1. Spirit Fanfics >
  2. Minha secretária inexperiente-Karamel (AU) >
  3. Capítulo 11

História Minha secretária inexperiente-Karamel (AU) - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


Desculpa a demora meus amores minha irmã mais nova ficou doente e foi internada e como minha família é muito grande as maioria das responsabilidades com os mais novos ficou comigo então não tive tempo, mas agora ela já tá bem e deve receber alta em breve.❤
Mas pra recompensa voltei com um capítulo enorme e como aqui no Riu Grande do Sul estamos de quarentena resolvi postar agora mesmo sksksks ❤

Espero que gostem boa leitura ❤

Capítulo 11 - Capítulo 11


Fanfic / Fanfiction Minha secretária inexperiente-Karamel (AU) - Capítulo 11 - Capítulo 11

PONTO DE VISTA JAMES OLSEN



O fim da gravidez chegou e com isso os últimos preparativos, como agora eu, Winn e Mike comprando os últimos emfeites pro quarto do Levi. 


- Por que a Lena quer colocar um elefante no quarto se o tema é ceu estrelado? - Winn pergunta. 


- Mulheres... - Mike responde. 


- Olha esse- Winn fala mostrando um ursinho de pelúcia de elefante. 


- Ai que fofo- Mike fala. 


- Vou levar- Winn responde, colocando embaixo do braço. 


- Winn coloca no carinho- eu falo. 


- Eu disse que vou levar pra mim não pro Levi. 


Mike e eu damos risadas até que percebemos que ele ta falando serio. Conseguimos convencer ele que ele não é mais um bebê o que eu acho que não funcionou por que tenho certeza que ele vai roubar mais tarde. 


Compramos mais algumas coisas, como um abajur em formato de Lua, um quadro que quero colocar o nome do meu filho, e também uma estrelas que brilham no escuro e fomos pagar no caixa. 


- Pronto, esta tudo aqui- uma menina do caixa fala. Ela tem uma a pele branca, cabelos castanhos e olhos da mesma cor, veste o uniforme da loja, uma blusa vermelha com mangas curtas amarela bem justa o que valoriza seus seios. 


- E aqui esta um cartão com o meu número de telefone, caso vocês precisem de algo qualquer um de vocês. - ela termina e entrega o cartão, pagamos e vamos embora. Tem uma segunda intenção nessa última gentileza. 


Saimos da loja e quando eu ia colocar o cartão no lixo Mike me impede. 


- O que você pensa que ta fazendo? - Mike pergunta. 


- Colocando no lixo? - Winn responde. 


- Isso ta óbvio, mas por que você vota colocando isso no lixo? - Mike pergunta de novo. 


- Por que eu não quero sair com ninguém- Eu respondo. 


- E também a gente ja compro tudo o que precisamos, agora só deixar com a decoradora. Não vamos precisar de ajuda. - Winn também fala. 


- Winn ela não deu o cartão com o seu número de celular por que ela quer ajuda a gente. Ela deu por que quer transar com a gente. - Mike responde. 


Winn arregala os olhos e para pra pensar, logo depois de parecer ligar os pontos revira os olhos. 


- E você não quer perder essa oportunidade. - Winn fala. 


- Claro que não e vocês também não deveriam ela é gostosa. 


- Eu estou muito bem obrigado. - Falo. 


- Claro, voces e suas vidas sexual nada ativa sinto dó de vocês 2.- Mike fala apontando pra mim e Winn. 


- Minha vida é tão sexualmente não ativa que tenho uma mulher gravida. - Falo me gabando. 


- Filho não é mérito, é uma assinatura de castidade. - Winn fala. E Mike e ele dão um High-Five. 


- Vocês são 2 tapados. - Falo por fim. 


- Posso até ser tapado, mas vou sair com uma gostosona já o Winn... 


Winn dá um tapa na cabeça de Mike e os dois começam uma guerra de lutinha no meio do estacionamento atraindo a atenção dos mais próximos. Parecem duas crianças as vezes fico impressionado com as minhas amizades ainda mais com a infantilidade delas. 




PONTO DE VISTA LENA LUTHOR



[...]


Ja é de noite e depois de muito insistência da minha mãe eu resolvi fazer um jantar pra ela conhecer o James. 


Então aqui estamos nós jantando eu e minha enorme barriga e claro minha mãe e James. 


- Então vocês vão realmente morar em um apartamento?. - Lilian fala. 


- Mãe... 


- Quem vai morar no apartamento é a Lena eu to morando em outro lugar perto da Catco. 


- Ok vocês acham que estão na Disney?. - Minha mãe pergunta. Deixando eu e James confusos. 


- Um bebê da um trabalho gigantesco com certeza não é trabalho apenas pra uma pessoa fora o fato de que com pouco espaço vai dificultar e muito a organização e isso estressa. - Minha mãe fala. 


- Milhares de mulheres foram mãe solteiras. - Eu falo. 


- Agora pergunta pra essas mulheres se foi fácil. - Minha mãe rebate. 


- A maternidade não é fácil já esperava isso. 


- Lena a diferença é que nós sabemos que você não é uma pessoa paciente e se a mãe não esta calma afeta o bebê e os hormônios que pode desencadear complicações. A sua gravidez foi planejado durante anos entre eu e seu pai e nós pesquisamos muito antes de eu resolver engravida, eu sei do que estou falando. 


- Ta bom, o que você sugere? - James pergunta. 


- Que vocês comprem uma casa, e que morem juntos durante o primeiro ano do Levi, depois pode cada um seguir pra casa que quiser, mas vai ser bom pro desenvolvimento dele que vocês estejam juntos e em harmonia. 


Eu e James nos encararmo por algum tempo. Nunca me imaginei morando com alguém depois que sai da casa dos meu pais amo meu apartamento, meu aconchego, meus momentos sozinhas, mas sei também que criar um vínculo com o pai vai ser importante pro meu filho. 


- Tudo bem. - Eu e James falamos ao mesmo tempo. Não é uma coisa que seja impossível de se fazer afinal James mostrou ter uma personalidade fácil de se lidar. 


- A senhora poderia vir morar com a gente durante os primeiros mêses por que você tem experiência e como você mesmo disse cuidar de um bebê não é trabalho pra uma pessoa só ou pelo menos não deveria ser. - James fala, a ideia não me parece absurda afinal passar mais tempo com a minha mãe vai ser ótimo e toda ajuda é bem vinda. 


- Sem o "senhora" James nos vamos ter contato durante muito tempo daqui pra frente então formalidades não são necessárias. E claro eu aceito só preciso de um tempo pra me organizar. - Minha mãe fala por fim. 


Jantamos tranquilamente durante mais alguns planejamentos do quarto do bebe e do Chá e depois foi cada um pra sua respectiva residência. 


PONTO DE VISTA WINN SCHOTT


{...} 4 DIAS DEPOIS


Eve acabou de se descobrir apaixonada pelo melhor amigo, então eu e Kara estamos conversando e tentando ajudar, por que pelo o que parece ela ta com medo de se declarar e perder a amizade. Acredite Eve eu te entendo e muito. 


- Olha em uma amizade a confiança e transparência é fundamental e se vocês são tao amigos mesmo ele vai gostar de ver você sendo verdadeira com ele mesmo que ele não sinta o mesmo, se fosse comigo eu iria gostar de saber. - Kara fala, me deixando supreso. 


- Eu sei, mas eu não consigo me imaginar tendo essa conversa com ele. - Eve argumenta. 


- Eu sei que é difícil, mas você precisa tentar, como você vai saber se ele não sente o mesmo se não falar com ele. - Eu respondo. 


- Tu acha que ele sente o mesmo? Ou que existe uma possibilidade? - Eve pergunta. 


- Estamos falando do mesmo Franklin? O cara que te deu brincos de Esmeralda? - Kara fala. 


- Ele pode ter feito isso em nome da amizade. 


- Eu nunca dei brincos de Esmeralda pra Kara. 



- E olha que a gente se conhece desde de criança. - Kara termina. 


Eve tenta argumentar mais algumas vêzes, mas como sempre eu e Kara somos ótimo em derrubar seus argumentos. Continuámos nesse debate até escutar a campanhia do meu apartamento e Kara vai já que é a Pizza que pedimos. 


Depois de colocarmos a pizza e cervejas na mesa de centro Eve parece ceder. 


- Ta bem, eu falo pra ele só que no meu tempo. 


Concordamos animados e Kara já quis assistir a filmes romanticos e como Eve e ela são parecidas não me fiz de difícil elas estavam em maior número e eu amô chorar com filmes romanticos. 



{...} 1 semana depois



Estamos eu Alex e Kara em um café, já que todos estamos no intervalo dos nossos trabalhos. 



- Ta, eu sei que parece estranho, mas vai ficar legal na decoração. - Kara fala pela décima vez sobre a decoração do Chá de bebe do Levi. 


- A gente não esta dizendo que não, mas vocês estão conversando com os pais sobre isso né? - Alex pergunta. 


- Claro até a Lilian ta participando. - Eu respondo.


- Agora to me sentindo excluída. - Alex fala com voz falsamente triste. Eu e Kara apenas reviramos os olhos. 


Logo nossos pedidos chegam e começamos a devorar. Mas junto com os almoços veio um cartão que Alex entrega pra Kara e no mesmo contêm um número de telefone. 


Kara olha pra trás e vê Steve, confirmando que o número de telefone é dele. 


- Você vai ligar? - Alex pergunta. 


- Por que não. - Kara respondo e da de ombros. 


- Ele até que é bonitinho. - Alex levanta falando que vai no banheiro. 


- Você realmente vai ligar pra ele? - Eu pergunto. 


- Não deveria? - Kara devolve a pergunta. 


- Ele não tem uma boa fama. - Eu respondo. 


-Mike também e vocês são super amigos. - Kara da de ombros. 


- Mas ele não é o cara certo pra você. - Eu falo. 


- Ah é? E quem seria o cara certo pra mim? - Kara pergunta em um tom divertido. 


- Eu, Mike, Wally, Nate, mas com certeza não o Steve. - Falo sem pensar. 


- Você? WINN!!


- Desculpa não foi o que eu quis dizer. - Kara só da risadas. 


Ela falou a dias atrás que gostaria de saber de algo assim pra uma amizade mais verdadeira, e esconder algo que envolve ela durante tanto tempo assim não é saudável, nem pra mim, nem pra ela, nem pra nossa amizade. 


- Kara eu preciso te contar uma coisa. - Decido contar, seja o que Deus quiser. 


- Pode falar. - Kara responde não dando muito atenção. 


- Eu não sei como falar. - Kara me olha preucupada e senta ao meu lado. 


- Calma respira e me conta o que conseguir. 


- Kara você lembra da nossa conversa com a Eve? - Eu pergunto e ela concorda. - É que eu estou na mesma situação que ela. - Kara me olha sem entender então eu continuo. - Kara eu estou apaixonado por você. - Kara me olha incrédula por bastante tempo e então eu continuo. 


- Eu sempre estive, como eu poderia não me apaixonar por você? Você sempre foi tão atenciosa, carinhosa, sempre tão preucupada comigo ou como estou me sentindo. Coisa que nem mesmo meus pais eram comigo e quando eles morreram você ficou do meu lado por horas enquanto eu chorava e você chorou comigo. Quando a tia Eliza pegou a minha guarda você foi tão atenciosa deu o seu quarto pra mim, mesmo preferindo ter a sua privacidade você não pensou 2 vêzes antes de dar ele pra mim. Foi automático entende? Mesmo eu sendo apaixonado por você eu te ajudei com o Adam por que só o que eu queria era te vê feliz e ainda quero. Eu só não quero que você me odeie. - Kara me olha por um tempo e eu consigo ver lágrimas em seus olhos. Eu sei que agora ela está confusa e com medo, mas não posso dizer mais nada já disse o que eu precisava. 


Ela levanta pega sua bolsa e sai correndo do café, eu não posso ir atrás dela por que agora o que ela não precisa é ver o motivo das suas lágrimas. 


- É eu sempre soube. - Alex fala. 


- Da onde tu surgiu? - pergunto depois do susto que eu levei. 


- Eu tava aqui atrás esse tempo todo. Qual é ninguém demora essa eternidade no banheiro. - Fala apontado pra mesa de trás. 


- Você não vai atrás dela? - Eu pergunto de novo. 


- Não, ela precisa espairecer sozinha agora. -Alex fala e senta novamente começando a comer como se nada tivesse acontecido. 




PONTO DE VISTA KARA DANVERS




Eu sei que a minha reação talvez não tenha sido a mais recomendável, mas eu não sabia como reagir. Ele é o meu melhor amigo, o cara que segurou meu mundo mais de uma vez o que me deu uma luz quando eu achava que não tinha mais saída, eu não quero, eu não consigo imaginar meu mundo sem ele. 


Eu não sei a quanto tempo eu estou caminhando, mas deve ser muito por que minhas pernas estão queimando e já tem diversas chamadas perdidas do Mike, Alex, Lena, James e até mesmo da Eve, mas nada do Winn o que eu agradeço por ele estar me dando esse espaço. 


Mas estou em frente a empresa agora, e os olhares curiosos só demonstram que eu não estou com uma cara nada boa. 


Talvez em outras circunstâncias eu tentaria colocar um sorriso no rosto, mas agora nem forças pra isso eu tenho. 


Chego perto da minha mesa e escuto Mike falar ao telefone. 


- Eu sei Alex, mas ela ainda não ta aqui não tem como eu ficar calmo. 


- Mike? 


- Esquece ela chegou. - Ele fala e desliga o celular. 


- Você tá bem? Onde você tava? O que aconteceu? - Ele pergunta. 


- To confusa, não quero falar agora. Digo atordoada. 


- Ok senta. - fala me levando até o sofá. 


- Toma. - fala me entregando um copo de água. Logo ele senta ao meu lado e deixo minha cabeça cair em seu ombro. 


Nos 40 minutos em que ficamos apenas em silêncio e eu com a cabeça em seu peito, podendo assim escutar seu coração bater calmo acabei relaxando e me sentindo muito confortável com a atual situação. 


- Você tá bem? - Mike pergunta. 


- Eu não sei, bem eu to, mas to confusa. 


- O que houve? 


- Acabei de descobrir que o meu melhor amigo é apaixonado por mim. - Disparo, e vejo sua boca formar um perto "o", mas ele não parece impressionado. 


- Ele já tinha te contado né? - Pergunto. 


- Sim, foi em uma noite de bebidas no meu apartamento, estava eu James ele e o Brany todos bêbados e ele deixou escapar. 


- Então todos sabiam menos eu? - Pergunto de novo. 


- Nem todos, acha que a Alex, Sam e os meninos talvez a Lena por que o James é boca grande. 


- Só sobra a Ruby e a Eve. - Digo. 


- É todos sabiam, menos você foi mal, mas é que não é uma coisa que nós deveriamos contar sabe? Primeiro que ele disse que não se sentia confortável com esse assunto, então eu seria um péssimo amigo se revela-se isso. E segundo que eu tenho certeza que você gostou de saber pelo Winn e não por um "estranho" Né? - É ele tem razão, tenho que admitir. 


- Você ta certo. 


- Eu sei, eu sei. - Convencido, dou um tapa no braço dele e caimos na risada. 


- Você é um ótimo amigo. - Falo por fim. E o cara certo pra mim como Winn mesmo disse. Eu ainda estava abraçada em sua cintura com a cabeça em seu peito, então levanto meu rosto e me deparo com ele me olhando também, com um olhar tão singelo, carinhoso, simples que faz meu coração bater disparado. 


Sem pensar muito bem ataquei os lábios de Mike de um jeito sereno. Não houve língua, foi um simples tocar de labios, mas só por que não tive coragem de aprofundar. 


Abro os olhos e me afasto sentindo minhas bochechas queimarem, fico olhando fixo em um quadro lindo que tem em sua sala ao lado oposto do sofá onde estamos. 


- D-desculpa eu não, e-eu não... Hum... - Otima ora pra gaguejar Kara. 


- Não se desculpe... - Mike diz virando o meu rosto e acariciando minha bochecha. 


Dessa vez quem tomou a iniciativa foi ele, mas diferente da primeira vez o beijo não é calmo, é rapido, intenso, faminto. Eu acreditava em beijo perfeito na minha adolescência, mas depois de tanto tempo eu simplesmente desencantei,mas com Mike estou revendo meus conceitos. Quando ele pede passagem com a língua tudo fica muito melhor. Meu gemido sai rouco e é interrompido pela sua boca macia na minha. 


Mike sabe beijar, sabe como me beijar. Ele sabe como colocar a pressão perfeita, quando morder, como movimentar a língua pra me deixar louca. Nunca consegui ficar excitada com um beijo, mas Droga esse esta enviando ondas de calor para um lugar pouco explorado nos últimos tempos. 


Com um movimento rápido eu sento em seu colo com uma perna de cada lado de sua cintura e consigo sentir seu membro semi ereto pressionando contra minha intimidade. Quando o ar se faz necessário ele desce seus beijos pro meu pescoço, ele morde, lambe, suga, beija me deixando louca. 


Suas mãos começam a explorar meu tronco, até que elas chegam na base da minha camisa a tirando de dentro da saia, sobe elas novamente procurando abrir meu sutiã com maestria. 


Levo minhas mãos até sua nuca fazendo um carinho por ali e vejo a pele de Mike se arrepiar em resposta. 


Mike começa a abrir botão por botão da minha camisa até que ela esteja completamente aberta. Ele retirar juntamente com meu sutiã já aberto, deixando meus seios completamente a mostra. Involuntariamente minhas bochechas ficam rosadas e Mike percebe. 


- Você é linda Kara, completamente perfeita. - Diz e ataca meu seio direito estimulando o esquerdo com os dedos não consigo não gemer com isso. 


- Deus Mike, isso. - E com certeza nos teríamos transado se o despertador do meu celular não tivesse tocado avisando que ele tem uma reunião. 


- Droga. - Mike diz frustrado. 


Saio apressada de cima dele caindo na real no que estava prestes a fazer. Merda Kara ele é seu chefe. 


Pego minha camisa arrumando dentro da saia novamente equanto procuro meu sutiã evitando olhar pra Mike. 


- Ta procurando isso?- Escuto sua voz e me viro vendo Mike com meu sutiã em sua mão. 


- V-voce p-pode me devolver? - Pergunto. 


- Não, isso vai ficar comigo como lembrança e isso também. - Mike fala me puxando contra seu corpo e roubando mais um beijo, eu termino com uma mordida em seu labio no final nem eh sabia o que estava fazendo. 


- Mike por favor. - Suplico. 


- Acho que eu tenho uma reunião agora. - É a última coisa que ele fala antes de sair da sala e levar meu sutiã com ele. Nem preciso falar que foi extremamente desconfortável ficar sem sutiã o resto do dia né? 




PONTO DE VISTA LENA LUTHOR


James e eu terminamos agora de desencaixotar a última caixa da casa nova e me sentia sem um enorme peso nas costas. Quer dizer figuramente por que literalmente a barriga estava destruindo com elas. 



- Mais olha que quarto nível de um princípe- James fala olhando pro quarto do nosso filho. 


- Viu eu disse que ia ficar bom. Você tem que confiar mais no meu instinto. - Digo equanto estou sentada na poltrona onde vou amantar Levi acariciando minha barriga. 


- Ok eu concordo fico ótimo. - James diz se aproximando e se juntando a mim nas carícias. Segundos depois já sinto Levi dando fortes chutes. 


- Ele sempre fica animado quando você faz os carinhos. 


- É claro que ele fica, eu sou o pai dele. - Ele diz e nós dois caimos na risada. 



- Me ajuda a levantar preciso de um banho. - Falo esticando minhas mãos e logo James já me ajuda a levantar da poltrona. 


Quando estou de pé nossos rostos ficam muito próximo, a única coisa que ainda impede é a distância imposta pela minha barriga. 


O moreno na minha frente logo trata de quebrar essa distância selando nossos lábios em um beijo. O beijo é doce, calmo como tudo relacionado a ele. Beijar James é como comer um doce relaxante. Mas hoje não estou afim de relaxar. 


Peço passagem com a minha língua e ele prontamente aceita. O beijo se torna quente, intenso cheio de volúpia e desejo. Desejo esse que não quero negar. Talvez esses hormônios estejam me levando a loucura. 


Nossas línguas dançavam em uma sincronia perfeita me fazendo soltar alguns gemidos. James desceu suas mãos dos meus ombros até meu quadril apertando o local. Me fazendo sentir umidade em minha calcinha e aumentando a necessidade em meu sexo. 


O ar se fez necessário então James desceu seus beijos ao meu pescoço, beijando, mordendo e deixando marcas. Eu pude sentir sua conciencia se esvaindo quando ele começou a nos mover até o fraldário me fazendo sentar em cima e se encaixar entre minhas pernas. 


Nessas últimas semanas trocamos diversos beijos, mas algo sempre fazia James não querer dar o próximo passo e isso não deixou de acontecer hoje. 


- Hum, acho melhor a gente ir descansar. - Fala ofegante. 


- Não. Não mesmo, você não vai me beijar assim e me deixar desse jeito. - Falo descendo do fraldário e atacando seus lábios novamente. Termino o beijo com uma forte mordida em seu lábio  inferior, James solta um gemido rouco em resposta. 


- Você ainda quer tomar banho. - James pergunta com um sorriso malicioso em resposta. arqueio minha sombrancelha, pego em sua mão nos guiando até o banheiro da minha suíte. 


Logo depois que entramos no banheiro e ligamos a banheira com água quente, voltamos a nos beijar novamente. Só separamos os nossos lábios pra James conseguir tirar minha blusa e logo já fiz o mesmo com a sua. 


A mão ágil dele aperta meus seios ainda cobertos pelo sutiã que logo ele já retira. Ele me beija mais uma vez e vai descendo seus beijos e mordidas pelo meu pescoço chegando aos meus seios e dando uma atenção especial. Fazendo movimentos circulares em volta do mamilo enquanto estimula o outro com a mão. 


Deixando mordidas, chupões e meus seio bem vermelho ela faz a mesma coisa no outro seio me deixando em derilio.


Depois que acabou seu trabalho nos meu seios James me beija novamente. Até que começo a descer minhas mãos por seu abdômen até chegar na sua calça retirando a mesma até um pedaço depois James terminou. Somente de cueca consigo ver seu grande volume e não me contento, coloco minha mão dentro e pego em seu membro completamente petrificado, estimulante a glande já amostra espalhando o pre-gozo em meu dedos. 


Vejo quando a feição de James muda pra uma completa de prazer quando intensifico meu movimentos em um vai e vem. Chego perto do seu ouvido e sussurro. 


- Você ta gostando? - Mordendo seu lóbulo logo em seguida. Sinto que James está perto quando seu corpo fica inquieto, mas ele para meus movimentos retirando a cueca ficando completamente nu na minha frente, não consigo não morder o lábio ao ver o efeito que eu causo nele. 


Ele logo se abaixa e retirar minha calça e minha calcinha juntas. James pega uma das minhas pernas e coloca em seu ombro, atacando meu sexo sem aviso prévio, me fazendo soltar um gemido mais parecido com um grito. 


Ele começa sugando e estimulante meu clitóris com a língua enviando ondas de calor por todo meu corpo. 


- James... Oh- Gemo. Sinto James direcionando sua língua até minha entrada me penetrando. Grito com a onda de tesão que se instalou por todo meu corpo fazendo meu sexo pulsar. 


Quando aquilo deixou ser suficiente e eu percebi que ele só iria parar quando eu gozar, ele me penetra com dois dedos me fazendo urrar. 


- James, puta que pariu. - Grito logo que seus movimentos se tornaram frenéticos. 


Não demoro muito e gozo gritando aos 4 ventos. E suga todo meu fluídos logo depois sobe me beijando com todo fogo novamente me deixando quente. 


A essa hora a banheira já está mais do que cheia então eu levo ele até lá e entramos sentindo a água quente em contato com minha pele. Sento com as duas pernas em volta da sua cintura sentindo seu membro fazer uma fricçao no meu clitóris. Rebolo em seu colo equanto nos beijamos. 


Logo aquilo deixou de ser suficiente então levo seu membro a minha entrada sentando lentamente, torturando mais a ele do que a mim. 


- Lena... - James diz apertando minha cintura fazendo ele entrar por completo. Ele esperou em me acostumar com a invasão até que eu começo um lento rebolado


Mas com ambas necessidades de nossos corpos logo intercalo entre rebolar e quicar rapidamente, fazendo agua da banheira transbordar. 


- Merda Lena. - Ele fala segurando meu quadril e penetrando fundo. 


Sinto que estamos perto e intensifico meu movimentos sentido minhas pernas reclamarem pelo esforço e pelo peso da barriga chegando a beira do ápice. 


- Deus James, oh meu Deus. - Grito gozando. E logo sinto James fazendo o mesmo. 


Controlo minha respiração saindo do seu colo e indo pro outro lado da banheira. 


- Deus isso foi tão... 


- Intenso. - o interrompo completando a frase. 


Sinto leves chutes e acaricio o local. 


- Nosso filho esta agitado. - Falo. 


- Vem cá. - James fala me puxando pro seu lado me fazendo ficar de costas pra ele. Ele começa uma leve massagem em meus ombros me fazendo relaxar e quase dormir. 


- To tão cansada. - Digo. 


- Então vamos dormir. - Ele diz. 


Terminamos nosso banho e colocámos roupas leves deitamos juntos e logo apagamos. 



PONTO DE VISTA NARRADOR




{...} 1 SEMANA DEPOIS. 



A gravidez de Levi tinha que ser comemorada já que o menino estava sendo esperado por todos os amigos mais próximos. Uma coisa pequena, mas pra ficar na lembrança de todos os convidados. 


Lena, James, Lilian, Alex, Sam, Ruby, Kara, Mike, Imra, Eve e Brany se reuniram no quintal da casa nova da Luthor e fizeram uma bagunça já que a decoração foi a devoradora. 


- Você não deveria ter vindo de salto. - Imra fala pra Eve já que ela percebe que é 3 vez que a loira suja o salto. 


- É agora eu sei disso. Kara me empresto esse salto,mas não parei pra pensar que não ficaria bom pra andar na grama. Quer saber vou ficar sem. - Logo ela tira e Imra da risada. 


- Você realmente é baixinha. - Imra diz rindo pelos 10cm a menos da mulher a sua frente. 


- Por que acha que eu vim de salto- Eve pergunta incrédula. Imra não aguenta e ri mais. 


- Até que essa Kara tem bom gosto. - Imra fala admirando o salto. 


- É por isso eu sempre pego algo com ela. - Eve termina. 


- Ela é tão boa no que faz como Mike diz? Não da pra confiar nele quando ela ta encantado com alguma mulher. - Imra pergunta. 


- Você só vai saber se conversa com ela. - Eve diz Imra iria responder, mas é interrompida. 


- Olha se não são minhas garotas preferidas. - Brany diz se aproximando das meninas. 


- Oi Brany. - Ambas dizem em uníssono. 


- O que aconteceu com o seu salto? - Brany pergunta vendo o estado do calçado. 


- Grama e salto alto não são uma boa combinação. - Eve fala. 


- Você sabe né? Ela é baixinha então. - Imra fala dando de ombros e Brany seguta o riso. 


- Vocês são insuportáveis. - A loira dia revirando os olhos.


- O insurportável aqui, conseguiu entrada liberada pra um camarote hoje. - Brany diz e Imra e ele dão um brinde em comemoração. 


- Não sei não gente, não to muito afim. - Diz a loira. 


- Ai Eve você vai ter que superar isso. Levo um pé na bunda? Bola pra frente. - Imra diz já cansada sempre da mesma desculpa desde que a Eve levou um fora do "melhor amigo "


- Eu ainda gosto dele. - A de olhos azuis insisti. 


- Você ainda vai gostar de muito gente, mas não pode deixar de se divertir por causa delas. - Brany fala e Imra concorda freneticamente. 


- Eu também já me apaixonei e levei foras diversas vezes, mas não me abalei. - Imra diz. 


- O Mike não conta. - Brany fala. 


- Por que não? - As duas perguntam juntas. 


- Por que vocês eram jovens e durou poucos meses e foi a tipo uns 6 anos atrás. - Brany fala e as duas pensam. 


- Mas espera você realmente foi apaixonada por ele? - Eve pergunta. Deixando a loira e o Brany extremamente curiosos. 


- Ah eu não digo. - Imra diz virando as costas e saindo. 


- Volta já aqui Imra Ardeen e nos conta agora. - Eve e Brany vão correndo atrás da britânica. 




***




- Alex é a única pessoa que eu conheço que vem fantasiada pra um chá de bebê. - Winn diz vendo sua melhor amiga fantasia de fada. 



- Ah ok, mora com uma criança de 10 anos que ama fadas e tem os olhos de cachorro que caiu da mudança te implorando pra vir assim. - Alex diz gesticulando com a mãos para o vestido. 


- Um detalhe ela queria que a Alex viesse de fada terror. - Sam diz. 


- E como a Alex é uma mulher adulta ela não aceitou, mas veio de fadinha. - Alex revira os olhos e todos a volta caem na risada. 


Todos nos paramos de rir quando escutamos alguns gritos de Ruby e Mike do outro lado da festa brincando. 


- Ele realmente leva jeito com crianças. - Winn diz. 


- É nas últimas semanas eu nunca vi a Ruby de tão bom humor. - Kara fala lembrando do tempo Darkness que teve com a sobrinha e o casal Danvers- Árias, logo depois que a Myung foi embora. 


Vemos Mike se aproximar sem Ruby que eu agora ta brincando com James. 


- Ela tem muita energia. - Mike diz com uma cara de exausto. 


- Do que vocês estavam conversando? - Mike pergunta. 


- Sobre a pequena lutadora de olhos puxados Myung. - Winn fala com voz de locutor de luta fazendo todos darem gargalhadas. 


- Eu sinto falta dela. - Kara fala equanto todos ainda olham a interação de James e Ruby. 


- Ela pareceu ser uma criança bem reservado, mas com espírito incrível. - Mike fala lembrando da noite da festa onde conheceu os órfãs. 


- E ela era, mas não era nada fácil de lidar. Sam fala dessa vez arrumando a coroa de flores da esposa. 


- Eu me lembro de uma vez quando estavamos no meu apartamento, que ela conseguiu quebra a porta do meu quarto no soco. Ta eu pedi pra ela tentar, mas eu não pensei que ela fosse conseguir. - Winn diz lembrando do prejuizo que teve com a porta, mas que deixou todo mundo boquiaberto com a força da garotinha e uma Kara preucupada com os machucados na mão da de olhos puxados. 


- Eu não gostei daquele desafio ela tinha 8 anos era uma criança e ficou com a mao machucada por irresponsabilidade de um adulto. - Kara fala mais grossa do que o normal. Nesses últimos dias ela e Winn não trocaram nem sequer uma mensagem o que estranho já que eles conversavam o tempo todo. Mas não tem como você descobrir que seu amigo de infância é apaixonado por você e fingir que nada mudou na amizade. Não é como se a confiança tivesse quebrado, mas algo dentro de Kara se sentiu traida pelo fato do amigo não se sentir confortável o suficiente pra dividir algo assim antes. E Kara se sentiu péssima com isso, por que Winn sempre foi um ótimo amigo a deixando leve e confortável pra falar de tudo até de sua primeira vez, mas pensar que seu amigo não acha o mesmo a deixa apavorada com a possibilidade de não ter sido uma boa amiga. 


Depois do comentário de Kara todos ficaram dentro de uma nuvem com cilma pesado. Sentindo a tensão entre os dois e Alex sabendo o motivo ela apenas pega o seu refri e fica bebendo no canudo por um bom tempo, equanto Sam arruma a asa da fantasia da ruiva mesmo ela não estando bagunçada. 


- Alex você tá patética com essa fantasia. - Mike fala chamando atenção de todos evaporando aquela nuvem. 


- Ah cala boca Matthews. - Mike ri e Alex mostra o dedo do meio, fazendo Sam a repreender sobre estar em um chá de bebe e Ruby estar perto. 




***



A pequena festinha em comemoração ao novo bebe continuava a todo vapor enquanto. Imra, Eve, Brany, Winn, Lena, James, Lilian, Alex e Sam conversavam.


Enquanto isso Mike parecia uma criança brincando com Ruby. 



- Ah te peguei. Sua vez agora. - Ruby fala enquanto vai se esconder deixa Mike pra trás. 


Mike vai para seu posto e começa a contar quando chega ao final estabelecido pela dupla ele sai atrás da pequena de olhos castanhos. Mas quando acha encontra Ruby segurando o choro, enquanto olha um algumas flores rochas do jardim. 


- Ei o que houve? - o mesmo pergunta, quando vê o estado da garota. 


- A Myung adora flores roxas, ela iria gostar dessas se ainda estivesse aqui. - Ruby diz enquanto vê um canteiro com flores roxas. 


- Eram as favoritas dela? - Mike pergunta sentando no chão e puxando a garota pra ficar vem seu colo.


- Sim, ela não gostava muito de flores, mas era encantada por qualquer flor da cor roxa apesar da sua cor favorita ser branco. - Ela diz enquanto pega uma pra si. 


- Ela me pareceu ser uma boa garota quando a conheci. 


- E ela era, mas gostava de uma briga. Ela ficou falando por dias da festa beneficente. - Ruby diz enquanto lembra do quanto a melhor amigo a encheu o saco. 


- Ela não me pareceu ter gostado. - Mike diz. 


- E ela não gosto. - Mike não conseguiu não rir com a sinceridade da garota. 


- Eu odeio esse orfanato por dividirem as crianças órfãs, tudo bem que foi corte de gatos por não receberem dinheiro, mas... e-eles podiam ter deixado a Myung com a gente...- Ruby fala chorando. 


- Corte de gastos? - Mike perguntam.


- Foi o que a mamãe disse.- " Mas eles não deveriam receber uma doação " Mike pensa enquanto ampara a garotinha chorosa em seu colo dando o assunto por encerrado com certeza não iria prolongar seu sofrimento com mais perguntas. 



Notas Finais


Gente eu to tentando melhorar minha escrita esse capítulo eu escrevi a uns2 meses atrás e joguei bastante RPG nesses dias então talvez no capítulo depois do próximo esteja um pouco melhor espero eu skksks ❤

O próximo vai ser a 2 parte desse e vai terminar o Chá de fralda.❤

Eai acharam que meu hot melhorou? Pq o primeiro ficou horrível 😅❤

FINALMENTE o beijo Karamel podem me agradecer sksksks ❤

Como vai ficar Winn e Kara? 👀❤

Teorias? Idéias? Críticas? Aceito tudo pode mandar ❤

Bjos até o próximo que a Deusa Lua abençoe vocês ❤❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...