas opiniões e o que acham do destino da fanfic kkk amo ler suas suposições pro próximo capitulo ❤

Primeiramente quero me desculpar pela demora do capítulo, como sempre o meu tempo está escasso, mas o principal motivo foi a falta de criatividade. Tive um bloqueio criativo horroroso que durou duas semanas gente, sério, entrei em desespero porque eu tinha idéias mas não conseguia desenvolver elas. Mas graças aos céus agora estou voltando ao normal haha Aliás com isso entro no maior assunto da semana, o Corona Vírus, meu estágio foi suspenso durante essa semana, e vocês? Também estão sem aulas, suspensos do trabalho? Eu realmente fico preocupada, então se cuidem galerinha, lavem as mãos, evitem lugares cheios, e tomem as medidas de profilaxia!

Quero agradecer aos novos favoritos, quem comentou o capítulo passado, isso incentiva muito, obrigada pelos elogios e por ainda estarem aqui comigo mesmo com essa demora kkk Obrigada de verdade ❤

Enfim, vejo vocês nos comentários? Obrigada pra quem leu até aqui, até o próximo! Beijos de unicórnio 😚❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...