1. Spirit Fanfics >
  2. Miraculous's Island - O mistério da ilha >
  3. Motel Twin Alliance

História Miraculous's Island - O mistério da ilha - Capítulo 5


Escrita por: marymar25

Notas do Autor


Oii genteeeee! Eu sei que faz muito tempo que eu não posto, mas eu tenho uma boa desculpa. Eu tô no 3° ano do ensino médio e tem ENEM né então não paro de estudar, mas as férias chegaram e eu vou tentar colocar capítulos em dia pra não ter esse problema de novo. Eu queria agradecer pelas 40 views, muito obrigada gente, vcs não sabem como isso me deixa feliz, e eu também queria dizer que fizemos 2 meses de fic!! Daqui a pouco vai fzr três quase de tão sumida q eu fiquei mas enfim... Aproveitem o novo cap!
Beijoss

Capítulo 5 - Motel Twin Alliance


Manhã do dia seguinte

Na piscina da pousada

Marinette estava boiando na piscina, com seu biquíni preto com bolinhas vermelhas, quando escuta alguém a chamá-la:

— Marinette!

— Oi Mylène, entra aí.

— Se você diz. — fala a loira em um tom mais alto.

Então a azulada vê Marc, Nino, Max e Ivan gritando correndo para a piscina:

— ENTRANDO!

Os rapazes pulam na piscina e começam uma guerra de água, Nino então pega Marinette no colo e a joga no alto caindo dentro d'água.

Ao lado da piscina, senhor e senhora Bourgeois tomam um banho de Sol junto de um champanhe. Da varanda da pousada, Kim os observa enquanto toma um chá, quando percebe Luka falando com ele:

— Como faz isso, Kim?

— Não entendi.

— Como não enlouquece e grita por aí?

— Ah... a válvula de escape por se tornar um Bourgeois. Luka, eu falo muito dinheiro. Alya está feliz, e Thalia sempre será bem cuidada.

— E você? E a sua felicidade?

— Bem, você só... acha uma maneira. — diz o rapaz olhando para seus sogros.

 

Um tempo depois

No campo da pousada

A família Bourgeois estava fazendo um concurso de tiro em discos, os homens em específico, enquanto Audrey e suas enteadas observavam.

— Jogue! — diz André e logo depois atira acertando seu alvo.

— Uau, mais um pro papai! — diz Chloe marcando o quarto ponto de seu pai no quadro negro, acima de Kim que só tinha feito 2 pontos.

— Alguém já venceu seu pai? — pergunta o noivo da loira.

— No tiro em discos? Não que eu em lembre. Você vai tirar o trono do rei é? 

O rapaz então só sorri para ela e volta a observar seu futuro sogro.

— Jogue! — o milionário atira mas erra seu último alvo — Droga!

— Está bem, 4 de 5, nada mal. — diz a noiva.

— Sua vez Luka! — fala Kim.

— Vai lá e ganha dele. — encoraja Chloe.

— Não pareceu você, meu amor. — fala Audrey se aproximando de seu marido.

— Thalia, o que você está fazendo? — diz Alya para sua filha que estava mais perto do jardim.

— Eu tô praticando pra ser a menina das flores. — responde a menina enquanto arranca as flores e joga-as longe.

— Essas flores não são nossas. — a jovem então vai em direção a sua filha para tirá-la dali.

— Deixe ela se divertir, afinal ela não tem ninguém para brincar aqui. — diz o pai da menina.

Enquanto isso, Luka se preparava para sua vez e um funcionário da pousada traz um recado para ele em papel. Ele lê e Chloe se aproxima dele curiosa.

— Tá tudo bem?

— Sim. — diz o rapaz guardando o papel no bolso.

— Já escreveu suas palavras pra essa noite, né? — o rapaz não responde e só bufa — Para agradecer ao papai.

— Chega de enrolação Luka. Nos mostre seu potencial. — diz André.

— Isso mesmo Luka. Chega de enrolação, mostre a ele seu potencial. — fala a loira imitando a voz de seu pai e colocando os protetores de ouvido em seu noivo e finalizando com um beijo em sua bochecha — Vamos lá amor.

— Jogue!

Ele acerta e já coloca a próxima munição.

— Jogue!

Acerta a segunda e parte para a terceira.

— Jogue!

Chloe marca o terceiro ponto de seu noivo orgulhosa.

— Jogue!

Luka erra o alvo mas é consolado por sua noiva que diz:

— Tá tudo bem amor. Mais um e você empata com o papai.

— É Luka. vamos ver do que você é feito. Tem o necessário para ser um Bourgeois? — fala Kim antes de tomar um gole de champanhe.

Audrey Bourgeois observa o genro mais velho atenciosamente.

O rapaz fica pensativo e coloca a bala no rifle, e se prepara para seu último tiro.

— Jogue!

Ele erra o último, ficando com um placar de 4 pontos para André, 3 pontos para Luka e 2 pontos para Kim.

— Parabéns! — diz a esposa do milionário fazendo um carinho no rosto do marido.

— Obrigado, Audrey.

O casal vai saindo enquanto Luka tira o equipamento e coloca a arma na mesa junto com as outras, quando seu cunhado se aproxima para consolá-lo:

— Que pena. Talvez na próxima.

— Ei, você foi ótimo. — fala Chloe dando um selinho em seu noivo seguido de um abraço carinhoso.

Clínica médica e dental da Ilha de Miraculous

Xerife Tom Dupain havia levado o corpo de Rose Lavillant na clínica para o médico da ilha fazer a autópsia.

— Eu nunca entendi o suicídio. — diz o médico ao levantar o lençol que cobria a moça — Ah... eu fiz o parto da Rose. Sempre odiei vê-los partir enquanto eu ainda estou aqui... Talvez eu seja muito velho para esse mundo, mas por que essa jovem colocaria isso no corpo depois do que Stone fez com a mãe dela? — o médico fala ao observar a tatuagem da loira que estava escrito:

Jagged Stone, Jagged Stone, volte para mim.

— Preciso que você confirme que Rose morreu enforcada.

— Por quê? Têm motivos para suspeitar de outra coisa?

— Só estou fazendo meu trabalho, Me avise se achar mais alguma coisa.

— Farei meu melhor, não faço uma autópsia há sete...

O doutor Césaire para de falar após levantar as pálpebras da falecida e chama o outro homem antes que ele saísse de sua clínica.

— Xerife, deveria dar uma olhada nisso.

Tom se aproxima e vê os olhos de Rose completamente vermelhos, impossível até de identificar as lindas íris azuis que a moça possuía antes de morrer.

O médico então pega uma seringa para tirar aquilo do olho para testar.

— Normal? Não. Natural? Talvez. Às vezes pode haver hemorragia intraocular quando enforcado, mas... eu chamo isso de excesso. Também tem pele embaixo das unhas e evidências que fez sexo ontem. — o senhor coloca a substância em uma lâmina de vidro preparando para o exame — Bem... é viscoso como sangue, mas não sei.

— Eu quero que olhe direito. Veja se pode dizer que o sexo foi consensual ou se ela tentou lutar com alguém.

— Bem, isso é um pensamento nojento. Mas um homem na sua posição precisa pensar nisso.

Na piscina

Marc. Nino, Marinette, Ivan e Max estavam se divertindo na piscina, quando pegam seus drinks de laranja e fazem um brinde:

— Aos padrinhos mais gostosos! — diz a azulada enquanto tilinta sua taça com a de seus amigos.

— Mari, você cresceu em uma ilha, como você não consegue nadar? — pergunta Nino dando risada.

— Eu consigo nadar, só não venceria nenhuma competição.

Nino então leva sua taça até a beira da piscina e diz enquanto puxa a moça para dentro d'água:

— E você Mylène?

Os outros dão risada e a loira como revanche afunda a cabeça do rapaz na água.

— Ai olha o troco! — diz Marc.

— Parece que o Ryan ainda está se recuperando. — diz Marinette olhando para o portão de entrada da área da piscina e fazendo com que os outros fizessem o mesmo.

— É, eu tô surpreso de ver eles aqui de manhã. Eles gritaram um com o outro a noite toda. — comenta o moreno de olhos verdes.

— Ele tava bravo com ela? — pergunta Nino.

— Não, seu lerdo. Fazendo sexo como macacos no cio. Eu ainda tô surpreso que alguém na pousada conseguiu dormir. E você parece uma tartaruga de tão lento. — responde o escritor.

— Eu escutei também. o que é um " Boozzle-woozzle"? — diz Max.

Todos riem exceto Nino que fala:

— Eu não entendo isso.

— Ele é um cara legal, Nino. Às vezes, isso é o suficiente. — diz a azulada enquanto observa Ryan passar protetor solar nas costas de Sabrina que estava com um biquíni xadrez laranja e branco.

O rapaz então nada em direção a eles e diz:

— E aí cara. foi mal de novo por ter ter deixado pendurado lá. Foi totalmente minha culpa. Te devo uma cerveja, beleza?

O casal não o responde então o moreno nada de costas se afastando. Enquanto isso o resto do grupo os observava de costas e Max comenta:

— Ele tá se desculpando ou flertando com a Sabrina?

— Conhecendo o Nino, provavelmente os dois. O cara é multitarefa. — responde Marc.

— Eu não. Meu plano pra hoje é spa, relaxar e spa. — fala Mylène.

— Sim. — dizem Ivan e Max tilintando suas taças com a da loira.

Então o grupo vê o xerife se aproximando da borda da piscina, até que ele diz olhando para Marinette:

— Posso falar com você?

A azulada só afirma com seu olhar e nada em direção a escada da piscina.

No quarto 308

Luka caminha de um lado para o outro, quando escuta sua noiva falar com ele:

— Ei, guitarrista bonitão. Você foi ótimo hoje. — o rapaz continua olhando para frente e só suspira — Fala sério, você não tá chateado por ter perdido pro meu pai né?

— Não. — responde o rapaz se virando para ela.

— Bem... Então o que é? — a loira fala colocando seus braços ao redor do pescoço do rapaz de cabelos azuis.

— Você me escolheu, né?

— O quê?

— Quero dizer, se você tivesse que escolher entre mim e seu pai, ou qualquer um.

— Você não escutou? Em três dias, você e eu... Juntos para sempre. — diz Chloe pegando um dos convites sobressalentes na mesa de centro e mostrando a ele.

Os dois riem e então a moça o abraça e o puxa para um beijo rápido.

— Tô só checando. — fala Luka.

— Eu preciso ir na cidade. Vejo você depois? — fala a loira enquanto pega sua bolsa.

— Sim, claro. Preciso resolver esse negócio do brinde.

— Divirta-se.

Logo após Chloe sair pela porta, o rapaz tira o papel de mais cedo do seu bolso e desdobra deixando a mostra o que estava escrito:

Félix Graham de Vannily está no Motel Twin Alliance.

Na beira da piscina

Marinette caminhava perto da piscina enquanto escutava o que seu pai tinha a dizer.

— Estou aqui pela Rose Lavillant. Não queria que você ouvisse por outra pessoa.

— Ouvisse o quê pai? — diz a azulada parando e ficando de frente para o homem.

— Alix Kubdel encontrou ela a noite passada.

— O quê? V-Você tá dizendo que a Rose...

— Ela está morta.

A dona dos olhos azuis fica paralisada sem reagir.

— Marinette, eu sinto muito. — diz o xerife tentando consolá-la.

— C-Como que isso, quero dizer, o que aconteceu?

— Parece que ela... tirou a própria vida.

— Não, isso não faz sentido. E-Eu vi ela ontem, ela tava feliz.

— Dr. Césaire me disse que ela tinha um histórico. Estava tomando muitos remédios. Essas mudanças podem acontecer em algumas horas.

— Como ela fez?

— Não importa.

— Pai, me conta.

— Ela se enforcou.

— É por isso que você tá aqui. Porque Kelly se matou da mesma maneira que Stone matou...

— Não quero que pense nele.

— No Jagged Stone? Pode dizer o nome dele, pai.

— Okay. Jagged Stone não teve nada a ver com a morte da Rose.

Marinette só encara o pai enquanto segura as lágrimas e ele vai embora, até que ele para e pergunta:

— Você consegue pensar em alguém que poderia ter visto ou falado com ela ontem?

E então a azulada tem um flashback de Juleka atrás de Rose quando ela foi até a casa da loira.

— Ninguém vem na cabeça. — mente a dona dos olhos azuis.

Boutique da Ondine - roupas femininas

Chloe tinha ido até a cidade, comprar lingeries para usar em sua lua de mel. Ela se olha no espelho com um sutiã rosa com um pequeno laço preto no meio e então a dona da loja pergunta:

— Como está, senhorita?

— Não sei, parte de mim acha que eu devia usar branco na noite do meu casamento.

Então a loira vê pelo espelho uma mão entrando no provador com um cabide prendendo uma lingerie preta.

— Ah desculpe, eu disse branco. — diz a noiva ainda se olhando no espelho.

— Sim, mas eu quero te ver com esse. — fala Félix colocando o rosto para dentro do provador.

— O que você está fazendo... Não, saia daqui. — fala Chloe enquanto empurra o homem que entrava no espaço.

— Fala sério.

— Não — a moça pega sua blusa e coloca na frente do corpo — sai daqui.

— Deixa eu olhar pra você. — diz o homem virando a loira de costas para ele.

— Félix. Para com isso.

— Você gostava disso.

A dona dos olhos azuis se vira e dá um tapa na cara do outro e diz enquanto põe sua roupa de volta:

— Meu Deus, você realmente achou que ir até o meu pai ia me fazer mudar de ideia?

— Do que você tá falando?

— Ah de ontem? Sim, ele me contou tudo, que você pediu a ajuda dele.

— O que mais ele disse?

— Que ele disse não, ok? E disse pra você ir embora.

— Olha... — Félix coloca as mãos nos braços da moça — Eu percebi que se eu não viesse te ver, me arrependeria disso pelo resto da minha vida.

— Já me viu, agora vai.

— O problema é que — o homem bota o cabelo de Chloe para o lado e chega perto de seu ouvido — Agora que eu te vi, estou convencido a...

E antes que ele continuasse, a dona da loja puxa a cortina sem ter ideia do que acontecia ali e se desculpa:

— Ai eu sinto muito. Aqui está o... eu tenho que dizer, vocês dois farão um lindo casal.

A atendente sai depois de Félix pegar a lingerie e fechar a cortina novamente.

No quarto 204

Juleka saía do banheiro enrolada na toalha, com sua playlist de rock no volume máximo e enquanto pega sua blusa escuta alguém bater na porta.

— Juleka, é a Marinette. Posso falar com você rapidinho?

— Diz pro Luka que é minha manhã de folga. Não tenho planos de queimar nem matar ninguém.

— Não estou aqui pelo seu irmão. Só abre a porta.

A jovem então abre um pouco deixando a mostra a azulada de biquíni somente com uma toalha no corpo.

— Oi... Eu tenho uma notícia ruim, e eu achei que você devia saber, — a moça do lado de fora espera alguma reação e então continua:

— Rose está morta.

— Isso é estranho.

Juleka abre mais a porta para Marinette entrar, ela vai até o banheiro para terminar de se vestir enquanto a outra espera. A morena de mechas roxas sai abotoando a calça e a dona dos olhos azuis diz:

— Meu pai acha que a Rose se matou. Eu não tenho tanta certeza.

— É por isso que você tá aqui? Acha que a louca aqui a matou?

— Eu só quero entender o que aconteceu a ela ontem a noite.

— Não tem muito o que contar. Nós transamos, tivemos um momento maneiro. Quando você disse que ela podia morar com você em L.A. ela ficou toda feliz e animada, e não parecia que queria acabar com aquilo.

— Ela disse alguma coisa sobre Jagged Stone?

— Ela não precisava. Vi o corpo dela. As tatuagens. Ele tava por todo o corpo dela.

No quarto 207

Audrey entrava na sua suíte, quando repara algo estranho em sua cama. Ela se aproxima e vê que é um rifle igual ao que usaram mais cedo no tiro em discos, quando por trás dela, Kim aparece puxando seu cabelo para trás e a segurando pelo braço e ele diz:

— Eu sei o que disse para o Thomas pelas minhas costas. Que sou fraco. Que sou um covarde. Tire as suas roupas. — a mulher não se mexe e ele continua segurando mais forte — Eu disse para tirar.

A loira começa a desabotoar sua camisa branca deixando a mostra sua lingerie da mesma cor.

— Agora fica de joelhos. — manda o homem.

— Não.

Kim então bota ela de joelhos com as mãos na abertura da porta, tirando o seu cinto e colocando na frente dela dizendo:

— Agora você vai fazer exatamente como eu mandar.

— Eu tenho sido muito má. — diz Audrey sorrindo para ele.

No quarto 406

Chloe sai do quarto com seu vestido de noiva. Um vestido branco perolado tomara-que-caia com pequenos detalhes de rendas e um laço cor-de-vinho amarrado na cintura. Ela mostra para suas madrinhas dizendo:

— Ta-dam!

— É espetacular! — diz Alya emocionada.

— Sério? — pergunta a loira de olhos azuis.

— Luka vai perder a cabeça quando te ver nele. — fala Mylène.

— Está perfeito. Deixa eu ver suas costas. — diz a morena virando sua irmã — Nossa ele se junta perfeitamente nas costas. Mamãe ficaria tão orgulhosa.

Então o telefone de Chloe começa a tocar e Mylène pega já que sua amiga está ocupada, e quando ela desbloqueia pergunta chocada:

— Félix? Félix Graham de Vannily? — a noiva pega o telefone de sua amiga na mesma hora — Ai meu Deus, por que ele tá te ligando? Não convidou ele, né?

— Claro que não. — responde a loira.

— Você me disse que ele tava indo embora. — fala Alya.

— Espera, ele tá aqui na ilha? O Luka sabe?

— Não, e você tá proibida de contar Mylène. Ok, eu tô cuidando dessa situação com o Félix. — diz Chloe ficando de frente para o espelho.

— Do jeito que fez na faculdade? — pergunta a loira com mechas verdes.

— Isso não é justo.

— o que aconteceu na faculdade? — pergunta a irmã mais velha confusa.

— Vamos dizer que a boca da Chloe disse para ele ir embora, mas seu corpo disse...

— Aquilo foi diferente, tá? Eu amo o Luka, e eu vou me casar com ele nesse vestido em três dias. Ok?

Na pousada

Sabrina fazia yoga no gramado da pousada, enquanto Ryan a observava pela janela, até que Kim chega ao seu lado e pergunta:

— Como que nessa Terra você conseguiu ela?

— Bom, sou formado em Cambridge. Sou médico, um filatelista especialista. Acho que foi o sotaque. Eu acordo todo dia rezando para ela não conhecer um britânico mais legal. — responde o moreno.

— Ou qualquer outro britânico.

Eles se olham e riem, voltando os olhos para a moça, quando veem Nino se aproximando e se agachando para falar com ela.

— Tudo bem. Eu sei que de fato ele não é britânico. — fala o namorado de Sabrina.

— Esse não é o cara que te deixou pendurado nas árvores o dia todo? — pergunta o asiático enquanto observa o outro rapaz e a ruiva caminharem para longe.

— Sim, ele se desculpou por isso.

Motel Twin Alliance

O sino da porta do motel toca e a atendente se vira, vendo Luka Couffaine entrar no estabelecimento.

— Oi Amelie, obrigado por avisar sobre Félix Graham de Vannily. — diz o rapaz.

— Não é problema algum. Eu fiquei um pouco surpresa quando você me pediu para ficar de olho nele. Muitos convidados no Le Grand Paris? — pergunta a recepcionista.

— Algo assim.

— Ele é um cara popular.

— Sim, sim, ele é um... um amigo da família.

— Acho que ele não está aqui agora.

— Tudo bem. Eu só quero dar a ele um presente de boas vindas.

— Só traga de volta. Número quatro. — diz Amelie entregando a chave do quarto para o noivo.

— Obrigado.

Luka então sobe as escadas e abre a porta do quarto, e assim que entra começa a procurar pelo lugar. Abrindo o armário, as gavetas, até que ele encontra o itinerário de voo que estava escrito:

Itinerário de Félix G. de Vannily

Berlim - Nova Iorque - Seattle

Conta para: André Bourgeois

O rapaz lê o papel e escuta barulho de chave se aproximando da porta e se esconde no armário. Alguns segundos depois Félix entra, acendendo as luzes e deixando seu telefone em cima da cama.

Luka observa o homem pelas frestas da porta e escuta o barulho da torneira ligada.

O outro homem termina de lavar suas mãos e olha para o quarto através do espelho, achando que havia escutado algum barulho. Ele então abre o armário, pegando um cabide para pendurá-lo.

Spa da pousada

Sabrina e Nino estavam deitados nas camas de massagem, e enquanto uma das atendentes fazia massagem nas costas da ruiva, a outra colocava um gel por toda a parte superior do rapaz, até que ele pergunta:

— Você já fez isso?

— Sim, é fantástico.

— A maioria das vezes é mel, mas eles botam essas ervas nele. Limpa seus poros e deixa sua pele muito macia.

— Bom, eu gosto de maciez. — o moreno então pega um pouco e experimenta — Tem um gosto ótimo também. Por que você não tá fazendo?

— Por que eu já sou macia.

— Talvez, quando acabarmos, você e eu podemos comparar.

A atendente que cuidava de Nino coloca duas fatias de pepino em seus olhos e diz:

— Eu estarei de volta em 10 minutos.

— Então eu tenho que perguntar... esse cara britânico... sabe ele parece muito decente. Mas sério, o que ele tem que eu não tenho? — continua o rapaz.

— Um travesseiro. — diz Ryan.

— O quê?

Nino se levanta e o outro rapaz joga várias penas de travesseiro em cima dele, trazendo risadas de Sabrina.

— Jogou bem, meu amor. — fala o médico dando um rápido selinho na ruiva e saindo dali rapidamente.

— Você tá MORTO! — grita Nino se levantando para correr atrás do outro.

 

André, Ivan, Max e Marc estavam de roupão sentados no sofá, quando veem Ryan fugindo de Nino atrás deles.

— Vem aqui, seu inglês pedaço de merda! — grita o rapaz coberto de penas.

— Parece que o ursinho Pooh caiu no pote de mel! — fala Marc fazendo os outros ao lado dele darem risadas.

Na estrada

Juleka andava pelo meio da estrada de terra com seus fones de ouvido no máximo, não vendo que atrás dela vinha uma caminhonete vermelha, que a atropela deixando-a inconsciente no chão. O motorista sai e se aproxima da moça e da um leve chute no corpo dela, tendo certeza de que ela estava desacordada.


Notas Finais


Espero que tenham gostado!! Algum palpite de quem é o assassino? Coloquem aí nos comentários. Eu editei uma coisa em dois capítulos mas era só o número dos quartos então pouco importa. Vejo vocês quarta!!
Beijosss S2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...