1. Spirit Fanfics >
  2. Mini histórias-BTS >
  3. A melodia dos sentimentos

História Mini histórias-BTS - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Olha só quem voltou e nem demorou tanto!!!!
Como vocês estão? Espero que bem.
Eu irei atualizar Please Love me e the moon girl em breve desculpa pela demora eh q como as Mini Histórias são sempre mais rápidas de atualizar eu tenho postado mais que as outras, quer estiver interessado passa lá para ver vou deixar o link espero que gostem e deem amor aos meus bebes.
Boa Leitura!!!
The Moon Girl
https://www.spiritfanfiction.com/historia/the-moon-girl-18197828
Please Love Me
https://www.spiritfanfiction.com/historia/please-love-me-imagine-yoongi-18165141

Obs.: Ssang Yong é um carro coreano popular.

Capítulo 5 - A melodia dos sentimentos


Fanfic / Fanfiction Mini histórias-BTS - Capítulo 5 - A melodia dos sentimentos

01:10pm                         01:25pm                                   01:30pm                                  2:00pm

É claro que ele não vem.

Marcamos de nos encontrar para sair as 10:00am e até agora nem sinal de vida.

Nj- Por favor, não fique assim.- Disse Namjoon assim que deu partida em seu Ssang Yong vermelho.

-Eu estou normal.

Nj-Claro que não, eu te conheço, S/N esse cara te deu mais um gelo. Ele não te merece.- Anunciou o outro revoltado batendo contra o volante a cada frase.

Sabia que Nam tinha razão, sempre fora meu melhor amigo e me conhece melhor que eu mesma, mas no momento não estava muito afim de papo.

Rapidamente ele entendeu que eu não estava interessada em conversa então apenas deixou sua atenção na estrada molhada e quase vazia.

Encostei minha cabeça no vidro gelado do automóvel e deixei  que meus pensamentos me levassem.

As ruas de Seul estavam cheias de poças devido ao clima chuvoso que se estendia ao decorrer dos dias.

Sempre gostei de chuva, me deixa num clima nostálgico e deprimido, um sentimento bom sempre preencheu meu peito ao ver que o dia seria nublado, não me entendem mal, amo o calor, mas a chuva sempre me acalma em momentos como esse.

Me recordo muito bem, o garoto pálido de cabelos claros e olhos escuros parecia sempre bem humorado, sorrindo para todos,  nunca havia reparado muito nele, porém certo dia nos trombamos no corredor da escola estava no primeiro ano e nunca havia me apaixonado, até aquele momento. Passei semanas pensando nele e no tanto que não era recíproco, mas chegou no meu ouvido que ele queria ficar comigo, aí eu fiquei super feliz, até passei a me arrumar melhor. Durante uma festa acabamos nos beijando e aí foi a gota d' água para eu me apaixonar de vez. Mas depois disso ele ficou me evitando, achei que era vergonha ou estava se fazendo de difícil, mas quando nos encontramos decidi colocar as cartas na mesa, aquela distancia estava me matando, lembro-me do Namjoon me falando que eu não deveria dar tantas esperanças já que ele conhecia o garoto e não confiava muito no mesmo, mas eu estava apaixonada jamais veria isso. Quando o contei sobre meus sentimentos ele surtou, disse que eu havia me apegado e estava perseguindo ele o atrapalhando já que seus planos eram ficar com a garota mais popular do colégio. Fiquei arrasada, mas ainda tinha sentimentos por ele e a cada dia tentava sem sucesso tirar ele de meus pensamentos e coração. Até essa semana, ele havia me ligado marcando para sairmos e eu aceitei, sabia que deveria ter negado, mas meu coração gritou mais alto, e aqui eu estava esperando por alguém que eu sabia que não viria.

Assim que Nam me deixou na frente de minha casa percebi que ele queria dizer algo, mas talvez por falta de coragem não o fez. Ficamos quietos aproveitando a companhia um do outro com apenas o som da chuva sendo trilha sonora, ambos sem coragem de quebrar o silêncio confortável que nos preenchia.

-Sinto muito.-Digo quebrando o clima silencioso entre nós.

Nj- Pelo o que? Não foi você que deixou uma pessoa apaixonada de coração partido sozinha.- Disse com um tom mais bravo que o normal.

-Eu devia ter te escutado e negado.

Nj- Sempre termina com essa frase, né?- Disse soltando um suspiro e me encarando pela primeira vez.

-Fazer o que se você sempre foi mais esperto do que eu.

Nj- Não se culpe, o amor nos cega, por isso você não vê o quão babaca e feio ele é, mas independente do mau gosto, sempre estarei ao seu lado.- Disse dando uma pequena pausa antes da última frase.

-Eu tenho sorte de te ter em minha vida.-Disse sorrindo pela primeira vez.

Nj- É tem mesmo, e para sua sorte eu também agradeço de te ter na minha.

Sorri para ele que apenas acenou com a cabeça sorrindo mínimo.

Desci do carro e fui correndo para o coberto da minha casa na falha tentativa de não me molhar. Não sem antes acenar para o loiro que já partira com o carro.

Qdt

Havia feito um ramén, colocado um pijama de frio e agora me encontrava no sofá da sala maratonando animes. De repente meu celular apita na seguinte notificação:

Jennie Unnie: Galera, lembra da minha festa? Quero saber que vai vir para que eu possa confirmar presença.

Eu nem me lembrava da festa da Jennie, Namjoon disse que não iria e até onde eu sabia rolaria bebidas, era tudo o que eu precisava para me divertir. Entrei na conversa da mesma e enviei minha confirmação deixando a mesma animada e surpresa já que eu sempre neguei o convite para badalações.

Levantei do sofá em direção ao quarto, meus pais estavam viajando, ou seja, não tinha hora para voltar e nenhuma preocupação.

Meu celular apitou novamente, dessa vez era Namjoon.

Joonie: Ei tudo bem? Quer que eu vá aí te fazer companhia? Estou entediado aqui.

-Tudo sim, não precisa Nam, sei que você não gosta muito de sair em dias de chuva, eu estou bem. Além do mais, estou assistindo anime e sei que você não gosta.

Fiquei com uma pequena culpa nos ombros assim que recebi o ''Tudo bem então...'' do mesmo, mas essa noite não teria erro.

Coloquei um vestido preto curto que marcava minhas curvas, uma bota curta de salto e uma jaqueta jeans preta. Passei uma maquiagem um pouco escura e deixei meu cabelo enrolado solto. me olhei no espelho e é claro, estava linda.

Decidi pegar um táxi já que minhas intenções essa noite não eram boas.

Assim que cheguei no endereço pensei ter vindo no lugar errado, mas não. Já tinha vindo na casa de Jennie várias vezes, mas nenhuma das vezes tinha pessoas se pegando no jardim, música alta escutada a quarteirões, bêbados no chão, havia um casal quase se comendo do lado de fora e tive que pensar duas vezes antes de atravessar o pequeno portão de madeira. Mas assim que o fiz vi a anfitriã correndo em minha direção claramente alterada.

Jn- Você veio!!-Disse gritando e me abraçando.

Jn- Achei que era piada.

Assim que ela se afastou e me viu começou a gritar sobre como eu estava linda e gostosa.

Jn- Uau alguém aqui vai gostar.- Disse apontando para um garoto sentado sozinho no bar bebendo que logo foi identificado por mim.

-kenna...Você o convidou?

Jn- Claro. Vai lá vai.- Disse já me empurrando.

Minhas pernas começaram a tremer e meu coração acelerado, parecia quer sair do peito. Deveria questiona-lo sobre o gelo que me dera a semanas ou fingir que não vi e esperar ele vir atrás?

-Trouxa...

Sentei ao seu lado e agi como se nem tivesse visto que o garoto de cabelos castanhos estava ao meu lado, diferente dele que me viu, me olhou de cima a baixo e pela primeira vez senti que não era eu a única interessada. Pedi uma vodka e sai de perto dele assim que a mesma chegou. Senti que o mesmo seguia-me com os olhos e eu apenas continuei andando e bebendo como se nem tivesse prestado atenção, mas meu coração dizia ao contrário. Sentei-me no banco e comecei a apreciar a música, era alta e animada mas eu não conhecia então graças aos meus dotes bilíngues traduzi a letra.

''Ontem todos os meus problemas pareciam tão distantes, Agora eles pareciam que vieram para ficar, Eu acredito no dia de ontem''.

''Por que ela teve que ir? Eu não sei. Eu disse algo errado? Eu não sei, sinto tanta falta do dia de ontem... O amor era um jogo tão fácil de se jogar agora eu quero me esconder''.

Eu não imaginaria que essas músicas tocavam em lugares assim, mas de qualquer modo tinha bom gosto quem pediu por ela. Fiquei de olhos fechados bebendo e ouvindo as músicas seguintes, aquela havia sido a única legal as restantes eram sobre amor ou mais atrevidas sobre sexo, decidi então que se ficasse naquela acabaria chorando bêbada então me levantei e fui dançar, havia uma pequena pista de dança na qual eu fui na força da embriaguez e comecei a dançar sobre uma música desconhecida arrancando olhares de alguns, incluindo Kenna e Jennie.

Jn- Uau você ta realmente animada.- Disse começando a dançar comigo arrancando olhares de mais pessoas. A música era realmente pesada e provavelmente eu jamais dançaria algo daquele tipo lúcida.

Depois de um tempo dançando percebi que todos os olhares estavam sobre a Jennie e eu me senti sortuda por ter uma amiga tão popular, mas depois parecia que eu era apenas uma garota perdida na sombra de uma popular, então sai de lá em direção ao minibar novamente e é claro ninguém percebeu que a ''segunda'' garota havia saído. 

Um drinque, dois drinques, cinco drinques.

De uma hora para outra eu dançava beijava, pulava, cantava.

''Uma garota de coração partido e uma bebida na mão são uma das armas mais perigosas para o mundo.'''

De repente senti uma louca vontade de começar a cantar e dançar quando ouvi uma música que realmente conhecia. E de repente eu estava em cima de uma mesa de ping pong cantando.

''i've been dancing on top of cars and stumbling out of bars. I follow you through the dark, can't get enough. You are the medicine and the pain, the tattoo inside my brain. And baby, you know it's obvious, i'm sucker for you.''

Bêbada? Claro? Perdida? Óbvio, mas estava tão a vontade que até me assustei. Passava a tradução da música em minha cabeça e foi quando percebi que se enquadrava muito em meus atuais momentos.

''Eu tenho dançado em cima de carros e tropeçando em bares, eu te sigo pela escuridão, não me canso. Você é o remédio e a dor, a tatuagem dentro do meu cérebro, e querida, você sabe que é óbvio, eu sou uma otário para você.''

Reparei na grande piscina de borda infinita de Jennie, sei lá eu só me dei conta quando tinha tirado quase todo o vestido pelo grito de alguns que aplaudiam e apoiavam e outros que pareciam em choque.

Jn- Meu Deus...-Gritou a mesma já perto da mes tentando falhadamente me impedir.

Jn- Por favor, S/N desce daí, você esta passando vergonha.

-Foda-se me deixa vai voltar a dançar e ser o centro das atenções, não percebeu que eu estou bem?

Jn- Qual é, você lucida já é chata bêbada então...

-EU NÃO QUERO AJUDA!- Disse tentando engrossar meu tom de voz no que resultou em uma risada meio abafada vindo de mim.

Naquele momento estava apenas de top e com a lingerie quando ouvi um grito furioso.

??-S/N DESCE JÁ DAÍ!!!

O raio loiro chegou tão rápido quanto saiu apenas comigo nos ombros.

-Namjoon me solta! Eu já sou bem crescida para saber o que fazer...-Minhas palavras eram atropeladas uma após a outra e o mais velho tinha dificuldade de entender.

Nj- Claro que sim, uau S/N quanta maturidade dançando quase nua em cima de uma mesa, bêbada.- Disse debochado dando ênfase na última palavra.

Passamos por Jennie, a mesma olhou-me se desculpando por ter que apelar para o mais velho.

'Desculpa'-Disse sem som.

-Traíra!- Gritei alto, fiz questão que todos ouvissem.

Chegamos ao banheiro onde o mesmo me deu uma jaqueta jeans, que reconheci pelo cheiro, para que eu vestisse.

Nj- O que te passou pela cabeça?

-Hum não sei, mas me diz você, costuma sequestrar os outros e sair com eles nos ombros fazendo com que paguem a maior vergonha do mundo? Ein Kim Namjoon?-Perguntei com sarcasmo.

Nj- Se esse outro for você, então sim e faria de novo.-Disse apenas devolvendo minha ironia.- É sério, o que se passa nessa sua cabeça desmiolada?

-Nada...-Respondi meio emburrada fazendo cara de choro.

Nj- Aish...-Disse sentando-se no chão ao meu lado.- Sabe que pode me contar, né?

-Eu só queria ter uma noite normal.

Nj- E esse normal inclui bebedeira e nudez?- Perguntou sonso.

-Talvez...

 Escutei ao fundo uma música mais calma que me deu mais vontade de chorar.

-Isso nunca vai embora?-Perguntei ao mais velho com os olhos cheios d'água. O motivo? As coisas pareciam sempre confusas e escuras, como se eu estivesse trilhando um caminho sozinha e estivesse tudo e todos numa porta de vidro, como se eu olhasse e ninguém olhasse de volta, eu ouvia e sentia todos mas minha presença não era notada sequer importante, e tudo só piorou depois do meu decimo terceiro tombo amoroso.

Nj- Ei ei ei.-Disse meio afetuoso me puxando para um abraço necessitado.

-Foi mal pelo mico.-Disse começando a ficar sóbria.

"Eu te conheci no escuro, você me iluminou, me fez sentir como se eu fosse suficiente. Nós dançamos a noite toda, bebemos demais eu segurei seu cabelo enquanto você vomitava. Então você sorriu sobre o meu ombro, por um minuto, eu estava sóbrio como uma pedra eu te puxei para mais perto do meu peito então você me pediu para ficar mais e eu disse, eu já disse, acho que você deve descansar um pouco."

Por um instante, um pequeno instante as coisas se alinharam, o rosto claro e bem iluminado a minha frente não mais rodava e nem o pequeno banheiro, meu pequeno ato vergonhoso, minha decepção amorosa e seja lá qual outra coisa me afligia não mais me afetava, parecia até que ele me protegia de tudo e aquilo me acalmou, o cheiro de amaciante do mais velho combinado com o da  menta do chiclete do mesmo me fez ficar tão tranquila a ponto de sentir sono. Nos aproximamos ainda mais e tudo parecia congelar como em expectativa, temi que o mais velho ouvisse meu coração desnorteado e confuso bater como se quisesse sair do peito, ou será que era o dele?

Nj- A-acho que precisamos ir você tem que dormir um pouco e...

-Shiii.-Disse colocando um dedo em seus lábios macios. Logo o substituindo pelos meus. O mais velho parecia em choque como se alguém tivesse apertado 'pause'.

Fui aprofundando ainda mais o beijo, enquanto sentia suas mãos passearem pelo meu corpo tirava a blusa do loiro já sentindo ele levantar a minha e de repente ele parou.

Nj- Não vamos fazer nada que se arrependa depois quando estiver lúcida, okay?

-Não acho que irei me arrepender de algo, sr. Kim-Disse com formalidade tentando inutilmente continuar de onde paramos.

Nj- Vamos.-Disse levantando colocando a blusa e me ajudando a ficar em pé. 

Saímos do pequeno banheiro já sentindo a neblina fria que começara a se formar por ser madrugada o suficiente.

A música que tocara ainda não tivera seu fim então tentei puxar o maior para a pista de dança, os casais dançavam juntos abraçados e quis ter a experiência também.

Nj- S/N...

-Namjoon.-Digo insistindo em puxa-lo para mais perto.- Por favor só uma música e  vamos embora.-Implorei ao loiro.

Vencido, ele me puxou pela cintura e começamos a dar pequenos passos abraçados. Encaixei minha cabeça na curvatura do pescoço do mesmo e apenas apreciei seu cheiro e a música calma que aos poucos também nos apreciava.

"Eu já sabia que te amava naquela época, mas você nunca saberia, porque eu me calei com medo de perder. Eu sei que precisava de você, mas eu nunca demonstrei, mas eu quero ficar com você."
"Eu vou te acordar com café da manhã na cama, vou te levar café com uma beijo na sua testa e agradecerei minha estrela da sorte por aquela noite..."

"Eu quero dançar com você agora, você esta linda como sempre e eu juro que todo dia estará melhor de alguma você me fez sentir assim...Apenas diga que você não vai embora...."

E o silêncio se instalou sobre nós, ele sorria eu apenas apreciava o momento também sorrindo.

Nj- Você está linda, já te disse?

-Não, estava ocupado brigando comigo.

O mesmo riu e se aproximou de mim e senti como se ele não fosse mais se afastar. Encostou sua testa na minha e eu senti paz, fomos ao poucos juntando nossos lábios em um beijo diferente do anterior, mais calmo e com mais sentimentos.

Nj- Promessa é divida, teve sua dança e agora vamos?-Disse quando nos afastamos.

-Okay.

Andamos de mãos dadas até o carro do outro.

Nj- Me promete que você não irá acordar amanhã e esquecer de tudo? Será doloroso demais mais um sonho.

-Okay....Prometo.-Disse juntando nosso mindinhos.

Entramos no carro e o mesmo já deu partida logo ligando o rádio em uma música animada. A neblina ainda era sentida enquanto o dia seguinte já começava a clarear indicando um dia de sol, finalmente sol. Coloquei a cabeça para for deixando meu rosto ser atingido pelo vento frio e gélido enquanto meu cabelo esvoaçante insistia em balançar graças a alta velocidade e a falta de outros veículos na estrada.

"O amor pode mudar. Tudo. Transformar seu inverno em primavera. Represente seu papel com o coração, faça sua demonstração de amor, sim. Meu espírito, nossa história, eu sei que nunca me senti assim antes, você me dá amor, um novo significado e agora nós estamos abrindo uma nova porta, ninguém faz com que eu me sinta tão bem, ninguém está na minha mente. Venha até mim me liberte."

-"come to me, set me free..."


Notas Finais


Obrigada a todos que chegaram ate o fim do cap. como peço desculpas toda vez irei repetir, o cap foi grande e a demora maior ainda, mas como prometido ai está, irei sim atualizar as outras fic's é que como eu disse essa é mais rápida e sempre tenho ideias novas. Espero que tenham gostado, de verdade deu um pouco de trabalho para fazer esse cap. eu juntei muitoos sentimentos e muitas músicas boas e que eu recomendo que escutem. Obg de verdade aos favoritos. ate mais bjinhossss S2
Nome das músicas em ordem de aparição:
*Yesterday
*Sucker
*Say you won't let go
*Love Show


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...