História Miríade - Capítulo 1


Escrita por: e softenya

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, D.O
Tags Amo Namorados, Baekhyun, Baeksoo, Fluffy, Gay, Kyungsoo, Lgbt, Muito Amorzinho, Soobaek, Yaoi
Visualizações 58
Palavras 584
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ficção, Fluffy, LGBT, Slash
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


ai eu não sei :(
tava pensando na Gabi minha princesa, e daí fiquei soft, e meu irmãozinho me perguntou o coletivo de estrelas e eu disse pra ele "constelação, miríade", e eu gosto dessa palavra, sabe?
quando vi eu já tinha plotado baeksoo (amo meus pais demaissss, maior bakesoo trash do site eu mesma) e só fui escrevendo e escrevendo e dei a luz a isso aqui <33

enfim, não tá betado porque eu terminei isso a literalmente poucos minutos, sério. Então relevem qualquer errinho, ok?

obrigada a qualquer pessoinha que parar pra ler isso aqui <3 boa leitura!

Capítulo 1 - Único como a constelação de Baekhyun.


Kyungsoo estava todo besta enquanto observava Baekhyun. Os olhinhos pequenos fechadinhos em meia-lua enquanto ele ria descontroladamente, daquele jeitinho que faziam os cabelos castanhos caírem sobre o rosto em uma bagunça bonita, as bochechas já fofinhas ficavam mais salientes e o sorriso branquinho se mostrava maior do que já era. Encantador.

Estavam os dois na cama espaçosa e de lençóis bagunçados, envolvidos em uma atmosfera de pós-sexo incrivelmente confortável e que deixava os dois cheios de manha, principalmente depois que estavam ali de banho tomado e grudadinhos como nunca, um carinho nos cabelos ali, um beijinho aqui, uns risinhos e sussurros carinhosos e estavam os dois novamente imersos naquela coisa de lar-doce-lar que um causava no outro.

No entanto, Kyungsoo estava ali, no meio das pernas do Byun e apoiado em um dos braços, observando atentamente cada detalhezinho de seu rosto, concentrado como se estivesse prestes a iniciar uma pintura daquele rapaz. E poderia, Baekhyun para si era quase uma obra de arte, mas uma obra de arte não era nada perto dele, ele era o universo inteirinho.

Baekhyun era lindo da cabeça aos pés, o sorriso era sempre grande e acolhedor, como um cobertor quentinho em uma tarde fria. Ah, e seus olhos pareciam falar por cada ato, e tinham um brilho que deixava Kyungsoo encantado. Também tinha várias outras coisas que faziam o Byun ser totalmente e inteiramente lindo, esplendoroso, tanto por dentro quanto por fora, e talvez fosse por isso que o Do tivesse os quatro pneus arriados pelo mais velho, desde um tempão atrás, quando ainda tinha seus treze anos bem completos e descobria as coisas do mundo de pouquinho.

Ficou ali, em silêncio, os pares de olhos se admirando mutuamente e os resquícios das risadas anteriores ainda em seus lábios, e caramba, Kyungsoo poderia provar a existência de anjos somente com as milhares de fotos que tinha do mais velho em sua camêra digital, e naquele momento ele sorriu mais ainda antes de selar os lábios do Byun em um beijo intenso e apaixonado, meio preguiçoso, do tipo que manda centenas de vibrações por todo o corpo e te faz ficar todo coisadinho.

E os beijos descerem preguiçosamente dos lábios até o maxilar, e de lá para o pescoço, para a clavícula, os ombros, e quando viu Baekhyun já estava sem blusa e os lábios de Kyungsoo já exploravam todo o seu tronco como se fosse a primeira vez. A pele leitosa sendo marcada por todas aquelas mordidas cheias de amor — e talvez outra coisa —, aqueles chupões e aquelas lambidelas, especialmente, à medida que o mais novo se aventurava no corpo do namorado, ele observava e beijava delicadamente todos aqueles pontinhos que ele tanto amava.

Baekhyun tinha uma constelação inteirinha em seu corpo, e Kyungsoo amava cada estrelinha que corria por sua pele.

— O que tu vê de tão interessante nisso?

Baekhyun perguntou, suspirando todo entregue e molinho quando sentia os lábios de Kyungsoo subindo tão dedicamente pela sua barriga, peitoral, até voltar a grudar ambos os lábios novamente.

— Nunca percebeu que teu corpo é uma constelação inteirinha?

— É mesmo?

— Uhum. — Deixou um beijinho casto no maxilar bem definido. — Eu amo cada estrelinha sua.

Baekhyun dormiu naquela noite envolvido pelo abraço quente e acolhedor de Kyungsoo, sentindo aquele cheirinho de casa, que o lembrava que sempre teria alguém pra voltar no fim do dia e amar até que não pudesse mais.

Se Baekhyun era uma constelação inteirinha, Kyungsoo era o maior explorador de todas as suas estrelas, infinitamente.

 


Notas Finais


numsei, espero que tenham gostado, adeusss <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...