1. Spirit Fanfics >
  2. Miraculous: Coração dividido em dois >
  3. Uma sorveteria a menos

História Miraculous: Coração dividido em dois - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Oi, meus amores! Como vcs estão, minha gente??? Sentiram saudades? Pq eu sim! Kskskskssks
Desculpem-me a demora. Curtam bastante o cap e me digam se gostarem. Perdoem os erros de ortografia e lavem as mãos!
Amo vcs.
😚

(Eu sei que teve gente que não acreditou que eu postaria hoje né, seus bonitinhos?!)

Capítulo 3 - Uma sorveteria a menos


__ Um pijama? - Alya perguntou, incrédula.

__ Bom, não é "qualquer" pijama... É o meu pijama de unicórnio! - exclamou a ruiva. Não me aguentei, caí na risada. - Eu não podia vir sem ele! - emburrou.

__  E nem te passou pela cabeça a ideia de pedir à sua mãe que o trouxesse outro dia, ou que você fosse buscar no fim de semana? - a morena realmente estava inacreditada.

A menina ruiva ficou alguns segundos olhando para Alya. Estávamos nós três sentadas no chão do quarto, em uma rodinha.

__ É-É mas também teve o trânsito! - cruzou os braços. Oh, aquela garota era fofa.

Rimos mais ainda.

Aquela era Tiffany, ou, aos mais chegados: Tikki! Uma ruivinha tampa de garrafa, fofa e estressada, aparentemente. Era engraçada, muito doidinha.

__ Então vocês estavam em uma festa? 

__ Isso. - respondi.

__ Acabou cedo... Começou cedo demais também?

__ Não. Na verdade, ela não acabou ainda. Nós que viemos embora, mesmo. - dei de ombros.

Seus grandes olhos azuis voltaram-se à mim.

__ Então o que estão fazendo aqui?

__ Bom... Estávamos cansadas. - olhei de soslaio para Alya, que parecia focada em brincar com seus dedos, com o olhar baixo. O que eu disse não era mentira, mas também não o único motivo de virmos embora.

__ Entendi. - o assunto morreu ali. Surpreendentemente, Alya levantou-se.

__ Vou tomar um banho; volto já.

Assentimos e logo mais a garota bateu a porta do banheiro. Suspirei. Alya estava triste, e eu estava triste por vê-la entristecida. Não entendo a causa, mas devo fazer uma ideia.

__ Ela é sempre meio pra baixo assim? - Tikki perguntou, cuidadosa.

__ Não... Acho que não, pelo menos. - de de ombros. - É só que ela não está muito feliz depois da festa; aparentemente rolou alguma coisa entre ela e um amigo.

__ Ah. Tenso...

__ Pois é...

Ficamos em silêncio novamente.

__ Qual é a sua cor favorita? - perguntou-me, de repente.

Sorri.

__ Azul e rosa! Mas eu também gosto muito de branco. Ah, e vermelho me encanta!

Ela riu.

__ Eu gosto de colorido, mesmo.

__ Seu estilo musical? - arrisquei.

__ Hm... - pensou. - Eu curto música pop americana, mas tem umas lá do Brasil que são legais de dançar.

__ Você gosta de dançar?

__ Amo! - seus olhos brilharam, parecia uma criança. - E você?

__ Meu estilo musical ou se gosto de dançar?

__ Ah, os dois.

__ Eu também gosto de músicas americanas. Curto K-pop, também; mas escuto alguns raps, as vezes... Dançar já não é muito comigo, haha.

__ Uau, vejo que você é bem indecisa.

Demos risada. No momento, Alya saiu do banheiro e nos encarou por termos nos aquietado. Cerrou os olhos.

__ Estavam falando de mim?

__ Não! - respondemos eu e Tikki em unissono. Alguns segundos de silêncio até que todas ríssemos feito hienas. Alya estava melhor agora.

__ Agora, gente, me deêm licença que eu vou me desinfetar também. Credo, aquele lugar me fez cherar a álcool. - torci o nariz.

Peguei o necessário e fui ao banho. Quando saí, Alya e Tikki estavam cochilando, uma escorada na outra. Sorri, perversamente. Voltei saltitando nas pontas dos pés pro banheiro e catei minha escova de dentes. A encharquei na água e voltei devagar. Bem pertinho delas, puxei as cerdas da escova bem na altura de seus rostos, molhando-os com os respingos d'água. As duas se afobaram no mesmo instante enquanto eu me acabava de rir.

Não me falaram nada, acredito que por conta do sono. - olhem só, inclusive. Dona Alya perdendo a chance de um surto histérico? Uau, minha gente. É isso que a preguiça faz conosco. Lamentável...

Tikki comentou de maneira embolada que ainda não tinha tomado banho por conta do medo de que "as donas do quarto" chegassem e achassem que ela havia invadido o banheiro. Ri, e Alya deu um sorrisinho.

A ruiva lá se foi pro banheiro e Alya se jogou de cara no travesseiro de sua cama, enquanto eu passava meu hidratante de morango.

__ Cara, eu tô morta! - ofegou.

__ Ah, eu quero muito dormir, também. - lamentei.

__ O que tá fazendo? Isso é hidratante de bebê? - estranhou. Escondi rapidamente o pote atrás de mim.

__ Não.

__ É sim! - riu. - Você usa hidratantede bebê, mesmo?

__ Uso. - dei risada. - Eu gosto do cheiro! Olha! - fui até a morena e me abaixei ao lado da cama. Ela logo me deu um cheiro exagerado no pescoço e aa cócegas me fizeram rir e me afastar rapidamente, me contorcendo feito uma minhoca eletrocutada.

__ Vai logo dormir, tampinha. - Alya murmurou, divertida. A olhei feio.

__ Vou só porque estou com sono.

__ Uhum.

Lhe mostrei a língua e caminhei até o interruptor que fica ao lado da porta do quarto. Apaguei as luzes e vinha andando no escuro em busca da minha doce caminha, quando uma dor no meu dedo mindinho que, digamos numa escala de 1 a 10... ALCANCE O 1.000.000, CONSUMIU A MINHA ALMA!!

__ IIIIIAAAAAAAAI!!

[...]

"Acorda"

"Acorda-a-a"

A voz ecoava em minha cabeça que se recusa a funcionar. Oh, eu não to acordada, não.

__ ACORDA, MARINETTE! - a minha bolha foi estourada e meu primeiro reflexo foi me sentar na cama rapidamente, mas no processo choquei minha testa diretamente a outr superficia duríssima e caí na cama denovo, passando a mão pelo local dolorido e choramingando.

Ouvi as manhas de Alya também e dei uma espiada ao lado de minha cama, onde a morena se encontrava sentada no chão e com a mão na cabeça. Arregalei os olhos.

__ Alya?

__ Sua... - respirou fundo. - Argh! Levanta, porra! O café já ta rolando faz tempo e você nem tirou essa sua bunda das cobertas ainda. - se levantou do chão, resmungando.

__ Bom, outra é que não poderia ser... - murmurei. Óbvio que eu só tenho controle sobre a minha bunda.

__ O que disse?!

__ Nada! Já tô levantada, olha! Já levantei! - Passei correndo pro banheiro.  Ufa! Pelo visto conviver com a Alya não vai ser mamão com acúcar. Eca... Mamão com açúcar deve ser horrível. E de onde será que surgiu esse ditado?

__ NÃO DEMORA, MARINETTE!

Iiiih!


P.O.V's Alya.


__ Cadê ela? - Tikki perguntou assim que desci as escadas. Revirei os olhos pensando na de cabelos azuis. Sorri logo depois.

__ Agora que foi pro banheiro.

Tikki riu.

__ Mas e o café? Não seria bom que ela estivesse presente?

__ Seria ótimo! - me estressei novamente. - Mas aquela égua pocotó acabou de sair do cazulo. - cruzei os braços. - Se as meninas aqui quiserem adiantar, não temos escolha. Já até passou do horário, se quer saber...

__ Alya?

Olhei atrás de Tikki e sorri mais quando enxerguei aqueles cabelos rosa-chiclete que eu tanto me recordava.

__ Fala ae, Alex! - trocamos um cumprimento com as mãos e depois nos abraçamos. Alex era minha colega na escola.

__ Cara, felizona de estar aqui! Parabéns parceira, sei que vai ser uma grande líder. - me sorriu. Alex era uma garota estilo "Maria-macho", e por isso era muito divertida. Sem tempo ruim com ela, sem frescura e nem nada.

__ Valeu, Alex. Agora que estou sabendo que você está aqui, vamos ganhar os jogos das fraternidades esse ano, porra! - dei soquinhos animados no ar, fazendo com que até Tikki risse. Se tem algo em que Alex não decepciona é nos esportes! Ela é boa com tudo, sério! É chocante.

__ Oh, yeah! A taça é nossa, baby! - piscou um olho. - Bom, me desculpe mas eu não vou poder ficar pro café e as apresentações e tal... - coçou a nuca e eu achei graça de sua falta de jeito - Eu tenho que ver umas paradas aí e-

__ Sem problemas, irmã! Acredite em mim, se eu pudesse daria no pé, também. Aff, ninguém merece! - todas rimos, eu apresentei rapidamente Tikki à Alex que deu um aceno antes de partir. Assim que a garota bateu a porta da frente, Marinette desceu as escadas correndo.

__ Tô aqui! - bateu continência como um soldado. Ri e baguncei seus cabelos do topo da cabeça, enquanto seguia pra sala de jantar.

__ Hey! Demorou mó tempão pra arrumar! - reclamou. Olhei-a de canto e assisti Tikki abraçá-la pelo pescoço. Tsc! Duas tampinhas...

[...]

__ Falar dos outros é errado... - cantaroloava a azulada.

__ Ah, pelo amor né, Marinette! Você não viu aquela garota?! Ela me olhava com tanto deboche naquela fuça... - me irritei só de lembrar da morena de olhos claros que mascava chiclete e vivia debochando de minhas falas durante o café da manhã, em frente a todos.

__ Relaxa, bitch! Eu vou descobrir o nome dela e guardar junto com a galinha de macumba. - Tikki segredou, fazendo com que Marinette que estava... Sei lá, assistindo seus animes? Enfim! Fazendo com que Mari tirasse os olhos da tela e nos olhasse em silêncio. Talvez estivesse analizando se estaríamos nós brincando ou não...

__ Tikki... - começou a azulada. - Aquela lá é galinha de macumba.

Woooooooo.

Só risadas foram ouvidas. Marinette era maldosa, afinal de contas!

__ Gente, podíamos ir dar uma volta, né? Aproveitar o tempinho vago. Quando começarem as aulas, algo me diz que vamos sofrer. - Tikki dramatizou.

__ Que tal correr no parque? - propûs.

__ Nah! Quem é que aproveita o tempo livre pra correr?! Eu tava pensando em comer alguma coisa, mesmo.

__ Muita gente sai pra correr! - soltei, indignada. Eu fazia parte dessa gente...

__ Mas nós dissemos que iríamos aproveitar. Sendo assim, vamos fazer algo divertido. - Mari fechou a tela de seu notebook sobre a cama e levantou, trocando um Hive-five com a ruiva.

Aff! Era só o que me faltava...


P.O.V's Marinette.


__ Açaí? - a morena franziu as sobrancelhas.

Oh hohohoho! Essa seria oumau momento de contaminar mais uma vítima.

__ Meu Deus, peça esse negócio! É muito bom! Eu juro!!

__ Marinette, você tá me assustando; para de me olhar assim!

__ AMIGA do céu! É MUITO bom! Você TEM que experimentar! - Tikki estava tão histérica quanto eu. Juntamos nós duas as mãos e imploramos à Alya.

__ Parem, parem já com isso! Parece que estou saíndo com duas crianças! Eu vou experimentar a merda do açaçai, agora parem de me fazer passar vergonha! - Alya estava desesperada.

__ É açaí! - Tikki e eu a corrigimos.

__ E o foda-se! Calem a boca.

Ficamos Tikki e eu atrás da morena que era um pouco maior que nós. Fizemos nossos pedidos e eu recomendei à Alya que escolhesse só com leite condensado, que é o acompanhamento indispensável do gelado, mas ela insistiu em pôr leite ninho também, alegando que se fosse ruim ao menos algo salvaria.

Ah tá. Leite ninho é horrível.

Fomos nos sentar numa mesa mais ao fundo e eu admirei o lugar onde estávamos. Era uma sorveteria muito completa e muito bonita. Além dos sorvetes, - alguns de sabores que eu nunca nem tinha visto - Também tinha açaí, iogurtes, picolés e palletas. Era um sonho ver todos aqueles doces! Eu viveria pro resto da vida aqui, sem reclamar!

__ Eu gostei daqui! Devíamos voltar mais vezes. - Tikki propôs.

__ Com certeza! - Concordei.

__ Meu Deus... Onde foi que eu me meti?! Duas crianças! - Alya repetia em negação enquanto ria.

Um barulho um tanto incômodo soou pelas caixas de som que tocava músicas de muito bom gosto. Olhamos pro telão e lá estava nossa senha.

Levantamos e pegamos tudo. Eu fiquei pra trás pois estava tendo problemas em puxar o dinheiro do bolso traseiro de minha jardineira jeans, por conta dos detalhes. Fala sério, as coisas sempre enroscavam nas pedrarias que serviam de detalhe. Consegui finalmente e paguei a atendente que me entregou minha bandeja com a tigela repleta do meu gelado favorito. Meus olhos deviam estar brilhando, pois eu não conseguia parar de olhar aquela beldade.

Bom, e talvez este tenha sido meu erro. Enquanto andava meio à cegas, algo de pequena altura - vulgo, criança - passou correndo por mim e esbarrando em minhas pernas. Me desequilibrei no desespero de tentar justamente manter o equilíbrio para não derrubar o meu lanchinho e sendo ainda mais atrapalhada com as pernas, acabei trombando com mais uma pessoa e fui ao chão.

Aliás, fomos.

É, meus companheiros... A vida realmente é uma coisinha FILHA DA PUTA!!! Mas... Vamos tentar não reclamar porque se tem algo que eu levo pra sempre e: Não há nada ruim, que já não possa piorar. E, por isso e somente por isso - além do fato que vocês logo compreenderão -  que eu não vou esgoelar xingamentos para a linda obra do destino de me fazer tão atrapalhada.

É, ok. Sobre o outro motivo vocês me perguntam. Bom, eu não surtaria de raiva por estar surtando de vergonha. A "pessoa" com que eu tinha me acidentado era ninguém menos que o carinha loiro da festa de ontem. É, aquele lá da geladeira. O Adr-

__ Adrien, amor!! - uma garota loira que estava mais afastada veio se abaixando apressadamente. Tanto meus olhos quanto os do casal ali fitavam um único ponto: uma mancha roxa do tamanho da minha mão, na camiseta branquinha do loiro.

Fiquei na dúvida se estaria corada  ou branca feito papel... A macha era enorme! Tinha mt açaí ali ainda, ô meu Deus... Que vergonha! O garoto parecia tranquilo, mas a namorada em contrapartida estava com olhos tão arregalados quanto os meus. Mas, quando eles voltaram-se a mim faltavam me tacar fogo.

__ Levanta do Adrien, ridícula! Olha o que você fez, paspalhona!

__ Chloé! - ele repreendeu.

__ A-Ah, eu... - eu realmente estava caída por cima das pernas do rapaz, com o rosto na altura de seu abdômen... Oh, nada bom... 

Recuei rapidamente mas permaneci no chão, desesperada. Olhei em volta e peguei uma caixa de guardanapos de papel que estava na mesa ao meu lado. Peguei um punhado e avancei em cima dele novamente. Estava prestes a tentar esfregar aquela mancha quando a mão fria da garota loira segurou-me fortemente. Sentia suas unhas de papagaio forçando em minha pele.

__ Você tá louca?! A camiseta dele é de marca, sua lambisgóia!

__ Ei! - reagi. Puxei meu braço de seu aperto dolorido. - Foi um acidente e eu vou pedir desculpas! A lambisgóia aqui é você, papagaia!

__ Você disse o quê?! - aumentou seu tom, deixando sua voz ainda mais aguda. Agora muita gente já olhava para nós... Urgh.

__ M-Me desculpa. - gesticulei, nervosamente. Me levantei com cuidado e estendi a mão ao Adrien, que parecia irritado... Ai. Ele segurou minha mão, mas não acho que elr precisasse do auxílio. A loira logo se levantou e entrou na frente dele, ficando cara-a-cara comigo. Isso, lógico, se eu fosse da altura dela, o que eu não era. Poxa, era só alguns poucos centímetros abaixo.

__ Você vai se arrepender de ter vindo aqui hoje e se eu te encontrar novamente, você vai se arrepender de ter nascido. - passou esbarrando em meus ombros. Eu estava chocada. Como alguém poderia ser tão ruim assim, por um motivo simples?

__ Foi mal.

Olhei o loiro que parecia irritado.

__ N-Não... Imagina. Eu é quem peço mil perdões. Me desculpe, de verdade. Eu... Fico te devendo uma, ou sei lá. - fiquei sem graça.

__ Acredite, você fez foi me salvar. - o olhei, confusa e ele se aproximou de mim ao sussurrar em meu ouvido. Arrepiei-me. - A Chloé é um pé no saco! Agora vou ter uma desculpa pra voltar pra casa.

Se afastou de mim rindo. Ri um pouco também. O sorriso dele era lindo.

__ Não devia falar assim da sua namorada.

O riso dele cessou e o meu morreu também de imediato. Eu disse algo errado?

__ A Chloé não é minha namorada.

__ Ah... Me desculpe então.

__ É essa fedelha aí! - Adrien de repente pareceu mais irritado olhando além de mim e eu me virei ao ouvir a voz da menina Chloé. Ela estava ali de volta e trazia um homem mais velho vestido socialmente.

__ Senhorita, eu sinto muito mas terei que tomar providências. - começou ele. - É inadimissível o que você fez! Conflitos devem ser resolvidos de outra forma, isso aqui é uma infantilidade e inconsequência sem tamanho.

__ O quê? Foi um acidente! - argumentei.

__ Acidente?! - Chloé tomou a voz. - Ela fingiu tropeçar só para acertar o Adrien! Além do que rla fez com ele, olha a porqueira que o chão virou.

Realmente tinha açaí e vidro da tigela espalhados por ali mas do que raios ela estava falando?

__ Isso não é verdade!

__ Não é mesmo! - Adrien interfiriu. - Foi um acidente, eu nem sequer me encomodei.

__ O que tá acontecendo aqui? - Alya e Tikki chegaram.

__ Foi um acidente! - respondi a morena. Meus olhos já estavam marejados. Não acredito que eu estava sendo acusada injustamente! - Eu tropecei, acabei sujando ele, mas... Ela quer me ferrar! - apontei a loira.

__ Chloé? Ah, tinha que ser. Pode ficar tranquila, Marinette; eu acredito em você. Into muito, você acabou de se deparar com a maior vadiazinha mentirosa do campûs. - disse com desgosto.

__ Está vendo? - Chloé falou com o homem. - Olha o tipo de amizade que ela tem... Acha mesmo que ela não fez de propósito para afetar o Adrien e a mim?

__ Eu nem conheço vocês! - Exasperei. - Por que está fazendo isso? - perguntei, brava.

__ Senhor, eu garanto que está havendo um grande mal entendido e que ela não me fez nada... - o homem olhou a mancha roxa no peito do rapaz. - Intencionalmente. Ela não me fez nada intensionalmente. - completou o loiro rapidamente. Em outro momento eu riria.

__ Não tenho outra escolha, senhorita. - continuou o homem. - Eu não permito esse tipo de coisa no meu estabelecimento e vejo muito bem o que houve aqui. Olhem o tumulto que está isso aqui! - lamentou. 

__ Você é idiota por acaso? Não ouviu que tudo foi um aci- tampei rapidamente a boca de Tikki que eu não duvidava de que pulasse no gerente ou dono, ou seja lá quem fosse aquele cara. O rosto da ruiva estava da cor de seu cabelo.

__ Já chega! Eu não tolero! Vocês três - apontou para Alya, Tikki e eu. - estão permanentente proibidas de entrarem aqui novamente! Peço que se retirem!

__ O quê?! - Alya exclamou. Oh, não ia dar bom...

Segueei seu braço, fazendo com que olhasse para mim.

__ Ta tudo bem, deixa.

__ Bem é o caralho! - Tikki completou. 

__ Moço, por favor... - Adrien tentava argumentar. Pûs a mão sobre seu pulso.

__ Ta tudo bem, obrigada e... Me desculpe novamente. Estou te devendo, Adrien.

Ele me olhou alguns segundos antes que suspirasse finalmente.

__ Nos vemos por aí.

Assenti, concordando.

__ Vamos embora. - chamei as meninas. Quando passamos por aquele narizinho emplastificado da Barbie do inferno, Alya esbarrou fortemente, quase causando a queda da garota. Tikki, no entanto, estava de olho no maior peixe e deu um esbarrão no gerente, por mais que o esbarrão dela quase nem teve impacto no grande homem, mas a ruiva saiu de nariz empinado.

__ Que absurdo! "Vocês estão proibidas de entrarem aqui novamente" - imitou com uma voz estranha. - Ah, meu pau de óculos! Eu vou ficar a noite inteira aqui na calçada entâo! Otário! - Tikki exclamava em bom som e não conseguimos segurar a risada. Estávamos andando de volta.

__ Sabe, eu tinha o plano de visitar todas as lanchonetes do campus. Bom, fomos expulsas, mas pelo menos visitamos! Uma sorveteria a menos na lista! - exclamei. As outras riram. - Uma pena que eu nem cheguei a provar nada de lá... - suspirei.

__ Ô, meu deuso! - Tikki fez uma voz fina enquanto apertava minhas bochechas. Alya apenas ria de minhas caretas. - Eu te pago um sorvete qualquer dia desses... Ou não.

__ Desgraçada! - xinguei-a e rimos todas. É, hoje realmebte foi um dia diferente. Nunca que eu imaginaria...

Haha, por mais dias assim...

Tirando a parte da expulsão, claro.



Notas Finais


E aí, quem aqui gosta de açaí?? Vocês comem com o quê? Me: leite condensado e amendoim... Recomendo hein! 😚😚

Epero que tenham gostado, meus amorex! Desculpem a demora!

Queria dar um recadinho às Armyzinhas de plantão, ou a qualquer um de vocês que gostem da minha escrita. Se lembram da fanfic que eu panfletei aqui no cap passado? Bom... EU VIREI CO-AUTORA AAAAAAAAAA 😆😆🎉🎉🎉🎉🎉
É galera, eu to muito feliz! Gostaria que vcs desse uma chance àquela bebê pq eu adianto que é uma fanfic de uma veracidade imensa nas cenas problemáticas. Digo por mim mesma, que sofro com crises de ansiedade. Mas, enfim! Se alguém chegar lá através de mim, comentem "Vim por CD2" (coração dividido em 2🙈) que eu vou dar mt amor a vcs!

https://www.spiritfanfiction.com/historia/utopia-18537432


É isto, por hj é só. 😘💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...