1. Spirit Fanfics >
  2. Miraculous Amor Revelado - Especial Réveillon >
  3. Faça um pedido

História Miraculous Amor Revelado - Especial Réveillon - Capítulo 1


Escrita por: CrisAgreste

Notas do Autor


Boa tarde meus queridos! Nossa que saudade! E olha que nem passou muito tempo. Entao fiquei com muita vontade de fazer esse especial de ano novo que trata-se de uma oneshot que antecede a história da minha primeira fic Miraculous Amor Revelado. Para quem ainda não leu a long fic vale a pena conferir ok. Desejo a todos um maravilhoso 2018 repleto de bençaos de Deus, paz, alegria, amor e muitos episódios de Miraculous! kkkk, BEIJOCAS E BOA LEITURA

Capítulo 1 - Faça um pedido


Fanfic / Fanfiction Miraculous Amor Revelado - Especial Réveillon - Capítulo 1 - Faça um pedido

POR FAVOR LEIAM AS NOTAS INICIAIS E FINAIS. SUPER IMPORTANTE

Os sonhos podiam se realizar...

Se acreditasse de verdade e tivesse um pouco de fé, havia chances dos sonhos se realizarem. Esse pensamento preencheu sua mente e aqueceu seu coração enquanto seus olhos se fartavam com o cenário a sua frente.

Era noite de Réveillon em Paris. A cidade luz não poderia fazer justiça ao nome em melhor época do que em uma ocasião especial como aquela. Cascatas de luzes se espalhavam por toda a extensão da Champs Elysées formando uma atmosfera de puro encantamento.
O Arco do Triunfo também se destacava pelas luzes e projeções que explodiam em cores e brilho diante dos olhares fascinados de seus expectadores. E como não poderia deixar de ser, a Torre Eiffel era o ápice daquele show, completamente iluminada, causava a impressão de que poderia ser vista de qualquer canto da terra, como um farol superpotente. Uma visão esplendorosa que arrancava suspiros e inspirava sonhos.

E era bem ali, no topo daquela magnitude, que a heroína de Paris se encontrava, admirando com forte emoção a bela visão da sua cidade natal.

Em casa seus pais já deviam estar arrumando a mesa para a ceia. Ela havia ajudado com os preparativos ao longo do dia, feliz e grata por aqueles momentos preciosos em família. No entanto, se encontrava inquieta demais dentro do seu quarto ao terminar de se arrumar e num impulso, deixando sua forma civil por alguns momentos, resolvera dar uma volta antes da última refeição do ano que se despedia.

Era óbvio que fosse parar na Torre. Aquele monumento era muito especial e apesar de ser um ponto turístico, um local público, para Lady Bug era um lugar íntimo e pessoal.

Sim, ela tinha muitos sonhos. Os sonhos de menina que de maneira espantosamente rápida estavam se transformando em sonhos de mulher. Tornar-se uma designer de moda tão boa quanto seu ídolo Gabriel Agreste era seu sonho profissional. Casar-se e formar uma família com no mínimo três filhos a correr por uma casa grande com quintal cheio de flores, cachorros e hamsteres fazia parte de seus sonhos e não era segredo para ninguém. Como heroína também ansiava derrotar seu maior inimigo e livrar Paris da ameaça do mal para sempre... Mas seu sonho mais imediato, que fazia seu coração palpitar mais depressa, tinha nome e endereço, ela sonhava com Adrien Agreste. Talvez seu sonho mais inalcançável, pensou, considerando o fato de que o famoso modelo loiro de olhos verdes sequer a notava na escola. E dia após dia, ela buscava formas de dizer a ele o que sentia, sem, contudo, obter muito sucesso.

Conheceram-se no início daquele ano letivo, ou seja, poucos meses atrás, porém desde o primeiro dia em que ela o viu sentiu que algo, que acreditava ser amor, arrebatava seu coração ainda tão inexperiente como o de qualquer garota de quinze anos poderia ser, fazendo com que seu mundo virasse de cabeça para baixo. Seu inferno pessoal era sentir-se tão desajeitada, inadequada e incapaz de formar frases coerentes sempre que ele estava por perto. Não pôde conter um suspiro de pura frustração. O que ela não daria para vê-lo naquela noite... Para sentir seus braços ao redor de si e olhar nos olhos de esmeralda que tanto amava. Sonhos... será que eles realmente poderiam se realizar...

O som das botas que ela já conseguia distinguir muito bem chegou a seus ouvidos, fazendo-a sentir um leve sobressalto que mais tarde se convenceria tratar-se apenas de um susto por estar tão distraída em seus pensamentos.
Não esperava companhia naquela noite, mas um sorriso involuntário se abriu em seu rosto quando sentiu a presença de seu parceiro de batalhas logo atrás de si.

Eles não haviam se visto desde o conturbado natal. Enfrentaram um papai Noel que fora akumatizado depois que a própria Lady Bug o tinha molestado por pensar que havia raptado o Adrien. Uma baita confusão natalina que felizmente tivera um final feliz e uma linda ceia na mansão Agreste. Agora, ali estava o felino galante que surgira em sua vida como um furacão no mesmo dia em que recebera a missão de defender Paris.

- My lady...

Ele sempre a chamava assim, mas por um breve momento ela sentiu algo diferente no tom daquelas palavras. Algo mais suave e menos sedutor, mais íntimo, quase uma reverência. Seu coração deu um pulo dentro do peito sem que ela pudesse se conter.

Já havia experimentado reação semelhante é claro, mas apenas quando ouvia a voz do seu amado Adrien, nunca com seu parceiro. Aquilo a incomodou, e por isso preferiu permanecer de costas para Chat Noir a fim de acalmar a respiração e os pensamentos, enquanto seus olhos permaneciam fixos na paisagem noturna.

Sentiu que Chat se aproximava da grade de proteção, emparelhando-se a ela, ombro com ombro, quase se tocando. Ela conseguiu lhe lançar um olhar maroto e um sorriso amigável após alguns segundos de silêncio.

- Ora gatinho, não esperava encontrar você esta noite. Resolveu deixar de lado os novelos de lã para tomar ar fresco?

Ele também sorriu exibindo os dentes perfeitos e seus olhos felinos pareciam ainda mais verdes e brilhantes.

- De fato, já estava enjoado dos novelos Bugboo. Mas resolvi dar uma escapadinha porque senti que hoje poderia ser minha noite de sorte e olhe só como eu estava certo. Afinal, encontrei você!

O tom brincalhão e galanteador voltara aos lábios do felino, fazendo com que ela relaxasse, sentindo-se confortável novamente perto dele. No entanto, preferiu ignorar o galanteio do mascarado e apenas comentou

- Está uma noite maravilhosa. Perfeita para o encerramento de um ciclo e o início de outro.

Com um leve suspiro Chat concordou enquanto observava a movimentação das pessoas abaixo de onde estavam. Já era quase meia noite e havia um ar de expectativa pairando sobre a cidade, no rosto das pessoas que riam, conversavam, tiravam fotos e nos casais apaixonados que andavam de mãos dadas as margens do rio Sena.

- Sim. A chegada de um novo ano sempre nos faz pensar que podemos deixar o passado e seguir em frente com otimismo. Como se ganhássemos uma nova chance de recomeçar, novas oportunidades... - Ele sorriu novamente - Nos traz esperança.

Ela surpreendeu-se por Chat Noir descrever com tanta exatidão aquilo que ela mesma estava sentindo. Era incrível como eles se conheciam com profundidade mesmo sem saber as verdadeiras identidades um do outro. Havia uma forte ligação entre eles, algo que para ela era impossível entender e mais impossível ainda de explicar.

- Era exatamente nisso que eu estava refletindo. A magia da passagem de ano trata-se de um estado de espírito não é... – como se tratava de uma pergunta retórica, ele assentiu e deixou-a prosseguir – ou seja, a mudança no calendário não faz tanta diferença, é como nos sentimos aqui dentro o que realmente conta – ela falava com a mão pousada na altura do coração.

Chat Noir olhou de soslaio para sua parceira. Como sempre acontecia quando ele pousava os olhos nela, achou-a incrivelmente linda, perfeita sob as luzes intensas da Torre, quase etérea. Mas a força de sua presença testificava o quanto ela era real e estava ali bem a seu lado, ao seu alcance...

Quando ele havia decidido sair de casa naquela noite, sua intenção era apenas a de refletir. Um novo ano iria começar e ele tinha o coração cheio de esperanças de dias melhores. Esperança de que o relacionamento com seu pai mudasse de alguma maneira, esperança de que no próximo ano pudesse receber notícias sobre sua mãe. Tudo poderia acontecer, sonhos poderiam se realizar.

Mas ao colocar os olhos na sua lady todo o resto se apagou da sua mente. No fundo ele tinha esperança de encontrá-la na Torre Eiffel e mal pôde conter sua excitação quando vislumbrou o uniforme vermelho de longe. Não teve dúvidas de que era ela, sua joaninha, sua lady, seu amor platônico. Seu sonho ainda impossível.

Ele a amou desde a primeira vez que a viu, contudo, esse sentimento era disfarçado pelas cantadas e galanteios que nunca pareciam surtir efeito, pois ela não o levava a sério. No fundo ele ainda não havia encontrado uma forma de se declarar seriamente, deixando sempre seu lado de gato sedutor comandar suas atitudes e palavras quando estavam juntos. Eles tinham uma ligação, isso era óbvio, mas ele desejava muito mais e quase não podia conter-se quando estavam próximos demais como naquele momento.

A voz doce e suave da heroína soou novamente e o tirou dos devaneios

- Tem razão gatinho. – Ela concluiu - Esta é uma noite em que podemos nos encher de esperança e renovar nossas forças para prosseguirmos... Viver e fazer sempre o melhor, nunca se esquecendo dos nossos sonhos... e de ter fé que eles podem se realizar – ela virou-se para ele com aquele sorriso radiante que o deixava embasbacado. Chat retribuiu o sorriso e num impulso pegou as mãos dela. Os olhos de ambos se encontraram no instante em que seus ouvidos captaram o som dos fogos que começaram a ribombar ao longe. Luzes coloridas explodiam no céu, formando lindos desenhos de encher os olhos. Contudo, o espetáculo que o casal de heróis apreciava agora, estava na combinação das brilhantes íris verdes e azuis que não se desgrudavam naquele momento de pura intensidade.

- Faça um pedido my lady – Chat murmurou hipnotizado, completamente atraído pelas profundezas daqueles olhos oceânicos

O tom suave e apaixonado voltara a preencher as palavras do felino enquanto ele levava as mãos dela até os lábios sem desviar os intensos olhos verdes da sua face corada. Lady Bug sentiu todo seu corpo ser inundado por um calor incompatível com a temperatura que os cercava, tentou desfazer-se daquela sensação quente e atordoante, confusa por seu corpo reagir daquela maneira com a aproximação de seu parceiro. Mas estava presa, cativa por aquele olhar. De repente fez a única coisa que não queria, mas que parecia tão certa naquele momento. Ela o abraçou. Passou os braços pela cintura do felino e deixou-se recostar no peito coberto de tecido preto, admirando o show de luzes coloridas que ainda se descortinava diante deles.

Chat piscou duas vezes diante daquela demonstração rara de afeto vindo da joaninha e demorou um pouco mais que alguns segundos para corresponder o abraço e estreitá-la junto ao peito. Fechando os olhos enquanto aspirava o perfume levemente adocicado que se desprendia dos cabelos azulados, pensou que não poderia pedir mais nada naquele momento, pois seu maior desejo estava ali, em seus braços e tudo que ele podia fazer era agradecer aquele interlúdio sublime que estava vivendo.

Lady Bug refletia no que poderia pedir, qual dos sonhos e desejos poderia mentalizar naquele momento em que um novo ano nascia trazendo novos dias e possibilidades. Pensou em todos os seus sonhos, mas estranhamente, dali onde estava, amparada pelos braços de Chat Noir, não foi capaz de pedir nada, murmurou apenas uma breve prece de ação de graças e lembrou-se de que quem escrevia seus dias com certeza sabia o que estava fazendo e ela sempre esperaria o melhor de sua vida e faria de tudo para vivê-la intensamente.

Ficaram ali abraçados por longos minutos, mesmo depois que o show de fogos já havia terminado e o céu voltava ao seu tom normal de azul marinho, nenhum deles tinha vontade de desfazer aquele enlace. Simplesmente sentiam-se bem no calor e aconchego que surpreendentemente haviam encontrado nos braços um do outro. Era estranho porém, como aquilo parecia tão certo e normal, como se sempre houvesse sido assim.

Após longos minutos, desfizeram o abraço ainda relutantes, os dois tinham as faces afogueadas e os olhos brilhantes, com sorrisos tímidos que se despontavam dos lábios. Chat segurou o queixo da sua lady em uma carícia suave e num gesto espontâneo de carinho beijou-lhe a testa

- Feliz Ano Novo Bugboo. Desejo que todos os seus sonhos sejam realizados!

Ela permitiu ser chamada por aquele apelido bobo que ele insistia em lhe colocar, apenas desta vez, pensou, enquanto se colocava na ponta dos pés para beijar-lhe o rosto retribuindo o carinho do parceiro.

- Feliz Ano Novo Gatinho. Que os seus sonhos também se realizem nesse novo tempo que se inicia.

Ficaram ali por mais alguns instantes, compartilhando de um silêncio amistoso, sem notarem que suas mãos permaneciam entrelaçadas.  

 

Nenhum dos dois poderia sequer imaginar como seria aquele próximo ano para eles. Não havia dúvida que se amavam, qualquer um que os olhasse perceberiam o amor transbordante entre os dois, mas havia muitos obstáculos e altos muros construídos por eles mesmos que os impediam de enxergar. Percorreriam um longo caminho até finalmente se encontrarem de verdade. Apenas quando todas as barreiras caíssem eles enxergariam um ao outro e o amor finalmente poderia ser revelado.

 


Notas Finais


Ei amores! O que acharam desse especial. Me contem nos coments e para aqueles que ainda não leram a fic Amor Revelado aqui no spirit, fica a dica heim. FELIZ ANO NOVO pra vcs! BJOCAS


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...