1. Spirit Fanfics >
  2. Minhas namoradas e eu (G!p - Au) >
  3. Chifres?

História Minhas namoradas e eu (G!p - Au) - Capítulo 18


Escrita por:


Capítulo 18 - Chifres?


Pov Kara

Logo que a ligação terminou fui pegar algumas camisinhas por mais que não precisássemos mais por conta do lance de ter um bebê a Lucy havia dado a ideia de sexo anal e por mais que estivesse insegura por não querer machuca-lá também estava curiosa e como qualquer coisa relacionando a sexo sempre chamava minha atenção não teria como negar,enquanto as pegava notei o olhar da Diana sobre mim.

-O que?

-Não falei nada..

-Mas tenho certeza que quer,vá enfrente.

-Ok,por que precisa disso,pelo que me disse elas são para impedir a gravidez e como vocês querem um..

-Não é apenas para isso mas sim,estamos tentando ter um filho.. Eu acho,é por outro motivo.

-Qual?

-Acho que não precisa saber disso..

-Por que?

-É que.. Tá,estamos pensando em sexo anal.

-Qual a diferença desde pra o normal?

-Bem esse é por trás.

-Oh.. Pra que?Eu andei pesquisando e nem todos conseguem chegar ao orgasmo nisso.

-Você andou é.. Eu não sei,ela falou que queria e tenho um pouco de curiosidade.

-Sim,fiquei um pouco curiosa sobre como funcionava algumas coisas.

-Entendo,então você sabe usar um computador?

-Não é tão difícil,por que parece tão surpresa quanto a isso?

-Acho que só não esperava.. Legal,se pode aprender bastante coisa pela Internet porém nem todas são para o bem,então cuidado.

-Não sou uma criança.

-Sim mas age como uma as vezes..

-…

-Melhor eu me apressar. Peguei uma touca

-Então não me ver como uma adulta?

-O que.. Bem sim,até onde sei você é adulta,por que se importa com o que penso?

-Eu.. Me importo por que você é importante.

-Aprecio isso porém não deveria se importa tanto com o que pensam,você é você e não à ninguém igual.. Acredite você é especial por ser que é.

-Obrigado.. Mas eu não me importo com os outros.

-Faz bem,melhor irmos.

-Tudo bem.

Descemos até a sala onde a Alex estava brincando com o Diego no sofá,ao nos ver ele tentou sair do colo dela porém a mesma o segurou.

-Não pode,assim você vai cair.

-Kah..Me chamou com as mãos

-Ela vai sair.

-Não!Aqui.

-Não posso ficar bebê,tenho de ir ver a Lucy,eu volto logo.

-Não..

"Ih.. O que faço agora?"

-Diego a Kah tem de sair mas volto. Fui até ele

-Não,mam foi.

-Eu sei.. Sua mãe volta em alguns dias,tive uma ideia,e se eu te levar para passear no parque amanhã?

-Não,agora.

-Agora não dá.. Lembra do que falei sobre espera?

-Não.

-Menti é feio.

-Sim.

-Ok,sabe por que temos de espera?

-Não.

-Por que tem uma hora para cada coisa,agora esta de noite e seria arriscado te levar pro relento.

-Mas..

-Prefere ir pra um hospital?

-Não! Falou com os olhos arregalados

-É o que ira acontecer se te levar pra sair agora,você já esta um pouco resfriado e com o clima frio pode piorar..

-…

-Acho que ele esta tentando entender..

-Você ainda quer ir ao parque agora?

-Não.

-Sorri Ótimo.

-Bem ele é mais inteligente do que pensei.

-É,ainda me surpreendo com o quão.

-Um pouco até demais.. Murmurou com o semblante preocupado

-O que foi?Algum problema?

-Er.. Não,só estava pensando em algo.

-Ok..

-Muito bem bebê,a Kara promete que vai passear com você mas apenas amanhã,enquanto estou fora a Alex vai cuidar de você. Olhei pra ela

-Sera um prazer cuidar dessa criança fofa.

-Hum.. Já esta mudando de ideia sobre ter um filho?

-Credo não,e caso não lembre é preciso de duas pessoas para isso..

-Nada haver,pode ser uma produção independente,sempre estarei aqui para ajudar,tenho certeza que a mamãe também.

-Ok.. Por que colocou essa ideia na cabeça?

-Só acho que seria uma boa mãe,você concorda não é Diego?

-Sim. Levantou as mãozinhas

-Viu?Ele concorda.

-Tenho uma leve impressão que ele iria concordar com qualquer coisa que perguntasse.

-É o que veremos,você gosta de injeções?

-Não.

-Viu?

-Não foi bem o que quis dizer mas tudo bem.

-Certo,melhor irmos.

-Ela vai com você?

-Sim.

-E você esta bem com ela te observando?

-Eu não vou..

-A Diana deu sua palavra de não o faria,eu acredito nela.. Vejo vocês depois.

Após me despedir do Diego fomos até meu carro,por mais que não gostasse da ideia de deixá-lo não poderia deixar a Lucy esperando,sempre que nos despedimos sentia esse incômodo porém dessa vez parecia mais forte.Talvez pelo fato de o mesmo ter me chamado de mamãe ou por que sua mãe não estava com ele,estranhamente quando o vi pela primeira vez senti uma espécie de conexão a qual parecia ficar maio a cada dia.Assim que entramos no carro liguei o rádio que estava tocando a música Cry me a Rive do Justin Timberlake.

-Obrigado por ter me defendido..

-Você não precisa aceder,só falei a verdade..

-Ainda assim,por eu ser um demônio normalmente os outros não confiam em mim.. Nem os da minha espécie.

-Sua natureza não influencia em quem você é,sou meio demônio como sabe e mesmo assim continuo tão honesta quanto a maioria dos humanos.. Tá talvez eu não seja um bom exemplo.

-Você é.. Os humanos nunca foram anjos..

-Talvez.. Por falar nisso,você já sabia?

-Sim.. Achei que tivesse esquecido.

-Só não achei necessário.. Pensando bem ainda não é,apenas queria ouvir de você.

-Oh.

Comecei a prestar atenção na estrada enquanto cantava junto com a música,logo que chegamos estacionei o carro e virei para Diana que parecia esta bem distante,ela não era de ficar distraída e por isso fique curiosa pelo motivo.

-Esta tudo bem?

-Sim.. Eu acho.

-Como assim?

-Não sei explicar mas tenha uma sensação estranha aqui. Apontou para a barriga

-De que tipo?Dói ou só incomoda?Talvez tenha sido por causa da pizza..

-Não é nada físico,eu não adoeço lembra?

-Talvez isso tenha mudado?Não é melhor ir a um hospital?

-Você enlouqueceu?Por mais que minha aprencia seja humana eles iriam descobri.

-Como?Digo à algo de diferente?

-Sim,além de ter um DNA diferente de qualquer humano tenho dois corações.

-…

"Isso só pode ser brincadeira.."

-Não é.. Colocou minha mão sobre seu peito

-Puta merda!Tem dois batimentos..

-Eu disse..

-Isso é legal.

-…

-O fato de ter dois coração muda algo?Tipo você pode sentir as emoções em dobro?

-Não isso não tem nada haver com o coração,a maioria dos demônios só sentem e transmitem o medo,desejo e claro ira.

-Hum.. Então não sente tristeza?

-Não que eu saiba,você já pode tirar a mão.

-O que.. Oh desculpe,tinha esquecido.

-Tudo bem,de certa forma isso espantou um pouco a sensação.

-Foi?Ok voltando a ela,o que é exatamente?

-Um tipo de ansiedade ou medo.

-Por que?

-Eu não sei,isso é irritante.. Talvez eles tenham razão.

-Sobre o que?

-Eu ser humana demais,o que pra nos é uma ofensa.

-Sorri Não é de todo ruim,sempre soube que era diferente dos outros porém esse fato só te fazia especial,nem todos são iguais.. Acho que com os demônios é o mesmo,até quando tem uma intensão assassina você ainda é você,parece diferente.

-Onde viu outro demônio?

-Não faz muito tempo quando fui visitar um padre eu..

-O que queria com um padre?

-…

-Kara..

-Eu queria te ajudar,ele me deu um jeito de fazer isso ou ao menos mante-los longe de você.

-Se matando no processo?

-Não sou tão frágil,caramba vocês precisam ter um pouco mas de fé em mim.

-Eu tenho.. Apenas não quero que se machuque.

-Suspiro Eu entendo.. Ainda assim,posso me cuidar.

-Não tenho tanta certeza disso. Murmurou olhando pra casa

-O que quer dizer com isso?

-Nada,é melhor entra. Saiu do carro

-Espera ela vai te ver? Fui atrás dela

-Óbvio que não,seria complicando explicar o que estaria fazendo aqui.

-Tem razão..

-Eu sempre tenho.

"Tenta ser mais modesta pelo menos.."

Logo após alguns segundos que toquei a campainha a Lucy veio abri pra mim,a mesma usava um robe branco de cetim,assim que me viu a mesma pulou nos meus braços fazendo a Diana revirar os olhos,quando me soltou e surpreendeu com um beijo.Enquanto aproveitava o momento ouvi a Diana resmungar algo e entra na casa,a mesma estava agindo estanho,mais ate do que das outras vezes.

-Oi.. Murmurou ao me soltar

-Oi.. Você esta linda com essa maquiagem. Lhe dei outro selinho

-Obrigado..*Segurou no meu suspensório* Você também esta linda.

-Obrigado.

-Vai ficar nisso até quando?Que cheiro é esse?Foi em direção a cozinha

"Meus brownies!"

-Esta tudo bem?

-Er sim,só senti um cheiro maravilhoso,além do seu claro.

-Hum.. Achei que tivesse vindo aqui só pra comer.

-Bem.. Sim,em todos os sentidos possível.Abracei sua cintura

-Bom saber.. Você tem um apetite e tanto,em todos os sentidos.

-E isso é ruim?

-Pra quem te alimenta sim.

-Sorri Eu mesma pago minha comida.

-Certo,melhor te alimentar antes que vá procurar em outro lugar. Me levou em direção a cozinha

-Em qual sentido?

-Na comida.. Falou meio incerta

"Sera que é apenas o seu lado ciumento ou ela esta desconfiando de algo?"

Ao chegarmos na cozinha senti meu estômago resmungar por mais que tivesse comido metade de uma pizza ainda eatava com fome,sempre tinha sinto esfomeada a Alex ate me zoava quando menor me chamando de buraco negro,sabia que não poderia ser normal e ao ver o quão parecida a Diana era tive minha curiosidade saciada.Depois de ver os olhos da mesma brilhando ao ver os brownies não pude deixar de sorri ela com ceteza me superava no quesito fome.

-O que é engraçado?

-É que eu lembrei de uma piada..

-Oh.

-Distrai ela que eu vou pegar um.

"O que mas.. Tudo bem."

-Eles parecem deliciosos assim como tudo o que faz.. A puxei pra mim

-Assim me lisongea. Colocou as mãos no meu ombro

-Você merece,e só falei a verdade.. Isso me faz pensar que terei muito trabalho quando o bebê nascer,pois se for uma menina e tiver metade da sua beleza vou ter de lidar com os caras.

-Sorriu não acredito que já esta pensando nisso..

-O que?Sou precavida.

-Claro,sendo assim acho que ela vai ter um pouco de dificuldade para namorar.

-Ela não vai namora.

-E por que não?

-Primeiro eu não quero que ela sofra na mão desses delinquentes que andam por ai,sei que não valem nada pois já fui um deles.

-Tera de esconder essa parte do seu passado ou ela não vai aceitar bem sua opinião.

-Talvez. Porém sera difícil,se colocar meu nome no Google ela vai saber com certeza.

-Assim não paresse ser fácil.. Realmente não vai deixá-la namora?

-Olha.. Isso vai depender do cara,e só o fará quando tiver 40 anos.

-Nossa.. Não pode esta falando sério.

-Coitada da criança. Murmurou pegando outro pedaço

"Ei não come tudo!"

-Estou.

-E se for um menino?

-O mesmo vale pra ele.

-É melhor ir se preparando para algumas brigas.

-Já estou pensando em uns argumentos ótimos..

-Aposto que sim.

"Melhor eu pegar logo meu pedaço ou a Diana vai comer tudo."

-Acho que não aguento mais só olhar..

-Ao que se refere?

-As duas coisas porém aqueles brownies parecem apetitosos,desculpe prioridades.

-Claro.. Vá em frente. Foi até a geladeira

"Ela ficou brava?"

-O que você acha?

"Diana você comeu tudo isso?"

-Não resisti estão muito bons..

-Urg.. Nunca mais te trago. Peguei um deles e coloquei na boca

-Esta falando com quem?

-Ninguém,só pensando em voz alta.

-Ok. Veio com um pudim

-Você esta tentando me engorda?

-Talvez.. Ue você comeu quase todos?

-Sim.. Desculpe estão maravilhosos.

-Fico feliz que gostou..*Colocou o pudim sobre a mesa* Só tente não passar mal,doces demais pode não fazer bem.

-Relaxa a última vez que passei mal foi.. Acho que não lembro,talvez quando criança.Coloquei o resto na boca

-Como se tivesse mudado muita coisa.. Se recostou na mesa

-Esta insinuando que sou infantil?

-Talvez.. Para algumas coisas sim,mas eu sabia o que estava enfrentando quando aceitei namorar com você.

-Falando assim até parece que faz um sacrifício,esta arrependida?

-Não,não é isso.. Jamais irei me arrepender,você é umas das pessoas com as quais mais me importo,se não tivesse plena certeza de que quero passar o resto da minha vida com você não teria a ideia de formarmos uma família juntas.. Acredite nunca foi um sacrifício,esta com você melhora os meus dias.. E te ver sorri me faz pensar no quão imensamente sortuda eu sou.

"Ela sempre sabe o que dizer.. Cara como eu amo essa mulher."

-Na verdade eu quem sou muito sortuda por ter o prazer de tê-la ao meu lado.Peguei mais um pedaço e fui até ela

-Ainda acho que eu sou mais sortuda.

-Sorri quem esta sendo infantil agora..*Coloquei na sua boca* Mas tudo bem,vou te deixar ganhar.. Porém sabe que fui quem ganhou de verdade..*Beijei sua bochecha* Tenho uma das mulheres mais incríveis e perfeitas do mundo bem aqui na minha frente,o melhor é que ela é minha namorada.

-...

-Acho que vou vomitar.

"Nunca te vi fazendo isso."

-É só modo de falar.

-O gato comeu sua língua?

-Eu só,as vezes você me deixa sem palavras.

-Queria te deixar sem fôlego porém isso será o bastante por enquanto.. E sempre podemos resolver isso. Comecei a beijar seu pescoço

Enquanto beijava sei pescoço senti sua mão na minha nuca me puxando para mais perto e logo ela afastou seu rosto me dando mais acesso,estava louca para ver o que ela tinha embaixo do robe porém ainda tinha de me livra da Diana,por mais que gostasse da sua companhia e a ideia dela nos vendo ate me animava porém havia a Lucy,não sabia o que a mesma pensava sobre então seria errado fazer algo do tipo sem o seu consentimento.A peguei e a fiz sentar sobre a mesa recebendo um gemido desconfortável em troca,rapidamente me afastei e a encarei.

-Eu te machuquei?

-Não.. Apenas,resolvi tentar uma coisa.

-Ok.. O que?

-Desde que conversamos sobre sexo anal eu andei explorando um pouco isso,comprei alguns brinquedos.. Eu já tinha um vibrador porém queria começar com algo menor,com isso tive a ideia de usar um plug anal.

-Oh.. Você esta usando agora?

-Sim..

-Não machuca?

-Não é apenas um pouco estranho..

-Isso quer dizer que não desistiu da ideia?

-Não.. Você não quer?

-Claro que quero,qualquer coisa relacionando a sexo me interessa e.. Estou um pouco curiosa,só não queria que se sentisse precionada.

-Não estou.. Realmente quero fazê-lo. Me puxou para entre suas pernas

-Tudo bem.. Selei nossos lábios

-Ei eu ainda estou aqui.

"Então sai."

-Nem pensar,ainda quero experimentar o pudim.

Tudo o que queria era poder tê-la deixado no apartamento porém me senti mal ao ver seus olhos de cachorrinho,como não tinha outro jeito melhor se não sair dali foi o que fiz,me afastei dela e a peguei no colo o que a deixou surpresa porém logo sorriu e envolveu um dos braços no meu pescoço.No caminho para o quarto dei uma última olhada na Diana que estava preste a devorar o pudim.

"Seu buraco negro parece bem maior que o meu,se é que isso é possível."

Mudei minha atenção para a Lucy que me encarava confusa e continuei a subir até seu quarto,assim que chegamos a coloquei sobre a cama e com sua ajuda comecei a me despi,quando estava complemente seu roupa a ajudei a tirar o robe e me surpreendi ao ver que a mesma não estava nada.

-Pensei em facilitar um pouco mais..

-Sorri Nunca me canso do seu corpo.. *Toquei sua barriga* Ele é perfeito.

-É bom que goste pois não e fácil mante-lo,especialmente por que não tenho muito tempo.

-Ele é uma obra de arte,porém mesmo se não fosse assim iria ama-lo pois continuaria sendo você.

-Vamos ver se continuara pensando assim.

-É claro que vou,amor eu te amo por que você é essa mulher sensacional,não estou falando só fisicamente. A puxei pro meu colo

-Tudo bem..

-Você não paresse muito segura disso.

-Ainda acho que pode ter opções melhores.

-Ei,*Segurei seus rosto*Nunca mais falei isso.. Não se menospreze assim,você é o sonho de qualquer um,alguém dedicado,amoroso,gentil,forte,que esta sempre se esforçando para melhora por mais que não precise.. Não te escolhi por acaso Lucy,você me surpreende cada vez mais e me faz sentir orgulhosa por ter escolhido tão bem.

-Eu.. Colocou suas mãos sobre as minhas

-Você é como o meu próprio pedaço do paraíso..Esta com você me fortalece,*A abracei* Por mais que as circunstâncias possam não ser a das melhores por favor nunca divide de você.

-Não vou.. Desculpe,eu acabei te deixando pra baixo. Murmurou contra meu ombro

-Não se desculpe,estou aqui para você.. Vou te ouvir ou só ficar ao seu lado se precisar.

-Obrigado.. *Voltou a me encara* Ainda quer continuar?

-Eu quem deveria perguntar isso.

-Estou bem mesmo com a ideia,fui eu que a deu.. E sim quero.

-Ok.

Voltei a tocar seu corpo começando com suas pernas dessa fez fazendo um pequeno carinho nas coxas enquanto beijava sua clavícula,adorava o seu perfume e a cada centímetro que beijava e mordia sentia o aroma de rosas invadir meus sentidos enquanto explorava seu corpo,logo que mudei minha atenção para os seus seios ela soltou um pequeno gemido enquanto acariciava meu membro o qual a essa altura já estava como pedra nas suas delicadas mãos.Me surpreendendo ela me empurrou sobre a cama e deslizou até mim agarrando meu pênis novamente.

-Fica quietinha aí,estou com saudades de sentir esse cara na minha boca.

-Não irei reclamar. Me apoiei nos cotovelos para ter uma visão melhor

-Tão grande e apetitoso.. Murmurou o encarando

Logo após isso ela começou a beija-lo enquanto movia sua mão pra cima e pra baixo,ela realmente parecia esta falando sério quando falou que sentiu saudades,antes que pudesse pensar em algo mais ela passou a lambe-lo de baixo pra cima me encarando seriamente,a mesma sempre tinha esse jeito fofo e sexy de me provocar com seu olhar o qual ela sabia muito bem que tinha um grande poder sobre mim.A ouvi falando sobre outras opções melhores me fez pensar se realmente não poderia só contar tudo,com a Andrea as coisas acabaremos se resolvendo porém não poderia dizer o mesmo da Imra.

Elas eram diferentes e por conta disso consecutivamente poderiam reagir a isso de formas diferentes,fala com ela sobre as outras poderia colocar tudo em risco mas era injusto continuar a enganando,a Lucy queria ter um filho comigo continua escondendo a verdade não poderia acabar bem.Ela já havia demonstrado ser bem progressiva quanto a mim no início mas tambem era por vezes um pouco insegura,sabia bem o motivo e o fato de continuar mesmo assim me deixava em um impasse.

Se eu contasse ela poderia me odiar por ter escondido por tanto tempo algo de tamanha impotência e por tambem tê-la traindo,se não uma hora ela iria saber e me odiaria em dobro pelas alternativas a cima e por ter deixado isso continuar e deixá-la ter um filho meu sem saber o que estava fazendo,as duas formas era ruins pra mim porém a última a faria me desprezar e não querer mais me ver.Com isso resolvi que o melhor seria abrir o jogo,espera até que ela pudesse confirma a gravidez seria o fim com certeza,a Lucy tinha deixado claro que tinha me escolhido pra isso por que confiava em mim descobri que deixei a situação ir tão longe por medo a faria me enxerga como a idiota mesquinha a qual sabia que era.

Não tinha nada haver com o fato de ser demônio,a Diana havia me dito que tal coisa não era legal,talvez fosse algo meu ou então ela seria realmente bem mais diferente dos outros do que pensava,as coisas seriam mais difícil com a Lucy e a Lena por conta dos bebes.A Lucy e eu já não estavamos tomando cuidado o que deixava 90% de certeza de que ela iria ou estaria grávida já a Lena tinha certeza.Não era algo o qual deveria fazer com nenhuma delas no entanto era tarde demais para voltar atrás,não teria como fugir havia arrumado aquela confusão e escolhi continuar mesmo sabendo das consequências.

Resumindo poderia ter evitado porém também teria de abri mão das melhores pessoas que conheci,e dos melhores momentos os quais já pude aproveitar,como aquele o qual estava vivendo.Não era apenas pelo sexo era mais que algo físico,sempre que as tocava sentia meu coração se aquecer e queimar de uma forma unica e estranhamente boa.Queria sempre mais daquilo e diferente da comida com elas não sentia que queria mais e sim que precisava daquilo,parando pra pensar parecia assustador mas não queria para ou evitar pelo contrário escolhi aceitar.

Estava tentando focar nos meus pensamentos porém ela não facilitou,não que estivesse reclamando seria impossível fazê-lo,quando ela começou a chupa-lo achei até que não fosse aguentar porém surpreendentemente consegui.Ela passou a aumentar o ritimo dos seus movimentos e a profundidade o acariciando com a língua sempre chagava na glande,sentir os seus lábios macios e quentes envolta do meu membro estava se tornando uma tarefa difícil,queria mais daquilo por isso me proibir de gozar tão rápido.

-Amor.. Ah.. Você é ótima mas eu quero fazer o mesmo por você.

"E assim tira um pouco da sua atenção ou meu plano de me segura vai por água a baixo."

-Mas..

-Podemos fazer um 69 assim ninguém fica de fora.

-Ok.

Dito isso ela subiu sobre mim com uma perna de cada lado do meu rosto me dando uma magnífica visão da sua bunda,notei que ela realmente usava um plug rosa bem foto até,não tinha conseguido acreditar como a medica careta que ficava envergonhada sempre que o assunto sexo era mencionado tinha se transformado nessa provocação em fprna de mulher,adorava essa sua nova versão mais solta e livre porém não pude deixar de perceber o quão ruim era minha influência sobre ela.Ignorando todos os pensamentos agarrei sua bunda dos dois lados e iniciei as lambidas por seus pequenos e grandes lábios enquanto dava uns leves apertos em suas nadegas.

Ela tinha um belo pra o qual amava loucamente,sempre que as tocava sentia meu corpo inteiro responder,enquanto trabalhava com a língua e arrancava alguns gemidos abafados pelo meu pau na sua boca ela voltou a me masturbar enquanto tentava se concentrar no que fazia,aproveitei seu momento de descontração e comecei a lamber seu clitóris e a chupa-lo fazendo seu gemidos aumentarem.

-Ah.. Esta fazendo isso de propósito..

Sem me dar chance para responder ela voltou a me chupar dessa vez o levando o mais fundo que conseguia,esse simples ato me levou pela borta então gozei na sua boca,levei alguns segundos para me recupera enquanto sentia que ela continuava a lambe-lo limpando o resto de porra que havia ali.

-Caramba..

-Sorriu Achei que tivesse um pouco mais de força de vontade. Sentou sobre mim

-Olha eu tenho,e tentei muito mas.. Porra você esta melhor nisso do que da última vez..

-Eu andei praticando.

-Como é?!

-Não em um de verdade claro.

-Oh.. Desculpe eu.. Meio que meu cérebro parou.

-Sei que é ciumenta porém achei que confiasse em mim.

-Eu confio.

-Então,por que achou que iria fazer algo do tipo?

-Eu só sei.. Acho que o ciúmes falou mais alto,sinto muito.

-Tudo bem,mas não precisa duvidar de mim.

-Eu não duvido,eu confio em você.. Só não confio nos outros..Vai saber que tipo de artimanhas eles usariam.

-Não sou nenhuma garotinha Kara,jamais seria influenciada por alguém ou convencida a fazer algo o qual não queira.

-Sei que não é,não vou deixar que se repita,como você está se esforçando para controlar o seu ciúmes posso fazer o mesmo.

-Pode?

-Posso.

-Hum,e se eu te dissesse que um dos médicos me convidou para almoçar amanhã?

-…

-Viu só?Você não consegue.

-Eu não falei nada.

-Mas pensou.. Sua cara sempre te entrega,relaxa eu recebi um convite mas foi sera um almoço entre amigos e colegas de trabalho.

"Droga eu falei que poderia fazer sido."

-Faça bom proveito.

-Só isso?

-Sim.. *Sentei* Como sua namorada não posso te privar de encontra com os seus amigos,como disse posso fazer isso..

-Hum.. Ok,então não vai ficar brava?

-Não.

-Nem triste?

-Não eu não vou,sou adulta e posso lidar com o fato de que a minha namorada esta indo almoçar com um amigo.

-Tem certeza?

Claro que aquilo estava me incomodando porém teria de confiar nela,por mais que não pudesse fazê-lo a Lucy nunca mentiu pra mim então se ela falou que seria apenas um almoço entre amigos não tinha motivos para duvidar,com minha decisão tomada espantei os pensamentos e medos e a beijei.Queria não ter de ser tão egoísta e hipócrita,não tinha o direito de agir de tal forma,contudo havia uma voz me avisando para não confiar e para impedi-la,por mais difícil que tenha sido consegui cala-la e me concentrei em aproveitar a noite.

A fiz deitar sobre a cama e me posicionei entre suas pernas onde voltei a acariciar e provocar cada pedaço do seu corpo beijando e lambendo,em segunda voltei a chupa-la,não era justo que fosse a unica a gozar então trabalhei para tentar recompensar por ter me feito sentir nas nuvens antes.Enquanto a lambia e chupava senti sua mão no meu cabelo me puxando para mais perto,não muito tempo depois seu aperto aumentou e junto com isso veio um gemido mais alto seguido por seus líquidos.

-Uau.. Acho que posso aceitar isso como um sinal de que não esta brava.

-Não estou,não posso ou quero controlar sua vida,sei bem bem como é passar por isso.. Você é uma adulta sendo assim pode muito bem fazer por aí só fazer suas escolhas.

-Aprecio que pense assim.. Mas eu entendo o que esta sentido,se isso for acusar algum problema na nossa relação eu posso cancelar.

-Não,estamos bem e iremos continuar assim.. Você deveria ir,sei que não tem muitos amigos e não quero ser o motivo de ter deixado de se divertir com um deles.

-Mesmo?

-Sim,eu estou realmente certa do que estou falando.

-Tudo bem..*Sentou* Oh você já esta pronta novamente.

-Uma das vantagem de ser uma tarada.

-Sorriu Como?

-Deixa pra lá.. *Acariciei sua coxa* Estou mais que pronta porém isso não é sobre mim.

-Já disse que é o que quero,não se preocupe sei o que estou fazendo.. Saiu da cama

-Ok.

-Você touxe camisinha? Foi pegar algo na gaveta

-Sim.

-Ótimo,pode pegar?Voltou com o lubrificante

-Tá. Fui até minha calça sobre a poltrona

Ao voltar pra cama notei que embora estivesse tentando parecer normal estava um pouco ansiosa e pela forma de como estava evitando me olhar não queria que percebesse,sabia que era geralmente normal que as mulheres se sentissem assim durante a primeira experiência porém não queria que ela acabasse se machucando por culpa minha,por esse motivo insisti para ter certeza.

-Sabe que não precisa fazer não é?Podemos só fazer do jeito normalmente fazemos.

-Sei disso.. Não se preocupe é apenas um pouco de medo.

-Mas não quero que se sinta assim por menor que seja.

-Eu sei.. *Suspiro* Como quer fazer isso?

-Não sou eu quem vou ter algo entranhado em minha bunda então deixo pra você decidi qual posição que se sente mais confortável,se não gosta podemos mudar ou parar.

-Sorriu Ok..

-Ai esta,eu amo esse sorriso. A beijei

-Podemos tentar de quatro.

-Por mim tudo bem..

Ela se posicionou e me entregou o lubrificante,após colocar a camisinha me aproximei dela e toquei sua bunda o que a fez recuar um pouco,deixei minha mão vagar por suas costas até que desci para sua cintura e me segunda seus seios onde agarrei um deles,queria fazê-la relaxar porém não tinha certeza de como.Com isso em mente pensei que deixá-la excitada novamente seria uma boa forma de lidar com o seu nervosismo,sem avisa-lá levei o meu membro até seu clitóris e comecei a esfrega-lo lá.

-O que esta fazendo?

-Não é óbvio?Não é bom que esteja nervosa então pensei que poderia começar a estimulando.

-…

-Quer que eu pare?

-Não.. Eu gosto disso.

-Ok..

Deixei um beijo na suas costas e passei a esfrega-lo por sua intimidade desde o clitóris entra um pouco e tirando em seguida,enquanto repetia esse movimento algumas vezes comecei a massagear seu seio e logo ela passou a mover sua cintura em minha direção.Não muito depois ela aumentou seus movimentos tentando coloca-lo porém decidi provoca-lá ao máximo,gostava dessa sensação de poder ao ver o efeito que tinha nela.

-Amor..

-O que foi?

-Você pode apenas..

-Sim?

-Para de provocar e coloca logo em mim.

-Achei que quisesse tentar em outro lugar.

-Podemos fazê-lo depois,agora eu preciso que você me foda nem que seja só um pouco..

-Sorri Jamais negaria tal coisa pra você. Dei um tapa na sua bunda

-Não acredito..*Virou para me encara* Você acabou de..

Sem dar chances pra ela continuar dei um impulso com a minha cintura em direção a sua bunda fazendo meu membro entra,ao ver seu estado de surpresa misturando com satisfação a fiz se abaixar novamente e passei a me mover dentro e fora dela o mais rápido que consegui,por causa dos meus movimentos ela não conseguiu forma uma frase coerente então desistiu e começou a se concentra em aproveitar.Por mais que nunca tenha sido do tipo que gostava de usar violência por menor que fosse durante o sexo senti na foram de como me olhou que a mesma havia gostando.

-Você ia dizer algo querida? Comecei a estocar mais forte

-Ah.. Você..

-Acho que não te entendi. Coloquei as mãos dos lados da sua cintura a puxando pra mim

-Ah.. Droga!Isso...

-Você gosta não é?*Apertei sua bunda* Quando te pego com força ou quando falo o quão fodidamente gostosa é…

-Eu.. Tentou me encarar com as bochechas coradas

-Sim,eu sei.. Você não tem por que se envergonha,muitas pessoas possuem desejos ocultos.*A puxei pra mim* O seu é por ser dominada.

-Não sei do que esta falando.. Falou ofegante

-Claro que sabe,esta nos seus olhos..*A fiz me encarar* É por isso que quer que te foda na bunda não é?Gosta de sentir essa adrenalina. Levei minha mão até seu pescoço

-Kara eu..

-Shiu.. É Simples sabe que jamais te nagaria nada,vou fazer o que quiser e em quais posições desejar.. Me movi mais uma vez

-Ah.. Eu.. Quero que foda,sem dó ou piedade..

-Sorri Você quer ser tratada como uma puta não é?

-Sim.. Murmurou evitando meu olhar

-Viu só,não foi tão difícil.. Só mais uma coisa,quando você estava usando os brinquedos no que pensava?

-Em você..

-Só isso?

-Me fudendo amarrada.

-Ai esta!Uma boa ideia.. Me retirei de dentro dela e sai da cama

-O que vai fazer?

-Realizar sua fantasia oras.. *Tirei meus suspensórios* isso vai dar.

-Mas..

-Eu não vou te machucar..*Subi na cama* Prometo que vai ser melhor do que um pedaço de borracha.

-…

-Você não quer?

-Quero.

-*Sorri vitoriosa* Ótimo,fica de costas pra mim,com as mãos pra trás.

Assim ela o fez,não sabia explicar o por que de esta fazendo aquilo,queria fazê-lo com calma e delicadeza porém as coisas não estavam mais sobre o meu controle,após amarra suas mãos a fiz voltar a mesma posição com o rosto e tronco sobre os travesseiros e retirei o plug anal.Levei dois dos meus dedos até sua vagina enquanto lhe dava um beijo grego,logo que senti a tensão se esvaindo do seu corpo continuei a penetra-lá com a mão esquerda usando a outra para pegar o lubrificante e espalha-lo pelo meu comprimento.

-Ah.. Kara.. O que deu em você?

-Não está gostando?

-Sim estou..

-Então fica quietinha aí.

Dia seguinte

Acordei com uma sensação estranha de vazio mas logo desapareceu então não dei muita importância,ao olhar pro lado vi a Lucy dormindo tranquilamente,afastei seu braço da minha cintura lentamente para não acorda-lá e sentei na cama,por algum motivo não conseguia me lembra de como fui dormi ou se fui dormi mas considerando que tinha acordado na sua cama presumi que o fiz.Ainda levemente desnoteada pela forte pressão que havia acima dos meus olhos levantarei e fui ate o banheiro,após lavar meu rosto olhei pro espelho me deparando com algo que me fez cair pra trás literalmente.

-Arg.. Droga minha bunda. Levantei acariciando o local

"Isso só pode ser um sonho.. Espera não se pode sentir dor nos sonhos."

Ao olhar para o meu reflexo novamente os vi,tinha um par de chifres parecidos com os da Diana,tinha certeza quase absoluta de que eles não estavam lá antes então isso só tornou tudo ainda mais estranho,além do fato da pequena amnésia que tornou boa parte da noite anterior em um borrão tinha acordado com chifres.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...