História Minha Vida Não é a Mesma - Ruggarol - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Karol Sevilla, Ruggero Pasquarelli, Sou Luna
Personagens Karol Sevilla, Ruggero Pasquarelli
Tags Amor, Beijo, Hot, Karol Sevilla, Lutteo, Pegas, Ruggarol, Ruggero Pasquarelli, Sou Luna
Visualizações 188
Palavras 1.706
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oioi amoressssssss, to atrasada com esse capítulo? To!
Mais juro que vale muitooooooo apena...
Sem mais delongas, boaaaa leitura!

Capítulo 17 - Capítulo 17


Ruggero

-... Assim que terminar o passo vocês se beijam, ou melhor o Matteo surpreende a Luna com um beijo - Martín terminou de explicar sua ideia e olhava pra nós em busca de opiniões…

Faz mais de meia horas que estávamos ensaiando, a cena se resumia basicamente em três tentativas de fazer o passo, e só na última daria certo e com a emoção do momento rolaria um beijo….

- Um beijo? - Pergunto um pouco intrigado

- A gente já não gravou um na semana passada?

- Sevilla tá certa, a gente já gravou um na semana passada

- Eu sei o que fizeram, mais quero um diferente com emoção pelo momento,  com mais sentimentos… pela forma como agem até parece que vão se beijar são vocês, não Luna e Matteo

- Não… Não é isso é que… - Karol não tinha coragem pra terminar..

- É que??? - Martín a incentivou

- Nada esquece - Ela respondeu com indiferença

- Então ótimo, vamos passar mais uma vez desde o início!  

- Pronta pra mais uma? - Karol perguntou, já era a sexta vezes que passávamos a coreografia, mas agora seria o conjunto interno da cena

- Nasci preparado baby… É cuidado pra não machucar esse deus grego que vos fala,  não queremos que a série fique sem protagonista certo? - Acrescentei com meu tom brincalhão…

- Hmmm pensando assim,  acho que quero que você se machuque… assim eu ia ser protagonista sola… - Ela abre um sorriso e uma risadinha de nada escapa dos lábios

- Em seus lugares por favor! - Patinamos a nossas posições - 1!  2! 3! Ação!


Roteiro:

MATTEO: Te deixo nervosa?

LUNA: Não! Da onde tirou isso?

MATTEO: Pela forma como você tá agora (Pausa pra respirar) Se continuar assim não vamos conseguir fazer o passo…

LUNA: Eu não to nervosa, é sim a gente vai conseguir fazer! Chega de papo, vamos tentar mais uma vez?

MATTEO: Vamos

Primeira tentativa falha

MATTEO: Luna, respira

LUNA: Matteo (Olha pra ele) e sério isso?  

MATTEO: Sim.. (Olha pra cima e respira)..  olha se continuar assim não vamos sair daqui hoje...

LUNA: Tá, vamos tentar do seu jeito… (Feche os olhos e respira, nessa hora Matteo começa a iniciar o passo)

Segunda tentativa quase dá certo

(Luna abre os olhos e se desconcentrar)

MATTEO: Viu quase deu certo, mas você abriu os olhos...

LUNA: Você tem razão mauricinho, vamos tentar mais uma vez do seu jeito ( Eles observam com o olhar de apaixonados)

MATTEO: Confia em mim?  

LUNA: Que?

MATTEO: Você me entendeu.. (Ele levanta o olhar dela, e se encontram)

LUNA: Confio (Ela sorri timidamente)

MATTEO: Ótimo! Fecha os olhos (ela faz) e respira fundo (ela faz) só abra quando eu falar que pode ok? (Ela confirma com a cabeça)

Terceira tentativa sai perfeita, Matteo ainda segura Luna pela cintura mantendo a próxima dele

LUNA: Matteo!  A gente consegui!!!! (Pula eufórica em cima dele)

MATTEO: Sim, menina delivery! ( ele beija ela de surpresa)


A puxei mais para perto de mim, fazendo nosso corpo se colorem mais, uma das minhas mãos estava na base da sua cintura, mas alguns milímetros estaria em sua bunda, seus olhos estavam no mesmo tom de verde do meu sonho, seu peito subia e descia rápido demais, com a outra mão puxei seu rosto para perto do meu… a vi morder o lábio inferior com desejo de antecipação...  Nesse momento a única certeza que tinha era que ali não éramos Luna e Matteo

- Rugge… - A calei com um beijo

Um beijo possessivo, nossas bocas se uniram diretamente, chupei como uma fruta madura, acaricie com língua e dei leve mordiscadas em seus lábios. Um contato calmo e demorado. Uma das mãos de Karol, subiram até minha cabeça seus dedos entraram em meus cabelos como uma suave massagem, mais logo me puxaram mais pra si, sua mão direita desceu do meu ombro pra meu braço, onde podia sentir leve apertões…

Um barulho de garganta foi o que nos fez separar

- Ruumrum - Não queria soltá Karol, não sabia quanto tempo tínhamos ficado ali aproveitando, Me distancie,  mas ainda segurava em sua cintura, a mesma me olhava com receio, perguntas se formaram em seu olhar e sua respiração ainda era afobada… -  Muito intenso e espontâneo também! Perfeito pra cena!! Juro que não espera por esse beijo, foi algo surpreendente o que fizeram, quero parecido na terça-feira - Martin ainda falava todo animado sobre o ensaio, mas a única certeza que me passava pela cabeça naquele momento era aquele beijo não tinha sido só um ensaio é sim algo mais forte - Bom crianças estão liberados por hoje…

- Eeeee dá pra me solta? - O tom de voz dela era áspero

- Ah claro…  desculpa - A solto contra minha vontade

- Eee… eeee.. - Sérgio interrompe Karol

- Ooo Ruggero o Jorge quer você na sala dele! AGORA!  

F U D E U! Foi tudo o que pensei ao ouvir aquilo! Provavelmente estaria suspenso das gravações por conta da briga com Lio

- Droga!  

- Tá tudo bem?

- Tá piccola, vou ver o que ele quer e já volto pra gente poder dar o pé daqui - Uso meu to de brincadeira apesar de por dentro estar uma pilha de nervos, pisco pra ela, isso está virando um hábito…

Não espero uma reposta,  me livro dos patins no canto qualquer da pista, pego meu sapato e corro para o escritório, chego em menos de um minuto na porta terminei de calçar os sapatos,  e bato…

- Entre - Assim que coloque o pé na sala tive plena certeza do que me esperava….


Karol


Nós beijando! Não me lembro de como acabamos ali num beijo intenso e saboroso, mais foi o que aconteceu!

Tenho consciência que naquele momento não éramos Luna e Matteo, e sim Karol e Ruggero, mas Martin achava o contrário, então não seria eu a contrária o diretor, minha cabeça ainda dava volta e volta nesse assunto, não chegava a conclusão nenhuma a respeito, fico imaginando minha mãe vendo esse ensaio, ela provavelmente teria um ataque cardíaco…

Precisava de um refúgio para colocar as ideias em ordem e esse lugar era meu camarim, tirei meu patins, e deixei os juntos com o do Rugge na pista,  vesti a botinha que estava usando pra gravar e segui caminho para meu cantinho

Assim que entre no corredor uma voz chamou minha atenção,  vinha da sala do Jorge… me aproxime com acautelar…

- Ruggero eu estou dando a chance de se explicar! Como fiz com o Lionel

- Não tem o que explicar,  foi uma briga pronto!

- Porra! Ninguém quebra o nariz de outra pessoa sem motivos!

- Eu não sabia que tinha quebra o nariz daquele filho da puta,  mas bem feito!

- Ruggero!

- Eu bati nele porque me chamou de Filho da puta,  mimado! Satisfeito? Não ia deixar ele xingar minha mãe!  

- Só?  

- Que me lembre sim

- A Sevilla não tem nada haver com isso?  

- Não!

- Eu te conheço desde 18 anos, então não minta pra mim o que a Karol tem a ver com essa briga!  

- Segundo o Lionel,  eu armei alguma coisa pra trazer a Karol todo os dias!

- E você fez isso?  

- Não Jorge! Eu não fiz nada além de me oferecer pra trazer-lá,  por acaso isso e crime?

- Não é! Mais acho estranho ele afirmar que o motivo foi ela

- Ele tá mentindo! Ela não tem nada a ver com a nossa briga! Pergunte ao Sérgio ou a Ceci eles tavam lá

- Eu não quero saber, eu não aceito briga aqui dentro,  querem se matar ótimo! Mas do portão pra fora aqui NÃO! Eu podia te suspender ou até demitir, mas não vou fazer preciso do meu protagonista,  então mudei a escala de horários de vocês pra não se esbarram, e mais você ainda tem que pedir desculpas a ele!

- Não mesmo!  Me suspenda por um mês se quiser ou me demita, mas não vou pedir desculpas a ele!  

- E o que tenho vontade de fazer,  te suspender mais não posso para as gravações! Olha não quer pedir desculpas não pesa, mas evite outro brigas aqui dentro! Pode sair!

- Ok! -Escuto passo em direção a porta, eu precisava sair daqui,  mas meu corpo não responde meus comandos, o máximo que conseguir fazer foi me esconder atrás da parede…

Não não não, aquilo não era verdade, não podia ser verdade, Ruggero e Lionel tinham mesmo brigado, agora era certeza o que Chiara comentou no corredor era verdade, mas o motivo ser eu, não! Eu precisava ir pro meu camarim e a única forma era passar por ali… Espie, e vi Ruggero, por sorte ele não me viu parecia concentrado em encontrar algo em seu celular.

Respirei fundo criei coragem pra sair do meu esconderijo, mas sua voz firme me fez perder tudo o que tinha reunido alguns segundo atrás

- Brother, convoca o Max, vou deixar a Karol na casa dela, depois vou pra ai…  ahhhh encomenda sushi eu pago... - Ouvi seus passos se afastando, era minha deixa pra sair dali  

CORRI! Simplesmente corri! Eu precisava ficar sozinha pra colocar minha cabeça em ordem, se é que tinha uma… entrei no meu camarim e me tranquei.

- Merda, merda, merda… - murmurei olhando para um reflexo no espelho - O que você tem Karol?! Foi só uma briga, na qual você não é o motivo, você ouviu ele falando com o Jorge! E um beijo… um beijo ao qual eu queria… NÃO! Não, quem queria era a Luna! Aaaahhh! - Me sento no sofá tentando me convencer do avia me dito,  mas era impossível!

Toda vez que encontrava uma resposta,  mil dúvidas vinham juntas, como por exemplo se eu não era o motivo da briga, porque ele não me contou? Porque ele me beijou daquele jeito!? Porque Lionel disse que ele armou pra me trazer?

Me levantei,  e comecei a deixar de ser a Luna, talvez assim as respostas apareceriam mais rápido,  mas não aconteceu não tinha outra saída, eu teria que esclarecer essa dúvida e quem melhor que o próprio Pasquarelli pra isso?

- Estava decidido!  Vou falar com ele no carro! - Falei me encarando no espelho


Notas Finais


Uiiiaaaaaa que capítulo foi esse? Literalmente tiro, porrada e bomba!
Vocês são um máximo! Obrigado por todos os comentários e corações, obrigado também aqueles que me seguiram!
Mais pera! Você não faz nada disso? Então faz por favorzinho, isso me deixa tãoooooo feliz!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...