1. Spirit Fanfics >
  2. Minha vida fora da lei.. (BTS fanfic) >
  3. Chapter 4

História Minha vida fora da lei.. (BTS fanfic) - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Oi pezoas quanto tempo sksksk
Esta aí mais um capitulo depois de anos skkssk, espero que gostem e me perdoe se estiver ruim, criatividade ta difícil.
Eu editei algumas coisinhas pra tentar fazer a história ficar interessante, não sei se deu certo mas tentei rsrsrsrs.

Boa leitura pra vcs, desculpem qualquer erro que tenha no capitulo, vou tentar postar mas dependendo da minha criatividade e tempo, não posso prometer postar sempre mas não vou abandonar essa fanfic tão cedo ksksks fiquem tranquilos sksks

Só isso msm sksk xaun <3

Capítulo 4 - Chapter 4


Quebra de tempo..


   Estava no meu quarto pintando e pensando muito sobre fazer uma escolha, ou eu seguia essa vida de Gângster e seguia meu caminho até chegar a um final conforme minhas escolhas ou viver reclamando o tempo todo e ficar no mesmo lugar sem um destino, eu realmente não queria mas cheguei a conclusão que ficar nessa vida até achar uma oportunidade de sair dela seria mais fácil do que ficar reclamando da vida que tenho e não fluir com ela.
   Vou ser independente e decidida como um gângster até um ponto da vida, eu e Kyara vamos sair dessa e ter o que queremos, vamos conseguir, demore o tempo que for, vou sair dessa merda de vidinha de bandida e ir para uma vida justa junto com Kyara, vou ser uma boa gângster até lá.

   Escuto alguém bater na porta, logo peço para a pessoa entrar.

  -Oi, não vai comer? Já são quase duas da tarde -Pergunta minha irmã na porta do meu quarto-.

  -Oi, eu não estou fome -Digo baixo pintando a parede-.

  -O que foi? Está pensativa -Pergunta novamente entrando no quarto e fechando a porta em seguida se sentando ao meu lado- É sobre o papai e a mamãe? Ou o internato?

  -É...tem haver também, é algo complicado -Digo colocando o pincel dentro do copo e olhando para a parede ainda molhada com a tinta-.

  -Quer me contar? -Pergunta novamente olhando pra mim calmamente-.

  -Eu, estava pensando, e cheguei na conclusão de que temos que aceitar essa vida de gangster até acharmos uma oportunidade de sair dela e viver a vida que nós tanto quer. Temos que procurar essa oportunidade e entrar nela o mais rápido possível quando acharmos.

  -Hmm entendo, bem Amicia, você tem razão, não vai adiantar nada se não agirmos certo?

  -Sim, mas e ai? Você...aguenta esperar o tempo que for para sairmos dessa? -Pergunto olhando pra mesma com um sorriso fraco-.

  -Eu topo -A mesma sorri docemente- Não importa o que aconteça, vamos sair dessa juntas, nem que sejamos presas pelos nossos talvez futuros crimes mana -Diz fechando as mãos e esticando o punho pra mim-.

  -Vamos superar juntas então -Sorrio fecho as mãos também logo demos um toquinho-.

  -Bem e sobre a mamãe e o papai? Vai continuar assim com eles?

  -Desculpa Kyara mas vou sim, eu realmente odeio conversar com eles, você é a única que me entende na situação.

  -Entendo, mas enfim, quer que eu pegue algo pra você comer depois? -Pergunta se levantando-.

  -Quero sim por favor -Digo me levantando também- eu não vou terminar essa parede tão cedo

  -Relaxa, nos finais de semana e feriados a escola deixa os alunos ficarem em casa, porém se formos voltar nos finais de semana acho que temos que vir disfarçadas

  -Ah é...esqueci que o papai e a mamãe estão sendo perseguidos e a gente ta nessa -Solto um longo suspiro coçando a cabeça- É literalmente nessas horas que tenho ódio e me arrependo da minha escolha que fiz a minutos atrás.

  -Calma Amicia -A mesma ri indo para a porta e abrindo a mesma- Vai dar tudo certo, confia, vai arrumar suas coisas, amanhã partiremos para a nossa nova casa temporária, quando eu acordar eu venho te chamar.

  -Ta bom -Rio olhando a mesma me dando um tchauzinho e saindo fechando a porta em seguida-.

   Confesso que to com um pressentimento ruim sobre ir a esse orfanato, nunca me separei dos meus pais assim, sei que não gosto muito de falar com eles, mas nunca fiquei longe e nunca fiquei junto com outras pessoas sem ser eles e a Kyara...Ta, Ta...eu estou com medo, medo de ser enganada e morta, medo de cair em papinhos ridículos, eu realmente espero que nós consiga ficar tranquilas por lá.


Dia seguinte

06:00 da manhã



   Acordo com minha irmã me chamando. Com a maior preguiça do mundo e um desânimo enorme, me levanto indo me arrumar, hoje era o dia em que eu não sabia se morria de ódio ou se chorava por ter que conviver com outros seres.

   Depois de me arrumar desço com as minhas coisas esperando minha irmã e meus pais terminarem de arrumarem. Estava com um tênis branco, com uma meia que ia até as coxas listrada, estava com um shorts curto jeans com um moletom preto que quase cobria todo o shorts, e tinha uma frase aleatória no centro do moletom, não estava tão ruim minha roupa, mas confesso que estou enjoando de preto e branco.

  -Pronta Amicia? -Pergunta minha mãe descendo as escadas-

  -aham...

  -Que bom -A mesma suspira olhando para a escada, logo Kyara e meu pai descem com algumas malas-.

  -Vamos pro carro, não podemos esperar mais -Diz meu pai sério indo pro carro com as malas-.

   Logo saímos da casa e entramos no carro, meu pai da a partida e fomos seguindo uma estrada deserta que tinha na floresta, era o jeito mais seguro para nos locomover para não sermos presos. Fico o caminho todo olhando pra janela do carro, fiquei pensando em como seria falar com outras pessoas, eu quase não via outras pessoas, na nossa família somos literalmente ovelhas negras por estarmos vivendo escondidos e perseguidos. Eu já me acostumei e tenho ódio disso.

   E sobre odiar as pessoas, eu digo que odeio porque, nunca vi muitas pessoas na minha vida por conta de segurança, e minha mãe sempre colocou coisas na minha cabeça, hoje eu não sei se é real o que ela dizia ou se é mentira, vou descobrir logo, e.. bem, como vou viver com outros gângsters,não vou esperar muito deles, pois como ja falei, todos são assassinos, idiotas e que só querem viver uma vida fácil e injusta. Então como não sou idiota vou ter o máximo de cuidado perto deles.

  -Pensando de novo Amicia? -Pergunta Kyara com um sorriso doce no rosto-.

  -Ai Deus, não posso pensar mais?

  -Claro que pode, só estou achando você pensativa de mais, ta nervosa?

  -...Eu não vou falar com ninguém naquele internato -Coloco meus fones e ponho uma música no celular- Quero aquelas pragas longe de mim.

  -Ai Amicia, nós vamos conseguir, não se preocupa com as pessoas, quem sabe elas são legais...

  -Não acho que sejam até que um deles me prove o contrário -Digo seca aumentando o volume-.

 -Ai Ai Amicia...-Suspiro fundo olhando pra janela-.


Quebra de tempo...



   Algumas horas depois chegamos no tal internato, era bem bonito por sinal, era uma escola enorme, tinha dois prédios não muito grandes, se eu não me engano um era a escola e o outro os dormitórios, apenas deduzo ser, porque pode ser que tenha duas escolas no mesmo lugar, sei la um pra menina e outro para os meninos, enfim não é importante nem sei porque estou pensando nisso.

   Meu pai estava conversando com uma moça enquanto minha mãe ficava falando os cuidados que temos que ter por aqui, estava bem chato ouvir ela falando...porém não deixava de ser importante suas palavras.

  -Não fale muito com eles, lembrem-se, todos ali dentro são gângsteres que nem vocês duas, são traiçoeiros, podem enganar vocês, tomem cuidado por favor, evitem brigas e sejam educadas la dentro, a escola é bem protegida mas vocês podem tomar o máximo de cuidado possível também

  -Ta bom mãe...ja entendemos, vamos tomar cuidado prometemos ta bom? -Diz Kyara sorrindo um pouco forçado mas não deixando de ser doce-

  -Ai ta bom...-Diz logo abraçando a mesma- cuide de Amicia por favor, espero que as crises dela melhorem logo e espero que vocês fiquem bem por aqui

  -Nós vamos mamãe, pode deixar -Diz separando o abraço, logo minha mãe vem em minha direção e me abraça-

  -Se cuide Amicia...eu te amo muito, espero que melhore, logo eu e seu pai voltaremos para casa depois da nossa missão.

  -Obrigada mãe...-Digo dando tapinhas nas costas da mesma- boa viagem pra vocês, eu....também te amo mãe...-Digo com uma voz baixa e um pouco triste, minha mãe logo separa o abraço sorrindo e saindo de perto da gente entrando no carro-.

   Meu pai logo termina a conversa com a moça e vem em nossa direção para nos despedir

  -Bem, eu espero que se cuidem, vou ligar quando estiver tempo livre para saber como vocês estão, e...boa sorte, vocês vão conseguir, nossa missão vai acabar logo prometo -Diz logo dando um beijo em nossa testa- A moça irá levar vocês até seus quartos..tchau minhas filhas -Se despede dando um sorriso fraco-.

  -Tchau pai, se cuidem -Diz Kyara sorrindo fraco também-.

   O mesmo se afasta entrando no carro, fiquei apenas olhando, o mesmo deu a partida logo acelerando o carro sumindo de nossas vistas rapidamente.
   Kyara olha pra mim e pergunta:

  -Pronta Amicia?

   Eu olhando para a paisagem respondo com um suspiro profundo de arrependimento e ao mesmo tempo medo.

  -Sim... Vamos lá...

   E vamos lá né...internato, ai vou eu...

...

...
...

...























Notas Finais


E foi isso ai skskks
Obrigada por lerem e até o próximo capitulo <3

Bjus


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...