História Mini imagine - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Visualizações 20
Palavras 1.181
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Harem, Shoujo (Romântico)
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Konnichuwa meus bolinhos-chan♥

Capítulo 2 - Capítulo II


Jimin on

Hoseok e eu estávamos indo para a sala de aula, Tae-Hyung também ficaria conosco. Mais ele precisou resolver algo antes de se juntar a nós. Quando nos aproximamos, escutamos gritos vindo de dentro da sala, quando entramos, meu sangue ferveu. Um garoto estava gritando com a S/n.

- Você não me respondeu! - ele gritou novamente. 

- Me desculpe, Jin. - sussurrou ela. 

- Você não pode gritar com ela. - me aproximei de ambos. S/n, não levantou a cabeça. - Ela não fez nada de errado! - S/n pegou sua mochila e saiu correndo.

Eu me aproximei do cara que estava gritando com ela e acertei-lhe um soco. Ele deu alguns passos para trás, então ele ficou ereto novamente. Colocando a mão em seu queixo. Mesmo quando aquelas garotas me bateram eu não fiquei com tanta raiva como estou agora. Quando eu ia bater nele novamente, Hoseok hyung me segurou. 

- O que você acha que estava fazendo? Ela não fez nada de errado!

- Nada de errado? Quem é você? - ele me encarou por alguns segundos. - Você acha que ela se juntar com um cara para agredir um mulher é certo? Você acha que ela fez o certo ao agredir Lisa? - Lisa? Agredir? 

- Agredir? Agredir! Você chama aquilo de agressão? Será que essa Lisa, disse que ela e suas amigas ME agrediram?  - falei apontando para as garotas de mais cedo. - A única coisa que ela fez foi me proteger. - eu apontei para os meus ferimentos. ele arregalou os olhos. 

- Ela... - ele engoliu em seco. - te protegeu? - seus olhos marejaram. - Mas a Lisa... Ela estava com manchas no corpo e...

- E mais nada. - ouvi a voz do Tae-Hyung atrás de mim, e pelo tom, ele não parecia nada contente. - Então o bastardo que a fez chorar foi você? 

- Chorar? - ele repetiu. Ele fechou os olhos e cerrou o punho, repetiu baixinho. - S/n estava chorando? 

Jimin of

Jin on

- Eu a fiz chorar. - apesar de todo esforço, uma lágrima insistiu em descer. 

- Eu não acredito que duvidei dela. - Nam, chutou a cadeira em sua frente. - Ela nunca duvidaria de nós. - Vi Yoon-Gi perde a paciência, isso era coisa rara. 

- A culpa disso é toda sua. - Yoon-Gi estava com um olhar sombrio. Ele foi até a Ji-soo que estava as gargalhadas com suas amigas, e imprensso-a na parede. - Por que você fez isso?

- Por que ela merecia! Ela atrapalhou minha diversão com aquele nerd. - ela apontou para o cara que havia me batido. - Tantos anos de amizade, eu não sabia que era tão fácil manipular vocês assim. -ela caiu na risada junto as suas amigas. Yoon-Gi ergueu a mão acima da cabeça, antes que ele fizesse alguma besteira, eu agarrei o braço dele. 

- Não Yoon-Gi, precisamos encontrar a S/n, e que Deus nos ajude para que ela nos perdoe. 

- Yoon-Gi a soltou - mas não antes de empurra-lá na parede. - e foi pegar sua mochila, eu e o Nam fizemos o mesmo. 

- Eu vou com vocês. - o loirinho pegou suas coisas. - Afinal, isso é culpa minha. - os amigos dele também vieram junto conosco. Saímos a procura dela. 

Por mais que ligassemos, ela não atendia, não depois do que eu havia feito. Fomos na casa dela, mas a Sr. Park não sabia onde ela estava. Então fomos a todos os lugares que nós costumávamos frequentar mas ela também não estava em nenhum deles. Eu não sabia mais onde procurar. Como eu pude duvidar dela? Eu conhecia S/n bem o suficiente para saber que ela jamais faria algo assim. Me sentei em uma calçada qualquer, de cabeça baixa, deixei as lágrimas rolarem. 

Jin of

Eu estava muito chateada - e magoada - com os meninos, eu não podia acreditar que eles haviam duvidado de mim e acreditado na Ji-soo e suas amigas. E o pior era que Jin havia gritado comigo, de uma maneira que nunca havia feito antes. Já havíamos discutido antes, mas eu sempre estava errada, como da vez que eu cortei o cabelo do Nam enquanto ele dormia por que ele havia quebrado meu celular. Ou da vez em que eu tentei colar a boca do Yoon-Gi por que ele espantou o menino que eu era afim no fundamental. - eu nunca disse que fui santa. 

Depois que saí do colégio, segui para o único lugar sabia que eles não me encontrariam; o cinema. Lá eles não me procurariam e mesmo que viessem, eles não me achariam.

Já era tarde da noite quando saí do cinema. A rua estava deserta, mas eu estava mas tranquila. E agora pensando bem, meus pais e os meninos deveriam estar preocupados comigo, abri a mochila e tirei o meu casaco de dentro dela e o vesti. Caminhando de cabeça baixa, não percebi quando um homem entrou na minha frente, impossibilitando minha passagem. 

- Sozinha a essa hora gracinha? - quando eu tentei me afastar, ele agarrou meu pulso. - Não fuja. Vamos brincar um pouco. - apertando mais o meu braço, ele violentamente agarrou meu antebraço quando tentei lhe bater. 

- Me solta! Socorro! - gritei, esperniei, mas forte que eu.

- Cala essa boca sua vagabunda. - ele me empressou na parede, apertando meu pescoço. Tentei gritar novamente, mais recebi uma bofetada na cara. Cuspi sangue. O homem a beijar meu pescoço, com a mão livre ele passeou por todo o meu corpo, parando em minha intimidade. Só quando eu ele encaixou suas pernas na minha eu consegui chutar suas bolas, fazendo-o cair. Apanhei a mochila do chão e saí correndo. Eu sabia que não demoraria para ele se recuperar e vir atrás de mim novamente. Vasculhando desesperadamente na mochila atrás do celular, quando finalmente o encontrei,  disquei o primeiro nome que veio a cabeça. O celular tocou e tocou, mais ninguém atendia. Tentei novamente. 

Desviando de um casal que saia de uma casa noturna, tentei novamente. Dessa vez eu consegui. 

- S/n? 

- Jin, socorro! - gritei desesperada. 

- O que aconteceu? 

- Por favor, me ajude. - sussurrei, ofegante. 

- Onde você está? 

Antes que eu pudesse responder, eu tropecei no meio-fio da praça a alguns quarteirões da minha casa. Quando tentei pegar o celular novamente, alguém puxou a gola do meu casaco. Era aquele homem novamente. Seus olhos expressavam raiva e luxúria. Eu tentei me esquivar mas não consegui. 

- Socorro! - gritei mais uma vez. - Jin, socorro. - dessa vez ele acertou a minha barriga, fazendo-me perde toda a força que havia me sobrado. 

- Dessa vez você não me escapa. 

- Por favor... Não. - sussurrei. Minha visão turva. 

- Calada. - Ele rasgou meu uniforme de colegial. 

Suas mãos agora passeavam livremente pelo meu corpo nu, uma vez ou outra, ele acertava um tapa em meu rosto. Desse jeito iria ficar banquela antes do tempo. Enquanto ele me segurava com uma das mãos a outra foi para a sua intimidade, colocando-a para fora. 

- Tire suas patas dela agora! 



Notas Finais


Sayonara! Jya matane!
(Tchau! Até a próxima!)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...