1. Spirit Fanfics >
  2. Minhas namoradas e eu (G!p - Au) >
  3. Falsa Felicidade

História Minhas namoradas e eu (G!p - Au) - Capítulo 21


Escrita por:


Capítulo 21 - Falsa Felicidade


Fanfic / Fanfiction Minhas namoradas e eu (G!p - Au) - Capítulo 21 - Falsa Felicidade

Pov Kara

Depois de deixar o Diego e a Diana em casa fui até a casa da Andrea,assim que cheguei notei que havia uma moto estacionado na frente então presumi que pertencia ao tal namorado da Megan,até onde sabia esse era o primeiro que ela levava para conhecer sua família o que queria dizer que dessa vez era algo sério e o fato da Andrea aparentemente não gosta dele poderia vir a ser um problema no entanto tinha de checar até por que ela não cismava com alguém sem nenhuma razão.Ao tocar a campainha fui recebida pelo Adam que parecia mais feliz que nunca,por ali um motivo aquilo me deixou um tanto intrigada.

-Oi.

-Oi,vem entra a mamãe foi até o quarto retocando a maquiagem.

-Ok.. Por que esta tão feliz?

-Eu tenho vários motivos para isso,tenho uma família linda e o namorado mais carinhoso do mundo. Foi saltitando até a sua irmã

"Ok.. Isso esta estranho."

Aquele não parecia o seu comportamento normal porém ele também poderia esta bêbado no entanto o Adam raramente fazia isso,na sala encontrei a Megan e um cara de jaqueta de couro preta e pelo jeito que ele estava a abraçando cheguei a conclusão de que era o seu namorado.Ao me ver ela fez algo o qual confirmou a minha suspeita de que algo não estava bem,ela me abraçou,não que a mesma nunca tivesse feito isso antes mas desde que soube que namorava sua mãe ela passou a me odiar e evitar qualquer tipo de contato comigo.

-Kara,que saudades estava de você.. Murmurou me apertando

-Eu também estava mas.. Você esta doente?

-O que?Não,estou ótima,melhor impossível. Me soltou com um sorriso de rasgar o rosto

"O que esta acontecendo aqui?"

-Tudo bem..

-Ah esse é o Tom meu namorado,vem cá amor. O puxou pela mão

-Oi princesa..

-Essa é a Kara namorada da mamãe.

-Oi,é um prazer te conhecer pessoalmente. Estendeu a mão

-Prazer.. A apertei

Logo que toquei sua mão senti um calafrio estranho atravessar meu corpo por muito pouco eu não deixei transparecer meu desconforto porém consegui controlar,após soltar sua mão notei que o mesmo mudou sua expressão para uma de dúvida o que me deixou confusa.Ficamos um tempo conversando ou nos dois ouvíamos enquanto a Megan falava sobre como se conheceram e o qual incrível ele era,tinha de admitir que era bom vê-la assim no entanto algo naquilo não parecia real.

Tinha de descobri o que estava acontecendo porém não poderia deixar que os outros descobrissem que tinha algo de errado ou talvez eles nem fossem,se não soubesse melhor diria que estavm todos chapados no entanto isso era impossível.A Andrea poderia ser compreensível mas jamais permitiria que alguém usasse drogas na sua casa,parecia ser algo a mais e a forma de como ele ficava olhando para ambos não era normal.Logo o Tom a levou para a cozinha alegando que tinha de lhe falar algo,enquanto os observava se afastar senti o cheio do perfume da Andrea invadi o local.

-Amor você veio. Disse me fazendo a olhar

-Sim eu disse que viria.. Uau.

-O que foi?

-Você está linda,na verdade você sempre é mas o vestido te caiu bem.

A mesma usava um vestido cinza solto de mangas curtas que ia até o joelho,enquanto a observava descer as escadas o Adam se aproximou e resolveu me provocar.

-Você esta babando..

-O que não é pra menos..

-Adam vai ver o que o Michael esta fazendo. Falou ao se aproximar

-Tudo bem. Saiu

-Uau ele foi sem reclamar.

-Acho que eles estão se dando bem.

-Isso é bom.

-Aham *Abraçou minha cintura* Eu senti tanto a sua falta. Fez um bico muito fofo

-Eu também senti a sua.

-Eu não estou usando calcinha. Murmurou movendo uma das mãos ate minha bunda

"Que porra!Algo absolutamente não está certo,a Andrea jamais faria algo parecido enquanto seus filhos estão por perto."

-Andrea o que esta havendo?

-Como assim?

-Você parece diferente,você bebeu?

-Sorriu não mas se quiser podermos abrir uma garrafa de vinho e ir lá pro meu quarto.. Mordeu o lábio me apertando contra ela

-Mas o almoço..

-O que tem?

-Ok.. Nada,deixa pra lá * Afastei sua mão * Lembra o que me falou quando conversamos a alguns minutos?

-Que eu te amo?

-Não você não falou isso.

-Ah é por isso que está agindo assim?Eu vou resolver isso agora.

-Não é isso eu..

-Eu te amo.. Te amo.. Te amo.. Eu te amo.. Falou enquanto beijava meu rosto

"E agora o que faço para descobri o que esta havendo?"

-Eu também te amo mas não foi o que quis dizer.

-Mais do que as outras?

-O que?

-Você me ama mais do que ama as outras?

-Eu.. Não posso falar isso,já disse que amo todas.

-Mas não tem nenhuma que goste mais?

-Não.

-Isso é difícil de acreditar mas tudo bem.

-Mamãe estou aqui. Falou o Michael a braçando

-Oi amor,você não se sujou não é?

-Não eu só fiquei vendo os pássaros.. Oi Kara.

-Oi,você acabou de chama-lá de mãe?

-Sim,por que a surpresa?Ela é minha mãe.Disse como se fosse óbvio

-Desculpa você tem razão.

"É melhor não contrariar,todos estão agitando estranho."

-Você quer tocar comigo?A mamãe pode ir nos ouvi.

-Isso é uma ótima ideia. Falou movendo sua mão pela minhas costas

-Não sei,vocês não estão com fome? Tentei mudar de assunto

-Um pouco.

-Então é melhor comermos.

-Por um instante achei que pudesse ter algo errado com você mas com isso tive a certeza de que era só impressão,vamos comer então.

"Olha só quem fala."

-Eu vou sentar do seu lado mãe.

-Tudo bem.. Vamos. Nos levou para cozinha

Ao chegarmos lá ela chamou os outros e começou a nos servi com ajuda do Michael,mesmo sendo estranho era bom ver os dois assim mais próximos porém tinha a impressão de que não era por muito tempo,enquanto comíamos notei que nenhum deles deixava de sorri o que estava começando a me assuatar um pouco.Todos com exceção do Tom parecia esta na sua própria bolha de felicidade,a Megan o encarava como se ele fosse a unica pessoa do mundo,o Adam serria para o celular onde havia uma foto do seu namorado e o Michael que parecia transbordar felicidade ao lado da mãe agora sorria para o prato.

A Andrea como antes estava com a mão repousada sobre a minha coxa onde fazia alguns carinhos,assim como os demais que mantinha essa felicidade focada em algo ela me olhava a cada segundo de forma doce bem diferente de antes,era estranho vê-la assim,não que ela não pudesse ser fofa quando queria mas dessa vez ela estava se comportando como uma adolescente apaixonada.Ao notar que os únicos na mesa que não estavam agindo com toda aquela alegria era eu e o Tom cheguei a conclusão de que de alguma forma ele era o responsável por aquilo.

-Como esta fazendo isso?

-O que?

-Você sabe,não se finja de idiota,desde que entrei aqui algo não parecia certo e agora tenho a certeza de que você é o culpado.

-Acho que não entendi senhora Danvers. Falou com uma cara de inocente

-Ótimo você prefere do jeito difícil ótimo. Tentei levantar porém a Andrea estava me segurando

-Acho que não,ainda não me divertir o bastante.

-Seu...

-Amor por que parece tão brava? Sussurrou próximo ao meu ouvido

-É impressão sua querida.

-Mesmo?

-Sim.

-Então o que acha de subirmos para que me mostre aquela saudades que alegou está sentindo?

"Por que você esta sendo controlada."

-Acho que não é uma boa ideia.

-Por que não?Você não esta no clima?Subiu sua mão até minha virilha

-Er.. Sim é isso.

-Poxa eu me arrumei toda pra você,vai mesmo me deixar assim? Levou minha mão até sua intimidade

-Andrea.. Não é bom fazer isso aqui,os seus filhos estão.. *Os olhei* Viajando na maionese,droga eu tinha esquecido dessa parte.

-Amor eu preciso de você.. *Beijou o meu pescoço* Não vê que estou encharcada?

-Sim eu estou vendo mas não podemos,você vai me matar quando voltar ao normal.

"Isso se você lembra de algo."

-Não se preocupe,nenhum deles irá.

-Para com isso agora,o que você esta fazendo?

-Não posso,eu preciso me alimentar.

-O que?

-Não percebeu?Eu sou como você.

-Então por que eu não senti nada?

-Graças a isso *Me mostrou seu colar* Ele esconde minha presença,sabe prefiro evitar um encontro com a minha especie.

-Por que eles?

-Eu precisava de uma família disfuncional com muito amor acumulado e olhar que perfeição que temos aqui,uma mãe desesperada pela atenção do filho e com medo de perder a namorada,uma filha que odeia a mãe por consegui o que ela queria e um filho que teve o amor da sua mãe tirando dele,bom o outro é só um idiota apaixonado mesmo.

-É errado manipular as pessoas.

-Vejo que você é um daqueles julgadores,olha só estou disposto a dividir minha festa com você,mas se não quiser pode simplesmente sair.

-Eu não vou deixá-los com você.

-Então aprecie o show. Falou beijando a Megan em seguida

No segundo seguinte ambos estavam brilhando,aquilo com certeza não era bom,tinha de afasta-lo deles no tentando seria bem difícil fazê-lo sem a faca,por não saber que iria precisar usá-la havia a deixado em casa pois o padre havia dito que eles sentiriam sua presença e a última coisa que precisava era trazes algo assim para a casa da Andrea.

"Que tipo de demônio ele é?"

-Amor.. Você esta pronta pra mim. Disse me tirando dos pensamentos

-O que.. Parei ao ver que a mesma havia descido meu short e agora estava com a mão na minha cueca

"Como eu não percebi isso antes?"

-Você não pode negar que também quer isso.. Voltou a beijar o meu pescoço

-Espera,isso não é o que quer.. Você esta sendo controlada. Tentei tirar sua mão

-Ela não vai te ouvir,agora ela só quer demostrar o seu amor.. Seja um bom demônio e aceite. Falou levando a Megan desacordado da mesa

-O que fez com ela?Afastei a Andrea

-Ela vai ficar bem eventualmente.. Só esta descansando um pouco.

-Para isso agora. Fui atrás dele

-Não quero. A colocou no sofá

-A mais quer sim. Fui em sua direção

-Você é bem lenta,ainda não passou pela transição pelo que vejo.Disse sentado no corrimão da escada

-Não sei do que esta falando.

"Como ele pode ser tão rápido?"

-Você possui a aura de um demônio,cheira como um demônio e até é arrogante como nos mas soa como um humanos *Veio ate mim* O que você é?

-Olha eu sou várias coisa mas se tem uma coisa que não sou é algo como você. Lhe dei um soco

-Hum *Lipou seu lábio* Você bate bem forte pra um humano mas não como isso. Me deu soco fazendo com que voasse até a mesa

-Urg droga.. Tentei me levanta

-Diga-me Kara,o que essa humana é pra você? Perguntou segurando a Andrea

-Solta ela.

-Ou o que?*Sorriu* Vai me bater?Por favor,sei que não pode fazê-lo.

-Eu.. Tem razão,eu não sou tão forte ou rápida quanto você mas isso não quer dizer que vá deixar que continue com isso. Joguei uma das faca em sua direção acertando seu olho esquerdo

-Arg! *Soltou a Andrea* Como você se atreve a destruí esse corpo?Faz ideia do quão difícil foi conseguir um como esse? Arrancou a faca

-Tenho certeza que pode fazer isso novamente.

-Sim eu posso mas eu gostei desse,por isso irei matar a sua namoradinha. Jogou a faca em sua direção

-Não!

Nesse momento tudo parou,a faca parou no ar assim como todos o resto até o demônios continuava imóvel,mesmo não sabendo o que tinha acontecido decidi não questinar e aproveitar a chance,peguei a faca e a coloquei em direção a sua perna e em seguida corri para pegar a espada que o Adam havia convencido sua mãe de compra.Assim que voltei pra sala o tempo voltou a correr e como o esperado o demônio caiu de dor com a faca presa a seu joelho.

-Como?

-Eu também não sei mas eu vi uma chance e aproveitei,você mexeu com a família errada.

-Está se achando mundo não é?Vou te fazer amaldiçoar o dia em que a cadela da sua mãe te colocou nesse mundo.

-Você não disse isso.

-Sim eu disse.

Pov Narrador

Usando uma velocidades sobre humana que deixou o demônio confuso a loira desferiu um golpe arrancando seu braço esquerdo fora e em seguida o outro,ainda se contorcendo de dor no chão o demônio tentou se levantar porém foi recebido com um chute no rosto que o fez cair próximo a escada.

-Arg!

-Você deveria aprender a respeitar a mãe dos outros,demônio ou não isso não te dá o direito de se referi a qualquer mulher dessa forma.

-Acha mesmo que eu me importo com isso?Se me matar eu irei voltar e vou matar eles um por um.

-…

-Ai esta!O medo que tanto queria,você é uma fraca não é um demonio e muito menos um humano,você é uma aberração a qual não deveria existir.

-Pode até ser só que esta errado em uma coisa,você não vai mais volta. Disse o anjo ao entra no local

-O que.. Não!Se afaste de mim! Exclamou tentando se afastar

-Então agora esta com medo,isso é bom,só que é inútil seus dias de maldade acabaram. Foi até ele

-Não!Não..

O anjo se aproximou do homem e ao toca-lo seu corpo ele entrou em combustão,após alguns segundos desapareceu completamente,ao ver aquilo ambos no local pareceram assustados exceto a loira que mantinha a expressão vazia a qual deixou o anjo apreensiva.

-Kara esta tudo bem.. Tentou se aproximar dela

-O que quer comigo? Se afastou

-Não me reconhece?Sou eu seu anjo.. Quer dizer o seu anjo da guarda.

-Você..

-Kara o que está havendo? A morena se aproximou dela

-Nada.

-Como nada,ele pegou fogo e.. *Olhou para as marcas de sangue* Ele morreu?

-Sim,ele não vai mais te machucar. Soltou a espada ensanguentada no chão

-Mas..

-Está tudo bem *A abraçou* Eu não vou deixar que ninguém te machuque.

-Eu sei.. Murmurou devolvendo o seu abraço

Os outros que viam aquilo voltaram a si e correram para a mãe que tentou acalma-los,enquanto ela falava com eles a loira que agora parecia maia calma foi até o anjo que observava tudo curiosamente,para ela aquilo tudo era novo mesmo presenciando algo assustador eles pareciam lidar melhor com isso do que os demais,quando viu que a loira a observava o anjo examinou seus machucados causados pelo demônio.

-Parece que não foi nada.

-Estou bem.

-Então agora lembra de mim?

-Do que está falando?

-Eu.. Nada,você lembra o que houve?

-Sim,o namorado da Megan era um demônio,sabia que ele se alimentava das pessoas?

-Não é bem das pessoas,alguns demônios se alimentam das emoções humanas,esse se alimentava da felicidade,o mesmo cultivava ela e em seguida a tomava o que ficava bem fácil por causa do quão dóceis suas vítimas ficavam.

-Você sabe muito sobre isso.

-É o meu trabalho.

-Certo,o que houve com ele?

-Eu o purifiquei.

-Como assim?

-Limpei sua alma,ou no caso o que resto dela depois de anos com esse demônio o possuído,o demônio foi morto quanto ao garoto.. Bem não dava mais para salva-lo.

-A culpa foi minha?

-Não,ele já estava corrompido.

-Oh.. Obrigado por vir..

-Não precisa me agradecer eu só..

-Fez seu trabalho,eu sei,ainda assim quero lhe agradecer.

-Tudo bem..

-O que vai acontecer com eles?

-Eles não vão lembra de nada,vou cuidar para que tudo o que vão lembra seja de um jantar normal e divertido.

-Ok..

-É melhor você ir,eu chamei alguém para me ajudar porém nem todos os anjos sabem sobre você então..

-Eu sei,eu vou poder voltar não é?

-Sim,não se preocupe ela não vai lembra do que viu.

-Que bom.. Vejo você depois?

-Sim,temos de conversa sobre seus chifres.

-O que?Levou uma das mãos até eles

-Eles estavam assim desde que cheguei.

-Oh.. Então a Andrea?

-Não,como ela e os demais são humanos não conseguem vê-los.

-Certo,eu vou indo.. Virou para sair

-Espera,pra onde vai?Questionou a morena entrando no seu caminho

-Eu vou..

A loira não teve a chance de terminar sua frase pois a mulher caiu nos seus braços,confusa com aquilo ela olhou pra o anjo que estava agora atrás da mulher.

-O que?Ela iria nos roubar um tempo o qual não temos.

-Ela vai ficar bem? A colocou no colo

-Sim,sou um anjo não posso machucar um humano,ela só esta dormindo.

-Tudo bem.

-Leva ela lá pra cima mas não demora.

-Ok.

Enquanto ela levava a morena para o quarto o anjo a acompanhava com o olhar,algo para ela parecia errado pois por um instante a garota pareceu brava com ela e provavelmente não era apenas uma simples mudança de humor pois a loira também não a reconheceu de início,ainda tentando achar uma explicação para aquilo o anjo foi em direção aos garotos que continuaram próximo ao sofa onde a garota dormia.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...