História Minha vida com uma tsundere - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 49
Palavras 1.141
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ecchi, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Eu volteeei agora pra ficar....ta parei, mals ae povo mas tive que estudar pro vestibular que eu me inscrevi, e vocês devem ter notado que More than friends ta em hiatus, desculpa mas quero me dedicar mais as historias originais, então criei essa daqui com um tipo de personagem que eu adoro, tsunderes!!!(fora das notas do autor a criatividade é uma pura tsundere)

Criatividade: Não sou não!

Dragon: É sim!

eu gosto de tsunderes, elas são tão kawaiiiiii

Capítulo 1 - Amigos


Ikira pov ON

Meu nome é Ikira Yagami, tenho 16 anos atualmente e moro em uma cidade pequena e bem calma no apartamento mais luxuoso da cidade, uma herança do meu tio avô , mas isso não importa pois agora vou contar como tudo começou, quando Ako e eu nos conhecemos, mas antes de tudo, manja aqueles primeiros episódios que ao invés de começar onde tudo começou, ficam fazendo um monte de flashbacks pra mostrar onde tudo começou? Pois é, esse capítulo vai ser exatamente isso, agora que comece o flashback!

Flashback ON

Era uma noite clara de outono, tinha 8 anos na época,  estava brincando com meus amigos Kio, Yuki e os gêmeos Iori e Luna em uma das praias da cidade, era uma praia era bem deserta mas muito bonita, principalmente a noite, nela tinha um farol abandonado que ficava em cima de uma encosta de pedra(morrinho, penhasco, eu sei lá o nome disso), estavamos brincando de pega-pega mas paramos quando Iori e Kio começaram a me infernizar pra entrar no farol. 

Iori: Anda logo Ikira!

Ikira: Eu não vou entrar em um farol abandonado, ainda mais de noite.

Kio: Esquce Iori, ele não vai entrar, ele é muito medroso.-Kio disse tentando me provocar.

Ikira: Não sou, apenas...tenho...que ir pra casa agora.-disse arumando uma desculpa esfarrapada de última hora. 

Luna: Sei...

Ikira: Até amanha na escola.-me despedi de todos e fui direto pra casa.

De volta em casa, minha mãe já tinha preparado o jantar, era macarrão(adoro isso, e pra não ficar chato vou avançar a parte que eu como)

Quebra de tempo

Depois de jantar, fui de volta pro farol, ainda eram sete horas então dava pra brincar mais um pouco.

No meio do caminho eu escuto um som de alguem chorando, eu olho em direção ao barulho e vejo uma garota de cabelos castanhos soltos e compridos do outro lado da rua sentada e cabisbaixa.

Ikira: Ei, posso te ajudar?

Ela me encara, seus olhos verdes me hipnotizaram por um segundo, embora eu estivesse tentando ajudar ela me olha com raiva e desvia o olhar.

Ikira: Por que está chorando?

???: Não estou chorando, BAKA!

Embora ela tenha sido rude comigo, não podia deixar ela aqui, eu me aproximo e tento falar com ela de novo.

Ikira: Olha, eu só quero ajudar, não precisa ficar assim.-Eu falo com a voz mais suave que já fiz na vida e estendo a mão para ajuda-la a levantar.

Ela me encara e mais uma vez fazendo eu me afundar naqueles olhos verdes, ela segura minha mão com delicadesa e se levanta.

Ikira: Agora pode me dizer o que aconteceu?

???: Eu me perdi, eu acabei de me mudar, meus pais me deixaram dar uma volta por perto mas eu acabei indo longe demais e agora não sei o caminho de volta.-Sua voz falhava por estar chorando um pouca ainda.

Ikira: Sabe o nome da rua?

???: Não.

Ikira: Isso vai complicar um pouco, mas  se lembra como era a casa?

???: S-sim, ela era um sobrado branco com um telhado bege.

Ikira: Hmm, eu não me lembro de ter visto uma casa assim por aqui, mas relaxa que eu tenho um plano muito louco e idiota mas que com certeza vai dar certo porque eu sou um gênio.

Ela riu com a minha fala me fez sorrir por anima-la um pouco

Precisava de um lugar alto assim ela poderia ver a casa, o unico lugar que talvez desse pra ver a cidade toda é o farol, só de saber que teria que entrar lá já me arrepiava todo, eu olho ela mais uma vez e vejo sua expressão de medo e desespero, ela estava confiando em mim, não ia dar pra tras agora!

Ikira: Vamos subir no farol da cidade, da pra ver tudo de lá.-nem quis mencionar a parte dele ser abandonado.

???: T-tudo bem.

No meio do caminho o silêncio dominava, eu preciso falar com ela mas eu não sei nem o nome dela! Tá beleza, é só perguntar o nome dela, nada de mais

Ikira: Err...qual o seu nome?

???: A-Ako....Ako M-matsune.

Ikira: É um nome muito bonito, sou Ikira Yagami.

Depois de me apresentar chegamos ao farol, pensei que meus amigos ainda estariam aqui, por estarmos sozinhos um arrepio subiu pelo meu corpo só de imaginar os horrores que se escondiam atrás daquela porta enferrujada e amassada.

Ako: Parece abandonado.

Ikira: Pior que é.

Ela ficou branca e se agarrou em meu braço.

Ikira: Ako-san? Você tem medo de coisas assim?

Ako: Claro que não Baka! É que deve estar cheio de bichos nojentos aí dentro.

Pode até ser que ela apenas tenha nojo de insetos, mas eu acho que a reação dela foi um pouco exagerada para ser isso.

Ikira: Ei, não precisa fingir que não tem medo, eu também tenho medo de entrar ai, meus amigos me desafiaram hoje mais cedo e eu não quis entrar.

Eu abri a porta devagar, olhei e a escuridão era toral, acendi o interruptor e as luzes acenderam, mas muito fracas, Matsune ficou agarrada em mim o tempo todo( ahhh se fosse isso hoje em dia o clima não seria de suspense nem um pouco kkkkk)

Depois de subir as escadas com a adrenalina correndo pelas veias nós chegamos ao topo que era bem mais claro, antes de procurarmos a casa de Matsune nós paramos e encostamos no murinho do lado de fora da sala do farol, a vista era absurdamente incrível e deslumbrante, o céu estrelado misturados com o azul escuro do mar de noite eram como um quadro de um pintor famoso, eu olho Matsune maravilhada com o céu cheio de estrelas.

Ikira: É bem bonito não é? 

Ako: É incrível, onde eu morava o céu quase não tinha estrelas e geralmente ficava nublado, mas aqui o céu é lindo.

Ikira: É...muito lindo.-disse mas nnão me referindo ao céu, estava falando daqueles olhos de esmeralda que me hipnotizavam.

Ako: É bem legal aqui em cima, a gente podia vir aqui mais vezes.

Ikira: Verdade.

Fiquei tanto tempo olhando a paisagem que esqueci o porque estávamos aqui.

Ikira: Ako, veja se da pra ver sua casa.

Matsune vai pro outro lado onde possui um binóculo preso no murinho e tenta achar sua casa.

Ako: Ali, eu achei.-falou ela apontando para uma casa com o telhado bege.

Ikira: Falei que ia dar certo, eu sou um gênio mesmo.

Ako: Convencido.

Ikira: E com orgulho.

Ako me deu um soco fraco no meu braço e riu.

Ako: Você ein...

Quebra de tempo

Chegando perto de sua casa Matsune se vira pra mim e me abraça.

Ako: Eu vou sozinha a apartir daqui, obrigada Ikira

Antes dela ir embora eu a chamo.

Ikira, Ako-san espera!!

Ako: O que foi Ikira?

Ikira: É que eu queria te convidar pra ir na praia amanha, meus amigos vão estar lá, quer ir?

Ako: Talvez eu vá, tenho que ver com meus pais antes.

Ikira: Então te vejo amanha, boa noite Matsune.

Ako: Boa noite

Depois de nos despedimos eu voltei pra casa animado para encontrar ela denovo

Flashback OFF

E foi assim que eu e a Ako nos conhecemos, naquela época eu nem imaginaria que tanta coisa iria rolar entre a gente.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...