História Minha vida como se fosse um livro - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Romance
Visualizações 13
Palavras 2.027
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 2 - Capítulo 2



(S/n): pelo jeito.

10 minutos depois

Já estávamos todos no saguão esperando o nosso sensei.

(Sensei): estão todos prontos?

(Todos): sim.

(Sensei): então vamos.

(S/n): pera. - fiquei atrás de Felipe e pedi que ele se abaixasse, e subi nas costas dele. - agora sim podemos ir.

(Felipe): isso é preguiça ou e pra me perturba?

(S/n): hum... Ambos.

(Felipe): nossa.

(Sensei): vamos?

(S/n): agora sim.- e Felipe me leva mesmo nas costas dele.

Fomos até o restaurante do hotel, e era lindo, grande e cheirava muito bem.

(Sensei): chegamos.

(S/n): já pode me descer. - digo dando 2 tapinhas nas costas de Felipe.

(Felipe): pronto.

(S/n): obrigada. - digo o abraçando.

(Felipe): de nada. - diz com um sorriso bobo no rosto.

Depois de comermos fomos conhecer o clube aonde iria ser o campeonato,já tinha gente lá mas a gente só iria voltar depois e foi quando eu me virei para atrás e vejo ele lá Júnior encostado na parede com o seu crachá me olhando.

Vou correndo em sua direção e o abraço e ele faz o msm.

(S/n): o que você tá fazendo aqui? - digo sorrindo toda boba.

(Júnior): nossa quer que eu vá embora?

(S/n): não só perguntei.

(Júnior): esse clube é do meu pai.

(S/n): ah, tá, quer conhecer o pessoal?

(Júnior): pode ser.

(S/n): vem. - digo pegando em sua mão e o puxando.

(Sensei): vocês se conhecem?

(S/n): sim, pessoal esse é o Júnior filho do dono do clube. - assim que termino de falar Júnior coloca o braço nos meus ombros e eu na sua cintura, e Felipe me olha com um olhar diferente e estranho.

(Júnior): tem algum problema se eu roubar a s/n só um pouquinho. - pergunta para meu sensei.

(Sensei): pode levar. - Júnior na mesma hora me puxa pela mão e me leva para fora, o clube por dentro era fechado é com várias coisinhas e por fora era lindo tinha Flôres, grama e várias outras coisas. - só que Felipe veio atrás para ficar de olho.

(Júnior): gostou da surpresa? - diz pegando em minha mão

(S/n): gostei sim e muito. - digo olhando em seus olhos.

(Júnior): amanhã vai ter uma festa aqui aberta para todos vai ter bebidas, comida, música é outras coisas.

(S/n): hum..

(Júnior): então, quer vir comigo?

(S/n): claro, digo sim - digo meio sem graça.

(Júnior): o pessoal do judô também pode vir.

(S/n): mas é seu pai?

(Júnior): oque que tem ele?

(S/n): ele sabe.

(Júnior): sabe eu já falei com ele.

(S/n): então tá.

(Júnior): eu vou no hotel de vocês as 21:00 pode ser?

(S/n): claro.

(Júnior): vem vamos sentar aqui. - deitamos na grama e ele colocou o braço em volta da minha cabeça e começamos a nos encarar, nosso rostos começaram a se aproximar e quando estavamos quase nos beijando chega Felipe.

(Felipe): o sensei tá te chamando. - eu abaixo a minha cabeça e encosto no peitoral de Júnior e ele me abraça e fala em meu ouvido tudo bem e me dá um beijo na bochecha.

(S/n): oque ele quer? - pergunto para Felipe?

(Felipe): vamos para o hotel nos preparar o campeonato já vai começar.

(S/n): desculpa Júnior, a gente conversa depois pode ser?

(Júnior): claro. - diz me abraçando.

(Felipe): vamos.

(S/n): calma euem.

(Felipe): vamos. - diz me puxando pela mão, eu vi em seus olhos que oque ele tinha não era preocupação em se atrasar era alguma coisa diferente.

É assim fomos todos para o hotel nos arrumar.

(Felipe): eu não fui com a cara daquele muleque.

(S/n): e eu com isso? Ele é meu amigo você não tem que gostar dele.

(Felipe): nossa grossa só tô avisando.

(S/n): tá mas dá pra parar de ficar na cola?

(Felipe): não.

(S/n): porque?

(Felipe): eu sou seu amigo e me importo com você, se acontecer algo com você não sei oque eu vou fazer. - eu estava ao mesmo tempo com raiva e agradecida a ele.

(S/n): obrigado e bom saber que eu tenho você como amigo de verdade, só tenta não chegar no momento errado.- Nesse momento eu queria está com raiva dele mas eu não conseguia.

(Felipe): tá. - eu já estava toda vermelha e Felipe me deu um beijo na bochecha.

(Sensei): vamos logo peguem seus kimonos rápido e vamos.

Nós pegamos nossos kimonos e voltamos para o clube, lutamos e ganhamos e voltamos para o hotel para nos arrumar para a festa.

No quarto.

(Luara): então amiga. - diz me puxando para a cama.

(S/n): eu.

(Luara): você tá pegando o Júnior?

(S/n); eu? Não.

(Luara): mas você gosta dele né?

(S/n): e..e..e.

(Luara): é...é...é oque.

(S/n): acho que sim, mas ele não.

(Luara): você só pode estar brincando né?

(S/n): não, por quê?

(Luara): você já viu como ele te olha?

(S/n): como assim?

(Luara): ele tá caidinho por você.

(S/n): para de falar besteira. - me levanto e vou em direção ao banheiro tomar um banho, faço minhas higienes pessoal e me enrolo na toalha e saio do quarto e vou em direção a mala colocar o meu vestido, e ouço alguém batendo na porta mas não ouço ninguém falando nada apenas o barulho da porta abrindo.

(Luara): s/n vou ali no quarto da Larissa rapidinho pegar o apontador do lápis de olho.

(S/n): tá. - e eu nem vi ela saindo pos eu estava de no banheiro colocando o vestido mas eu não consegui fechar o zíper pós era atrás e eu não alcançava.

Aí eu ouço novamente o barulho da porta sendo aberta e suponho que seja a Luara.

(S/n): Fechar aqui pra mim por favor eu não alcanço. - digo andando de costas sem saber se era a Luara mesmo, sinto uma mão fechando o vestido lentamente e me viro para agradecer e vejo que era o Júnior e que foi a Luara que o deixou entrar.

(S/n): obrigada Júnior. - digo virando. - Júnior? - digo assustada por não saber que era ele.

(Júnior): nossa.

(S/n): que foi? To muito feia né esse vestido nem é meu e da minha amiga.

(Júnior): não, você está linda. - diz se aproximando. - na mesma hora chega Felipe.

(Felipe): Gabi você tem? - chega Felipe e vê Júnior sozinho no quarto comigo. - mas o que está acontecendo aqui?

(S/n): calma, não é nada do que vocês tá pensando.

(Felipe): oque esse muleque tá fazendo no seu quarto?

(Júnior): olha como fala.

(S/n): olha Felipe não é nada do que você acha que está acontecendo, e bate na porta antes de entrar.

(Felipe): era pra mim bater na porta pra você esconder ele?

(S/n): não, não aconteceu nada se você não acredita o problema não é meu.

(Júnior): vamos s/n?

(Felipe): ela não vai a lugar nem com você sem mim. - diz me segurando pelo braço.

(S/n): ah mas eu vou sim, não é você que escolhe.

(Felipe): você não vai a lugar nenhum com ele.

(S/n): me solta tá me machucando.

(Felipe): não.

(Júnior): você não ouviu? Solta ela.

(Felipe): ou oque?

(S/n): pronto não vou mas a lugar nenhum, é isso que você queria né? Estragar a noite.- digo e Felipe me solta.

(Júnior): não, vamos sim s/n.

(S/n): não deixa eu vou ficar no hotel. - digo olha com um olhar de ódio para Felipe as lágrimas.

(Felipe): não espera, você pode ir não chora. - diz limpando minhas lágrimas.

(S/n): não toca de novo em mim. - Digo o empurrando para longe de mim.

(Felipe): não fica assim. - diz se aproximando novamente.

(Júnior): você é surdo? - diz ficando na minha frente mas ainda me dando visão para Felipe.

(Felipe): desculpa. - diz soltando uma lágrima, e é nessa hora que eu começo a chorar mais ainda.

(Júnior): calma tá tudo bem. - diz me abraçando e me dando vário beijos na Buchecha.

(Luara): oque eu perdi aqui? - diz Luara abrindo a porta.

(S/n): nada. - Júnior e eu ainda estávamos abraçados, mas ele me abraça mas forte ainda é fala no meu ouvido.

(Júnior): estou te esperando lá em baixo. - e se levanta para esperar todos lá em baixo.

Eu fui a última a descer e Felipe também e eu tava com dificuldade de trancar a porta do quarto e Felipe veio me ajudar.

(Felipe): pronto.

(S/n): eu não pedi a sua ajuda. - digo puxando a chave de sua mão.

(Felipe): nossa de nada. - diz em um tô irônico.

(S/n): obrigada. - digo indo em direção ao elevador

(Felipe): ótimo só tem a gente eu preciso muito falar com você.

Finjo não ouvir e começo a mecher no celular, assim que ligo o telefone o protetor de tela está a minha foto com Felipe e paro para pensar.

(Felipe): você ainda tá com a nossa foto eu também, então quer dizer que ainda tem chances de você falar comigo.

(S/n): não é só por quê eu fiquei bonita nessa foto.

(Felipe): então porque você não me cortou da foto?

(S/n): oque você quer?

O elevador chega e entramos

(Felipe): me desculpa eu não queria fazer aqui me deixei levar porque eu gos. - e para de falar

(S/n): por quê?

(Felipe): porque eu me emporto com você.

(S/n): mas não precisava daquilo tudo, ah e se controla com a bebida.

O elevador abre e eu saio.

(Júnior): nossa você tá muito linda.

(S/n): obrigada.

(Júnior): então, vamos? - pergunta para o pessoal.

(Todos): vamos.

5 minutos depois

chegamos no clube é ficamos todos em uma mesa só é Felipe estava bebendo muito e estava muito bebado, eu tentei falar com ele pra ele parar de beber só que ele me puxou para beija-lo e eu virei o rosto e ele me empurrou e eu bati com a cabeça na mesa e todos ficaram assustados, eu começo a igunoralo e fico conversando com Júnior e Felipe começa a passar a mão da minha coxa.

(S/n): você ficou maluco? - digo tirando sua mão da minha coxa.

(Júnior): cara você não tem limites né?

Felipe coloca mais uma vez sua mão na minha coxa só que ele subiu rápido dessa vez e ele colocou a mão em minha região íntima e eu rápidamente tirei sua mão de lá e ele puxa o meu vestido e ele rasga e Júnior rapidamente me empresta seu casaco.

(S/n): babaca. - saio chorando.

(Júnior): qual é o seu problema? - e dá um soco na cara de Felipe. - s/n espera.

Eu estava do lado de fora chorando e Júnior chega.

(Júnior): me desculpa isso tudo é culpa minha, eu sinto muito.

(S/n): tudo bem a gente iria vir pra festa de qualquer jeito, a festa é para os vencedores e nos ganhamos. - digo as lágrimas

(Júnior): calma eu estou aqui, nada de ruim irá acontecer desde que eu esteja do seu lado. - diz se sentando ao meu lado e me abraçando.

(S/n): obrigada. - digo olhando no fundo de seus olhos. - e ele me beija no canto do rosto pertinho da boca e faz um olhar para mim continuar.

(Júnior): vocês quer dormir lá em casa hoje?

(S/n): já são 2:00 da manhã seus pais vão me matar depois de te matar.

(Júnior):calma eles são de boas, e eles devem estar dormindo.

(S/n): então tá né.

Fomos até a casa de Júnior.

(Júnior): pronto chegamos.

(S/n): nossa, sua casa é de mais.

(Júnior): valeu, vem o quarto é aqui em cima.

Entramos no quarto dele.

(S/n): me empresta uma camisa sua grande?

(Júnior): tá, mas pra que?

(S/n): eu vou dormir com esse vestido rasgado?

(Júnior): atá. - Júnior pega uma camisa grande e me entrega e eu vou ao banheiro do de quarto para tirar o vestido e colocar a camisa, confesso que a camisa não era tão grande quanto eu esperava se eu levantase os braços apracecia a minha bunda mas tudo bem é só eu não levantar.

Eu saí do banheiro com o rosto lavado sem maquiagem e com sua camisa com o cabelo meio despenteado.

(Júnior): sabia que você e bem mais bonita sem maquiagem?

(S/n): obrigado. - digo me deitando em sua cama

(Júnior): vou beber água e já volto. - diz com a mão na fechadura.

(S/n): Júnior espera. - Júnior se vira e vem em minha direção e eu o puxo para mais perto e o beijo.

(Júnior): até que em fim.- diz me beijando novamente, e sai indo para a cozinha beber água.

Assim que ele volta ele pega um travesseiro e coloca no chão e deita.

(S/n): oque você está fazendo?

(Júnior): eu vou dormir aqui.

(S/n): para de palhaçada tem bastante espaço aqui na cama. - ele sorriu e se deitou ao meu lado, colocando o braço em baixo da minha cabeça e eu me deito em seu peito.

(Júnior):quer ver um filme?

(S/n): pode ser.

Júnior coloca em um filme, antes mesmo da metade do filme eu me viro para Dormir e ele desliga a tv e faz o mesmo, ele se vira para o mesmo lado que eu e me abraça.

(Júnior): boa noite. - e me beija

(S/n): boa noite



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...