1. Spirit Fanfics >
  2. Minhas namoradas e eu (G!p - Au) >
  3. Lilith

História Minhas namoradas e eu (G!p - Au) - Capítulo 15


Escrita por:


Capítulo 15 - Lilith


Fanfic / Fanfiction Minhas namoradas e eu (G!p - Au) - Capítulo 15 - Lilith

Dia seguinte

Sexta

6:50am

Pov Kara

Acordei com uma puta dor de cabeça e ao tentar levantar percebi que tinha alguém abraçando meu corpo,não lembrava de como fui dormi ou quem era e isso não foi um jeito nada agradável de desperta,tentei ver quem era a mulher mas seu rosto estava coberto pelo cabelo e ela parecia ter mais força do que o normal.

"Urg.. O que eu fiz ontem?"

Tentei balançar seu ombro porém só serviu para fazê-la me apertar mais tirando um gemido de dor,ao ouvi-lo ela me soltou então pode ver que era a Diana,não tinha a visto chegando e de certa forma foi bom vê-la ali pois significativa que não estava com o demônio,a mesma estava apenas com sua roupa íntima e isso não facilitou nada pra mim.Foi difícil não olhar porém também não queria deixá-la envergonhada então desviei o olha,assim que o fiz notei que estava sem roupa nesse momento entrei em pânico.

"Não,não,não.."

-Diana.. Nos..

-Não.

-Ufa.

-Sou tão feia assim?

-O que?Não,não é isso.. Você é linda,só que..

-Entendi.. *Saiu da cama* O fato de eu ser um demônio não deve ajudar muito.

-Isso não tem nada haver com sua natureza,eu também sou metade demônio e.. Não importa,eu só não posso me envolve com mais ninguém,no momento já tenho muito com o que lidar..

-Tudo bem. Começou a se vesti

"Estranho onde foi seu chifre e.. Seu rabo."

-Eu posso escondelos.

-Como.. Oh você pode ler minha mente.

-É,fica fácil quando não tenta me bloquear.

-Da pra fazer isso?

-Sim. Virou pra mim

-Isso pode ser bem útil,não por sua causa mas os outros.. Fui pro banheiro

Enquanto escovada os dentes notei que meu corpo estava com alguns arranhões,aquilo não poderia ser normal e como não fazia ideia do que houve me assustei.

-Mas o que… Diana!

-O que foi?Pareceu na porta

-Como o que foi?Olha pra mim,que porra é essa?

-Desgraçadas.. Er,acho que não lebra do que houve por que bateu a cabeça mas.. Duas succubus te fizeram uma visita ontem a noite.

-Como.. Urg então eu dormi com elas?

-Não,acho que não.

-Acha?

-Não sei,quando cheguei você já estava sem roupas mas ao julgar pelo estado que estava não houve nada.

-Menos mal.. *Voltei a olhar pro espelho* Droga.. Isso vai desaparecer não é?

-Vai.. Murmurou me fitando

-O que está.. Segui seu olhar

"Achei que já tivesse se acostumando."

-Desculpa. Voltou pro quarto

Voltei ao que fazia e em seguida fui tomar um banho,enquanto estava embaixo d'água lembrei que iria ter de passar na empresa e por mais que não gostasse de lidar com coisas relacionado a parte chata do trabalho tinha dito que o faria,rapidamente terminei meu banho.Apos me secar me enrolei na toalha e fui até meu quarto,no closet depois que vesti minha roupa de baixo escolhi uma calça social preta e uma camisa vermelha com listras branca,nos pés coloquei um tênis branco.Quanto terminei de me vesti notei que a Daina ainda estava me encarando,não que achasse ruim apenas estava curiosa sobre o por que.

-Algo errado?

-Não,por que?

-Você está aí me encarando..

-Te incomoda?

-Não,só fiquei curiosa. Fui pegar meu celular na cômoda

-Se você diz..

"Ainda são 7:17.. Espera a Alex só vai às oito então não tem por que ir agora."

-Está com fome? Virei pra ela

-Poderia comer algo.

-Ótimo,vamos vou fazer o café. Caminhei ate a porta

-E sua família?

-O que tem elas?

-Não vão estranha se te verem fazendo café q pra uma pessoa a mais?

-A mamãe já deve ter ido e a Alex vai demorar um pouco pra sair do quarto.

-Tudo bem..

Fomos ate o andar de baixo onde decidi fazer panquecas,enquanto terminava de prepara-las notei que a Diana parecia bem entretida jogando no meu celular,ela realmente não era o que esperava de um demônio,diferente da ideia de criaturas malvadas e perversas que tinha quando criança ela era brincalhona e embora tenha me metido em algumas encrencas a mesma também brincava comigo e me fazia companhia.Por causa da diferença de idade a Alex não tinha muito tempo pra brincar comigo pois estava muito ocupada com seus amigos da sua idade.

Se não fosse pela Diana teria passado a maior parte do tempo sozinha,foi sempre divertido tê-la por perto especialmente por conta do seu jeito descontraido,embora por vezes fosse mal humorada e mandona era de certa forma reconfortante saber que ela estaria lá,quando ela não aparecia me sentia triste e até mesmo sozinha.Com o tempo sua presença se tornou indispensável,era quase como uma irmã mais velha que as vezes me pregava peças e algumas delas eram em pesada.

-No que tanto pensa? Disse me tirando dos pensamentos

-Só em como você era péssima com crianças.

-Como?

-Sorri Você não tinha com crianças.

-Ainda está assim por causa da cobra?

-Sim.

-Eu achei que fosse engraçado.

-Diana você colocou uma cobra na minha cama.

-E?Ela não era venenosa.

-Cobra é cobra,sem falar que morro de medo delas..Qual foi a graça em me ver chora?

-Sorriu Só pode está de brincadeira,foi hilário,você estava chamando por sua mãe e tudo mais.

-Eu tinha sete anos.

-E daí?

-Esquece,por um minuto esqueci com quem estava falando. Voltei minha atenção para o fogão

-Por que sou um demônio acha que não posso lidar com crianças?

-Não sei se isso tem haver com o que você é,talvez seja algo seu mesmo.

-Isso é algo ruim?

-Pra uma criança que estiver perto de você sim,ah por falar nisso,o Diego vai ficar aqui comigo enquanto sua mãe vai fazer uma viagem..

-Oh,legal..

-É,*Virei pra ela* Nem pense em trazer uma cobra.

-Eu não..

A encarei com a sobrancelha erguida.

-Tá,eu não vou fazer isso..

-Ótimo,será bom que você pode treinar para quando for cuidar dos meus filhos.

-E quem disse que vou fazer isso?

-Ah qual é,você seria uma ótima babá.

-Confiaria um bebê sob meus cuidados?

-…

-O que foi?

-Nada só pensei melhor e você tem razão,é capaz de dar ração se cachorropra ele.

-Você ainda lembra disso?

-Óbvio,aquilo tinha um gosto estranho.

-Sorriu mas eu não te obriguei a isso.

"Pior que ela tem razão.."

-Não mas você tinha uma lábia que me fez ficar curiosa.

-Claro..

Voltei a prestar atenção no cafe e em seguida preparamos a mesa para comermos,logo que terminamos limpei a loça e em seguida fomos até a saida,como não queria deixá-la sozinha especialmente por que não queria arriscar que nada acontecesse com a Alex decidi levá-la comigo,no carro recebi uma mensagem da Lucy falando que estava com saudades então combinei de ir vê-la apos seu trabalho no fim do dia.

Na empresa

Assim que cheguei a Jane secretaria da Alex me avisou que tinha alguns documentos os quais precisava da minha assinatura e como não assinava nada sem antes ler passei algum tempo os lendo o que parece ter deixado a Diana entediada,a mesma estava sobre o meu sofá com as pernas pra cima,logo após um tempo ela parece ter se cansado da posição e foi sentar na minha mesa,era difícil ignora-lá pois ela ficava fazendo caretas enquanto tirava selfies isso me deixou curiosa pois achei que as pessoas não poderiam vê-la sendo assim com a câmera não deveria ser diferente.

-Diana,como está fazendo isso?

-O que?

-As fotos,achei que só eu pudesse ter ver.

-Sim,mas as câmeras são diferentes. Me mostrou uma das fotos

-Oh! Quase cai da cadeira

"Caramba!"

-É horrível não é?

-Er.. É um pouco assustador,esse é como se parece de verdade?

-Sim e não,eu posso assumir várias formas desde dessa humana ate uma mais demoníaca.

-Oh..

Na foto a mesma parecia uma espécie de caveira com dentes afiados e olhos vermelhos,assim que vi achei fosse algum filtro porém não era,nunca achei que ela pudesse me assustar só que isso me pegou de surpresa.

-É,você quer ver?

-Não,eu estou trabalhando lembra?

-Mas isso é chato.. Deitou sobre a mesa

-Eu sei,gosto disso tanto quando você.

-Então vamos sair,eu aposto que esse lugar é ótimo para pregar peças.

-Nada disso,por mais que seja chato tenho de fazê-lo,e você também não pode,a última coisa que preciso é de problemas com os funcionários.

-Urg!Quando ficou tão sem graça?

-Não sou,apenas tenho…

-Ficou careta.

-Não,tenho responsabilidades.. Sabe aquela coisa que te obriga a cumpria algo por mais chato e sem graça que possa vir a ser.

-Tanto faz.. Qual é o seu lance com aquela loira?

-O que.. A Jane?

-Sim.

-Ela é a secretaria da Alex.

-Sei que não é só isso.

-Suspiro Eu dormi com ela uma vez.

-Imaginei que seria algo do tipo.

-Por que?

-Ela parecia uma pouco desconfortável quando suas mãos se encontraram no momento em que ela te entregou os papéis.

"Oh.."

-É que ela era casada..Ainda é na verdade.

-Quando foi?

-Antes de começar a me envolver com as garotas,a Jane trabalha com a gente desde o início e antes era minha secretária.. Em uma noite enquanto cuidava de algumas coisas aqui nos conversamos um pouco sobre seu marido e ela me disse que estavam tendo problemas para engravidar desde o início do casamento e que isso ressaltou em algumas disfunções por que ele a culpava,não sei bem o que deu em mim pois geralmente não me importo muito com coisas que não me envolvem mas senti a necessidade de consolar ela..

-Então vocês transaram?

-Não,bem sim mas não foi bem nessa ordem.. Eu falei com ela e tentei ao máximo lhe dar conselhos,coisa que não sou muito boa,depois disso ela saiu para atender uma ligação e voltei ao meu trabalho,quando estava de saída começou a chover e por conhecidencia a encontrei na frente do prédio,ela estava esperando um táxi e como não teria nada urgente para fazer lhe ofereci uma carona.

-Vocês a fudeu dentro do seu carro?

-Sim..

-Como?Digo na prática eu sei até por que já te observei muito.

-Você fala como se fosse algo bom.

-E é,graças a isso pude entender melhor com o tudo funciona.

-Sei..

-Voltando a minha pergunta,o que levou vocês a isso?Você não estava a aconselhando sobre seu casamento?

-Estava,olha essa coisa toda é complicada,resumindo uma coisa levou a outra e aconteceu.

-Oh.. Eles conseguiram se resolver?

-Até onde sei sim,pelo que soube eles tiveram uma filha.

-Hum..Ela semicerrou os olhos.

-E agora o que foi?

-Ela milagrosamente teve uma filha depois de dormi com você?Ou você tem um pinto mágico ou..

-…

"Espera.."

-…

-Ou!Você acha que ela é minha?

-É um palpite.

-Não.. Quer dizer é impossível.

"Espera eu usei camisinha não é?"

-Você é tão desligada..

-Droga,e agora?

-Você vem perguntar pra mim?

No momento várias coisas passaram pela minha mente desde vários xingamentos por não ter usando proteção até o medo das broncas que levaria da Alex,aquilo estava ficando fora de controle cheguei a considera uma vasectomia porém me lembrei que a Lucy queria um bebê e a Andrea possivelmente,antes que pudesse chegar a uma solução para tudo isso o telefone tocou fazendo a Diana se assustar o que me fez dar uma pequena risada.

-Tudo bem,é apenas o telefone Diana.

-Não é engraçado.

-Claro que é.. Droga.

-O que foi?

-É da mesa da Jane.

-Otimo,pergunta pra ela.

-O que.. Não posso fazer isso assim,muito menos por meio de uma ligação.

-Então pede pra ela vir aqui.

-Tudo bem,melhor eu resolver isso o quanto antes. Peguei o telefone

Telefonema on

-Oi?

-Senhora Danvers o Senhor Scott pediu para lhe avisar sobre uma ruiva que voltou.

"Oh.. A tal ruiva,espera.. Será que.. Aquele demônio era ruiva."

-Ok,ela ainda está aqui?

-Não,ao que parece ela veio lhe trazer algo.

-O que?

-É um presente então não sei.

-Tudo bem,pode traze-lo aqui?Eu ainda não terminei de ler os papéis.

-Claro.

-Obrigado.

-Não por isso.

Telefonema of

Logo que desliguei fiquei pensando sobre o tal presente e se era realmente o demônio que vi o que poderia ser algo sério,ao perceber minha distração a Diana estalou os dedos na frente do meu rosto me trazendo de volta pra realidade.

-Então..

-Ela vai vir..

-Por isso parece tão preocupada?

-Não.. É que,uma ruiva veio aqui a algum tempo falar comigo porém eu não estava por isso pedi pro Winn me avisar caso ela voltasse e isso acabou de acontecer,dessa vez trouxe um presente.

-Deixa eu adivinhar,você dormiu com ela também?

-Não,eu não a conheço,estou preocupada pois ontem quando fui até uma igreja vi uma ruiva.. E ela era um demônio.

-Oh.. Espera como ela era?

-Muito bonita,parecia ter na base de uns trinta e.. Ah tinha olhos vermelhos em um tom vibrante.

-Droga..

-Você a conhece?

-Sim.. É a Lilith.

-Espera..A Lilith?Tipo.. A que dizem ser a primeira esposa de Adão?

-Sim,ela mesma.

-Uau.. E o que ela quer comigo?

-…

-Diana?

-Eu.. Não sei.. Saiu da mesa

-Não é o que parece.. Por que está mentindo?

-Não posso falar.

-Não pode,ou não quer?

-Tenho medo..

-Ela é tão assustadora assim?

-De certa forma sim mas não estou falando dela.

-Então de que?*Fui até ela*O que te assusta?

-Eu.. Tenho medo do que irá pensar de mim quando souber. Falou em um só suspiro

-Souber o que?

*Batida na porta*

-Pode entra.

"Isso ainda não acabou."

-Eu sei.

-Vim trazer o presente. Falou ao entrar

-Obrigado. Fui pagar

"Não parece pesado então não deve ser uma bomba.. Menos mal."

-Melhor eu voltar pra minha mesa.

-Espera.. Tenho que te perguntar uma coisa.

-Sim?

Fui deixar a caixa sobre a mesa e ao me virar notei que a Diana me encarava do sofá onde voltou a sentar,não era fácil trazer esse assunto de volta a tona principalmente por que ela havia se arrependido e tentou até se demitir porém a impedi e a deixei como secretaria da Alex,sabia que esse emprego era importante pois pelo que ouvi a situação do marido na vida profissional não era nada boa.Apos tomar uma longa respiração em busca de coragem finalmente a achei e perdi logo em seguida a ver seu olhar de medo.

"Droga.."

-Ah por favor!Vamos logo com isso. Me apressou descruzando as pernas

"Não me apressa,isso não é fácil."

-Também não é tão difícil,só tem que fazer uma simples pergunta.

"Ok."

-Hum.. Jane..

-É sobre o que houve entre a gente?

-Sim..

-Olha eu já falei que não quero mais falar sobre isso,foi apenas uma transa e creio que pensa o mesmo.

-Eu penso,vou direto ao ponto.. Andei pensando e não me lembro se usamos proteção,você me disse que estava tendo problemas pra engravidar então após nossa transa..

-Você acha que a Luana é sua filha?

-Estou torcendo pra não ser,mas é isso passou pela minha mente.

-Pode ficar tranquila ela é filha do meu marido.

"Ufa.."

-Com certeza estou bem mais tranquila..

-Percebi,seria tão ruim assim ter uma filha?

-Não é isso,eu até gostaria da ideia porém já tenho dando muita dor de cabeça pra minha família,não que eu ache que um filho seja um problema só que você é casada,a mamãe iria tirar meu coro.

-Aposto que sim,era só isso?

-Sim.

-Ótimo,irei voltar agora.

-Tudo bem.

Depois que ela saiu voltei a minha mesa e notei que a Diana estava sorrindo o que me deixou curiosa por isso resolvi descobri o motivo.

-O que foi?

-É só que.. Você parece ser ruim nisso.

-Como assim?

-Sexo,eu achei que pudesse ser ótima até por que tem quatro namoradas mas agora não tenho mais tanta certeza.

-Não acho que seja por conta do sexo e sim pelo que ele significou.

-Como assim?

-Ela traiu seu marido e quando está comigo talvez lembre do que houve e isso a faz sentir culpada.

-Oh..

-E só pra saber tenho certeza que ela adorou,se não fosse seu marido acho até que iria quere repetir.

-E você?

-Bem sexo é sexo,por mais que seja ruim é bom..

-Não entendi.

-Foi legal porém foi apenas isso..Não teve nenhum sentimento envolvido,a coisa toda foi do jeito mais carnal possível.

-Não gosta disso?

-Não,pra mim o sexo é algo que se é bem melhor com sentimentos.

-Oh..

Ao olhar pra caixa senti minha curiosidade aumentar e embora estivesse um pouco preocupada sobre o propósito disso resolvi abri,assim que o fiz vi que era uma roupinha de bebê feita de crochê um tanto peculiar,embora tenha sido estranho principalmente por ser preto achei muito fofo.

-Mas.. Peguei um dos sapatos

-Não acredito.. Veio até a mesa

-O que?

-Como ela sabe sobre o bebê?

-…

Ela tinha razão o único jeito dela saber seria mandado alguém nos espionar,isso me deixou preocupada pois se um demônio poderia se aproximar para isso poderia muito bem fazer algum mal,ainda tentando organizar minhas ideias sobre o que faria vi que havia um cartão.

-Escolhi pessoalmente espero que goste,devido as circunstâncias achei que seria apropriado.. Não se preocupe a mãe e o bebê estam em segurança assim como os demais,não tenho a intenção de feri-los mas as coisas podem mudar.Ps.Te vejo em alguns dias.

-…

-Suspiro Difícil não me preocupar.. Deixei o cartão sobre a mesa e me joguei ma cadeira

-Não acho que ela tenha motivo para machucar ninguém e a menos que seja algo que ameaça a nossa existência não temos permição para ferir um humano.

-Achei que não se importasse com regras.

-Essa sim..

-Acho que não tenho outra escolha.. Levei as mãos ao rosto

-Ei,vai ficar tudo bem,a Lilith é um demônio de palavra.. Se ela falou que não vai machucar ninguém ela não vai.

-Você parece conhece-lá bem. Voltei a encara-la

-Sim,pelo que aprendi com os humanos ela é minha mãe.. Falou franzino a testa

-Uau.. Então..

-Você não deveria cuidar desses papéis?Assim não vai terminar hoje.

"Ela esta tentando fugir porém tem razão."

-Entendi. Voltei a ler os papéis



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...