1. Spirit Fanfics >
  2. Minou Noir >
  3. Tarde juntos

História Minou Noir - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Tarde juntos


Marinette guio-o até a sala do Sr. Damocles e bateu levemente na porta, recebendo imediatamente um “entre”.

- Srta. Dupain-Cheng, Sr. Agreste, algum problema?

- Depende do que o senhor considera problema. O senhor tem os testes certo?

- Sim, mas quem deve fazer as perguntas sou eu, Srta. Dupain-Cheng.

- Então, neste caso, o senhor sabe a classificação do Adrien. Ele teve um...- Marinette não sabia como explicar o ocorrido

- Foi um... Colapso?!- Respondeu Adrien, olhando para Marinette, em uma busca, inconsciente, por aprovação

- Isso! Eu queria saber, baseada no ocorrido, se poderíamos nos ausentar pelo resto do dia...

- Srta. Dupain-Cheng, Para que possam se ausentar eu teria que comunicar seus responsáveis- O olhar de Adrien passou de desinteresse à surpresa e pavor- Para eles autorizarem suas saídas

- Sr. Damocles, E se eu, como uma cuidadora, autorizasse a saída de Adrien?

- Não é assim que funciona, o responsável por ele precisa autorizar e a senhorita não tem nenhum tipo de responsabilidade por ele- O diretor notou a troca de olhares entre eles e perguntou- Sr. Agreste, a Srta. Dupain-Cheng tem alguma relação com o senhor?

- Acho que sim... Ela foi capaz de me encontrar, soube como me acalmar, coisa que eu não achei que alguém pudesse fazer e...

- Como você se sente perto dela, Sr. Agreste?- Perguntou o Sr. Damocles

- Não sei, é estranho, ela não fala nada demais, mas mesmo assim ela mexe em algo que não sei explicar só... sei lá...

- E você, Stra. Dupain-Cheng? O que você sente com o Sr. Agreste

Marinette congelou, como ela explicaria que era apaixonada por ele?

- Como me sinto? Bem... Ele não pode me enganar- Marinette notou o sorriso envergonhado de Adrien. Antes de pensar respondeu- Eu sou capaz de saber como ele está, sou capaz de encontrá-lo mesmo ele não querendo, sei cuidar dele

O olhar de Damocles passou de Marinette a Adrien e de Adrien a Marinette e por fim pegou um panfleto e disse-lhes:

- Eu já tinha ouvido falar disso, mas vocês são o primeiro caso, ainda mais tão jovens, que vejo ocorrer.- Entregou o panfleto a Marinette e continuou- Normalmente ocorre em duplas que estão juntos a algum tempo.

- Ocorre o que?- Perguntou Adrien

- Vocês têm uma ligação, isso significa que vocês estão conectados um ao outro sem chances de mudança, querendo vocês ou não. Nestes casos, o lado cuidador é capaz de identificar seu pequeno e os sentimentos dele à distância, nada muito longe, e o lado pequeno só encontra segurança com seu cuidador, além do mútuo sentimento de paixão, que, creio eu, já exista em vocês.

- Então significa que podemos sair?

- Não Sr. Agreste, significa que terei que chamar seus responsáveis para explicar o ocorrido.

Adrien estava em pânico, se seu pai visse a escola por conta disso, ele estava tão ferrado. Sentiu as lágrimas nos olhos e, involuntariamente, virou-se para Marinette aproximando seu corpo do dela, ela notou o súbito pânico de seu companheiro e passou protetoramente o braço em volta dele. Sr. Damocles pigarreou levemente para chamar a atenção deles e disse:

- Por que tem tanto medo de seu pai, Sr. Agreste?

Marinette sabia que Adrien não estava em condições de responder e respondeu por ele:

- O pai dele ameaçou tirar tudo dele por sua classificação, por isso tanto medo dele vir aqui.- O olhar de Marinette era de raiva pelo que ocorria com seu garoto e descrença pela pergunta do diretor- Por isso, eu quero tirá-lo daqui sem o envolvimento do pai dele- A raiva estava visível na voz dela- Por isso, eu queria que o senhor usasse minha autorização para ele- Marinette se controlava para não gritar- Ele precisa descansar, eu vim aqui para evitar que ele tivesse outro colapso, o senhor poderia pensar como ele se sente? Poderia ter mais empatia?

- Certo, desculpe minha ignorância, Srta. Dupain-Cheng, se isso me redime com a senhorita, podem sair, mas só dessa vez, somente seus responsáveis, Srta. Dupain-Cheng, serão notificados, esperem eu falar com eles.

Quando a autorização escrita foi lhes dada, ambos, Marinette e Adrien levantaram-se e seguiram à sala de aula pegar suas bolsas.

Adrien pegou a mão de Marinette quando chegaram à esquina da escola, onde já não eram mais vistos pelos outros alunos, Marinette soube imediatamente que o pequeno estava entrando em seu headspace, o que significava que ela deveria manter uma conversa adulta para mantê-lo ‘grande’.

- Adrien, você já foi à padaria dos meus pais?

- É onde fazem aqueles croissants deliciosos?- Adrien ouviu o estômago roncar, Marinette também deve ter ouvido, pois olhou inquisidoramente para ele- Chloe não me deixou comer, tô com fome- O loiro disse envergonhado

- Quando chegarmos lá eu descolo um croissant ou outra coisa para você.

Caminharam rapidamente até a padaria e entraram.

- Bom dia, em que posso ajudar?- Cumprimentou Sabine no automático

- Sou só eu, mãe.

- E quem é esse do seu lado?- Perguntou Tom, Marinette notou que ainda segurava a mão do loiro e rapidamente a soltou

- Esse é o Adrien, ele é meu...- Ele era o que dela? Eram mais que amigos, mas não namoravam, isso significava o que?

- Eu sou o...- Adrien relutante e timidamente falou- O pequeno dela- Se não estivessem prestando atenção as palavras do loiro ninguém ouviria isso

- Mas já!?- Assustou Tom

- Que bom! Ele é bonitinho...- Disse Sabine junto com o marido

Marinette entrou em uma conversa com a mãe sobre Adrien e a ligação deles, o pequeno olhava tentadoramente para os doces na vitrine. Tom notou o olhar do mais jovem aos doces, pegou e estendeu-o ao garoto que com um tímido ‘obrigado’ pegou-o.

Adrien estava adorando o doce, mas se sentia triste? Magoado? Adrien não saiba exatamente o que era, mas era assim que se sentia pois Marinette não prestava atenção nele, ele queria que ela falasse com ele, o chamasse de fofo ou de gatinho, ele queria ter toda a atenção dela para ele. E, como se adivinhando isso, a acastanhada se virou e chamou:

- Adrien, vamos subir- Vendo o rosto e mãos do loiro sujas de chocolate ela acrescentou- Te mostro onde é o banheiro.

- Tom, estou saindo- Avisou Sabine- Vou comprar algumas coisas- Olhou com um olhar cúmplice para a filha, que sorriu discretamente de volta

Marinette segurou o pulso esquerdo de Adrien e levou-o para cima, o guiando para o banheiro. Já com as mãos e o rosto limpos o loiro a seguiu para o quarto, mal a porta se fechou Plagg saiu da blusa de Adrien e Tikki da bolsa de Marinette, se encontrando em um abraço demorado. A cuidadora puxou o pequeno para a cama e disse-lhe:

- Gatinho, por que você não esquece um pouco seu pai?- Disse colocando um canal infantil na TV- Vem cá, deita aqui- Adrien colocou sua cabeça no colo de Marinette que começou acariciar os fios loiros de seu parceiro

Adrien estava gostando daquilo, fazia muito tempo desde que alguém o tratou assim, ele gostava. No começo o loiro achou os desenhos infantis demais, porém ele acabou se interessando por eles.

Marinette viu Adrien escorregar levemente no headspace, ela não precisava falar com ele para saber, bastava ver o interesse dele no desenho. Na primeira batida na porta ambos os Kwami se esconderam na bolsa de Marinette, ela avisou que a porta estava destrancada

- Trouxe os itens que estavam no panfleto- Disse Sabine deixando algumas sacolas no chão do quarto e esticando o panfleto para Marinette

- O que é esse panfleto?- Perguntou Adrien

- Explica como funciona o relacionamento cuidador-pequeno e o que o cuidador deve fazer e ter para cuidar de seu pequeno, nada demais...- Respondeu Marinette

Adrien pegou o panfleto e começou a ler, o título era: “Então você tem um pequeno?”, o loiro achou meio idiota esse título. Assim que aberto o panfleto tinha algumas listas com coisas que deveriam ser feitas para o relacionamento funcionar.

- Esse seria um bom item, para começarmos- Disse Marinette por cima do ombro de Adrien- Regras são uma boa ideia, que tal?

- Sei lá, tanto faz, se você quiser...

- Certo. Quer ver o que minha mãe trouxe?- Marinette sabia o que era, sabia quais eram os brinquedos e acreditava que Adrien sabia alguns itens, julgando que ele tinha lido o panfleto

Adrien timidamente começou a mexer nas sacolas, da primeira ele tirou uma chupeta e um pacote de fraldas

- Você não acha que eu vou usar isso né?- Disse Adrien segurando as fraldas

- Não sei qual seu headspace, se precisarmos está aqui. Melhor prevenir do que remediar.

- Eu tenho 15 anos Marinette, eu não preciso disso, eu acho- A última parte foi murmurada, para ninguém ouvir, além dele mesmo

Nas outras sacolas havia, de modo geral, alguns brinquedos para Adrien. O loiro se encantou com um gato de e pelúcia inteiro preto, de olhos verdes.

O pequeno achava que o gato lembrava a si como Chat Noir, foi tirado de seus devaneios com a voz de Marinette:

- Gostou desse?

- Ele é lindo, como você, my Lady- Respondeu Adrien galanteador

- Nem assim você perde a posse- Marinette revirou os olhos- Mas ele já tem nome?

Adrien pensou, ele nunca tinha tido um brinquedo que ele pudesse dar nome, seu pai sempre evitou comprar coisas assim, que nome ele deveria ter? O loiro já sabia:

- Minou (que em francês significa ‘gatinho’)- Disse orgulhosamente

- Que nome lindo, por que ele chama Minou? Talvez seja porque você é o Chat (‘gato’ em francês), o gato mais fofo que eu conheço!

Adrien ficou vermelho com o elogio. Assim que o menino retirou o último brinquedo da sacola Marinette chamou-o para ir até ela, quando ele se aproximou ela puxou-o para seu colo, fazendo ele assustar-se e ficar envergonhado.

- Que tal definirmos as regras antes de você entrar no headspace?- O loiro assentiu no ombro dela- Certo... Qual sua opinião sobre definir horários...

- Não, não quero mais horários- Disse Adrien bravo- Não aguento mais seguir horários! Já não basta meu pai e a Nathalie, agora você também?- Marinette percebeu que Adrien não gostava de ter que seguir horários, visto que ele fora obrigado a segui-los a vida toda

- Então só definiremos um horário para você dormir, pode ser?

Relutantemente Adrien aceitou.

Discutiram por mais um tempo e por fim as regras foram definidas:

1° O horário de dormir de Adrien será as 22:00;

2° Nada de doces após o jantar;

3° Marinette tem a última palavra;

4° Sem palavras ofensivas;

5° Adrien deve sempre obedecer Marinette;

6° Adrien não esconderá segredos de Marinette;

7° Se alguém incomodar o Adrien ele falará com Marinette sobre isso;

8° Nada de birras;

9° Sem brigas;

10° Sem celular após as 20:00;

11° Caso uma das regras seja quebrada haverá punições;

- Sabe, agora que estamos meio que juntos... Acho que seria melhor contarmos, pelo menos, à Ayla e ao Nino ou você não quer?

- Eu quero, mas tenho medo deles contarem para todo mundo e...- Adrien quis chorar- E se eles... Eles pararem de conversar conosco?

- Por que eles parariam? Eles são nossos amigos, se eles pararam de conversar com a gente só porque você é um pequeno, significa que eles não eram nossos amigos de verdade. Eles não vão fazer ou falar nada, basta nós pedirmos. Você pode confiar em mim, eu sei do que falo.

Adrien, que ainda estava no colo de Marinette, sabia que deveria confiar nela, mas e se ela estivesse errada?

- Mas e se você errou em relação a eles?

- Eu sei que não errei, mas se acontecer, você tem a mim e eu a você.

O loiro se lembrou de outra coisa, suas aulas extracurriculares e seu motorista. Levantando-se rapidamente Adrien pegou o celular e começou a ligar para Nathalie, antes de ouvir os protestos de Marinette:

- Desculpa, Mas eu esqueci completamente minhas aulas, preciso avisar para cancelarem- Disse Adrien apressado- Alô, Nathalie? Então... Tenho um trabalho de escola importante para amanhã em dupla, eu não vou conseguir fazer as outras aulas e...- Adrien foi cortado por Nathalie perguntando onde ele iria- Eu vou caminhando mesmo, ela mora perto da escola... Não, não precisa mesmo... Eu já mando o endereço... Quem? Não, não é ela... Marinette Dupain-Cheng... Isso da padaria... Certo, tchau.- Marinette olhou para seu pequeno, ele acabou captando o olhar dela- Ela sempre se preocupa comigo, mas acho que é porque meu pai manda, não porque ela se importa.- O olhar de Marinette continuou- As 18:00, ela disse que o Gorila vai vir...

O olhar de Marinette foi de sério a divertido:

- Gorila? Quem dá um nome desses?

- Eu dou um nome desses, ele é gigantesco, nós já tivemos que lutar com ele tá?

- Aquele gorila gigante?- Perguntou Tikki, que até o momento estava em silêncio

- Era ele mesmo, não é, Plagg?- O silêncio foi a resposta do kwami- Plagg?

Tikki empurrou-o levemente para acordar, ele se levantou assustado.

- O que você disse? Eu não estava prestando atenção.

- Sobre o Gorila ter virado um akuma...

- Sim, aquele dia foi cansativo, o Adrien me deve um pedaço de queijo a mais desde aquele dia.

Marinette sorriu para o garoto que a olhava pedindo algum tipo de ajuda.

- Que queijo você gosta?

- Camembert, você tem?

- Acho que não, mas eu terei, quando vocês vierem aqui novamente...

- Ou seja, eu não ganho nada!

Adrien aproximou-se da castanha e pediu, muito envergonhado para sentar no colo dela. Ele achou que não gostaria, mas o colo de Marinette era tão confortável, tão quente, tão seguro, ele se sentia bem no colo dela. Marinette achou que o menino sairia do colo dela quando, imprudentemente, ela o puxou, mas ela percebeu que ele gostava, era como se ele se encaixasse perfeitamente nela.

Adrien voltou a prestar atenção ao desenho que passava, mas surpreendeu-se quando Marinette colocou a chupeta em sua boca, apesar de sua surpresa inicial o loiro gostou do objeto em sua boca, instantaneamente começou a chupar o objeto como se fosse algo que ele fizesse sempre.

 Marinette quando percebeu que Adrien tinha dormido o colocou em sua cama e foi organizar as coisas dele. Marinette temia o que Gabriel poderia fazer ao filho se soubesse como ele estava, ela queria salvar seu menino, tinha que protege-lo.


Notas Finais


O que acharam?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...