1. Spirit Fanfics >
  2. "Minha submissa é o meu amor" >
  3. Capítulo 4- Fuga

História "Minha submissa é o meu amor" - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que gostem. Boa leitura!

Capítulo 4 - Capítulo 4- Fuga


Fanfic / Fanfiction "Minha submissa é o meu amor" - Capítulo 4 - Capítulo 4- Fuga

S/n-On

Flashback-On

"Não me importava com nada, só queria a minha liberdade de volta" 

"Essa é a minha chance!"

Flashback-off 

Tae-On

Chamei Jimin para conversar um pouco sobre os negócios, e perguntar sobre como s/n estava. 

Jm: então, o que você pretende fazer? 

Tae: irei demití-los. Não estão fazendo um bom trabalho, e ainda ficam querendo comprar as outras submissas pela metade do preço. Não vou admitir isso! Se quiserem comprar, terá que ser do meu jeito e do meu valor. 

Jm: okay. E com relação ao Alex?

Tae: ele está tentando fechar negócio comigo. Não sei bem o que é, mas ele irá no cativeiro para conversarmos. 

Jm: E porque não marcaram num restaurante? Ou aqui?

Tae: porque não fechei negócio, e não quero ter uma refeição com ele. E.... A s/n? Como ela está? 

Jm: ela está bem. Depois do ocorrido. Deixei ela descansando no quarto de hóspedes. Ah, e.... Eu usei nela uma das lingeries que você comprou para a mesma. 

Tae: é o quê! Você tirou a roupa dela? Assim? Tão simples!? Havia precisão disso?

Jm: é óbvio que sim! Como eu iria olhar os hematomas? Você que quis assim, a partir do momento em que se descontrolou. 

Fechei minhas mãos com força e tentei deixar de imaginar Jimin olhando-a. 

Tae: assunto encerrado. Irei vê-la agora. E, vai ajudar o Jungkook no cativeiro lá. Ele estava com problemas hoje cedo. 

Jm: que tipo de problemas? Não me diga que foi outra briga da Júlia com as outras? 

Tae: é esse mesmo. (Falo rindo)

Jimin saí com as mãos coçando a cabeça e dizendo. 

"Essa menina só dá trabalho!" 

Vou em direção ao quarto que s/n está, e abro a porta bem devagar. Olhei para a cama e a mesma não estava. Pensei, "será que está no banheiro?" Fui até o mesmo e ela não estava. Me desespero e começo a procurar por toda a casa. Mas foi em vão. S/n havia fugido. Grito. "Droga!" Coloco as mãos em minha cabeça e respiro fundo, "essa menina está querendo morrer, literalmente". Ligo para os meninos avisando do ocorrido e saio a procura dela. A mesma não deve ter ido longe.

S/n-On

Saí da casa do taehynug e comecei a correr. Mas estava difícil. Parecia que eu havia saído de uma guerra, haviam muitos curativos nas minhas pernas e nos meus braços. E ainda para piorar, estava nublado. E eu sabia que iria chover mais cedo ou mais tarde. Por isso fiz esforço na hora de correr. Eu não sabia em que lugar eu estava. Não sei que ruas eram aquelas. O mais estranho, é que não tem ninguém nas ruas, e está muito frio. A meu Deus!, Lembrei que estou de lingerie. "Muito bonito né s/n?, Nem pegar um roupão você lembrou de fazer isso." Burra!

Paro de correr e vou andando mesmo. Tenho certeza que ele não será capaz de me encontrar. Assim que entro numa outra rua, ouço um grito. "Era o meu nome?" Olhei rapidamente para trás e lá estava ele. Me perguntei, "como!" Comecei a correr do mesmo. 

Tae-On

Eu sabia que s/n não poderia ter ido longe. Pois, conheço Seuol com as palmas da minha mão. E principalmente no bairro onde eu moro. Decorei todas as ruas, praças, becos. Ela não tem como fugir de mim. Nunca. Estava andando há uma hora, e nada de s/n. Até que vejo uma silhueta de uma mulher andando lento. E eu tinha certeza que era ela. Pois, a mesma estava com a lingerie que eu mesmo escolhi e comprei para ela. Fora os curativos chamativos. Grito. "S/N!" A mesma olha para trás e não acredita no que ver, e começa a correr. Eu não espero nem mais um segundo. Corrir atrás da mesma. Grito para ela ouvir.

S/N! Desista! Não será possível se esconder ou fugir de mim nunca. Desista logo com essa maluquice de fugir, só será pior para você. 

S/n-On

Enquanto estava correndo, ouvi o mesmo falar. 

"S/N! Desista! Não será possível se esconder ou fugir de mim nunca. Desista logo com essa maluquice de fugir, só será pior para você. " Confesso que fiquei com mais medo dele. E que eu teria que me esforçar ainda mais para ele não conseguir me pegar. Aumento a velocidade e consigo deixá-lo para trás. O mesmo fica zangado e dou um sorrisinho de vitória. 

Depois de alguns minutos, começa a chover e consigo despistar ele. Estava muito frio, muito mesmo. Então entro num beco e fico alí por um tempo. A chuva não passava, estava mais grossa e eu não tinha nada além de calcinha e sutiã. Meus curativos, alguns haviam caído e outros estavam quase saindo. De repente, sinto alguém me pegar por trás e tampar a minha boca. Ouço o mesmo falar. "Acho que essa chuva me deu uma sorte grande" 

Começo a me remexer e aparece outro cara. O mesmo fala. "Owow, de que puteiro você saiu princesa?" 

Tae-On

S/n acha que conseguiu me despistar, mas eu só dei a entender que ela havia feito isso. Dei a volta e fui em direção a outra rua em que eu tinha certeza que ela entraria. Havia começado a chover, e eu estava preocupado com a mesma. Ela poderia pegar uma pneumonia daquele jeito, mas ela é teimosa demais, então foda-se. 

Depois que dei a volta na rua, eu vi s/n entrando num beco. E assim que eu ía andar até lá, vejo dois caras se aproximando do mesmo. O mais alto foi por trás e o outro ficou escondido. Logo depois o outro entrou. Eu já estava com ódio e se eles fizessem algo com ela, eu os mataria ali mesmo. Assim que chego no beco, ouço o mesmo falar, 

 "Owow, de que puteiro você saiu princesa?" 

Aquilo me deu uma raiva que imediatamente eu falei depois do soco que dei bem na cara do indivíduo. 

"O puteiro da sua mãe seu desgraçado!" 

O cara mais alto solta s/n e vem até mim. O mesmo tenta me bater, mais não conseguiu. Eu fui mais rápido. Dei um chute certeiro em seu estômago fazendo-o cair com a mão na barriga. Eu nem vi quando o outro havia pego s/n. E o mesmo fala, "se você se aproximar, dou um soco no rostinho bonito da sua putinha". Como eu estava com o sangue quente, não me importei com o que ele falou e avancei em cima dele. O mesmo deu o soco em s/n fazendo-a apagar. Eu imediatamente comecei a espancá-lo. Não parava. Quando vi que o mesmo estava desacordado, fui em direção a ela. Gritei, "s/n!". Peguei a mesma em meus braços. E assim que comecei a andar, só senti o impacto do meu corpo com o de s/n no chão. O homem que eu havia dado o soco, estava de pé me chingando. Vi que s/n acordou com o impacto e levantei rápido. Olhei para ele e disse.

 Tae: você quer mesmo continuar com essa briga? Ela é minha, não dou e nem empresto para ninguém. (O mesmo começou a rir.)

?:  Eu não estou nem aí para a garota. Quero matar você. Olhe o que fez com o meu belo rosto!

Comecei a rir. 

Tae: me matar? Você só pode estar de brincadeira. Olhe, não sou de fazer caridade, mas, estou disposto a te deixar ir sem procurá-lo novamente. 

?: Caridade? Me deixar ir? Você sabe com quem está falando seu bastardo!?

Tae: você que não sabe com quem está falando seu imbecil! Qual o seu nome? 

?: Jheff. E o seu? 

Tae: falei pegando s/n nos meus braços. KIM TAEHYNUG. Falei num tom ríspido e imediatamente o homen me olhou e viu a merda que ele fez. 

Jheff: Kim taehynug!? Você não está brincadeira comigo não né? 

Tae: Tenha uma boa morte. Em seguida, dei um sorrisinho de lado. E comecei a andar com s/n. E percebi o desespero do homen que deixei para trás. S/n estava calada. 

S/n-On

Enquanto taehynug me levava que nem uma criança para a casa dele, estava me chingando em pensamento. "S/n, você é uma burra mesmo. Porquê não correu mais? Continuou pelas ruas? Tinha que entrar na droga daquele beco? Aishhhhh, imbecil, idiota. Tenho raiva de mim mesma ahhhhh!"

A chuva já havia passado. E eu pude reparar que eu fui muito longe, e que eu já havia acabado com o resto da minha vida. "Quer dizer.... A minha vida já havia acabo faz tempo, mas que eu teria um tempinho, eu teria. Agora tenho certeza que virar outra punição dos infernos. E que irei morrer." Achei exagero no que havia pensado. Mas, lembrei do episódio passado. "É, certeza de que eu morro dessa vez." Taehynug tem uns braços fortes, porque ele já está me carregando há quase 1 hora e não deu sinal de cansado. Se deu, não percebi. Acabo adormecendo. 

Tae-On

Falo em pensamento. Eu com certeza vou matar essa menina! Olha o tanto que ela andou, correu ou sei lá. Mas, confesso que estava gostando de carregá-la em meus braços. A mesma não é muito pesada. E a sua pele.....nossa como é macia. Percebi que a maioria dos curativos haviam saído e que se não trata-se daqueles arranhões superficiais logo, iriam deixar cicatrizes no seu corpo. E a última coisa que eu queria era ver aquele corpo com cicatrizes. 

Quebra de tempo:

Chego em casa e os meninos estavam todos na sala. 

Jm: o que aconteceu com ela? Ela está bem?

Tae: está sim. 

Nam: é sério mesmo que ela saiu assim? Meu Deus, eu vou para o meu quarto antes de falar besteira. 

Jk- é melhor mesmo namjoon. Se não quiser que o taehynug te mate. (Falo rindo).

Tae: olhe aqui todos vocês. Não quero que nenhum chegue perto da s/n. Só quando eu mandar vocês entregarem alguma coisa ou avisar algo. Entenderam? 

Todos: sim senhor.

Tae: não quero que ninguém me chame hoje. 

Subi as escadas e fui em direção ao quarto de hóspedes. Coloquei s/n na cama e fui em direção ao banheiro. Enchi a banheira com água e fui pegar a mesma. Tirei as "roupas" de s/n e coloquei a mesma dentro da banheira. E foi uma péssima idéia. Ela estava escorregando demais e morreria daquele jeito. Entrei dentro da banheira e ajeitei a mesma. Falo comigo mesmo. Aiaia taehynug, o quê que você está fazendo?, Pelo o amor de Deus se controla taehynug Júnior. Não é hora para isso. 

 Depois que término de limpar s/n, levo a mesma para a cama. Passei remédio em seus arranhões e faço novos curativos. Deixo a mesma enrolada numa toalha. Pego uma para mim, e vou em direção ao banheiro que acabei de sair, preciso tirar essa roupa antes que eu fique doente. Termino de tomar banho e me enrolo na toalha. Saio do banheiro e vejo s/n acordada me olhando com uma cara nada boa. 

S/n-On

Acordo e percebo que estou naquele quarto de novo. Me sento na cama e percebo que estou de toalha. Fico com raiva e vejo meu pesadelo avista. O mesmo saí do banheiro e vem em minha direção. Pergunto. 

S/n: qual é o problema de vocês? Porque sempre tem que tirar a minha roupa? Vocês todos são um bando de pervertidos! 

Tae: você queria o quê? Que eu deixasse você ficar doente? Foi necessário.

S/n: falo resmungando. "Necessário" hum, sei. 

Tae: garota, olhe aqui. Você tem noção do que fez? Você gosta de procurar pela morte né?

S/n: óbvio que tenho noção do que fiz. Quero saber qual é a pessoa que não fugiria depois de ser sequestrada. Só uma idiota mesmo para não fazer isso. 

Tae: e só uma idiota para se meter em perigo daquele jeito. 

S/n: você está doido? Não fale assim comigo de novo idiota! 

Tae: você que está louca em se dirigir a mim dessa forma. Mais respeito com o seu dono. 

S/n:  ha. ha. Há! Muito engraçado. Que eu lembre, o corpo e a minha vida me pertence! 

Tae: não mais. Agora deixe de tagarelar e me deixe ver esse roxo do seu rosto. 

Aishhhh. 

O mesmo pega o kit de primeiros socorros e tira algumas coisas que irá precisar. Ele pega uma pomada e começa a passar na minha testa. Não havia percebido mas, taehynug tinha um corpo maravilhoso. Nossa, que cor..... Sou interrompida dos meus pensamentos ao ouvi-lo dizer. 

Tae: quero saber quanto tempo mais vai ficar me secando. 

S/n: quem disse que EU estava te secando? Não pire tá. 

Tae: só estou falando o que eu estou vendo. 

De repente nos encaramos. Ficamos nos olhando por um bom tempo, e do nada ele me beija. Não era qualquer beijo. Era um beijo quente, calmo que foi se intensificando com o tempo. O mesmo sobe em cima de mim e.....

Continua.....






Notas Finais


O que acharam? Continuo?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...