1. Spirit Fanfics >
  2. Minha secretária >
  3. Capítulo 6 - O Primeiro Beijo

História Minha secretária - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Primeiramente, desculpa pela demora do capítulo novo, é que eu tinha sofrido um acidente e não pude continuar mas eu volteeeei😆😆😆

Capítulo 6 - Capítulo 6 - O Primeiro Beijo


Fanfic / Fanfiction Minha secretária - Capítulo 6 - Capítulo 6 - O Primeiro Beijo

POV Meliodas


Está eu aqui dirigindo o carro e Elizabeth contando animada como conheceu suas amigas.


Apenas sorrio e digo:


— Eu fico admirado no quanto você fala bem das suas amigas.


— É. Elas são tudo pra mim — diz sorrindo — Você, tem alguém especial? Além da sua família, é claro.


Com a sua pergunta eu me perco em meus pensamentos. Eu tenho alguém especial?


É, Sir- quer dizer, Meliodas, tudo bem? — ela me pergunta preocupada.


— Ah Oi, ta tudo bem sim!


— É que você pareceu triste com algo... Acho que não deveria ter perguntado isso... — ela fala arrependida.


— Não Elizabeth! Tudo bem, eu também perguntei da sua mãe, né — sorri meigo — Se quisermos ter uma relação, precisamos saber um da vida do outro.


— R-Relação?! — fala surpresa. 


— Oque foi? — pergunto confuso — Você acha que eu iria te convidar só pra te paquerar e te levar pra cama?


Ela assente com a cabeça e paro o carro bruscamente.


— Elizabeth, desde que eu te conheci eu gostei- não, eu me apaixonei por você. Eu te chamei pra jantar, porque eu quero ter esse passo com você, e saber se você sente o mesmo por mim. Eu quero contar a minha vida pra você. Quero que saiba que eu largo tudo, herança, carro, moto, apartamentos, dinheiro, tudo! Praticamente tudo, por você — encaro seus olhos azuis hipnotizantes.


Ela me olha perplexa.


Acho que dei esse passo muito rápido.


Penso e vejo ela sorrir.


— Eu também gostei de você desde a primeira vez que te vi Meliodas. E esse sentimento é algo que eu jamais senti por alguém.


— Fico feliz!  — digo animado — Espero te fazer feliz, Elizabeth.


— Você já me faz Meliodas — ela dá um sorriso gentil.


Sorrio e ligo o carro novamente dando partida ao restaurante.


POV King


*Toc*
*Toc*


Bato duas vezes na porta.


Aé eu vim aqui buscar a Diane pois ela vai na minha casa.
Depois de uns segundos a porta é aberta pela minha morena de Marias chiquinhas


— King! — ela me abraça — Já está atrasado dois minutos! — ela diz após me soltar


— Si-Sinto muito Diane. Eu sei que não se deve deixar uma dama esperando — falo nervoso e ela muda totalmente a feição de irritada.


—Tudo bem! — ela sorri gentil — Tá aqui ó! — ela joga um monte de malas em cima de mim.


Com esse ato, quase caio no chão.


— Diane, você só vai passar dois dias lá e não um ano! — digo tentando me equilíbrar para não cair.


— Deixa de exagero King! Vamos logo! — ela pega a minha mão me puxando rapidamente.


— Di-Diane! As coisas vão cair! — falo desesperado tentando olhar á minha frente.


— Só não derrubar tudo! — ela diz. Como se fosse fácil!” penso emburrado.


Entramos no elevador e descemos ao estacionamento.


Quebra de tempo


Chegamos em casa e subir com as coisas dela pra deixar no meu quarto.
Quando deixo tudo lá, desço vendo a morena me olhando enquanto desço as escadas.


— Diane — falo seu nome e me sento do seu lado no sofá — Não que eu não tenha gostado de você ter vindo aqui, mas por que isso derrepente? — pergunto curioso. Afinal, a Diane e eu sempre combinamos o dia dela vim aqui.


— É que a Merlin pediu pra ficar asós com o boy dela! — ela se deita no meu colo.


— O Arthur tá podendo hein — sorrio malandro.


Como assim o Arthur tá podendo?... — escuto a voz macabra da Diane. Ela só faz essa voz quando está com ciúmes.


— DI-DIANE!! — grito assustado e dou um pulo do sofá vendo aqueles olhos roxos me encarando com muita, MUITA raiva.


— Eu disse de um jeito respeitoso! Acredita em mim! — me ajoelho com as mãos juntas em forma de desculpa.


Ela suaviza a feição e seu sorriso gentil aparece.


— Claro que eu acredito em você! Só estava brincando — ela diz sorrindo.


— Se esse for o seu jeito de brincar, nunca mais brinco com você! — digo emburrado.


— Ah, vem cá vem! — ela pega minha cabeça e abraça em seus seios grandes.


— Di-Diane — falo como um pimentão. Só ela tem esse poder pra me deixar assim — Va-Vamos co-comer algo?...


— Claro! Estou morrendo de fome! — ela corre até a cozinha abrindo a geladeira —  Cadê as pizzas?!


— Você se esqueceu que nem combinamos isso?


— Ah é mesmo! Que tal pedir uma agora? — ela pega o celular e me dá.


— Claro — sorrio pegando o celular e ligo para a pizzaria que pedimos sempre.


Uma hora e meia se passa e a porta é batida.


— Já vai! — digo e em seguida abro a porta vendo o entregador com a caixa de pizza na mão.


— Aqui está a sua pizza senhor King — ele diz e me entrega a pizza.


— Obrigado — sorrio educado — Só um minuto — digo levando a pizza a mesa e volto a Atendê-lo — Aqui está — entrego o dinheiro e ele vai embora e fecho a porta.


— Queijo, Calabresa e catupiry — Diane fala lambendo os lábios — Vamos atacar!


Sorrio alto com seu comentário e comemos a pizza.


POV Elizabeth


Chegamos no restaurante que o Meliodas havia dito e nossa! É muita chique por sinal. Ele para o carro e desce fechando a porta em seguida e vem do meu lado e abre a porta para eu sair.


Saio do carro e ele fecha a porta a trancando em seguida.
Ficamos nos encarando por uns segundos e eu olhando aqueles olhos esmeraldinos.


— Você vai gostar muito do restaurante, Elizabeth — ele quebra o silêncio.


— Tenho certeza — falo sorrindo


Ele sorri e oferece o braço pra eu segurar e eu assim faço.
Entramos no restaurante e ele pergunta:


— Você quer sentar aonde?


— Talvez no fundo, se isso não te incomodar.


Caminhamos a uma mesa no fundo, sentando e ele chama o garçom. Ele chega até nós e fala:


— Oque vai querer Sir. Meliodas e senhorita? — pergunta educado.


— Oque vai querer, Elizabeth? — ele me pergunta doce.


— Arroz com strogonoff e um suco de maracujá — digo um pouco envergonhada.


— E o senhor? — o garçom pergunta a Meliodas novamente.


— O mesmo que ela — ele diz e em seguida o garçom se retira pra trazer os pedidos. 


— Você gostou daqui? — ele puxa assunto.


— Adorei! Tudo muito lindo! — falo empolgada.


— Que bom — diz sorrindo de orelha a orelha.


Ficamos conversando quando Meliodas olha pro lado e sua expressão fica nervosa. Estranhando eu olho na mesma direção e vejo uma menina da mesma altura da Elaine entrando. Ela tem cabelos castanhos numa trança e usava um vestido branco e seus olhos eram verdes.


— Oque foi, Meliodas?


Ele olha na minha direção e em seguida olha de novo para a garota. Ela nos olhava com a expressão raivosa, mesmo de longe dava pra perceber.


— Elizabeth, Eu preciso te dizer uma coisa...


A garota vem em nossa direção e sorri debochada.


— Olha se não é o safado do Meliodas.


— Sai daqui Zaneli! — ele diz irritado.


— Oque ta acontecendo? Alguém me explica! — pergunto confusa. Afinal, porque ela o chamou assim?


— Sinto muito em te dizer mas, você é só mais uma na lista do Meliodas. Assim como eu.


Fiquei perplexa com aquela afirmação. Então ele só queria me levar pra cama mesmo! Me levanto irritada e triste ao mesmo tempo e ele também se levanta bruscamente.


— Elizabeth! Não acredita nela! Eu te amo! — ele diz nervoso e com lágrimas de crocodilo nos olhos.


— Vai acreditar nele? Eu sei oque passei.


— Cala essa estúpida boca, sua vadia! — ele grita e ela fica quieta.


Saio andando a passos rápidos a porta e decido pegar um táxi.


— Como fui uma idiota! Ele só tava brincando comigo! — falo pra mim mesma sentindo lágrimas grossas escorrendo pela minha bochecha.


— Elizabeth! Por favor deixa eu te explicar! — ele diz correndo na tentativa de me alcançar.


Paro e não olho em seus olhos.


— Oque quer? Já não basta o sofrimento e a vergonha que me fez passar?! — exclamo finalmente olhando seus olhos esmeraldas.


— Ela mentiu! Eu preciso te contar oque aconteceu de verdade... Porfavor me escuta — ele implora e eu fiquei com um pouco de pena.


— Okay — suspiro — pode falar.


POV Meliodas


Maldita Zaneli! Ela vai me pagar depois.


— Meu pai me obriga, como irmão mais velho a me casar com uma mulher de família rica para que caso nossa situação financeira se prejudicar, a minha esposa ajudar.


— Então quer dizer que aquela mulher é sua...


— Não! Acabei com ela ontem justamente pensando em você! É sério, vamos lá confirmar com meu irmão...


Antes de completar minha frase, ela se aproxima e me abraça apertado.


— Fico aliviada de saber que você não me enganou. Porque se isso acontecer, eu nunca mais olho na sua cara outra vez.


— Nunca faria algo assim com você Elizabeth.


Pego seu rosto com as duas mãos e levo lentamente perto do meu rosto, e selo nossos lábios em um beijo molhado e desesperado. Peço permissão com a língua na sua entrada e ela consente permitindo abrindo espaço na sua boca. Ficamos lá por uns minutos mas precisamos parar o beijo pela falta de ar.


— Quer dormir lá em casa? — Elizabeth me pergunta ofegante.


— Claro que sim — sorrio feliz pelo seu convite — Pedimos Pizza, que tal?


— Feito! — ela sorri e vamos de mãos dadas ao carro.



Notas Finais


Eu sei que foi um capítulo sem graça, mas os próximos serão melhores


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...