História Miraculous: An EarthBound Adventure - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug), Mother
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, Chloé Bourgeois, Félix, Gabriel Agreste, Lila Rossi (Volpina), Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Nino, Personagens Originais, Plagg, Tikki
Tags Adrien, Adventure, Earthbound, Miraculous, Ruh
Visualizações 41
Palavras 2.409
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


[ imagem do jogo ;^; e desculpas a hora de postagem deste capitulo, tou com uma leve insonia]

Oeee genti!

Aqui é o Ruh! ;3

"Oia" as novidades chegando aí!

Bem vindos a minha nova historia! Aeeeeê!!!


Espero que gostem!

Eu vou me basear no meu jogo favorito a fazer esta historia! (Earthbound! Já jogaram?)

Contem algumas adpatações por aqui. Tive que incluir os personagens miraculosos e mudar algumas coisitas para se encaixar e ficar parecido com o jogo. Rsrsrsrs.

Então... Partiu capitulo um??

Boa leitura!!! ^-^

Capítulo 1 - O meteorito ( Parte 1 )


Fanfic / Fanfiction Miraculous: An EarthBound Adventure - Capítulo 1 - O meteorito ( Parte 1 )

Na pacata cidade de Onett, no ano de 201X, vive um garoto chamado de Adrien Agreste.

Ele vive na "colina da vizinhança", numa casa de dois andares suburbana bem tipica da região.

 Era noite, não tao tarde mas o horario suficiente para a maioria dos adolescentes e crianças estarem dormindo. 

 Grilos e sapos faziam a festa do lado de fora da casa.

 Plagg, o gato de estimação da familia, cochilava ao lado da lareira onde ele adorava tirar uma soneca.

 Uma noite normal para um dia normal. Até aquele momento... 

 Nos altos do ceu vinha caindo a toda velocidade um meteorito que rapidamente cai colina acima da casa de Adrien e fez um enorme barulho o que fez o garotar despertar assustado.

 — Hã... Quêêê? — disse ele confuso e olhando pela janela. 

 Ele pode ouvir que sirenes ecoavam alto. Era a policia de Onett que estava chegando.

 Ele viu muitos carros de policia e policiais ao redor da região. Havia tambem cientistas de jalecoa brancos, pesquisadores e muitos curiosos. 

 — Eita porra o que tá acontecendo?? — Adrien disse ainda mais confuso. — Hum, talvez eu possa dar uma olhadinha...

 Ele saiu de seu quarto e foi ver seu irmao menor Felix no quarto dele para saber se estava tudo bem. 

 — Yo, brô! Tambem se assustou com o baita barulhão? 

 — Sim, Felix. Está tudo bem por aqui? 

 — Sim. So estou todo mijado e assustado! 

 — Hahahaha. Fique aqui. Vou ver se posso ver o que está acontecendo lá fora. 

 — Okay. Tome cuidado, brô! Você é muoto corajaso. Eu já estou com medo do que possa esta acontencendo lá fora. Só ouço sirenes da policia. Então a coisa está feia! 

 — Fique calmo. Acho que nao foi nada demais. Já volto. — disse Adrien descendo as escadas e vendo seu pai, Gabriel, bisbilhotando pela janela da sala o movimento lá fora. 

 — Paii! Será que posso ver o que está acontecendo lá fora?? 

 — É muito perigoso, Adrien! Melhor ficar aqui dentro!

 — Mas pai! Há VARIOS POLICIAIS lá fora. Então eu vou estar seguro, ora!

 — Se insiste tanto... Vá então. Mas primeiro troque de roupa. Não va assim de pijamas! 

— Aeee! Obrigado! — o garoto rapidamente foi para seu quarto, trocou de roupa, pegou sua mochila verde para caso encontrar alguma coisa lá fora e desceu quase correndo as escadas.

 Seu irmão já estava lá embaixo porque estava com medo de ficar sozinho lá em seu quarto. 

 — Brô! Então vai mesmo sair com essa loucura lá fora?

 — Eu disse para você ficar no quarto. Mas Sim! Quero saber que burburinho é esse todo! 

 — Yikes! Você vai assim? Desarmado? Por que nao pega o seu bastao de basebol rachado para sua segurança? 

— Mas tem policiais lá fora! 

 — Nunca se sabe se a policia vai estar perto de você para lhe defender! Eu insisto! 

 — Aff! Okay. Vou pegar e equipar. Aonde está? Você que pegou ele da ultima vez!

 — Esta no meu quarto. Numa caixa.

 E lá foi Adrien subir as escadas novamente e indo para o quarto de seu irmao. Ele viu a caixa, pegou o bastao de basebol rachado e equipou ele. Ele desceu as escadas com o taco na mao.

 — Feliz agora? — disse Adrien com o taco em mãos. 

 — Sim. Agora esta mais forte caso alguem encrenque com você lá fora! Hehehe. — respondeu Felix. — Tome, leve esse cookie com você. Eu que fiz! 

 — Obrigado, Felix. 

 Ele pegou o cookie e guardou em sua mochila. Quando ia saindo seu pai disse: 

 — Adrien, espere! 

 — O que foi, Pai? 

 — É melhor você levar essa gato junto com você. Ele esta gordo! Precisa se mexer um pouco, tomar um ar! Ele so vive aí deitado! Que preguiçoso! 

 — Miauuu!*  ( EI! Gordo? Eu nao sou gordo! Só tenho ossos grandes! E preguiçoso? Cara sou um gato! Não um cão! Gatos gostam do conforto do lar! De lareiras! E de sonecas! Sou anti social mesmo, e daí? ) 

 — Eu te entendo, Plagg. — disse Adrien olhando o bichano. Ele tinha o dom de entender os animais. Era fantatisco! Ele ouvia seus pensamentos.

[ Obs do Autor*:   Plagg fala miando mas seus pensamentos sao como suas falas. Elas estão em paretenses. É como ele falasse mesmo, mas só  Adrien e algumas pessoas com o dom entendem.Adrien é quase um Dr. Dolittle. :V]

 — Você fala com esse gato que parece até que entende ele! — disse Gabriel olhando seu filho.

 — Affs,mas eu entendo mesmo! Vem, Plagg. Vamos logo. Já estamos enrolando muito tempo aqui! Estou curioso para ver o que ta acontecendo lá fora! 

 — Miaaau. ( Nhé. Eu até ia tirar mais um cochilinho mas como tambem estou curioso para ver esse bafafá, vou lhe acompanhar.) 



 Plagg se juntou a equipe! 




 Eles sairam de casa e puderam ver que lá fora estava uma zona!

 Policiais cercando e bloqueando o caminho para a cidade, vizinhos curiosos, e uma estranha luz vindo la de cima do morro.

 Adrien se encaminhou até o policial perto do bloqueio e perguntou:

 — O que esta acontencendo, senhor policial? E por que está bloqueando o caminho até a cidade?? 

 — Garotos como você deveriam estar dormindo numa hora dessas e não bisbilhotando por aqui! — disse o policial mais baixo.

 — A policia de Onett é famosa por bloquear os caminhos por qualquer coisa, garoto! — disse o policial mais alto. 

 — Oh, cara. — disse Adrien se afastando dali e indo em outra direção.

 — Miiau. ( Os policiais de Onett são famosos tambem por serem rudes e bobocas. ) 

 — Concordo com você, Plagg. — disse Adrien chegando perto de um vizimho curioso. 

— Eer... Você sabe o que está acontencendo? 

 — Parece que um meteorito cai la encima do morro e cientistas estao lá analizando. Se está pensando ir lá nem ouse. A policia já bloqueeou o caminho... — disse o vizinho curioso.

 Sem mais o que dizer, Adrien seguiu em frente mas antes de ir ate o morro viu que a porta da casa do seu vizinho do lado estava encostada. O que era estranho e foi verificar lá dentro se estava tudo bem. 

 — Alouu? Alguem em casa?! — disse o garoto ja entrando. 

 — Miauu? ( E se estiver um ladrão aqui dentro?) 

— Nao seja ridiculo Pla... 

 — ADRIEN! — disse uma garota já se atracando nele. O derrubando no chão. 

 — Aaaaaah! Que susto, Lila!! — disse ele se levantando e se limpando.

 — FIIISSK! ( Não é o ladrão mas é a chata! Posso arranhar ela?) 

 — PLAGG! — disse o garoto.

 — Ai que fofucho. Você trouxe seu gatinho! — disse a garota fazendo beicinho a Plagg. 

 — Fiiisk! ( Se ela chegar mais perto ou ousar tocar em mim eu vou arranhar a cara dela todinha!) — o gato estava em posiçao de ataque.

 — Hã... Lila. Tá tudo bem por aqui? A porta tava encostada... 

 — Sim, está tudo bem. A porta estava encostada porque minha irmã Chloé deixou ela assim por causa que ela não tem as chaves! 

 — Ela saiu? Numa hora dessas? Aonde foi? 

 — Miaaau. ( Deixa essa outra piranha para lá. Ninguem se importa. )

 — Ah, sim! Ela foi lá fora ver esse barulhão! Você ouviu? 

 — Sim. Foi um meteorito que caiu aqui perto. Eu estava indo lá ver. 

 — Miaau. ( Poderia cair nesta casa. Fazeria um grande favor a humanidade.) 

 Ele viu que Adrien olhou com uma cara para ele e parou de miar. 

 — Minha nossa, nossa, nossa! Que horror! Chloé, como é enxirida, deve estar lá! Caso ver ela diga a ela para não demorar muito, okay? Eu tenho que ficar aqui reparando a casa... 

 — Miaau... ( Não repara nem a propia vida e vai reparar a casa. Pff. Ainda bem que não tá reparando a vida dos outros.)

 — Plaag. Eu posso te "ouvir".— disse Adrien sussurando. — Okay. Eu digo isso a ela. Até.

 Ele saiu da casa e rapidamente foi andando e passando por varios policiais. 

 — Cara. Odeio meu trabalho. — dizia um policial conversando com outro. 

 — Não fale isso. O melhor do nosso emprego é que podemos pegar rosquinhas gratis lá na lanchonete! — dizia um policial bem gordo. 

 — Miaau. ( Depois eu que sou o gordo preguiçoso e esfomeado.)

 — Hahahaha. Plagg! Você é hilario! 

 — Falando conosco garoto? — disse o policial olhando Adrien, encostado no carro de policia. 

 — N-não! Imagina! Eu estou f-falando... eerr. Com os sapos! Eles sao hilarios coaxando né? Hahahahaha! — disse o garoto nervoso. 

 — Vocês, jovens de hoje em dia, estão cada vez mais esquisitos... — disse o outro policial do lado de seu parceiro encostado no carro.

 — Miaau. ( Nossa que micão.) 

 — Culpa sua. — disse Adrien susurrando e subindo colina acima.

 Ele chegou perto da casa do senhor Damoncler, que era um caçador de tesouros. Ele chamou a atenção do garoto fazendo acenos. 

 — Boa noite, senhor Damoncler. O que houve? 

 — Boa noite, Adrien. Já sabe do meteorito que caiu ali em cima do morro né? 

 — Sim. Estava indo para lá ver. 

 — Há varios policiais bloqueando o caminho e tambem há uma garota enxirida tentando furar o bloqueio. Acho que você a conhece. Ela é a sua vizinha. A Chloé. 

 — Sim. Conheço ela. 

 — Miaau. ( Infelizmente...) 

 — Ouça, garoto. Quero lhe mostrar uma coisa. Acho que finalmente achei um tesouro! Venha aqui mais tarde, ao amanhecer, sozinho. 

 — Uau! Que legal! Pode esperar que estarei aqui! Até! — o garoto se despediu do senhor Damoncler e seguiu em frente. 

 A medida que ia chegando perto da luz misteriosa do alto da colina podia ouvir muitas vozes. Uma delas era de Chloé. 

 — COMO ASSIM NÃO POSSO IR LÁ VER? VOCÊ SABE COM QUEM ESTÁ FALANDO?? — gritava a garota tentando furar o bloqueio mas era segurada por dois policiais brutamontes. 

 — Miaau. ( Ó a escandalosa aí.) 

 — Disto tenho que concordar, Plagg. 

 — Ei garoto! Você conhece essa garota? — perguntou o policial brutamontes numero um. 

— Eer... Sim. 

 — Miau. ( Podemos sair correndo daqui. Deixa ela fazer cena aí, Adrien!)

 — Não, Plagg. Tenho que dar o recado a ela. 

 — Se a conhece... a convença de voltar para casa por favor! Ninguem pode se aproximar do meteorito! É perigoso! Pode até ser radiotivo! — disse o policial brutamontes numero dois.

 Chloé foi empurrada com tanta força para tras que caiu com tudo no chão. 

 — Affs! Mal educados! Vão ver só! Vão ser processados! — disse a garota se limpando.

 — Tudo bem por aqui? — perguntou Adrien. 

 — ADRIKINS! — disse Chloé derrubando o garoto no chão.

 — Miaau? ( Por que todas as garotas desta cidade tem que cumprimentar o Adrien abraçando e derrubando ele no chão? Que costume bizarro é esse dos humanos?) 

 — Chloé. Sua irmã, Lila, me mandou trazer um recado. Para você nao demorar muito por aqui.

 — Oh my god! É mesmo! Já estou um tempão por aqui que acabei me esquecendo que deixei ela lá em casa reparando as coisas! Já vou voltar, apenas irei dar algumas broncas com esses policiais.

 — Okay. Até. — disse Adrien se despesdindo. 

 — Miaau? ( E agora? O que faremos? Parece que o caminho até o meteorito está bloqueado... Tipico daqui de Onett.) 

 — Não podemos fazer muita coisa por aqui. Os policiais estão por todo lado. Nem posso escalar o morro. Vamos voltar para casa.

 Então os dois voltaram para casa e na porta da frente estava o pai de Adrien esperando por ele. 

 — Já fez tudo o que tinha para fazer aqui , Adrien? 

 — Sim, pai. Foi um meteorito que caiu aqui perto, lá encima do morro. Por isso está esse fuzuê todo por aqui. 

 — Hum, entendo. Esta cidade é pacata demais. Qualquer coisa que aconteça por aqui de difenrente a cidade fica em alerta. Vá para sua cama e tente dormir. Já esta muuito tarde. 

 — Onze da noite não é tããão tarde assim, pai! 

 — É sim. Para um estudante como você. Por sorte está de ferias da escola mas mesmo assim não vamos perder os habitos! Já pra cama! 

 — Miaaau. ( Nesses momentos eu fico feliz por ser um gato. Hehehehe. Mas estou com soninho tambem. Vou dormir.) — o gato entrou e se deitou perto da lareira. 

 O garoto foi desanimado para seu quarto, vestiu seu pijama verde listrado, desiquipou o taco de basebol rachado, jogou sua mochila por ali no chão e foi dormir.



 Mais tarde naquela noite...




 Adrien se espanta com um barulho de alguem batendo freneticamente na porta. 

 Ele olhou pela janela e nao deu para ver quem era. Estava muito escuro. Ele pode perceber que as sirenes haviam parado. Os barulhos dos sapos e dos grilos ecoavam novamente a noite lá fora. O garoto deduziu que os policiais já tinha ido embora 

 — Mas que caralhos pode ser numa hora dessas? — disse o garoto saindo de seu quarto e ligando a luz do corredor. 

Antes de descer foi ver se seu irmao estava bem. 

 — Félix? Está acordado?! Tudo okay? 

 — Sim. Eu me assustei com as batidas na porta. Me mijei de novo. Mas quem será que está batendo nesse horario?? 

 — Não sei. Irei ver. Fique aqui desta vez. 

 — Eu estou com muito medo. Não vou sair daqui. Pode ficar tranquilo. Tome cuidado. 

 Adrien saiu do quarto e viu que seu pai estava apreensivo lá embaixo com receio de abrir a porta. Plagg estava em cima da televisão olhando a situação. 

 — ADRIEN! Será que podia abrir a porta para o papai? Estou... eer... Com as maos ocupadas segurando a... Lista telefonica! 

 — Aiai. Okay. — disse Adrien se dirigindo até a porta. Quando abriu a porta, ele e sei pai puderam ver que era uma pessoa muita conhecida deles. 

 — CHLOÉ!? — disseram juntos, pai e filho. 

 — Ah! Oi, Senhor Agreste. Eu preciso falar com seu filho! — disse a garota puxando o Adrien para perto do sofá. 

 — AAAH! O QUE FOI?? — disse o garoto assustado. Ele podia ver o desespero no olhar da garota. 

 — Adrikins! Você tem que me ajudar a achar a Lila! Ela sumiu!

 — O que? — disse Adrien assustado.

 Continua...


Notas Finais


Espero muito que tenham gostado! :3

E aí, continuo?

Não se esqueça de deixar o fav se gostou e de comentar!

Até logo! ^-^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...