1. Spirit Fanfics >
  2. Mira Perfeita >
  3. Primeiro Ministro - Kim Namjoon

História Mira Perfeita - Capítulo 13


Escrita por:


Capítulo 13 - Primeiro Ministro - Kim Namjoon


Fanfic / Fanfiction Mira Perfeita - Capítulo 13 - Primeiro Ministro - Kim Namjoon

Estou sentado em meu confortável escritório num dos prédios da área mais central de Seul. Estou num dia melancólico. Um pouco impaciente também!

As coisas não estavam saindo como eu queria.

Minha vida tem sido milimetricamente programada e centrada.

Antes de ser eleito Primeiro Ministro do meu país já era um empresário de sucesso e respeitado. Meus negócios iam bem além de simples acordos comerciais.

Dou um longo suspiro. Fecho meus olhos e de repente estou de volta ao passado.

Nasci em uma família típica e feliz: Pai, mãe e uma irmã mais nova.

Minha infância foi tranquila até começar a fase escolar. Logo vi que não era como meus amigos. Minha mente trabalhava muito mais rápida. Entendia as explicações de uma forma muito fácil. E logo estava sendo alvo de chacotas pelas outras crianças. Depois as chacotas viraram bulling, então achei mais fácil me afastar de todos.

Meu pai era empresário e sempre envolvido com política, apesar de nunca ter sido um.

Sempre havia reuniões em minha casa e por diversas vezes ele me deixou participar delas. Eu ouvia tudo com atenção e achava incrível como aqueles homens queriam o melhor para o nosso país. Meu pai era um modelo para mim. Era!

Numa noite acordei pensando ouvir vozes. Levantei e andei pela casa. Tudo estava silencioso. Então me lembrei da biblioteca. Por alguma razão meu pai a havia revestido e agora ela era à prova de som. A não ser que a porta estivesse levemente aberta. E ela estava. Silenciosamente fiquei ao lado da porta. O corredor estava escuro. Fechei meus olhos e agucei minha audição. Meu pai estava reunido com apenas um homem. Prendi minha respiração quando identifiquei a voz do visitante: O Primeiro Ministro!

O que um homem tão importante fazia em nossa casa naquele horário?

Negócios? Mas eles não deveriam ser tratados em horário de trabalho?

Me aproximei um pouco mais e pude ver quando meu pai. MEU PAI! Entregava ao Primeiro Ministro uma maleta que ele abriu e estava cheia, muito cheia de dinheiro. Não fazia ideia de quanto poderia conter dentro dela.

Os dois se cumprimentaram, pareciam selar algum tipo de acordo.

Uma semana depois meu pai ganhava uma das maiores licitações de nosso país.

Então percebi, pelas reuniões que eu havia participado, que aqueles homens, incluindo meu pai, faziam exatamente o contrário daquilo que diziam.

Passei apenas a observar e absorver todo tipo de informação que aqueles homens diziam nas reuniões, onde não ligavam para o ingênuo menino que ficava num cantinho da sala ou mesmo da biblioteca. Gravei conversas, filmei ações que aconteciam tarde da madrugada em nossa biblioteca. Cresci. E quando chegou a hora usei tudo aquilo junto com minha inteligência para chegar onde estou. Porque aqueles políticos não deixaram o poder. Mas eu os alcancei.

Sou despertado de minhas lembranças pelo toque do interfone:

- Senhor? – minha secretária tinha um tom sexy de voz que me deixava arrepiado toda vez que dizia “Senhor!”

- Sim?

- Ela está aqui.

- Deixe-a entrar!

A porta se abre e uma silhueta magra, com roupa de grife e muito perfume a envolvendo entra com um sorriso nos lábios vermelhos:

- Que honra ser recebida tão rapidamente!

Ela senta, mesmo sem ser convidada e cruza suas pernas revelando mais da metade das coxas muito brancas e finas. Fico apenas olhando para ela:

- Você não está cumprindo nosso acordo!

- Achei que seria mais fácil! Preciso de mais tempo!

- Mais tempo? Ha-ri! Fiz um acordo com você que me custou uma boa encheção de saco por parte do diretor da TV para colocá-la neste dorama! Então faça a sua parte! Você me deu garantias de que Jungkook estaria nas suas mãos e em consequência nas minhas! Tenho quase todas as delegacias sob meu controle, sei tudo o que ocorre nelas! Mas ainda falta a dele, já que ele é muito mais esperto do que pensei!

- Eu vou cumprir! Mas, ele parece imune a mim! Sempre foi louco por mim, mesmo quando eu aprontava todas! Agora me tratou de forma fria, não me olhou com aquela adoração de sempre!

- Vai ver seus dotes não estão mais de acordo com os padrões dele! Ou... A imunidade dele tem nome e sotaque brasileiro!

- Como é?

- A policial! Elizabete! Jungkook está todo derretido por ela! Isso é nítido, a defendeu ferozmente quando a ameacei! O que valeu a pena, se você não conseguir cumprir o que prometeu posso ir por outros caminhos! Então se esforce!

- Aquela coisinha?

- “Aquela coisinha” tem muito mais curvas que você! E a vantagem de ser policial como ele!

Ha-ri levanta totalmente possessa:

- Ele não vai me trocar por aquela mexicana!

- Brasileira...

- Brasil! México! É tudo na África!

- Acho melhor você só usar seus dotes físicos mesmo!

Ela me dá um olhar que tenta ser intimidador:

- Se tem outra mulher as coisas ficam mais complicadas!

- Você é atriz, faça um papel de mulher indefesa para ele, sei lá! Faça algo! Mas não demore ou nosso acordo já era!

- Vou começar agora mesmo!

E com sua melhor atitude de atriz ela sai batendo a porta.

Fecho meus olhos e encosto minha cabeça no encosto confortável da cadeira, então ouço a porta privativa se abrindo, viro a cadeira lentamente e Marian entrar, com seu andar suave, seu sorriso naquela boca que sabe muito bem me acalmar, ela faz um pequeno bico enquanto diz:

- Não gosto dessa fulana! E nem que você ache a policial cheia de curvas!

Dou um sorriso para ela:

- Gravou tudo?

- Como sempre!

Faço um sinal com meus dedos para que ela se aproxime já que ela parou do outro lado da mesa e se inclinou deixando seus seios deliciosos e tentadores à mostra para mim:

- Você sabe que somente suas curvas me interessam! Estou precisando relaxar! Tem alguma sugestão?

- Posso ter algo em mente!

Ela contorna a mesa ficando na minha frente, então se inclina e sinto seu perfume.

Deslizando suas mãos pelo meu rosto ela segura minha gravata e a solta lentamente, desce suas mãos pelo meu corpo até chegar em minhas pernas que ela afasta com as mãos, então apoia um joelho na cadeira entre elas e me beija. Ah! Sou louco por seus beijos! Ela abre minha camisa e desliza suas unhas pela minha pele deixando riscos vermelhos sobre ela. Depois faz o mesmo caminho com sua boca. Sorrindo ela ajoelha-se na minha frente e puxa a cadeira que desliza sobre o piso de mármore para mais perto dela. Seus dedos abrem rapidamente minha calça e ela me toca. Não contenho um gemido. Ela sabe que já estou entregue a ela. Estou me deliciando com o toque de sua mão quando ela substitui pela boca e quase chego ao prazer. Me contorço na cadeira mas ela segura firme minhas coxas. Seguro seus cabelos e me afundo ainda mais em sua boca. Ela geme e enterra ainda mais suas unhas em mim. Não me contendo mais a puxo para meu colo, deslizo a cadeira para perto da mesa, abro uma gaveta, pego uma camisinha e entrego para ela que a coloca rapidamente em mim. A seguro pela cintura, ergo sua saia, afasto sua calcinha e faço ela sentar em mim entrando totalmente nela que está quente, macia e muito gostosa. Ela rebola e vou à loucura. Seguro seus quadris e faço com que ela suba e desça sobre mim. Minhas mãos sobrem por suas costas e seguram seus cabelos. Desço uma das mãos até sua cintura e a seguro firmemente sobre mim me enterrando ainda mais nela e juntos chegamos ao nosso prazer.

Sim! Estou totalmente relaxado!

 

Olho para Elizabete que dorme toda esparramada sobre mim.

Já faz uma semana que estamos assim, dormindo juntos todos os dias.

Simplesmente não consigo mais dormir sem ela.

Não achei que seria assim, mas sinto algo a mais por ela. Uma necessidade de tê-la por perto, de protegê-la. Não que ela precise disso. Mesmo assim, quero fazer isso.

Ela tem me cobrado ir ao meu apartamento, tenho conseguido desviar sua atenção quanto a isso, porque sei que quando ela ver como ele é não me dará sossego. Seu apartamento é totalmente arrumado, as coisas estão sempre no lugar o meu é uma bagunça total o contrário da delegacia onde cobro muito organização ou da casa dela onde implico para que ela não deixe nada fora do lugar.

Dou um suave beijo em seu rosto o que para mim é pouco estando perto dela, mas quero ver meu show matinal dela acordando. Ela abre seus olhos e sorri, então puxa as cobertas sobre si até cobrir sua cabeça, a descubro novamente e ela faz aquele bico que amo:

- Vamos! Temos que trabalhar!

- Hum... Tá.... Já vou!

“Como toda manhã!” – penso enquanto deslizo minha mão pelo seu corpo sentindo ela se arrepiar.

Ela morde seus lábios e vira seu corpo sobre o meu:

- Não temos um tempo ainda?

- Não! Não temos não! Vou fazer um café enquanto você se arruma!

Ela se joga na cama fazendo birra e dou um delicioso tapa em sua bunda:

- Vamos logo! Tenho uma reunião na secretaria de segurança, vou direto para lá mas deixo você na delegacia.

- Não precisa! Vou caminhando, faz tempo que não faço isso!

- Tem certeza?

- Sim! Não vou me perder pelo caminho!

- Acho bom! Ou terei que colocar uma coleira em você!

- Sério mesmo?

Os olhos dela brilham diante da minha sugestão:

- Para quem era uma tímida virgem que nem me olhava nu você evoluiu muito!

- Eu aprendo rápido!

- Percebi isso quando você usou as algemas! E aquela caixa na gaveta é um vibrador?

- Você mexeu nas minhas coisas?

- Não! Você pediu para eu pegar seu Pernalonga e vi a caixa lá! Posso usá-lo em você?

Ela está de joelhos na cama, seu rosto fica automaticamente vermelho e isso me excita muito, então a empurro fazendo com que ela caia de costas e a prendo sobre o colchão:

- Ah! Eu vou usar em você sim! E será hoje! Me aguarde Lizzie!

Ela me empurra, se levanta e corre para o banheiro:

- Você não estava com pressa Jungkook?

Apenas dou risada. Ela fecha a porta e grita lá de dentro:

- Ele tem o formato de um coelho!

Minha boca fica aberta.

Assim que Jungkook sai termino de me arrumar e checo meus emails, ainda não recebi os relatórios da minha missão e estou com minha consciência pesada em relação a não poder contar nada para Jungkook. Fecho meus olhos e respiro fundo para me acalmar. Como fui me envolver tanto assim? E o pior era que eu estava gostando mesmo dele.

Ah Elizabete! Que confusão!

Minha campainha toca. Por ser um prédio onde só moram policiais ele é bem light na questão de portaria!

Aciono o visor da porta e meu queixo cai literalmente, rapidamente abro a porta e dou um grito:

- Anastácia! Ahhhh!!!! Como assim?

- Surpresa!!!!!

Nos abraçamos e a puxo para dentro:

- Como você me encontrou? O que está fazendo aqui amiga?

- Trouxe uma encomenda para você!

Ela arrasta sua mala para o meio da sala, abre e revirando suas roupas tira uma pasta do meio delas:

- Seu chefe pediu que eu lhe entregasse em mãos!

Fico olhando para a pasta com receio de pegá-la, sei que são os relatórios que podem me afastar de Jungkook:

- Algum problema com a pasta?

- Não! Nenhum.... Mas como? Ainda não estou entendendo!

- Eu vim para um curso de férias aqui na Coréia! “Flores exóticas”! Quero levar algumas para o Brasil!

- E você acha que vai passar pela alfândega?

- Por isso quis encontrar minha amiga policial! Fui até a delegacia em São Paulo pedir seu endereço para seu chefe. Bom... Ele fez uma pequena chantagem... Disse que me daria se fizesse essa pasta chegar de forma segura em suas mãos! Então ela está aqui! Sã e salva!

Anastácia era minha amiga de muito tempo. Ela tem uma floricultura em São Paulo. Que não é muito convencional, junto com a floricultura tem um café e tenho quase certeza que ela complementa os chás que vende com talos de algumas “flores exóticas”, porque às vezes seus clientes saem bem animadinhos de lá!  

- Onde é seu curso?

- Aqui em Seul mesmo! Um mês!

- Isso é ótimo! E aonde você vai se hospedar?

- Aqui!

Fico olhando para ela. Isso seria interessante com Jungkook estando todos os dias em minha casa!

- Algum problema? Não posso ficar aqui?

Dou um sorriso já imaginando a cara de Jungkook:

- Nenhum problema amiga! Você é mais que bem vinda e pode ficar muito à vontade mesmo! Mas tenho que ir trabalhar agora!

Levo Anastácia até o quarto de hóspedes. Ensino a combinação da porta e vou para o trabalho. Anoto mentalmente para não avisar Jungkook. E não contenho uma risada.   



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...