História Minha tentação - Capítulo 25


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Armin, Castiel, Dakota, Kentin, Lysandre, Melody, Nathaniel, Rosalya
Tags Amor Doce, Castiel, Pai Do Meu Namorado, Romance, Sogro
Visualizações 495
Palavras 2.569
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oh, estou postando cedo hoje hahaha o/ que milagre hahha

Capítulo 25 - Segunda chance


Fanfic / Fanfiction Minha tentação - Capítulo 25 - Segunda chance

“Eu não sei exatamente como eu me sinto em relação à isso. O que eu sou exatamente pra você? Eu não sou a sua fixa, ou a de segunda feira, não sou a sua namorada, não sou uma ficante, apenas… A outra, isso não soa como algo bom, e antes o que não me incomodava, agora não sai mais da minha cabeça. Me pergunto até quando eu vou seguir com isso. Será que vale a pena continuar, mesmo que seja apenas eu quem esteja amando? Quando alguém puxa apenas de um lado da corda, uma hora ela acaba arrebentando, e quem vai cair no chão e se machucar sou eu.”

Me remexi na cama sentindo todo o meu corpo completamente dolorido, mas não era uma dor ruim de fato, eu não sabia explicar bem o que era, apesar de eu nunca ter sentido esse tipo de coisa era algo bom. Suspirei abrindo os olhos e vendo o teto branco em cima de mim e um peso sobre a minha cintura, me remexi mais um pouco e percebi que o Castiel estava dormindo ainda, com o braço rodeando a minha cintura, eu até tentei sair de seus braços de uma maneira que não o acordasse, mas quando me remexi pela terceira vez ele me apertou mais contra o seu corpo, foi algo que eu não pude deixar de sorrir, acordar ao lado dele tinha sido algo… Bom. Acho que a raiva que eu estava do Nathan ainda não tinha passado, por que de fato eu não estava me sentindo culpada por nada disso, pra falar a verdade eu faria novamente sem pensar duas vezes. Deus, que homem é esse? Ele tinha me feito sentir coisas que eu nem sabiam que eram capazes, que potência. Pela claridade no quarto já estava de manhã, o que me indicava que eu deveria voltar e rápido para o meu quarto antes que a esposa dele voltasse e me pegasse aqui na cama com o marido dela. Não seria a situação mais agradável do mundo, mas confesso que no fundo a ideia de vê-la ficar puta de raiva por causa disso não era tão repugnante assim… Deus, essa mulher estava me fazendo odiá-la mesmo só por pensar isso.

Castiel - Hum… Bom dia. (Ele disse acordando ao meu lado, com uma voz baixa e rouca, tão gostosa de ouvir que eu não pude evitar de sorrir e morder os lábios.)

Kate - Bom dia. (Eu respondi na mesma tonalidade.)

Em nenhum momento da minha vida eu pensei que estaria aqui agora, mesmo depois de ter transado com ele uma primeira vez, eu não imaginei que estaria acordando na cama dele, quer dizer, não dele propriamente dito, mas com ele aqui. Devo confessar que, isso era bom de alguma forma, ou pelo menos eu me sentia assim. Ele puxou seu braço de cima de mim se espreguiçando, bocejando e coçando os olhos no intuito de acordar direito. Me sentei na cama puxando a coberta me tampando, eu ainda estava nua da noite anterior. Ele olhou pra mim sorrindo e ia dizer alguma coisa, mas foi interrompido pelas batidas na porta do quarto. Oh droga, será que a esposa dele já tinha chegado? O que eu faria? Pular a janela? Estamos em um prédio e esse quarto é alto. Agora fudeu.

Nathan - Pai? Você está acordado? (Escutei a voz do Nathan do outro lado da porta e em vez de ficar preocupada, eu só agradeci que não era a Debrah, pensando bem ela iria querer me matar, e eu não estava muito afim de morrer hoje.)

Castiel - Sim, estou. O que foi? (Ele disse olhando pra mim rapidamente e colocando o indicador sobre os lábios indicando que era para que eu ficasse em silêncio, mas é claro.)

Nathan - Hum… O senhor por acaso não viu a Kate por aí? (Ele parecia meio preocupado e eu me perguntava o por que disso, já que até ontem a noite mesmo ele estava com raiva, e a minha não tinha passado, a dele também não deveria ter passado também.)

Castiel - Não, eu não a vi. Por que? (Por favor pare de perguntar e o deixe sair dali para que eu possa sair desse quarto também.)

Nathan - É que… (Não, ele não vai contar, não é possível.) Eu briguei com ela ontem e saí, e… (Mas que droga Nathan, fecha a porra da boca.) Eu acho que ela saiu também e eu estou preocupado com ela, não sei se pode ter acontecido alguma coisa. (Desviei o olhar pro lado agora encarando o chão quando o Castiel olhou pra mim com as sobrancelhas franzidas tentando entender.)

Castiel - Não a vi, a procure na praia, ela deve estar por lá. (Ele apenas murmurou um “tem razão” e saiu dali.) O que houve ontem Kate? Por que brigaram? (Ele me perguntou sério e eu suspirei revirando os olhos e balançando a cabeça me jogando deitada na cama novamente.)

Kate - Hum… (Exclamei engolindo seco.) Nós brigamos ontem. (Eu respondi dando de ombros e sem olhá-lo.)

Castiel - Acho que eu entendi essa parte. (Ele disse com sarcasmo e eu revirei os olhos novamente.)

Kate - Eu descobri que ele me traiu com uma tal de Savannah. (Eu disse de uma vez dando de ombros, já desistindo de esconder isso, de qualquer forma ele ia descobrir mesmo, aparentemente o Nathan não conseguia fechar a boca.)

Castiel - O que foi que ele fez? (Ele perguntou indignado com a voz mais grossa e levemente alterada agora, ele estava mesmo com raiva do Nathan?) Como ele pôde fazer isso com você? (O que? Isso era… Totalmente inesperado.) Eu vou dar um jeito nesse garoto agora. (Ele disse com raiva se levantando da cama rapidamente, ou pelo menos ele tentou, eu corri até ele segurando seu pulso o impedindo de se levantar dali e ele olhou pra mim confuso.)

Kate - Castiel pare com isso, o que você está fazendo? (Eu é quem estava mesmo confusa com isso. Não esperava essa reação dele, sei lá, achei que ficaria com raiva sim, mas de mim por ter brigado com o Nathan e logo vindo pra cá descontar a raiva.)

Castiel - O que eu estou fazendo? Estou indo ensinar uma lição à esse moleque, vou bater nele até ele aprender que não se deve te machucar assim. (Mas… É sério isso mesmo?)

Kate - O que? (Eu perguntei completamente confusa.) Eu estou nua na sua cama exatamente agora e você acha mesmo que o que o Nathan fez foi errado? Eu o traí, ele me traiu, não tem importância, nós dois estamos errados, eu ainda mais por que foi com você. (Eu disse suspirando, ele não conseguia ver a hipocrisia nisso? Ele franziu novamente as sobrancelhas.)

Castiel - Mas isso é diferente. (Ele disse frustrado e se sentou novamente na cama, finalmente desistindo de sair daqui.)

Kate - No que isso é diferente? Não tem ninguém certo aqui, não tem nada de diferente. (Quer dizer, tirando a parte de eu estar mais errada no caso não tinha nada de diferente.)

Castiel - É que… (Ele começou, mas não tinha nada a dizer.) Ok. (Ele disse suspirando e se dando por vencido.)

Kate - Não está com raiva? (Perguntei ainda tentando entender.)

Castiel - Por que eu estaria? (Ele perguntou franzindo as sobrancelhas.)

Kate - Eu fiquei com raiva dele e vim pra cá, meio que te usei. (Disse encolhendo os ombros.)

Castiel - Você estava precisando de mim e é pra isso que eu estou aqui. (Ele disse passando os dedos sobre o meu rosto e me dando um selinho, não pude evitar de sorrir.)

Kate - Eu preciso achar as minhas roupas e voltar pro quarto antes que a Debrah volte. (Eu disse olhando pelo chão, procurando onde elas tinham ido parar.)

Castiel - Ah, pra que? Ela não volta agora, só mais tarde quando estivermos pra ir embora. (Ele disse me agarrando pela cintura e me puxando pra cama novamente ficando por cima de mim.) Acho que isso nos dá mais algum tempo de aproveitar essa manhã. (Ele disse com humor me fazendo rir e suspirar sentindo os seus lábios no meu pescoço.)

Kate - Mas eu tenho que voltar pro quarto mesmo assim por causa do Nathan. (Eu disse espalmando as mãos em seu peito o empurrando levemente e o escutando resmungar, o que me fez rir mais uma vez.)

Castiel - Ele vai ficar te procurando por mais algum tempo ainda, temos tempo mais do que o suficiente. (Ele disse me prendendo embaixo dele sobre a cama.)

Eu estava tranquila, minha consciência já deveria estar calejada por que ela já não estava me acusando mais, não estava mais me condenando, não havia mais nada disso, eu estava bem feliz, gostando de tudo aquilo mesmo que eu estivesse completamente errada. Eu não estava me importando mais, e por que deveria não é mesmo? Não haviam mais motivos pra isso. Estávamos todos errados afinal de contas.

------------------------------------------------------------------------------------------------------

Não foi mentira, eu estava mesmo dolorida, o suficiente para que um comprimido pra dor não estivesse fazendo tanto efeito assim, mas não era realmente uma dor ruim, o que era bem estranho, já que da maneira que eu estava marcada, era para estar bem ruim. Parecia que eu tinha levado uma surra e ainda assim eu não me importava, queria mais e queria tudo de novo. Escutei a porta do quarto ser aberta, eu já imaginava que seria o Nathan, por esse motivo não me dei ao luxo nem de me virar para olhá-lo, apenas saí dos meus pensamentos e continuei arrumando a minha mala em cima da cama, dobrando as roupas e colocando dentro da mesma.


Nathan - Até que enfim você apareceu, eu procurei por você por todos os lugares. (Ele disse parecendo suspirar enquanto entrava no quarto.)

Kate - Seu pai me disse. (Eu disse ainda sem olhar pra ele, concentrada na minha mala.)

Nathan - Por onde esteve? (Não sei se sua voz parecia brava ou preocupada, de qualquer forma apenas dei de ombros ajeitando as coisas.)

Kate - Andando por aí. (Nem andando tanto assim.)

Nathan - Eu fiquei preocupado com você, poderia ter acontecido alguma coisa, por acaso tem consciência disso? (Oh, mas realmente aconteceram muitas coisas, mas não foram ruins.)

Kate - Hum… Informação interessante. (Eu disse fechando a mala e a colocando no chão.)

Nathan - Quer prestar atenção no que eu estou falando? (Cruzei os braços me encostando na parede atrás de mim e só então olhando pra ele agora.)

Kate - Tudo bem, fale. (Foi a única coisa que disse, o vendo ficar surpreso.)

Nathan - Tudo bem. (Ele disse suspirando.) Kate, eu errei, você errou, não acho que nenhum de nós dois estamos certos e… Eu não sei. Eu fiquei com raiva ontem e… Me desculpe, ok? (Ele suspirou novamente e eu apenas balancei a cabeça levemente.)

Kate - Ok. (Ele me olhou com as sobrancelhas franzidas.)

Nathan - Só isso que vai dizer? (Dei de ombros.) Eu estou tentando salvar esse relacionamento e você… Você não parece nem ligar. (Ele disse completamente estarrecido.)

Kate - Por que eu não estou. Sinceramente Nathan, não tem mais um por que de continuarmos juntos, eu não sei o que você está pensando, mas não dará certo. Então… É, eu não ligo mesmo. (Ele me olhou como se eu tivesse falado a coisa mais absurda do mundo)

Nathan - Kate, eu não… Eu não quero terminar assim. Ok, nós dois cometemos erros, mas… Mas eu ainda quero tentar mais uma vez, por favor. (Suspirei e revirei os olhos.)

Não, eu não aceitaria, eu ainda estava com raiva, e bastante pra falar a verdade, ele sempre parecia ótimo quando as coisas iam bem, mas era só aparecer um problema que ele explodia. Se ele errava eu tinha que aceitar as suas desculpas como se nada tivesse acontecido, em relação à traição foi a primeira vez sim, mas não era a primeira vez que brigávamos e como todas as outras eu tinha que aceitar as suas desculpas, mas se quem cometesse algum erro era eu, o problema virava um caos, e então eu era a vadia, interesseira e etc. Eu não o conhecia o suficiente, não o conhecia como eu pensava, eu só estava vindo a conhecê-lo realmente agora, quando a bebida falava por ele e ele realmente virava outra pessoa do qual mostrava ser, quando ele fazia algo de errado e tudo o que eu tinha que fazer era aceitar isso isso, mas eu não poderia cometer nenhum erro como ele, tinha que ser completamente perfeita e não dizer nada, quando ele tentava sutilmente me mudar, minha personalidade, minhas características, meus gostos e quem eu realmente era… Não, nada disso era bom pra mim, era desgastante.


Kate - Olha Nathan… (Parei de falar quase engasgando com minhas próprias palavras, eu ainda queria magoá-lo de verdade, como nunca desejei a ninguém, não por que ele tinha me traído, não era isso, era só que tudo o que já tinha acontecido acabou virando uma bola de neve dentro da minha cabeça e isso era a gota d’água, então é, talvez fosse uma boa ideia continuar.) Tudo bem, podemos tentar uma segunda vez. (Eu não acredito que estava mesmo fazendo isso. Ele abriu um sorriso grande e veio me abraçar, apenas sorri sem graça e desfiz logo o abraço. Não apenas pelo desconforto, mas pelas dores no meu corpo.)

Nathan - A propósito, onde esteve à noite inteira? (Fodendo loucamente com seu pai, mas se eu te contasse, você não acreditaria.)

Obviamente eu não diria nada disso à ele, por mais que a minha língua coçasse pra jogar isso na sua cara e ver como seria a sua reação, eu não faria. Nunca pense que eu mesma poderia ser uma pessoa tão vingativa dessa forma, mas acho que eu estava gostando mais do fato de estar me envolvendo com seu pai do que machucando o Nathan, eu só não sabia diferenciar isso, e a desculpa pelo menos pra mim, parecia perfeita pra continuar. O fato de que isso era completamente proibido chegava a ser excitante, e era uma sensação tão nova e diferente pra mim que eu estava gostando, sair da minha zona de conforto estava se mostrando melhor do que eu pensava.

Kate - Você não pergunta e eu também não. (Puxei a alça de mala e fui a arrastando pra fora do quarto.) O que aconteceu ontem, já passou, vamos apenas esquecer. (Oh, mas eu não iria.)

Ele resolveu não insistir no assunto, até por que não adiantaria nada realmente, eu não contaria, também não estava lá muito afim de inventar uma desculpa qualquer, ver como ele tinha ficado curioso é incomodado era engraçado. Nathan gostava da facilidade que nosso relacionamento tinha antes, tudo era simples e concreto, agora que as coisas estavam começando a sair dos trilhos ele estava ficando irritado. Ótimo!

Nathan - Não vai me perguntar onde eu estive? (Ele perguntou andando logo atrás de mim, ainda parecendo completamente incomodado. Apenas dei de ombros e continuei andando.)

Kate - Na verdade não. Até por que você me disse onde ia antes de saber, e eu não me importo. Como eu disse, vamos apenas esquecer o que aconteceu ontem, já passou. (Eu disse o mais indiferente possível, ele abriu a boca pra retrucar, mas desistiu.)


Notas Finais


Ei pessoas maravilhosas, aqui só abrindo um parêntesis aqui, eu postei aqui agora antes do vídeo novo sair no meu canal de cover, então se puderem dar um forcinha, às 11:00 sai o vídeo lá haha
youtube.com/marisilva
O cover de hoje é da música ...ready for it? Da Taylor Swift ♥
Espero que gostem, agora estou indo e até a próxima sexta =)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...