1. Spirit Fanfics >
  2. Mirrors - Brittana >
  3. 48-obscure, scary is risky

História Mirrors - Brittana - Capítulo 49


Escrita por:


Capítulo 49 - 48-obscure, scary is risky


Fanfic / Fanfiction Mirrors - Brittana - Capítulo 49 - 48-obscure, scary is risky

Um mês depois

Pov Santana

Estávamos empolgadas naquele mês, tínhamos boas noticias, nossa garotinha enfim sairia do hospital, seu tratamento havia tido 100% de sucesso, obvio, ela seria acompanhada mensalmente, ou seja, precisaríamos estar sempre indo ao hospital para ela ser avaliada, mas só de saber que ela iria para casa conosco, era de uma felicidade extrema.

Liam ainda não havia sido pego, bem, na verdade o cidadão desapareceu, assim como Maya. Vergínia havia sido solta, responderia seu processo em liberdade, e apenas por mentir em seu depoimento, como já imaginavamos, ela não tinha participação alguma com os crimes da sobrinha, e apesar de toda essa história ser uma assombração diária para nós, tudo parecia estar voltando ao normal, e eu nem acreditava mais que ele poderia aparecer novamente.

Brittany: Estamos muito felizes doutor…

Doutor: Todos nós estamos, não é Madi?-se aproximando

Madi::Aham, e eu já posso ir embora?-afobada

Doutor: Logo mais, ainda vamos fazer mais alguns exames…-Madi desanimou

Brittany: Mas doutor, se ela está bem…-preocupada

Doutor: É apenas um protocolo, você esta ótima pequena, não se preocupe…-ela sorriu de canto- Vamos fazer uma ultima bateria, mas apenas para não restar dúvidas…

Santana: Alguma previsão?

Doutor: Bom, se tudo ocorrer bem, em três dias ela estará de alta…-Elas sorriram aliviadas

Madi: Então eu vou pra casa com vocês?-sorrindo

Brittany: Vai…-sorrindo- Bem, se você quiser…

Madi: Nossa eu não vejo a hora.-Animada- estou com tanta saudade da Vale…

Brittany: Ela também está com saudades…

Santana: Logo vocês duas estarão juntas meu bebê…-lhe dando um beijo no rosto

Brittany: E você já sabe o que quer fazer quando sair daqui Madi?-Ela pareceu pensa e sorriu

Madi: Sim, quero ir no parque, com a minha irmã, Noah e Toni…-ansiosa- A tia Rachel disse que nos levaria, eu posso né?

Brittany: Você pode tudo meu amor, vamos todos juntos comemorar, não é amor?…-emocionada

Santana: Certamente que sim, faremos uma comemoração…-a menina se interessou ainda mais pelo assunto- O que você acha?

Madi: Uma festa? Mesmo?-surpresa

Brittany: Eu acho uma ótima idéia…

Estávamos tão entretidas que até esquecemos do médico ali, quando o olhei ele parecia que tinha algo a dizer, mas não fez ali, e logo entendi o recado. Brittany e Madi estavam tão entretidas que nem perceberam quando o mesmo saiu acompanhado por mim.

Santana: Algum problema doutor…-encostando a porta

Doutor: Bom Santana, eu tenho acompanhado a Madi desde o dia de sua internação, e bom…-dando de ombros- Me acostumei com vocês, e já me considero um amigo, eu e minha equipe nos apegamos muito a Madi…

Santana: Você faz muito suspense…-o interrompendo- pra essa "amizade" dar certo, você terá de parar com isso…

Doutor: Ok, me desculpe!-suspirando- Mas concluindo, é que…-tirando de seu jaleco- Eu recebi uma coisa hoje pela manhã, queria entregar pessoalmente a você…

Santana: O que é?-pegando o envelope

Doutor: Uma carta do conselho tutelar…-Santana o encarou- Parece que, com tudo o que está acontecendo com o pai da criança, eles querem que eu assine a liberação dela…

Santana: Liberação?-lendo o documento- Não, espera, abrigo? Como assim?

Doutor: Bem, com o pai sendo procurado, e sem outro responsavel, a Madi terá de ir pra um abrigo…

Santana: Não, tem alguma coisa errada doutor, eu te entreguei o documento que assegura Brittany e eu como responsaveis por ela.

Doutor: Você é advogada Santana, entende mais do que eu, o documento não é suficiente, bem pro hospital é, mas não pro Estado…

Santana: Porque eles não querem que seja suficiente…-levando a mão a cabeça

Doutor: Vocês passaram por coisas dificeis, mas com a sua influencia, talvez consiga agilizar as coisas…

Santana: A lei é igual para todos…-preocupada

Doutor: Bom, eu pedi novos exames para que vocês possam ganhar tempo, mas não consigo enrola-los por mais de três dias…

Santana: É por isso que pediu exames novos?-surpresa

Doutor: Sim, eu vejo que o amor que vocês tem por essa menina, é genuíno.-sorrindo- E depois de tudo o que passou, e ainda está passando, ela merece ser feliz, e leva-la para um abrigo seria…triste, então, eu fiz um relatório, narrando todos os dias que Madi esteve aqui, e o que presenciei de vocês, não sei se ajuda, mas…-lhe entregando- Nas mãos certas, pode ser crucial.

Santana: Uau…você fez mesmo isso!-Ele assentiu

Doutor: Bom, se você conseguir, eu ficarei muito feliz…

Santana: É realmente um relatório completo…-folheando- Eu nem sei como agradecer.

Doutor: Agradeça cuidando dessa criança, ela é uma verdadeira guerreira…-sincero

Santana: Farei o possível para conseguir…-o medico sorriu

Doutor:Acredito em você…bom eu tenho que ver outros pacientes, se precisar de algo, é só chamar.-Santana assentiu e o médico sumiu no corredor

Voltei para o quarto e Brittany percebeu meu semblante preocupado, mas não perguntou, ela sabia que tinha a ver com o fato de eu ter saído do quarto com o médico. Madi, estava mais animada impossivel, seria muito difícil conseguir aquilo em tão pouco tempo, mas não importa o que eu teria de fazer, eu tinha que conseguir, e bem, pra dizer a verdade, eu já sabia como, por mais obscuro, assustador e arriscado, eu tinha exatamente o que precisava para tirar Edgard da vida da Madi.

No ap da Emily

Emily: Bom dia princesa…-lhe dando um beijo no rosto

Rachel: Oi…-sorrindo

Emily: Bom dia príncipe…-dando um beijo em Toni que apenas sorriu em resposta- Acordou cedo amor…

Rachel: Bem, eu fiquei de ir ver a Valentina, pensei em irmos ao cinema…

Emily: Ah sim…e a Madi está bem?

Rachel: Sim, ela…vai receber alta logo.-sorrindo

Emily: Isso é uma ótima noticia…-pegando seu celular

Rachel: Você vem comigo? Podemos fazer algo depois…

Emily: ai baby, me desculpa…-suspirando tristemente- Eu não posso, tenho que ir pra delegacia agora…

Rachel: Vai trabalhar de manhã?-estranhando pois ela tinha pego o plantão anterior- Eu pensei que…

Emily: Eu sei que prometi ficar com vocês hoje…-sem jeito- Mas eu não tenho escolhas.

Rachel: Ah…É uma pena Em…-desanimada- Mas eu te entendo

Emily: Mas olha, eu fiz reserva para hoje a noite, para termos uma noite só nossa…-sorrindo

Rachel: Eu marquei de conversar com um corretor…-receosa- Ele vai me mostrar alguns apartamentos…

Emily: De novo esse assunto?-revirando os olhos-Rachel querida, já falamos sobre isso…

Rachel: Emily, eu acho melhor assim, esse apartamento é seu eu…

Emily: Ok, você já me disse isso, mas qual o problema de você ficar aqui?

Rachel: Nenhum…-suspirando- Eu só acho que…

~celular tocando~

Emily: Um minuto…-fazendo sinal para ela esperar- Alô…Sou eu.-ouvindo atentamente o outro lado da linha- não…não tá tudo bem doutor.-se levantando

Um mês que Rachel havia saído de casa, desde então, não falou mais com Quinn, claro, sabia sobre ela porque seus amigos eram todos em comum. Morar com Emily era como morar sozinha, eram poucas as vezes que podia ficar com a namorada em casa, nem a julgava, entendia seu trabalho, e não cobrava isso, além do mais, via os esforços de Emily para ficar o maximo de tempo com ela, e para agradar o menino, e por mais que tentasse não comparar, sentia falta dos programas que costumava fazer com a loira e as crianças.

Emily: Bem eu tenho que ir meu amor…-pegando suas coisas- Podemos falar disso mais tarde?

Rachel: Mas eu vou encontrar o…

Emily: Rachel, eu tenho certeza que seu corretor não é um vampiro, portanto, ele pode te encontrar pela manhã, certo?-Rachel sorrriu negando

Rachel: Ta bom, então a gente se encontra mais tarde…

Emily: Ótimo, passo aqui pra te buscar…-lhe dando um beijo e indo até Toni- Tchau pequeno!

Rachel: Hey, onde vamos?-Emily sorriu- Pra eu saber o que vestir…

Emily: Você sempre sabe o que vestir meu amor…-fazendo carinho em seu rosto- Mas hoje, é uma ocasião especial, tenho algo pra você, é uma surpresa, me surpreenda também…-lhe dando um selinho demorado

Toni também estava sentindo muito essa distância, chegou a adoecer, Rachel também sentia falta de sua casa, e não só do ambiente, como também seus moradores, tudo se resumia a uma única palavra, saudade, e isso tirava sua paz, pois ela se sentia cada vez mais injusta em relação a namorada, mais precisamente ao que sentia em relação a ela, e sua cabeça mão parou um instante de pensar em suas palavras "É uma ocasião especial, tenho algo para você".

Mais tarde

Ao telefone

Advogado: Senhorita Lopez, em termos legais, não podemos agir dessa forma…

Santana: Não podem, ou não querem…?-mexendo na combinação do cofre

Advogado: É difícil explicar, mas como iremos falsificar um documento, como figura pública as consequências serão…

Santana: Eu sei quais são as consequências…-os interrompendo- O que eu quero de vocês é uma solução diferente da que tenho.-suspirando- Sobre falsificar tais documentos, seria um ultimo recurso…

Advogado: Bem, com essa carta do médico, podemos conseguir acelerar bastante o processo…

Santana: Bastante tipo, setenta e duas horas?-arqueando as sobrancelhas

Advogado: Seis meses a um ano…-pigarreando

Santana: Você me ouviu quando eu disse tenho apenas três dias?-indignada

Advogado: Mas senhorita, três dias é um tempo muito curto…

Santana: Doutor eu te liguei para

que não me dissesse o obvio…-revirando os olhos

Advogado: Bom, é um processo de adoção, demorado, mas talvez consigamos agilizar as coisas…

Santana: Ok doutor, olha não me ajudou em nada se quer saber…-desligando o telefone irritada- Não vai ter jeito, você vai ter que fazer isso…-segurando o objeto em suas mãos e o guardando no cofre em seguida- É como fazer pacto com o coisa ruim…-fechando o cofre

Brittany: Falando sozinha amor!-entrando no quarto

Santana: Ai meu Deus…-dando um pulo assustada- Brittany!

Brittany: O que foi?-confusa

Santana: Que susto!-levando a mão ao peito

Brittany: O que você tem?-estranhando

Santana: Nada…é que você entrou assim, do nada…-visivelmente nervosa

Brittany: Desculpe então por entrar no meu quarto amor…-irônica

Santana: Podia fazer mais barulho na proxima vez…-saindo do lugar que estava

Brittany: O que você estava fazendo ali.-frazindo o cenho

Santana: Nada…só…-fazendo gestos- arrumando umas coisas.

Brittany: No cofre?-se aproximando

Santana: Nãaaao!-Brittany a encarou desconfiada-Eu não estava mexendo lá…

Brittany: Ok então…-fazendo menção de ir para perto do cofre

Santana: Não tem nada lá amor…-parando em sua frente

Brittany: Eu sei…-apontando- Eu só ia pegar um casaco…

Santana: Eu pego…-se apressando em buscar o casaco- A Vale dormiu?

Brittany: Não, foi com a Rachel e o Toni no cinema…-Santana ia dizer algo mas Brittany se adiantou- E sim, o segurança foi junto…

Santana: Eu ia dizer que bom…-sorrindo- Sei o quanto ela ama esses passeios com a dinda dela…

Brittany: É muito bom mesmo…-sentando-se cabisbaixa

Santana: A gente podia namorar um pouquinho né!-parando atrás de si e beinjando seu ombro- aproveitar a "folga".-Fazendo aspas

Brittany: Isso séria ótimo…-sensivel aos toques da esposa- Mas antes me diz…falou com o advogado

Santana: Aham…Ele não disse nada de diferente daquilo que eu já havia te explicado…-indignada- Embuste!

Brittany: Então isso significa que…

Santana: Que ele é um pessimista…-sentando ao seu lado- Mas eu vou conseguir…

Brittany: Amor, Eu não duvido do suas habilidades como advogada Mas mesmo sendo leiga eu sei que a situação é delicada…-respirando fundo- Você pode me dizer a verdade…

Santana: Amor, eu tô dizendo a verdade, porque eu não vou deixa-la ir para um abrigo…-dando um beijo em seu pescoço- Eu prometo…

Brittany: E já sabe o que vai fazer?

Santana: Sim…-abrindo sua bousa- mas não se preocupe com isso.

Brittany: Nada que te envolva em confusões…?-Santana parou o que fazia para encara-la

Santana: Porque você sempre acha que eu vou me envolver em confusões?-com um misto de humor e indignação

Brittany: Porque eu sou casada com você a sete anos, e te conheço a uns dez…-Santana revirou os olhos

Santana: Não vou me envolver em nenhuma confusão!-a puxando para seu colo- Podemos não falar disso agora?

Brittany: Ta bom sua pervertida…-rindo do desespero da esposa

No cinema

Do outro lado da rua

Maya: Estamos nos arriscando aqui El…

Liam: Achei que ficaria feliz em sair do buraco…

Maya: Eu estou, mas é muito perigoso…-amedrontada- O que? Vai me dizer que vamos levar a criança daqui?

Liam: Não seja estúpida Maya, os disfarces são ótimos, mas não podemos fazer isso em um shopping, não chegaríamos na porta sem ser pegos…

Maya: Então porque estamos aqui?-Não obteve reapostas, Liam observava Valentina de longe e seus olhos estavam vidrados na garota

Rachel: Ta bom, então quem quer sorvete?-os dois gritaram "eu" animados- Seria tranho se dissessem o contrário…-rindo- Pode olha-los enquanto eu busco?

Segurança: Claro senhorita!

Rachel: Se comportem!- colocando os dois no banco, mas no instante que saiu os mesmo desceram

Liam: Vamos!-se aproximando

Maya: El, você enlouqueceu?-o puxando de volta- Não podem…

Liam: Cala a droga da boca!-a deixando para trás

Liam foi se aproximando discretamente sem levantar suspeitas, Valentina e Toni corriam em torno do segurança que estava atento aos dois, Rachel havia enfrentado uma pequena fila, e estava distraída no celular. Valentina viu o homem e a mulher no banco ao lado, e algo pareceu lhe chamar atenção, já que o instante seguinte, ela e Toni estavam próximos ao dois, o segurança estava próximo, porem dando espaços para as criançaz

Valentina: Ya…?-encarando a mulher

Maya estava com uma peruca, bem ridícula por sinal, e um óculos escuro, assim como Liam, que agora havia deixado al barba crescer, também pudera, seus rostos estavam em todos os lugares, mas naqueles modos, era muito difícil reconhece-los, ela não só contava que uma criança perceberia…

Liam: Oi menininha…-se abaixando em sua frente e Valentina recuou um pouco assustada- Hey, não precisa ter medo…

Valentina: Ya…-apontando

Liam: Não, eu sou o papai…-sorrindo e Maya pareceu confusa- Fala, papai…

Maya: El…o que tá fazendo? -impedindo o mesmo de se aproximar da Valentina

Segurança: Senhor! Por favor se afaste…-se aproximando e tirando as crianças dali

Liam: Oh Me desculpe…-se levantando- Eu só estava…

Segurança:

Rachel: Com licença…-estranhando a situação- Algum problema?

Segurança: Eles estavam brincando, e esse senhor veio para perto.

Liam: Seus filhos são lindos senhora…-Rachel o encarava confusa

Rachel: Obrigada…-se limitando

Liam: Me desculpe, eu só estava os cumprimentando…

Rachel: Ok, bom, com licença…tirando as crianças dali

Liam: Em breve filha, falta muito pouco para estarmos juntos…-sorrindo

Maya: Você enlouqueceu?-confusa- Que história é essa de filha?

Liam: Vamos para casa…-sorrindo ao encarar Valentina- Temos muito o que conversar.

Na casa branca

Sue: Becky, hoje nos aprendemos uma grande lição certo?!

Becky: Certo treinadora…

Sue: E qual foi essa lição?

Becky: Não faço idéia treinadora…-confusa

Sue: Ora minha querida, isso é muito fácil…-sorrindo- Com apenas um comprimido, e conseguimos estar indispostas para não encontrar o presidente do Brasil…

Becky: Mas nós não tomamos comprimido nenhum…

Sue: Muito bem ressaltado Becky, não nós…mas ele sim, e vai ficar muito tempo indisposto.-As duas riram

Becky: Treinadora, será que agora posso assistir a minha série?

Sue: Claro, descanse querida…-Becky assentiu e saiu correndo para o quarto

Eu estava nervosa, se eu tinha certeza daquilo? Não. Eu já havia sacado tudo, sabia exatamente como iria fazer aquilo, mas poderia dar errado, era obscuro, assustador arriscado, mas era a minha única chance, eu precisava da sua ajuda.

Pensei que seria mais difícil entrar ali, mas, eu tinha um dom para conseguir o que queria, por isso estava disposta a fazer o que fosse para conseguir aquela ajuda, bom, era meu ultimo recurso, e bem, a conhecendo como eu conheço, eu teria apenas dois destinos, sua ajuda, ou a prisão por invasão domiciliar, mas assim que ela abriu a porta, e me viu, passei a contar a pena que eu pegaria por lhe causar um infarto.

Sue: Santana!-palida ao vê-la ali

Santana: Olá Sue…-girando a cadeira

Sue: Garota turbina…-atordoada- Como diabos entrou aqui sua delinquente?

Santana: Longa história, mas não tenho tempo para conta-la agora…

Sue: Você invadiu a casa branca! Tem idéia disso?-indignada

Santana: Ah Sue, não me faça enumerar as vezes que fez coisas piores…-apontando para a cadeira- Por favor.

Sue: Já estou até vendo as manchetes de amanhã, dos subúrbios de Lima Heights, para a Casa Branca…

Santana: Terminou?-revirando os olhos

Sue: Não, ainda falta chamar a segurança para te tirar daqui…

Santana: Sue, você não quer fazer isso!-parando em sua frente

Sue: Pra dizer a verdade eu quero muito sacos de areia…-Se aproximando do botão que disparava todos os alarmes da casa

Santana: Ao menos me escute!

Sue: Se eu apertar esse botão, essa sala será invadida pelo FBI, SWAT…eu sempre quis fazer isso na verdade…-animada- Não vou perder essa oportunidade apenas para te escutar…

Santana: Você acionou esse botão esses dias…-lembrando que ouviu algo no jornal

Sue: Pois bem, foi muito divertido…-pensativa- embora tenha sido um alarme falso.

Santana: Treinadora, por favor…-suspirando- Eu preciso da sua ajuda.

Aquilo foi bem apelativo, bom, eu conhecia a fera, por baixo de toda aquela casca, existia uma mulher que não importava onde estivesse e o cargo que ocupasse, sempre estaria disposta a destruir a vida de suas cherrios, mas também a ajudar quando prencisassem, mais a destruir do que ajudar, mas ok,eu tinha um foco.

Contei toda a história para ela que não parecia comovida, pelo contrário, ela estava entendiada, desinteressada, minha vontade era de enforca-la com o fio do telefone, mas isso só pioraria as coisas.

Sue: Santana, eu sempre te achei mais inteligente e esperta dentre todas as garotas burras que faziam parte das lideres de torcida na escola, e sim estou me referindo a sua esposa…-Santana revirou os olhos- Ouvi dizer que você se formou em direito após o casamento…-Santana assentiu-então quer me explicar porque invadiu a casa branca para me fazer um simples pedido?

Santana: Porque você é a única pessoa que pode me ajudar…-sem rebater seus insultos- Eu não faria se não fosse tão importante…

Sue: Há orgãos competentes que podem cuidar disso para você, desculpe, mas não é o meu papel…

Santana: Sue, vai demorar meses, até anos, o sistema de adoção é demorado…você é a presidente, eu preciso apenas da sua assinatura…

Sue: Você não conseguiria nem que eu escrevesse uma apelação a proprio punho? Independente da posição que ocupo…

Sue: Isso seria injusto com todos cidadãos americanos que estão a espera de uma criança…o que iriam pensar os eleitores se eu permitisse que uma latina passassem a sua frente?

Santana: Eles não estão brigando pela guarda da Madi, eu e Brittany estamos…

Sue: Eu tenho acompanhado algumas noticias a seu respeito Santana, não entendo como arruma tempo para pensar em filhos…-Fazendo sinal para que ela saísse da sua cadeira

Santana: Ela é importante para nós, ja sofreu muito, eu acredito que ela mereça essa chance…e nós também.

Sue: E o que eu ganharia em troca te ajudando.-cruzando os braços

Santana:Olha Sue, você quer que eu implore? Eu sei que você não é tão horrível como parece…-impaciente- Mas se quer fazer a difícil, vamos lá…-abrindo os braços- Você vai me ajudar, porque usou um evento beneficente como alibe para dar o golpe no presidente, e eu tenho como provar…não acha que me deve isso por guardar seu segredinho?

Sue: A boa e velha Santana de sempre…-pigarreando

Santana: Bem, parece que só assim conseguimos entrar num acordo…-sorrindo vitoriosa- Então, o que vai ser?

No final da tarde

No facetime

Rachel: Eu não estou assim por causa dela!-enquanto se arrumava

Santana: Ah com claro que não, eu que estou aqui ligando para os amigos incomodada com um "suposto" pedido de casamento…?

Kurt: Que provavelmente ela não irá fazer, a menos que ela esteja gostando muito de brincar de eu a patroa e a criança…

Santana: E se pedir, não será nada anormal, vocês são namoradas…-Kurt concordou- Você a ama muitooo certo?-irônica

Rachel: É claro que eu amo.-incomodada- É só que…eu não contei pra ela sobre o beijo.

Kurt: Eu fiquei sabendo que foi mais de um…-pensando alto

Rachel: O que? Não!-indignada- Foi apenas um beijo…

Santana: Um beijo seguido de alguns outros…-debochando

Rachel: Olha você podem para com isso?

Kurt: Amiga, desculpa, mas o que parece, é que você estava esperando esse pedido vindo de outra pessoa…-Santana aplaudiu

Santana: Perfeita colocação senhorita Hummel!

Rachel: Cala a boca vocês dois!-irritada- Parem de colocar a Quinn em toda situação…eu não estou assim pelo pedido! Que eu apenas "cogito" a possibilidade, estou assim pelo fato de não ter sido 100% sincera com ela!

Kurt: Surtou legal…

Santana: E você acha que ela é 100% sincera com você?

Rachel: Santana, é obvio que ela é sincera comigo, a sinceridade dela é tanta que chega a constranger…-pensativa

Emily tentou se adiantar o máximo da delegacia para não demorar, estava sentindo uma certa culpa por não ter conseguido cumprir o combinado com Rachel, por isso, sabia que tinha que recompensar isso a noite. A verdade é que ela se desdobrava desde que a namorada foi morar com ela, e não queria que a mesma saísse de la e sentia-se culpada dela cogitar isso, mas se tinha algo que estava a incomodando mais do que isso, era a indiferença de Raven, desde o beijo e a discussão que tiveram, a agente estava apenas a tratando como delegada, e o assunto era sempre sobre trabalho, e nunca estavam sozinhas, tinha sempre uma terceira pessoa, e embora tenha sido ela a fazer esse pedido, sentia uma pontada de tristeza pelo tratamento.

Apos uma reunião, ela esperava o elevador impaciente, já estava atrasada, a reunião não havia sido na delegacia, mais uma mancada pensou, assim que o mesmo abriu, deu de cara com Raven, as duas ficaram se encarando, até a porta do elevador se fechar, mas Raven impediu segurando a porta.

Raven: Vai entrar senhora?-arqueando as sobrancelhas

Emily: Vou sim…-entrando- Obrigada!

Raven: De nada!-voltando sua atenção ao seu celular

O elevador fechou as portas e Emily se manteu o mais distante possível, mas nem precisava, Raven estava entretida em seu celular sem nem olhar para ela, o que acabou a irritando, pensou em dizer algo, mas seria ridiculo, para piorar as coisas, o elevador parou em todos os andares e estava demorando uma eternidade para fechar as portas, e em um dos andares fechou e não abriu…

Emily: Esse elevador está quebrado.-apertado todos os botões

Raven: Provavelmente…-desinteressada

Emily: Porcaria…-batendo na porta

As duas ficaram em silêncio, Emily estava cada vez mais impaciente, tentou falar com Rachel mas seu celular não dava sinal. Na cabine de controle, foi lhes avisado que a assistência técnica estava a caminho, e a medida que o tempo foi passando, ela foi ficando agitada.

Emily: Seu celular tem sinal?

Raven: Não!-sentando-se no chão e retirando seu acessórios

Emily: Acha que devíamos chamar os bombeiros?-a observando

Raven: Você ouviu eles, a assistência técnica está a caminho…-mexendo em seu celular e Emily se irritou

Emily: Isso não te incomoda?

Raven: Não tenho o que fazer, vou dar chilique para que?-sem encara-la

Emily: Bom, já que estamos aqui você deveria ao menos ter a decência de parar de jogar e falar comigo…

Raven: mas eu não tenho nada para falar…-guardando o celular- Você tem?

Emily: Esquece…-se encostando na porta

Raven: Melhor não ficar ai…-arqueando as sobrancelhas- se essa porta abre…

Emily: Agora você tem o que falar?-Raven riu

Raven: quantos anos você tem delegada?-se levantando

Emily: A mesma que a sua, e você mudou radicalmente comigo depois da nossa ultima conversa…

Raven: Não era isso que você queria? Um tratamento maia profissional? Estou apenas obedecendo, doutora…-com irônia

Emily: Pensei que você tivesse entendido, e não que ia virar uma babaca assim…-revirando os olhos

Raven: Ok, pelo horário, não estou aqui mais como agente, e você não está como delegada, portanto…posso devolver o insulto sem levar uma voz de prisão?-arqueando as sobrancelhas

Emily: Isso é ridículo.-negando com a cabeça

Raven: Concordo! Mas você me acusou antes de te beijar as coisas, derrepente me senti uma escrota de uma assediadora…

Emily: Eu nunca disse isso, nem cogite…

Raven: Pois é, mae seu comportamento disse tudo.-Emily ia dizer algo mas Raven se adiantou- E sim, eu sei que foi porque você namora, mas não vou me pedir…

Emily ficou a encarando, o jeito de Raven era puro deboche, tinha algo nela que despertava coisas estranhas na delegada, e não eram ruins, e isso a irritava. A agente devolvia o mesmo olhar intenso que era lhe lançado, mas manteve a distancia entre elas, mas a sincera Emily não se segurou, foi até ela e a beijou.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...