1. Spirit Fanfics >
  2. Minha Última Aposta >
  3. A Festa de Recepção - Parte 2

História Minha Última Aposta - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Oi pessoal!!

Esse foi o capítulo que mais gostei de escrever ate agora.

Espero que gostem.

Capítulo 6 - A Festa de Recepção - Parte 2


Lily

Eu não acreditava no que tinha acabado de acontecer, quanto tempo eu desejei saber o sabor dos lábios de Demian, imaginei como seria enroscar meus dedos em seu cabelo, quantas vezes fantasiei como seria beijá-lo, e depois de experimentar a realidade posso afirmar que minha imaginação não chegou nem perto.

Naquele momento meu corpo reagiu automaticamente, eu não tinha vasta experiência com beijos e afins, eu podia contar mentalmente quantos garotos fiquei ao longo do colegial, todos os meus contatos mais íntimos com o sexo oposto foram pouco satisfatórios. Digamos que eu sempre tinha que dar o meu jeito. Eu nunca havia experimentado a química de um beijo como aquele, nunca havia sido segurada daquele jeito, e nunca havia sentido a urgência, como se todo o tempo do mundo não fosse suficiente. Essa foi a sensação que o beijo de Demian deixou.

Eu ainda estava atordoada quando Kate e os meninos entraram, me apressei em pegar meu copo, terminei o resto do líquido de uma só vez e voltei a enchê-lo. Kate veio até mim.

- Lily, porque você está tão vermelha menina? Já bebeu quantos copos?

- Ah, estou vermelha por causa do calor Kate, bebi só um, eu já estava indo encontrar você. - Eu tentei disfarçar.

- Vi Demian saindo daqui agorinha, você falou com ele? - Ela perguntou curiosa.

"Sim, nós nos beijamos aqui, agora mesmo Kate, aliás que beijo viu, permaneço sem ar até agora" É claro que eu não podia contar isso a ela, eu nem havia tido tempo suficiente de processar o acontecido.

- Ah sim, ele veio pegar cerveja. Mas não falei muito com ele. - O que não deixava de ser verdade, realmente não trocamos muitas palavras.

- Entendi, então vamos logo, tem muito cara bonito aqui pra você e umas garotas lindas pra mim também, quem precisa dele. As músicas estão muito boas, vamos dançar!! - Kate disse divertida e saiu me puxando pra fora da cozinha.

- Nós vamos na frente meninos. - Ela disse para Cam e Finn que alcançavam algumas bebidas no freezer.

- Ok, nos vemos lá. - Cam respondeu com um sorriso em minha direção.

Saímos de lá diretamente para a área com música, estava tocando Major Lazer & Dj Snake - Lean On e nós começamos a nos movimentar no ritmo da música.

Blow a kiss, fire a gun

We need someone to lean on

Blow a kiss, fire a gun

We need someone to lean on

Eu deixava a música me guiar enquanto ia rebolando os quadris, eu não queria mais pensar naquele beijo, por agora eu só aproveitaria a sensação boa que foi, sem me preocupar com o que significava pra Demian ou principalmente pra mim.

Kate estava muito animada, encontrou uma garota e começou a dançar junto dela, eu não a conhecia, ela tinha cabelos longos amarrados em um rabo de cavalo, usava um cropped-faixa branco e uma calça jeans azul escura cintura alta, brincos de argola chegavam quase ao seu ombro dando destaque para seu pescoço, ela era bonita e imaginei que fazia bem o tipo de Kate. Dei espaço a ela me juntando a Cam, Finn, Leah e Rose que dançavam em grupo ali perto.

Percebi que Karin e Judy haviam chego, a ruiva usava um vestido tubinho vermelho, seus peitos praticamente saltavam pra fora do decote, seu cabelo caía liso pelas suas costas e sua maquiagem era composta por um olho esfumado preto e muito iluminador. Ela toda parecia um exagero na minha opinião. Judy ao seu lado usava uma saia preta de couro que ia até o meio de suas coxas e uma blusinha preta com brilhos prateados justa, sua maquiagem era mais leve, mas optou por um batom vermelho radiante, seus cabelos caíam em longos cachos pelas costas.

Vi quando Karin percebeu Demian e foi direto cumprimentar ele com um beijo na bochecha mais demorado que o ideal, ela e Judy se juntaram ao grupo que estava ali, eu não conseguia parar de prestar atenção, ainda mais porque Karin usava toda oportunidade para tocar em Demian.

Precisava sair dali antes que ficasse mais evidente meu incômodo. Fui em direção ao banheiro. Chegando lá joguei um pouco de água no pescoço e aproveitei pra puxar o cabelo em um coque bagunçado, como meu cabelo mal chegava aos ombros nem todos os fios ficavam presos mas já era o suficiente para um breve alívio.

Estava prestes a sair quando escuto atrás da porta a voz de Karin.

- Hoje com certeza eu pego ele miga. Você viu como ele olhou para os meus peitos? Ele está totalmente afim. -Eu nem tinha dúvidas a quem ela se referia. "Ele olhou para seus peitos porque é impossível não os notar quase pulando para fora" Era o que eu tinha vontade de dizer.

- Claro amiga, você é a mais gostosa aqui. - Uma voz que imaginei ser de Judy respondeu.

- Naquele primeiro dia fiquei um pouco preocupada com a Davis, que eles tivessem algo, mas durante a semana vi que ele nem nota ela né? O que você acha? - Karin perguntou

- Sim! Totalmente, ali não tem nada. Sem contar que ela é bem mediana, ele consegue coisa melhor.

Eu não podia acreditar, quer dizer, tudo bem querer Demian mas porque ela tinha que me diminuir pra isso?

Não sei se foi o álcool que me deu coragem mas eu não ia aguentar calada, abri a porta de uma vez e as encarei deixando bem claro que eu havia ouvido tudo. As duas levaram um susto e me olharam sem saber o que dizer.

- Meninas vocês deviam estudar um pouco sobre sororidade. Quem sabe não ajuda vocês a se tornarem mulheres melhores. - Eu disse e passei pelas duas sem deixar espaço para respostas.

Passei pela cozinha, peguei mais um copo de bebida e voltei para perto de Cam e dos outros. Estava bem chateada ainda e queria falar com Kate mas quando olhei ela estava aos beijos com a garota do rabo de cavalo. Achei o máximo, eu podia esperar.

Cam percebeu minha cara de insatisfação e se aproximou do meu ouvido

- Aconteceu alguma coisa?

- Karin e Judy são umas vacas. - Eu disse antes que pudesse me controlar.

- Eu já percebi - Ele disse e riu alto. Ri junto da situação.

- Vem, dança comigo. - Cam disse me puxando um pouco.

Era tão fácil estar perto de Cam, eu me deixei levar e começamos a dançar juntos, tocava uma música que não reconheci, mas a batida era boa então comecei a rebolar, ele se juntou a mim e entramos na música. No meio da dança percebi os olhos de Demian sobre mim, ele não tinha uma expressão amigável em seu rosto, mas não me importei, se ele podia olhar os peitos de Karin eu podia dançar com Cam, oras! Ignorei ele e voltei a me concentrar nas batidas da música.

Não sei quantas músicas dançamos mas quando paramos eu estava sem fôlego, disse a Cam que ia pegar outra bebida e já voltava, ele sorriu, pediu que eu pegasse uma pra ele também e disse que ia ao banheiro enquanto isso.

Fui em direção a cozinha mas passando pela sala alguém segurou meu pulso e me puxou.

Era Demian que me puxava escada a cima, em direção aos quartos.

- Eiiii, o que é isso??? - Eu disse tentando me soltar de seu aperto.

Ele não respondeu, muito menos me soltou, entrou num dos últimos quartos me puxando para dentro e trancou a porta.

Ele me encarava intensamente.

- O que foi? - Eu perguntei com receio de seu olhar.

Ele respirou fundo, passou as mãos no cabelo, se recostou na porta e perguntou

- O que você está tentando fazer comigo hoje?

- Tudo é sobre você não é mesmo Demian? Acho que ser sempre o centro das atenções estragou sua cabeça. Eu não estou tentando fazer nada com você!! - Eu disse indignada.

- Você sempre esteve apaixonada por mim, você me olha a todo instante, e agora decidiu me provocar com tudo que tem, ou vai me dizer que esse não é o seu objetivo?

- Eu fui sim apaixonada por você a SETE anos, quando você deixou bem claro que não estava interessado. Eu posso entender isso perfeitamente, você não é obrigado a se atrair por mim. Tudo bem. Mas agora a todo momento você me puxa, me olha, me provoca, e aquele beijo agora pouco, eu não entendo o que está acontecendo!! - Eu soltei tudo que tinha entalado na minha garganta.

Ele me olhava confuso.

- Você acha que não sinto atração por você? - Ele disse rindo.

- Eu sei que não, por qual outro motivo você nunca retribuiu meus sentimentos? - Eu perguntei confusa.

- Existe uma grande diferença em sentir atração e poder retribuir sentimentos Lilian. - Ele me respondeu sério.

- Tá! Tudo bem, que seja. De qualquer forma, o que? Agora eu chamo sua atenção?

- Lily entenda, nunca teve um momento em que você não tenha chamado minha atenção. Era mais fácil ignorar antes por que você tinha um jeito infantil, não conseguia se expressar, e eu também achava que qualquer coisa a faria chorar. Mas agora você está diferente, parece até outra pessoa, tudo em você mudou, ficou mais atraente, mais decidida, está sendo bem difícil ignorar e você não tem contribuído muito aparecendo no corredor daquele jeito, aqui com essa roupa, na cozinha com o gelo, rebolando lá embaixo...- Ele passou novamente a mão pelos cabelos, exasperado.

Eu tentava processar essas novas informações. Então quer dizer que eu exercia algum efeito em Demian, eu não sabia exatamente o quanto, mas era o suficiente para ele parecer tão consternado naquele momento.

- Então porquê? Quer dizer, eu não entendo por que só agora? Se você sabe a quanto tempo eu venho tendo interesse por você.... - Eu não conseguia formular direito a pergunta que tanto me incomodava.

- Lily é exatamente por isso, você não vê? - Ele me cortou.

- Eu não posso ficar com alguém que tenha sentimentos por mim, ainda mais com alguém que eu me importo também!! Por que eu não vou poder retribuir esses sentimentos, o que eu posso oferecer é físico, eu não podia fazer isso com uma pessoa como você, por isso sempre me mantive tão distante quanto meu autocontrole permitiu. Mas quando te vi naquela cozinha daquele jeito, eu simplesmente não consegui mais me segurar, deixei meu eu egoísta assumir o controle. - Na última parte seus olhos queimavam de desejo.

Ele parecia, assim como eu, dizer tudo que o estava incomodando. Tudo parecia ficar mais claro agora, ele não queria se envolver comigo porque não sabia se podia retribuir meus sentimentos e achava que eu era frágil demais pra lidar com uma situação somente física. Me afastar foi a maneira que ele encontrou de me magoar menos.

A pergunta que eu me fazia agora é: Eu podia lidar com isso? Ter o corpo de Demian era tentador, eu já havia tido uma pequena amostra do que podia acontecer, eu queria mais, ele também. Ele já deixará claro que eu não teria seu coração mas eu não sabia o porquê disso. Já havia alguém para Demian? Porque ele não estava com essa pessoa? Se não era isso o que podia ser? Minha cabeça borbulhava com questionamentos que eu não podia expressar naquele momento, ele não me daria as respostas.

- E se eu dissesse que já superei meus sentimentos por você? Que você pode ser egoísta. O que você me diria Demian? - Eu perguntei.

É claro que era mentira mas quem sabe se eu tivesse um pouco de Demian isso poderia me ajudar a superar? Como um doce que você quer tanto provar e depois sua vontade passa? Eu já havia tentado de tudo para abandonar esses sentimentos.

Essa era minha última aposta.

Os olhos de Demian se abriram um pouco mais, ele não esperava aquela resposta.

Demian se aproximou, institivamente eu dei uns passo para trás até bater contra uma escrivaninha que havia ali encostada na parede. Ele apoiou seus braços no móvel atrás de mim me prendendo.

- Me prova. - Ele disse com um sorriso malicioso. Se abaixando até me olhar diretamente.

- O-o que?? - Eu disse assustada.

- Prova que me superou, que pode lidar com isso. - Disse olhando fundo nos meus olhos.

Eu não consegui dizer nada por uns instantes, sentia que Demian podia ler minha alma se quisesse naquele momento.

Reuni toda minha coragem, o álcool facilitou minha decisão.

- Eu posso lidar com isso. - Disse juntando nossos lábios pela segunda vez esta noite.

As faíscas que aconteceram mais cedo voltaram com força total, ele não hesitou ao se encostar mais firmemente contra mim, nem eu hesitei ao enroscar meus dedos em suas mechas pretas de forma a impedir que se afastasse qualquer centímetro dos meus lábios. O beijo era intenso, nossas línguas praticamente brigavam. Seu gosto era inebriante. Em um movimento rápido ele me subiu na escrivaninha que estávamos usando como apoio e se ajustou no meio das minhas pernas. Suas mãos encontraram a alça do meu vestido e a puxaram pra baixo.

- Sem sutiã, isso facilita bastante. - Ele cortou nosso beijo e disse com uma voz sedutora.

Voltando sua atenção para meus seios ao ver o piercing que eu tinha em cada mamilo seus olhos exibiram choque e incredulidade por um breve momento, logo essas expressões foram substituídas por puro desejo.

Eram duas joias simples, de aço, 2 bolinhas prateadas eram exibidas aos lados de cada mamilo. Eu havia feito a poucos meses, ninguém sabia de sua existência e agora Demian os olhava admirado.

- Gosta do que vê? - Perguntei divertida.

- Porra, você é perfeita. - Suas palavras saiam roucas de desejo.

Demian segurou meu seio direito e abocanhou o esquerdo, sua língua brincava com meu mamilo e o piercing aumentava meu prazer. Não tive tempo pra sequer processar o que estávamos fazendo eu só me concentrava nas sensações que aquele homem provocava em meu corpo. Ainda segurando em seus cabelos joguei a cabeça pra trás e cruzei as pernas nele me prendendo mais ao seu corpo e não consegui conter um gemido que saiu de minha garganta, ele chupou mais forte em resposta.

Após dar a devida atenção aos meus peitos ele subiu beijando minha clavícula, pescoço e queixo até encontrar novamente meus lábios. Pude sentir sua ereção pressionando contra mim, abaixei minha mão direita e o massageei por cima da calça, e em resposta ouvi um gemido através do nosso beijo quando ele sentiu meu toque, eu não tinha mais controle sobre mim mesma, abri sua calça, tirei seu membro e comecei a fazer movimentos de vai e vem com mais liberdade. Demian estava totalmente duro, ele era enorme, grosso, pude sentir vibrações de ansiedade enquanto me perguntava como seria senti-lo completamente dentro de mim, pulsante e firme.

Ele se desvencilhou de meus lábios e colocou uma de suas mãos por dentro do meu vestido, tirou minha peça íntima do caminho e começou a fazer movimentos circulares estimulando meu clitóris.

- Você está tão molhada pra mim Lily, tão gostosa, puta que pariu - Sussurrou próximo ao meu ouvido. Suas palavras de tesão completavam meu êxtase.

Eu podia dizer que ele sabia exatamente o que estava fazendo ali. Seus movimentos aplicavam a pressão correta, no ritmo perfeito, eu não precisava nem me esforçar, se ele continuasse, eu atingiria meu limite completo.

Sua testa estava apoiada em meu ombro, eu podia sentir o calor que emanava de nossos corpos se misturando, eu tentava concentrar os movimentos de minha mão sem me perder puramente na sensação que ele me proporcionava. Nós estávamos imersos no prazer que dávamos um ao outro.

- Eu quero você dentro de mim. - Não pude me impedir de dizer, naquele momento com meu sexo pulsante eu não conseguia pensar em mais nada.

Demian me olhou e notei sua íris completamente dilatada, seus olhos outrora azuis como o mar agora eram pura tempestade negra de desejo.

- Não quero te ter pela primeira vez em um quarto numa festa por 10 minutos. Quando eu entrar em você de verdade não vou mais conseguir parar. - Ele disse me olhando intensamente. - Mas vou te dar um pouco mais de alívio Lily.

E com essas palavras ele me penetrou de uma vez com dois dedos, eu mordi seu ombro para me impedir de gritar e chamar atenção de qualquer um que por acaso estivesse passando.

Demian me penetrava repetidamente enquanto fazia movimento circulares no meu clitóris com o polegar, minha mente estava em branco, meu corpo em chamas. Os estímulos eram muito fortes e eu pude sentir meu clímax vindo. Ele também notou que eu estava quase lá.

- Goza pra mim Lily, eu quero sentir você tremer. – Disse com a voz rouca.

Eu fiz mais pressão em seu membro, espalhando seu pré-gozo e massageando a cabeça de seu pênis. Ele pareceu gostar muito pois ele me olhava com puro prazer estampado em seu rosto, e pude ouvir um rosnado vindo de sua garganta.

Ele capturou meus lábios novamente, nossos movimentos ficaram mais rápidos e então gozamos juntos.

Eu senti minhas pernas ficarem totalmente moles, eu sentia pequenos choques por todo meu ventre, ainda bem que estava sentada porque senão eu teria caído. Eu nunca havia gozado tão naturalmente assim, normalmente exigia mais trabalho. Se ele podia fazer aquilo com as mãos apressadamente durante uma festa eu nem podia imaginar como seria quando estivéssemos juntos sem interferências externas e limite de tempo.

Demian acariciou meus cabelos e tirou os fios grudados na nuca pelo suor, ele assoprou de leve enquanto esperava eu me recuperar. Pude perceber que seus cabelos também estavam molhados. Aquele quarto ficará muito quente.

- Eu disse que continuaríamos depois. - Ele disse perto da minha orelha enquanto acariciava minhas costas.

- Convencido. - Foi tudo o que consegui responder.

Assim que me recuperei ajeitei as alças do vestido e coloquei minha calcinha de volta enquanto ele arrumava sua calça e limpava o chão que estava marcado pelo que acabáramos de fazer. Por sorte havia um banheiro naquele quarto, me dirigi até lá, joguei água no pescoço e sequei com uma toalha que encontrei embaixo da pia. Demian veio e repetiu o mesmo procedimento.

- Eu preferia ver você passando gelo, mas a água é boa também. - Ele disse me dando um sorriso cheio de malícia.

- Aposto que não sou mais tão irritante pra você - Eu provoquei em resposta.

- Você me irrita porque me faz perder o controle Lily. - Ele respondeu me olhando através do espelho.

- Você também não facilita meu estado mental sabia? - Eu disse revirando os olhos.

- Posso facilitar outras coisas pra você. - Ele disse cheio de duplo-sentido e se aproximou depositando beijos e dando leves cupões em meu pescoço.

- Ei, não deixe marcas. As pessoas vão ver. - Segurei de leve em seus cabelos o fazendo olhar pra mim novamente.

Seu olhar brilhou em minha direção e antes que eu pudesse fazer alguma coisa Demian agachou atrás de mim, e grudou seus lábios na parte de trás do alto da minha coxa esquerda. Apoiei as mãos na pia, senti arrepios e fui incapaz de mudar de posição, ele segurava firme em meus quadris.

- O que você.... Ah!! - Arfei ao sentir sua língua.

Ele abaixou meu vestido, subiu e voltou a se postar atrás de mim, ainda com as mãos de ambos os lados do meu quadril. Eu sabia que ele havia deixado uma boa marca onde seus lábios estiveram.

- Agora ninguém poderá ver. - Ele disse simplesmente.

- Você faz tudo o que quer de um jeito ou de outro não é mesmo? - Tentei dizer com convicção, mas minha voz falhava deixando claro o quanto ele me afetava.

Ele deu um sorriso convencido.

Me lembrei que havia uma coisa que precisava falar com Demian e aquele era o melhor momento

- Ah, antes que eu esqueça - comecei - Posso ir pra casa com você? - Falei envergonhada.

Eu tinha pensado nisso desde quando vim pra festa a pé, precisava voltar com alguém. Seria muito tarde pra andar sozinha mesmo que no curto trajeto. Como éramos vizinhos a saída era óbvia, eu não sabia se conseguiria falar com ele e planejava pedir para Cam se não conseguisse, mas visto o que tínhamos acabado de fazer me pareceu boba a preocupação anterior.

- Quer dormir comigo hoje Lily? - Ele respondeu com uma cara safada.

Senti o rubor subindo por minhas bochechas.

- Não é isso!! - Eu disse rápido - Tenho medo de voltar sozinha, e como vamos pro mesmo lugar eu pensei que poderíamos. Mas claro se você não quiser posso ver com Cam....

- Larga de ser boba. - Ele me cortou com a cara fechada. - obviamente eu voltaria com você mesmo que não tivesse pedido.

- Ah, esta bem, obrigada. - Eu disse concisa.

Ele terminava de arrumar as coisas que usamos.

- Já estamos aqui a tempo demais, eu vou na frente, assim garantimos que ninguém nos veja saindo juntos do quarto. - Eu disse tentando voltar a realidade e me virando para a porta.

Ele me empurrou e me prendeu contra a porta. Ele devia ter algum fetiche com isso.

- Eu adoraria que Cameron nos visse saindo daqui juntos sabia? - ele perguntou perto demais do meu ouvido. Pude sentir todo meu corpo arrepiando.

- Cuidado Demian, posso pensar que você está com ciúmes -Eu rebati.

- Pense o que quiser gata, foi pra mim que você acabou de gozar. - Ele disse me soltando e me levando a outra onda de arrepios.

Antes que ele pudesse fazer algum comentário sobre minha vermelhidão aparente eu abri a porta e saí.


Notas Finais


Se encontrarem algum erro de digitação nao deixem de me avisar para eu possa corrigir.

Beijinhos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...