1. Spirit Fanfics >
  2. Minhas namoradas e eu (G!p - Au) >
  3. Teimosia

História Minhas namoradas e eu (G!p - Au) - Capítulo 10


Escrita por:


Capítulo 10 - Teimosia


Pov Kara

Depois que o Adam saiu fiquei com a Andrea na cozinha a ajudando limpar a mesa,enquanto a ajudava resolvi conversa com ela para aliviar aquele clima,a forma de como o seu filho tinha a tratado não foi certo e mesmo não sendo culpa dele ainda assim parece tê-la machucado muito,fui até ela que agora estava lavando a louça e envolvi meus braços na sua cintura a abraçando.

-Está tudo bem?

-Não.. *Secou as mãos e virou pra mim* O meu filho me odeia*Me abraçou* Não sei o que fazer para mudar isso e saber que posso não consegui resolver isso esta me matando.

-Tudo bem.. Olha ele não sabe da verdade e por isso falou aquilo,não é o que ele realmente pensa e sim uma conclusão que tirou depois do que deve ter ouvido do seu pai.

-Como ele pode fazer isso comigo?*Voltou a me encarar* Eu fiz tudo por ele e.. Ele me traiu,ainda por cima tirou meu filho de mim.

-Não sei.. As pessoas tem formas estranhas de demonstrar seus sentimentos e nem todos são iguais,o que estou tentando fizer é que,ele pode ter gostado de você ou até te amado só que seu orgulho no fim foi maior que isso,quando descobriu que o traiu também isso o deixou barvo fazendo com que quisesse te machucar..

-Então a culpa é minha?

-Óbvio que não,os dois erraram,nesse caso não acho que tenha um culpado ou talvez os dois sejam.. Olha isso já é passado agora tem que se concentra no presente,o seu filho está aqui e por mais que seja difícil no começo e até pode parecer impossível ele vai entender.. Por que não conta a verdade pra ele?

-Não posso..

-Por que não?

-Pra isso eu teria de falar que eu traí seu pai.

-Ele também fez o mesmo com você.

-Ainda assim,ele parece muito apegado ao seu pai e o vê como um herói,ele não vai acreditar em mim.

"Talvez eu deva conversar com ele?Hum eu posso provavelmente acabar falando besteira se ele voltar a falar coisas sobre ela,bem tenho que ao menos tantar.."

-Posso falar com ele sobre isso,ele provavelmente já está me odiando mesmo por esta namorando com você.

-Hum.. Não sei,talvez falar com ele agora só piore tudo.

-Ok.. Posso fazer isso depois.Beijei sua testa

-Tudo bem,você vai sair agora?

-Está me expulsando?

-Óbvio que não,só estou perguntando.

-Sorri eu sei,depende..Que horas um padre está na igreja?

-Por que você precisa de um?

-Umas coisas que tenho de resolver.

-Não está pensando em se casar escondido está?

-Não,eu não estou.

-Bom saber..

-Não se preocupe só tenho de ter uma conversa com um..

-Ok,não sei acho que ele pode esta lá pela manhã,já faz um bom tempo que não vou a uma igreja.

-Quando foi a última vez?

-Quando minha mãe me obrigava a ir.

-Oh.. Acho que nunca fui a uma..

-Não foi batizada?

-Provavelmente *Dei de ombros* Se fui ou não eu não lembro,mas tudo tem uma primeira vez e hoje vou ter que dar uma passada lá.

-Ok,quando vai poder me ver?

-Já está com saudades?Eu ainda nem sair.

-Não posso evitar.

-Fico feliz que não tenha se cansando de mim *Lhe dei um selinho* Vou dar uma passada na Lena depois disso posso vir.

-Oh,aconteceu algo?

-Meio que sim,sua mãe está para fazer uma visita.

-Isso é tão ruim assim?

-Sim nesse caso é,sua família e muito tradicional,seus pais não sabem sobre nosso relacionamento e quando souberem da gravidez..

-Entendi,acha que eles podem convencê-la a tirar o bebê..

-É,sei que a carreira dela e importante e foi o que sempre sonho,mas ela também quer esse bebê e por isso não posso deixar que nada aconteca com ele.

-Isso é muito fofo,o que ela faz?

-Ela é atriz.

-Você namora uma atriz?Uau ela deve ser bem bonita.

-Ela é,assim como você.

-Suspiro Ok.Deitou a cabeça no meu ombro

-Ei não precisa se preocupa eu já disse você é maravilhosa. Acariciei seu rosto

-Mas eu estou velha.

-Você é uma das mulheres mais lindas que conheço Andrea,sua idade não é tão importante assim.

-Você nem sabe minha idade.

-Isso por que não quis me contar,não importa mesmo se tivesse cem anos continuaria te vendo da mesma forma.

-Eu tenho 42.. Tenho idade pra ser sua mãe.

-Mas não é e mesmo se fosse continuaria sendo uma mãe bem sexy.Beijei todo o seu rosto

-Sorriu Kara para *Segurou meu rosto* Isso quer dizer que sentiria atração por mim mesmo se fosse sua mãe?

-Provavelmente..

-...

-O que?Isso te chocou?

-Um pouco..

-Não fique,eu acho a mamãe bonita mas isso não quer dizer que transaria com ela.

-Tudo bem.

-Por falar na Eliza,eu contei pra ela sobre vocês e ela me disse que queria conhece-las.

-Oh.. Acha que ela vai tentar fazer você terminar comigo?

-Não,ela me disse que isso era errado por que estou mentindo e me pediu para contar tudo.. Acho que se ela souber que você quer continuar comigo ela vai aceitar.

-Espero que sim..

-Vai ficar tudo bem.

-Ok..

*Celular*

-Não vai atender?

-Vou.. Foi pegar o celular na mesa e assim que conferiu quem era virou para mim

-Tudo bem?

-Sim é que..

-Entendi,eu vou pegar o meu que deixei lá em cima.

-Obrigado por entender.

-Não por isso.

Fui em direção a escada onde ouvi ela falar com alguém em um tom bem exaltando,como a mesma não queria que eu soubesse sobre isso subi,ao chegar do andar de cima peguei me celular e no caminho de volta ouvi alguém tocando e por não ter nada melhor pra fazer fui até o som,era uma melodia doce e logo uma voz igualmente suave a acompanhou,ao ouvir aquilo tive a certeza de que não era o Adam até por que ele era bem desafinado e só cantava no chuveiro.Quando cheguei no quarto de hóspedes vi que a porta estava aberta e por isso deu pra ouvir,abri a porta e me surpreendi ao ver que era o Michael que tocava no violão.

"Uau esse garoto tem talento.."

Fiquei mais um tempo ouvindo até que a música acabou e ele suspirou frustrado aparentemente ainda bravo,logo que colocou o violão sobre a cama ele virou para a porta onde ainda estava sem reação,nunca tinha visto alguém tocar daquele jeito antes claro que já tinha acompanhado o desempenho de alguns dos músicos o qual iriam na gravadora,só que ele realmente tocava e cantava colocando sua alma naquilo como se aquilo fosse natural alguém assim era raro.

-O que esta fazendo aqui?

-Vim pegar meu celular e te ouvi,você é bom..

-Pra uma criança?

-Não,pra qualquer idade,na música a idade não importa e você estava tocando com o coração..

-Oh.. Pareceu surpreso

-Você toca desde quando?

-Desde os 7,comecei por que o papai achou que seria bom ter um hobby.. Daí eu escolhi a música,me apaixonei pelo violão desde a primeira aula por isso continuei.

-Oh,bem você leva jeito pra coisa,muitos músicos profissionais teriam inveja por não ter metade do seu talento.

-Até você?

-Não,eu me garanto,*Entei no seu quarto* Ainda assim me surpreendeu.

-Não está tentado me bajular esta? Me fitou cético

-Sorri Pode acreditar eu não sou disso,só falei a verdade.

-Ok.. Acha que eu poderia me torna um musico profissional?

-Disso eu tenho certeza,é o que você quer?

-Sim.. Mas o papai quer que eu curse administração como o Jacob e ele.

-Entendo,posso?Indiquei a cama

-Sim.

-Obrigado,*Sentei* Essa é uma escolha sua,ele é seu pai mas é o seu futuro,por isso só você pode decidi-lo,não faça uma escolha por ser o que seu pai quer,siga seus sonhos ou você pode acabar em uma carreira decadente a qual te deixa infeliz,acredite se não fizermos algo com o coração essa coisa está destinada ao fracasso.

-E se ele não gostar?

-Ele pode até fazer isso mas como seu pai é seu dever te apoiar,a mamãe sonhava com uma carteira na medicina pra mim e olha onde estou..

-Você queria ser médica?

-Não,esse era um sonho dela pra mim,quando falei que queria ser música ela ficou um pouco desapontada porém me apoiou e disse que eu fazia o certo em seguir meus sonhos.

-Não se arrepende disso?

-Nem um pouco,tenho a vida que sempre quis talvez até um pouco melhor,claro que os shows e turnês eram cansativos tanto que dei maneirada nisso,ainda assim amava e amo meus fãs e saber que minha música e apreciada por eles me deixa feliz.

-Não acho que o papai faria algo assim.. Ele sempre foi muito rigoroso e me mandou para as melhores escolas apenas para que pudesse ter uma carreira como a dele.

-Por isso vai desistir da música?

-…

-O que sente quando toca?

-Me sinto bem,mais aliviado.. Eu amo essa sensação.

-Agora tenta imaginar essa sensação multiplica por dez ou até vibte,é o que sentira quando ver seu sonho se tornado realidade,ele pode ser contra no começo mas não desista,pode se arrepender por fazer isso.

-Você se arrepende por algo?

-Algumas coisas.

-Como o que?

-Por ter mentido e por possivelmente magoar algumas pessoas por conta isso.

-Não se aprende por nada na sua carreira?

-Hum.. Sim,uma vez eu fui tocar bêbada e acabei vomitando no palco.

-Sorriu Eu lembro desse Show.

-Você viu?

-Er.. Sim.

-Não vai me dizer que também é meu fã?

-Talvez..

-Que bom,então como conselho de alguém que já errou bastante,não desista dos seus sonhos essa foi uma das melhores coisas que já fiz e uma das únicas que não me arrependo em nada.. Ah e não beba antes de um show.

-Eu não bebo.

-Nunca se sabe *Dei de ombros* Essas crianças de hoje são muito adiantadas em algumas coisas.

-Mas eu não.

-É bom saber disso.

*Batida na porta*

-Oi,você estava demorando pra descer então eu vim aqui checar.

-Oi,só estávamos tendo uma conversa sobre bedidas. Falei levantando

-Ei eu já disse que não bebo.

-Certo,certo.. *Pisquei pra ele* Seu segredo está seguro comigo. Sussurrei o fazendo revirar os olhos

-Hum,posso falar com você?

-Claro,até depois.

-Tanto faz.

Depois que sai do quarto a Andrea e eu fomos até a sala onde tinha deixado meu tênis,após os calça notei que a mesma me encarava curiosa.

-Algum problema?

-Não e que.. Fiquei feliz em saber que você está se dando bem com ele.

-Podesse dizer que sim,apenas achei algo que temos em comum.

-Como assim?

-Ele quer ser um músico.

-Oh.. Mais uma coisa que não fazia ideia. Murmurou meio triste

-Veja pelo lado bom,se você apoia-lo ele pode ver que você está tentando se aproximar dele.

-Como posso fazer isso?

-Mostre interesse em sua música,ele está se sentindo deixado de fora,pelo que ele sabe você passou onze anos longe e do nada você volta pra sua vida,ele se sente excluído por saber que você ficou com o Adam e a Magan enquanto ele teve de crescer sem sua mãe.

-Suspiro Isso vai ser bem mais difícil do que pensei..

-Talvez,mas eu estou aqui,vou te ajudar e logo poderá ser reaproximar ele..Quando ele ver a mãe incrivel que você é irá deixar todo esse rancor de lado.

-Espero que sim.

Fiquei mais um tempo falando com ela e logo em seguida peguei um táxi pra casa,ao chegar lá não vi ninguém então subi até meu quarto onde tomei um banho rápido,em seguida voltei pro quarto onde escolhi algo pra vesti,como não sabia que roupa deveria usar pra ir a uma igreja ou se tinha um tipo de roupa ideal pra isso coloquei uma calça preta com uma camiseta vermelha e por cima uma jaqueta jeans azul,nos pés eu optei por um tênis branco.Apos me vesti fui ate meu notebook pegar o endereço na igreja mais próxima,foi então que o anjo apareceu do meu lado me surpreendendo.

-Oi,eu cheguei.

-Merda.. Murmurei tomando uma respiração longa

-O que?Eu fiz o que você pediu,avisei quando cheguei.

-Era pra ter avisado antes de.. Ah deixa pra lá,o que te traz aqui?

-Eu resolvi passar aqui.

-Hum.. Já que esta aqui,eu falei para Alex sobre vocês.

-E o que ele falou?

-No começo ela achou estranho mas aceitou me ajudar com isso.

-Com o que exatamente?

-Bem..Eu acho que meu pai é um demônio.

-…

"Por que ela ficou calada?Espera ela já sabia disso?"

-Você sabia disso?

-Sim.. Por esse motivo você pode nos ver,você não pertence inteiramente ao mundo humano.

-Oh,Isso faz de mim um meio demônio?

-Em parte sim,os demônios não podem procriar não como os humanos.. Bem não sei exatamente como eles são criados,isso quer dizer que você foi a primeira a possui o DNA de um demônio e sobreviver a por tanto tempo.

-Então tem outros?

-Não,todos morem antes de nascer..

-É comum os demônios fazerem isso?Quero dizer a minha mãe foi sequestrada.

-Não,geralmente a pessoa escolhida e consultada sobre isso,o que houve com a sua mãe foi um acontecimento isolado.

-Você sabe qual deles fez isso?

-Não,tudo o me informaram foi que eu iria cuidar de uma criança mestiça e que seu pai era um demônio.

-Agora entendo o por que deles não confiarem em mim... Será que a Diana sabe?

-Sim,pelo que soube ela foi mandada aqui com um propósito parecido,a Diana veio te manter oculta dos outros.

-Como?

-A presença dela servia para esconder a sua.

-Oh.. Por falar nela,como eu posso matar um demônio?

-O que… Você quer mata-lá?Pareceu chocada

-Não,óbvio que não,é o contrário quero ajudá-la.. Acho que tem alguém fazendo mal pra ela.

-Como assim?

-Ela tinha algumas marcas nos pulsos e mesmo que tenha tentado me convencer de que não era nada dava pra ver que era mentira.

-Por que você quer se meter nisso?

-Não quero que ninguém a machuque,pouco importa se é um demônio não vou deixar que isso continuar.

-Isso é burrice,mesmo que não seja totalmente humana seu corpo ainda é e por isso não será palio nem pra um demônio de uma classe mais baixa.

-Eles são divididos em classes?

-Sim,é como uma hierarquia assim como no céu.

-Oh.. *Franzi o cenho* Isso quer dizer que essa pessoa pode estar em uma classe mais elevada do que a dela?

-Talvez,ou pode ser apenas mais uma troca de interesses.. Assim como os humanos faziam a algum tempo atrás e ainda fazem em alguns aspectos,os demônios ainda tratam as mulheres como inferiores assim como os antigos reis quando usavam suas filhas como moedas de troca por assim dizer,em troca ganhavam mais poder.

-Isso é horrível,não importa que ele ou ela possa ser isso não vai ficar assim.

-Você não entende não é?Não à nada que possa fazer,você para eles não passa de uma espécie mais fraca e facilmente dispensável.

-Não posso deixar ela continua passando por isso.. Eles estão a machucando.

-Ela é um demônio.

-Eu também sou meio demônio isso não me impede de sofrer ou de sentir dor.

-…

-Tudo bem,eu não quero te meter nisso,posso dar um jeito sozinha.

-Eles vão te matar.

-Não sou tão frágil quanto pensa.

-Por que tem de ser tão teimosa?Eu não posso deixar você se meter com eles.

-Vai tentar me impedi?

-Sim.

-Faça o que tiver de fazer,*Fechei o notebook* Vou encontra um jeito com ou sem seus ajuda irei tira-la disso,ela já me salvou várias vezes não posso simplesmente fechar os olhos pra isso.. Sai da cama

-Pra onde você vai?

-Encontra com alguém que pode saber mais sobre isso.

-Quem?

-Um padre..Pelo que pesquisei ele tambem estuda os demonios,sendo assim deve saber um jeito de mata-los.

-Como pretende achar esse demônio para isso?

-Simples eu vou atraí-lo.

-Como?

-Posso usar a ajuda da Diana para isso.

-O que você tem na cabeça?Isso só vai colocá-la em perigo.

-E o que sugere?Ficar aqui de braços cruzados enquanto ela pode está sendo torturada?Desculpa mas não posso fazer isso.

-Você não vai desistir disso não é?

-Não.

-Tudo bem então.. Espero que não me arrependa disso,eu vou com você ver esse padre.

"Não esperava por isso.."

-Obrigado.

-Não precisa me agradecer só quero garantir que não arrume mais problemas.

-Ok,hum.. Ele não pode te ver pode?

-Se ele for humano não.

-Certo,então vamos.. Você vai sozinha ou..

-Sim,eu vou te encontra lá.

-Ok,vejo você lá então.

Dito Isso ela desapareceu e como não queria perder tempo fui até o estacionamento onde peguei meu carro é fui até a igreja,no meio do caminho enquanto ouvia uma música meu celular tocou ao conferi vi que era a Lucy,como já sabia que não era uma boa ideia falar ao celular enquanto se estava dirigindo o coloquei no viva voz.

Ligação on

-Oi amor.

-Oi,Kara por que tem uma foto sua sem roupas na internet?

-Foi ideia minha para ajudar a tirar a outra de circulação.

-Como isso iria ajudar?

-Simples uma foto íntima faria bem mais sucesso do que uma possível namorada.

-Ainda não entendi.

-O site que espalhou aquela notícia tentou especular que ela era minha namorada,e como eu nunca tinha falando sobre nenhum relacionamento isso não seria muito fácil de tirar de lá.. Com essa foto as pessoas teriam um motivo real para falar sobre e a foto de uma possível namorada logo seria passado.

-Oh..Você por acaso estava bêbada quando pensou nisso?

-Sim estava.

-Óbvio,olha isso pode não ser uma boa meneira de convencer o papai de que você é uma pessoa responsável.

-…

"Droga eu tinha esquecido disso.. Tem também os pais da Lena,a Alex tinha razão essa não foi uma ideia tão boa.."

-Kara?Ainda está aí?

-Sim eu estou.. Eu não pensei bem nisso,sinto muito.

-Suspirou Tudo bem,como o papai não gosta muito da internet pois acha que é uma perda de tempo,ele pode não ver nada..

-Espero que sim..

-Sabe você nunca me mandou uma foto dessas..

-Você nunca me pediu..

-Eu tinha vergonha.

-E agora não tem?

-Tenho,mas..

-Entendi,depois eu te mando agora estou no carro.

-O que foi que eu falei sobre não falar ao celular quando está dirigindo?

-Preferia que te ignorasse?

-Você não se atreveria.

-Não eu não o faria,relaxa está no viva voz.

-Ainda assim você pode perder o foco coisa que você já não tem.

-Caramba não precisava esfregar na cara.

-Sorriu Só falei a verdade,espero que nosso filho seja mais parecido comigo nisso.

-Acho que não me importaria se fosse parecido com você em todo o resto tambem.

-Nem pensar,ele tem que ter seus olhos ou ser loirinho como você.

-Sorri Tudo bem mas acho que a gente não vai poder escolher isso.

-É,isso é estranho ainda nem sei se estou grávida e as vezes me pego imaginando como seria se minha barriga já estivesse grande.

-Acho que isso deve ser normal,muito provavelmente todas as mulheres que querem ser mães passam por isso.

-E como você está sobre isso?

-Estou feliz em saber que você gosta de mim ao ponto de querer ter um filho comigo.

-Mesmo?

-Sim,também estou ansiosa para vê-la com um barrigão,vai ficar ainda mais gostosa.

-Você por acaso tem fetiche por grávidas?

-Não,tenho fetiche por você.

-Não acho que funcione assim mas tudo bem.

"Acho que é aqui.. Ali esta."

-Baby acabei de chegar na igreja eu falo com você depois,tudo bem?

-Sim,espera o que vai fazer em uma igreja?Não achei que fosse religiosa.

-E não sou,eu vim falar com o padre.

-Sobre?

-Er.. Umas coisas.

-Ok.. Falo com você depois,eu te amo.

-Todo bem,eu tambem te amo.

Ligação of

Assim que desligou o anjo apareceu do meu lado e dessa vez estava esperando por ela.

-É aqui?

-Sim.. Nunca foi a uma igreja?

-Não,acha que esse padre é de confiança?

-Não sei.. Ele é um padre mas ainda assim é humano sendo assim,*Dei de ombros* Nunca se dá pra saber em quem se pode confiar.

-Você não vai contar tudo pra ele,vai?

-Não,apenas quero saber mais sobre eles ou ao menos como me livra de um deles se for necessário..Sobre aquele lançe lá .. Sabe quando eu me queimei ao tocar em você,isso aconteceu por que sou metade demônio?

-Foi.

-Por isso não me deixou tocar em você antes?

-Sim..

-Entendo,isso explica o por que de ter entrado em pânico algumas vezes que me aproximei muito de você..

-É,hum não é melhor entrarmos?

"Por que ela mudou de assunto tão rápido?"

-Tudo bem,vamos.

Assim que saímos do carro notei que havia uma mulher de longos cabelos vermelhos e óculos escuros sentada sobre o capô de um carro esportivo do outro lado da rua,enquanto íamos em direção a igreja notei que ela continuava olhando fixamente para nós e por um breve segundo em que ela baixou seus óculos pude ver seus olhos brilharem em um tom vermelho como seu cabelo,aquilo enviou uma onda de calafrio pela minha espinha,ao me concentra para sentir sua aura vi uma sobra negra rodando ela é como uma humana não poderia emanar aquele tipo de aura pude confirma que era um demônio um bem perigoso.

-Você..

-Eu sei.. Continua andando,ela não pode fazer nada agora.

-Por que não?

-Por causa deles.. Indicou dois homens de ternos brancos segurando cada um uma espada de fogo

-Puta merda,quem são eles?

-Reforço..

Quando olhei novamente para mulher ela me deu um sorriso e voltou pro seu carro,assim que entramos na igreja que estava vazia vi o padre de costas olhando pra uma das imagens,fomos até lá onde assim que chegamos ele se virou com um sorriso caloroso no rosto.

-Bem você não é uma das nossas fies então presumo que seja uma nova visitante,espero que possa voltar mais vezes..

-Meio que sim,daí vai depender sempre que eu vier vou ter esse tipo de recepção?

-Sorriu você é bem astuta,como o esperado de um demônio.

Dito isso ele começou a atirar facas em minha direção às quais desviei rapidamente exceto de uma que o anjo pegou a centímetros do meu rosto,ao ver a faca ser atirada na parede o padre deu um passo pra trás e pulou sobre a mesa do altar tirando uma faca da manga e começou a desferir golpes em minha direção,como não iria bater em um padre só restou pra mim desviar,enquanto o fazia notei que o mesmo carregava um cordão no pescoço o qual tinha um brilho estranho.

-Como conseguiu cruzar a linha?Perguntou acertando um chute na minha perna

-Você é bem forte*cai de joelho* Eu não sei do que está falando.

-A linha na porta,ela impede qualquer demônio de entrar. Colocou a faca no meu pescoço

-Eu não sou um demônio.. Não inteiramente.

-Isso é impossível,os bebês gerados por demônios não podem nascer.

-Eu também não sei como,eu só soube disso ontem.

-Você.. *Afastou a faca* Esta falando a verdade.

"Como ele sabe?"

-É claro que estou. Levantei

-Por que veio aqui?

-Eu vim por que quero saber mais sobre isso.. E preciso matar um demônio ou ao menos descobri uma forma de machuca-lo bastente para que não volte a atormenta alguém que conheço.

"Esta claro que ele não gosta de demônios se soube que é pra ajudar um deles jamais iria falar."

-E por que eu te ajudaria nisso?

-Por que eu possivelmente vou livra o mundo de um deles.

-Você me convenceu *Guardou a faca* Eu sou o padre John. Estendeu sua mão

-Kara. A apertei

-Eu sei,minhas sobrinhas gostam da sua música.

-Oh que bom.

-Nem tantos,elas estão me tirando a paciência para leva-las ao seu próximo show.

-Bem eu posso lhe dar algumas entradas Vips,quantas sobrinhas tem?

-Duas,e por que faria isso? Me fitou cético

-Pode chamar de troca de favores.. Em troca quero apenas que me fale sobre o que pedi.

-Tudo bem,você leva jeito pra coisa.. Murmurou indo em direção ao altar

-Como assim?Fui atrás dele

-Você é boa em convencer as pessoas,espero que não use isso pro mal.

-Não irei..

-Otimo,*Colocou uma caixa sobre a mesa* tem várias formas de ferir um demônio,a dificuldade disso pode depender da classe que ele possui.

-Como ele sabe disse?

-Como sabe disso?

-Sobre as classes?Eu conheci um deles.. Na época ele não era tão mal,na verdade era um dos seres mais gentis que conheci... *Olhou em direção ao anjo* Você não veio sozinha não é?

-Você pode vê-la?

-Não mas posso sentir uma força diferente,eu soube onde ela tava por que você a olhou.

"Cara.."

-Oh..

-Quem ela é?

-Bem *Olhei pra ela que confirmou com a cabeça* Um anjo.

-Uau Achei que eles não se dessem muito bem com os demônios.

-Ela é meu anjo da guarda.

-Estranho.. Você não deveria ter um.

-Por que?

-Sua natureza demoníaca.

-Eles a mandaram pra ficar de olho em mim.

-Isso é bem mais parecido com a verdade,como estava dizendo.. As classes também tem haver com a sua força ou poder,você tem algum tipo de treinamento?

-Eu fiz alguns anos de luta.

-Entendo,mas temo que não seja o bastante pra algo assim,você não será capaz de para um deles,você perdeu pra mim que sou um humano e olha que eu nem tentei te matar de verdade.

-Então aquilo tudo era brincadeira?

-Sorriu Não,mas se tivesse levado a sério você estaria morta agora.

-Ótimo..

-Ânimo você ainda pode melhorar isso,apenas volte aqui quando tiver tempo irei te ajudar.

-Por que?

-Você não me parece ser uma pessoa ruim,se está tentado ajudar alguém significa que essa pessoa é importante pra você.

-Ela é.. Obrigado,eu vou passar a próxima semana viajando mas virei aqui assim que der.

-Tudo bem,enquanto isso *Abriu a caixa que continha algumas facas* Deixarei que escolha uma,essas são facas especiais cada uma em si pode matar um demônio ou deixar ele ferido por um bom tempo.

-Vai me entregar uma delas sem saber para que irei usá-la?

-Sim,elas só funcionam em demonios e não me importo com o que acontece com eles... Se fosse machucar um humano não precisaria de uma faca especial.

-Tem razão..Elas não vão me machucar não é?

-Não,a menos que você se corte com ela.

-Ok..*Olhei pro anjo* Qual acha que eu deveria escolher?

-Não sei,eu nunca usei uma arma para feri-los antes.

-Sempre fazia isso com as mãos?

-Sim.

-Uau nunca te imaginei como uma lutadora,bem acho que é mais uma coisa nova que descobri sobre você.

-Você geralmente faz isso na frente das pessoas? Falou me fazendo virar

-Er não,é que você já sabe sobre ela então..

-Certo.

Enquanto observava atentamente as facas uma delas me chamou a atenção,ela parecia uma faca de caça comum com um cabo de madeira porém havia umas marcas por sua lamina,ao olhar elas mais atentamente reconheci a escrita que era parecida com a do colar da mamãe.

-Pode me falar sobre essa? Apontei pra ela

-Ela é conhecida como lâmina antiga do curdos ela pode parecer apenas uma faca normal mas e bem letal pois ela é capaz de matar a maioria dos demônios com um único golpe em uma área vital,tal como o peito ou o pescoço dos vasos dos demônios,mesmo cortes não letais são extremamente dolorosos para eles.

-Posso levar essa?

-Pode,porém não a perca,não foi nada fácil consegui-la.

-Não irei.

-Ok *Me entregou ela* Mais uma coisa,quem são aqueles homens na porta?

-Quem? Me irei para ver

"O que os meus seguranças estão fazendo aqui?"

-Os conhece?

-Sim,são meus seguranças..

-Oh..

-Melhor eu ir,obrigado pela faca.

-Espera,você não pode levar ela assim.

-Por que não?

-Se algum demônio vê-lá você ira estar com problemas,aqui dentro eles não poderiam fazê-lo.

-E como eu faço?

-Aqui *Me entregou uma caixa de madeira do tamanho da faca* Eu a comprei nela.

-Obrigado *A guardei* Vou pedir pra alguém trazer os ingressos.

-Sem pressa.

Depois que sai fui falar com os seguranças que estavam preocupados pois viram um pouco da luta o que me deixou em uma situação difícil,como não poderia falar a verdade disse que ele tinha descoberto que eu dormi com uma das suas sobrinhas o que rendeu algumas risadas entre os dois mais logo voltaram ao seu ar sério.

-Se está tudo bem é melhor voltarmos pro carro. Falou um deles colocando os óculos

-Claro.

Depois que eles saíram fui até meu carro onde fui deixar a faca em casa,após deixa-la no meu quarto desci para comer algo pois já estava com fome novamente,após comer fiquei um tempo vendo tv até que a Alex chegou jogando seu sapato a distância.

-Está tudo bem?

-O que acha?Estou exausta. Falou se jogando no sofá ao meu lado

-O que aconteceu?

-Tive de resolver algumas coisas da empresa,e também tive uma reunião com os fornecedores,em seguida fui falar com a Maggie que após uma longa conversa finalmente aceitou o fim do nosso noivado.

-Ao menos uma coisa boa.

-É.. Faz uma massagem? Colocou os pés no meu colo

-Tudo bem só por que estou de bom humor. Começei a massagem

-Hum.. Isso significa que correu tudo bem com a Andrea?

-Sim,ela aceitou continuar comigo mesmo depois de eu ter falado a verdade.

-Não esperava por essa..

-Nem eu,por isso me surpreendi,sempre achei que ela ficaria brava e não fosse mais querer falar comigo porém me enganei.. Ela apenas ficou um pouco insegura ao saber da gravidez da Lena e acha que posso me arrepender se ela me impedir de ver meu filho.

-E você não acha isso..

-É eu não acho,me senti mal por isso.. E também o Michael veio ficar um tempo com ela o que deveria ser algo bom se ele não estivesse com raiva dela por achar que a Andrea o abandonou com o pai,porém ela não teve escolha pois perdeu sua guarda após ser vítima de uma armação esse que seu marido armou.

-Ela não contou pra ele?

-Não,mesmo que isso esteja a machucando muito ela acha que ele não iria acreditar..

-Meio que pode acontecer isso,o garoto não deve ter ouvido nada de bom a respeito da mãe principalmente com um pai que foi capaz de separar uma criança da mãe.

-É,por isso decidi ajudá-la. Apertei alguns pontos de tensão

-Urg!Como?

-Desculpa,vou convence-lo da verdade,e farei ele ver a mãe incrível que tem.. A Andrea sempre sofreu muito por conta da distância e por não ter conseguido vê-lo durante todo esse tempo.

-Deve ter sido muito difícil.

-Pelo que pude ver sim,foi injusto tira-lo dela.. Suspiro mesmo que ele ainda não tenha nascido só de imaginar ficar longe do meu filho isso.. É horrível,o Morgan não poderia ter feito isso.

-Kara.. Não tão forte.

-Oh.. Foi mal..

-Isso parece está realmente te afetando.

-É por que esta,por isso resolvi consegui a guarda definitiva do seu filho para ela.

-Como vai fazer isso?

-Simples,vou consegui provas de que tudo foi armado e que ela nunca teve nenhum envolvimento com drogas,você vai me ajudar com isso não vai?

-Você não cansa de arrumar problemas não é?Tudo bem..

-Sabia que poderia contar com você.

-Quando vai passar na empresa?

-Você está tendo problemas com algo?

-Não é isso,você é a Ceo Kara as pessoas vão estranhar que você não parece lá.

-Tá,amanhã eu vou dar uma passada lá,ah eu preciso de alguns ingressos Vips pro meu próximo show aqui na cidade.

-Pra que?

-Eu consegui falar com o padre John e ele vai me ajudar a lídar com eles,ele também me deu uma faca que pode mata-los.

-…

-O que foi?

-Por que precisa fazer isso?

-Oh.. Eu não te contei sobre isso.

-Sobre o que?

-Bem.. Tem alguém machucando a Diana e acho que é um demônio,eu quero ajudá-la da foram que for preciso.

-Você vai mesmo se meter com isso para ajudar um demônio?

-Sim.

-Você realmente não se importa com sua vida não é? E se eles te matarem?Como vamos ficar?A mamãe iria enlouquecer.

-Eu sei.. Vou ficar bem.

-Como sabe?

-Eu só sei..

-Urg Você é tão teimosa.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...