História Minha Vida Começou com Você - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Bellatrix Lestrange, Draco Malfoy, Harry Potter, Lílian Evans, Lord Voldemort, Lucius Malfoy, Narcissa Black Malfoy, Remo Lupin, Severo Snape, Sirius Black, Tiago Potter
Tags Drakharry, Harry Potter, Omegavers, Tomarry
Visualizações 560
Palavras 1.859
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Ficção, Lemon, Magia, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi gente mais um capitulo pra vocês.
não pude revisar, então desculpem os erros

Capítulo 3 - Mais um Dia de Reunião


Fanfic / Fanfiction Minha Vida Começou com Você - Capítulo 3 - Mais um Dia de Reunião

- a profecia é falsa – foi só o que Voldemort falou, num tom sério e até mesmo com raiva.

 

8 Anos Depois.

 Um jovem moreno de olhos esmeraldas investia com força contra um homem que aparentava ter uns trinta anos, eles gemiam a cada nova investida do mais jovem, o moreno rebolava pedindo desesperado por libertação.

- amor eu vou... – o mais velho não conseguiu terminar, pois seu orgasmo o atingiu com força fazendo sua semente jorrar no colchão a baixo de si.

O mais jovem deu uma risada baixa ao pé do ouvido do mais velho enquanto ele mesmo jorrava dentro do mais velho e se retirando de dentro do maior, caía pro lado abraçando o mais velho.

- temos que levantar – o mais jovem fala dando um beijinho na bochecha do mais velho.

- hummm não quero, quero ficar na cama com você – o mais velho respondeu.

O mais novo sorri dando um selinho no mais velho – anda amor você tem reunião com os seus servos, e eu com o meu esquadrão – o mais novo fala saindo da cama e indo pro chuveiro.

O mais velho rola na cama ficando de barriga pra cima, enquanto espera seu alfa sair do banho.

Depois de um tempo o mais velho vê seu alfa sair do banho e pelado andar pelo quarto, e o mais velho não consegue deixar de secar seu alfa, o mais novo coloca uma cueca azul marinho Box e então uma causa social preta e enquanto ele pega uma blusa o mais velho vê as assas tão negras quando o cabelo do seu alfa surgirem nas costas do seu amor, que terminou de se arrumar.

- anda Tom, levanta, ou os comensais vão começar a achar que você está enfraquecendo – o alfa agora todo caracterizado como sua personificação fala enquanto coloca a mascara verde esmeralda que se confundia com a cor dos olhos do jovem.

- Harry desde quando você ficou mais responsável do que eu? – Tom perguntou se levantando meio emburrado da cama, fazendo o mais novo soltar uma risada.

- Desde quando eu me tornei seu alfa, meu ômega gostoso – Harry falou dando uma palmada na bunda do Tom e saindo do quarto rindo.

Tom tomou um banho, e depois de se olhar no espelho vendo sua nova forma, ele não era mais aquela figura pálida careca com olhos vermelhos, fendas no lugar do nariz, dedos finos e compridos, não, ele agora era um lindo homem de mais ou menos trinta anos, olhos azuis, cabelos pretos muito bem penteados, sua cor ainda era branca só que não era mais doentia, ele sabia que poderia andar no beco diagonal e ninguém o reconheceria, e tudo isso era graças ao seu Harry, foi ele quem doou seu sangue para que Voldemort voltasse a ter sua forma humana, ele ainda usava sua antiga forma, mais apenas para assustar a população bruxa e seus servos, e por isso nesse exato momento ele estava usando sua magia para criar sua antiga forma ofídica, Harry sempre dizia que ele essa era sua forma Lord Voldemort, e sua forma humana era sua forma Tom Riddle Potter.

Potter” – pensou sorrindo olhando para o anel em seu dedo anelar esquerdo, parecia que tinha sido ontem que tinha se casado com o seu alfa, mas na verdade fazia pouco mais de um ano.

Deixando de divagar, Tom, agora em sua forma de Voldemort, desceu para o salão de reunião, onde seu circulo interno já se encontrava.

Voldemort assumiu seu lugar na cabeceira da mesa, a sua esquerda estavam o casal Malfoy e logo depois o casal Lestrange, ao seu lado direito estava o Arcanjo, seu braço direito, e seu melhor soldado, atrás dele em pé, estavam os membros mais poderosos do esquadrão do Arcanjo, todos dois encapuzados também usavam mascaras, porem estas eram pretas, ao lado do Arcanjo estava Severus, e ao lado dele tinha Fenrir Greyblack, os outros Voldemort não se importava com onde sentavam.

- Vamos começar... – Voldemort falou dando inicio a reunião que durou duas horas, no fim da reunião, cada comensal foi fazer o que seu Lord tinha mandando, assim como Arcanjo que agora ia com seus dois “guarda costas” até uma sala menor, onde outros encapuzados com mascaras pretas os esperavam.

Ao todo eram seis membros que faziam parte do esquadrão do Arcanjo, cada um fora escolhido a dedo pelo próprio Arcanjo e treinado por ele, ninguém naquela sala já tinha visto o Arcanjo seu sua mascara verde, porem todos sabiam que ele era o mais poderoso entre eles, e que ele poderia vencer os seis brincando com uma mão amarrada nas costas, por isso o Arcanjo possuía o respeito e admiração dos 6 membros do esquadrão.

O Arcanjo passou as ordens para os membros, normalmente eles se dividiam em três duplas e o Arcanjo sempre agia sozinho, até os comensais mais fortes do Voldemort temiam o esquadrão do Arcanjo, afinal uma única dupla daquele esquadrão podia causar mais destruição que duas dezenas de comensais juntos.

As reuniões do esquadrão quase nunca demoravam tanto quanto a do Voldemort, primeiro por que o esquadrão tinha poucos membros e segundo porque ao contrario de muitos comensais que serviam por medo, o esquadrão servia o Arcanjo por admiração e respeito, e isso facilitava na hora de dar as ordens, ninguém queria decepcionar o Arcanjo.

Assim que o Arcanjo saiu da sala de reunião, o esquadrão se despediu dele e cada dupla foi cumprir sua missão, o Arcanjo foi até a sala onde Voldemort estava conversando com o “espião”, o Arcanjo nunca tinha confiado no espião, ele fedia a traição, porem Voldemort confiava nele, então ele ficava quieto.

Severus viu o Arcanjo se posicionando ao lado do Voldemort, com uma posição protetora, Severus nunca tinha conseguido descobrir a verdadeira identidade do Arcanjo, que parecia nunca tirar a mascara, nem mesmo nas festas ele tirava para comer, na verdade a mascara dele era encantada para que ele pudesse comer sem retirá-la, a oclumencia do arcanjo também era impenetrável, ele era auto, mais auto um pouco mais baixo que o Lord e tinha um porte físico definido, Severus não sabia dizer se ele tinha catorze ou vinte e cinco anos, ele podia ter alguém idade entre essas duas, os cabelos estavam sempre cobertos pelo capuz, de modo que ele não sabia nem a cor do cabeço, o soldado mais poderoso do Lord das Trevas e ele era uma verdadeira incógnita para Severus, não só ele, mas os esquadrão dele inteiro, dizia-se entre os comensais que nem mesmo os próprios membros do esquadrão sabiam quem eram seus companheiros, apenas o Arcanjo sabia as identidades de todos os membros, se isso era ou não verdade ele não sabia.

- Dumbledore ainda está tentando refazer os laços com os Potter’s e amigos deles? – Voldemort perguntou.

- sim Mi Lord, dês da morte de Harry Potter, os Potter’s culpam Dumbledore por ter os coagido a irem para Godric’s Hollow, Lilian continua repetindo que se tivessem ficado na mansão Potter, o mini Potter ainda estaria vivo – Severus respondeu carregando sua voz de desprezo ao se referir ao sobrenome Potter.

O Arcanjo teve que fazer muita força e se segurar muito para não atacar o morcego velho pelo jeito que ele falava sobre os Potter’s.

- quem mais está apoiando eles contra o velho? – Voldemort perguntou.

- Black, o padrinho de Harry Potter, Remus Lupim, os Longbottom e Marlene Mckinnon, a madrinha de Harry Potter – Severus respondeu.

- sabe por que o velho tem tanto interesse neles? – Voldemort perguntou.

- isso é fácil, Dumbledore é um velho manipulador, porém ele não pode fazer muito sem dinheiro e sem poder, ele pode ter influencia, mas sem as cadeiras do Wizegamont das famílias Potter, Black e Mckinnon ele não consegue fazer suas propostas serem aprovadas, sem falar que a fortuna das três famílias são enormes, antes de Harry Potter morrer, James fazia doações generosas para a Ordem da Fênix, assim como Black, sem a ajuda deles Dumbledore tem encontrado dificuldades em manter a Ordem, ele já teve que dispensar alguns combatentes mais fracos ao logo dos anos por falta de verba – Severus relatou.

- ótimo, ótimo – Tom falou pensativo – algo mais que tenha para relatar Severus? – Voldemort perguntou.

- não meu senhor – Severus respondeu, recebendo um bufo de descrença.

- só isso? Sério? Nem um plano de ação que o velho possa estar tramando? Nem um relato de possíveis movimentos? – o Arcanjo perguntava com sua voz carregada de sarcasmo e para assombro de Severus, magia, a voz do Arcanjo carregava uma quantidade absurda de magia, o quão poderoso aquela criatura era? – do que adianta um espião que não nos conta os planos do inimigo? – o Arcanjo perguntou com raiva.

Severus estava pronto para rebater quando Voldemort levantou a mão para parar as provocações do Arcanjo.

- agradeço sua preocupação Arcanjo, mas tenho certeza que se Severus tivesse algo mais para nos relatar ele nos relataria – Voldemort falou com calma e até mesmo uma nota de divertimento, o que deixou Severus com um pé atrás, Voldemort estava mesmo se divertindo com a situação?

- se você diz meu senhor – Arcanjo respondeu fazendo uma ligeira reverência.

- agora... – Voldemort começou a falar – creio que você já saiba o que fazer Arcanjo – Voldemort comentou com quem não quer nada.

- obviamente meu Lord – Arcanjo respondeu não apenas com uma nota, mais com uma sinfonia inteira de divertimento, e na mesma hora o Arcanjo aparatou.

- achei que não fosse possível aparatar e desaparatar dentro da mansão Mi Lord - Severus comentou escondendo sua surpresa ao ver o Arcanjo aparatando de dentro da mansão.

- Ora Severus você já deveria saber que o Arcanjo tem poderes fora do normal, sem falar que ele não é muito de seguir as regras – Voldemort comentou realmente divertido com a situação.

Durante um tempo Severus ficou absorvendo aquela informação, então o Arcanjo realmente possuía poderes acima do comum, ele precisava contar isso para Dumbledore, ele precisava relatar sobre os poderes do soldado mais leal e poderoso do Lord das Trevas.

Só depois de algum tempo que Severus finalmente se ligou que Voldemort dera uma missão para o Arcanjo, e se as histórias sobre os ataques do mesmo ser devastadores, forem verdadeiras, alguém estava correndo muito perigo, por isso muitos da ordem o chamavam de arcanjo da morte.

- se me permite Mi Lord, o que o Arcanjo foi fazer? – Severus sabia que estava se arriscando ao perguntar sobre a missão do outro, mais ele tinha que saber o que iria acontecer.

- ora Severus, você deixou bem claro para o que o Dumbledore precisa dos Potter’s e seus amigos, então o Arcanjo vai fazer com que o velho nunca mais consiga por as mãos nos acentos e herança deles – Voldemort respondeu de forma tranquila.

Severus teve que se controlar e muito para não deixar o horror transparecer em seu rosto, o Lord das Trevas tinha mandado seu soldado mais letal e sádico matar os Potter’s e seus amigos, ele precisava avisar ao diretor, ele não podia deixar que aquele sádico matasse Lilian, ele precisava sair dali, porem sem levantar suspeitas.

Continua...


Notas Finais


Gostaram? deixem seus comentários bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...