1. Spirit Fanfics >
  2. Mirrors >
  3. Movie Theater

História Mirrors - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


Estoy de volta!!!
Capítulo extremamente grande pra recompensar a ausência kkkk
Espero que gostem

Boa leituraaaa 🖤

Capítulo 12 - Movie Theater


            "Você tem o diabo em seus olhos
        Você chegou e me pegou de surpresa
      Fale o que você quiser, eu não vou voltar      Se você quer pegar a estrada,então vamos lá                         Apenas vamos embora,                                 ver o mundo e o mostrar pros outros                         O que realmente significa viver                                            uma vida de ouro"                                             (Hippie Sabotage - Devil eyes)


                   Gwendolyn Hayes POV

       A situação na qual eu me encontrava não era a das melhores.

O homem magro e acabado em minha frente aparentava seus 20 anos. Seus olhos estavam em alerta e dava para notar um pouco de suor escorrendo pelo canto direito da testa. Seu nervosismo era nítido e só deixava claro a falta de experiência que tinha. Não, isso não ajudava a diminuir o meu estado de panico interno, pra falar a verdade, nem a presença de Shawn ali me deixava mais segura. 

Ao ver o querido chefe do meu irmão apontando uma arma para sua cabeça, o assaltante olhou para mim e em questão de segundos passou o braço esquerdo em volta do meu pescoço, me fazendo sentir o cano frio da arma tocar a minha tempora.

- Abaixa essa porra. - Shawn ordena mas engulo em seco sentindo o aperto no meu pescoço me sufocar mais ainda - Voce tá surdo, caralho? Falei pra abaixar isso, agora!

O silencio do homem me fazia sentir mais medo ainda, porem um estrondo surge e vejo o vidro da frente do estabelecimento se estilhaçar por completo, fazendo meu corpo se retrair sem controle.

- Eu que mando aqui, porra! - o assaltante diz ainda apontando a arma para a vitrine que tinha acabado de ser quebrada por ele - Coloca a arma no chão - ele manda e vejo Shawn direcionar o olhar para mim e suspirar em seguida. Ele se curva para baixo e deixa a pistola no chão, se erguendo novamente com os dois braços para cima.

O cara que me fazia de refém manda Shawn ir para o outro lado do balcão, ajudar o atendente a colocar o dinheiro na mochila. Meu celular ainda estava na minha mão, mas como eu suava de nervoso, não demorou para que ele caísse no chão e se dividisse em dois.

- Pega essa merda e me dá logo - ele me solta e eu abaixo para pegar o aparelho, mas ouço mais um som de vidro se quebrando e um líquido rosa se derramar pelo chão ao meu lado, seguindo o corpo do ladrão que caía desacordado. Olho para cima e vejo Shawn com uma cara de tédio desigual.

- Amador... - ele joga a outra parte de um frasco quebrado que eu chuto ser de algum tipo de xarope no chão - Vamos, a polícia deve tá chegando - ele diz e sai da farmácia. Olho para o farmaceutico que mais parecia uma folha de papel de tão palido - GWEN! - Shawn gritou já de dentro do carro e eu saio apressada do estabelecimento.

Vou em direção ao meu carro e ele arqueia as sobrancelhas

- Está muito enganado se pensa que eu vou deixar o meu carro na cena de um crime - o vejo revirar os olhos. Entro no meu carro e dou a partida, acelerando quando ouço as sirenes das viaturas aumentarem. 

Dirijo em direção a minha casa e vejo pelo retrovisor o Porsche prata dele logo atrás de mim. Assim que estaciono ele faz o mesmo, Pego minha bolsa e saio rápido do carro, andando até a janela de seu carro vendo que ele fumava tranquilamente. Não imagino o cheiro que os carros dele ficavam com aquela fumaça toda. 

- Será que voce pode sair para conversarmos? - ele me olha com uma das sobrancelhas arqueadas

- E sobre o que quer falar, querida? - Se deboche matasse, ele já estaria enterrado a sete palmos da terra

- Não sei, que tal sobre voce ter, por pura coincidencia e obra do destino, aparecido no exato momento e lugar onde eu estava e, olha, no momento que eu mais precisava?

- Pois é, coincidencia mesmo, eu to com um resfriado daqueles - força uma tosse, mais falsa que o proprio - e quando eu saio pra comprar o remedio olha só com quem eu encontro - reviro os olhos

- É sério isso, Shawn? Por que eu tenho certeza que voce só podia estar me seguindo. Sabia que eu posso te denunciar? - pergunto e ele gargalha tão alto que acho que minha mãe e meu irmão puderam ouvir do lado de dentro da casa

- Ah, qual é Gwendolyn? Esqueceu com quem tá falando? Acha mesmo que uma pessoa ocupada como eu ficaria de babá de alguem como voce?

- O que quis dizer com isso? - pergunto mas antes do idiota responder, Peter surge na porta de entrada da casa.

- Gwendolyn! - diz irritado. Alterno o olhar entre os dois e vejo Shawn sorrir vitorioso por ter conseguido fugir da conversa

- Iiih, acho que voce ta de castigo, boa sorte aí. - ele diz e dá a partida no Porsche e acelerando em seguida. Me volto para a porta e vejo Peter com um olhar de reprovaçao

- Qual parte do "Vem rapido, tenho que trabalhar ainda" voce não entendeu?

- Desculpa, é que aconteceram umas coisas aí - digo entrando em casa e me jogando no sofá

- Que coisas? - ele pergunta e eu tento pensar rapido numa desculpa. Não quero preocupar ele mais do que ele já é por natureza

- Ah, nada demais, é relacionado a faculdade - minto

- Hmm... ok então - ele me olha ainda relutante - Tenho que ir agora. Mamãe tá tomando banho, os horarios dos remedios estão na porta da geladeira. Alias, voce comprou os remedios?

- Sim Peter, fique tranquilo, pode ir pra aquele inferno que voce chama de emprego - digo e ele nem discute. Ele sabe que nesse assunto ele meio que não tem razão

- Tchau, chata. - ele beija o topo da minha cabeça e eu faço uma careta 

- Tchau - digo e ele sai pela porta fechando-a em seguida. Passo as mãos pelo cabelo sentindo cada musculo do meu corpo cansado. Meu celular vibrava com as mensagens do whatsapp. Decido responder algumas antes de subir para ver a minha mãe.

Mensagem On

Dylan: Tá tudo certo pra hoje?
Vasculho minha mente tentando lembrar do que tinha marcado com Dylan e lembro do nosso cineminha as 19h.
Eu: Claro :)
Eu: O que te faz pensar que eu desmarcaria o role?
Dylan: Ah, sei lá, quem sabe voce tivesse se dado conta de que o role é comigo
Eu: Ué, e não foi justamente por esse motivo que eu aceitei?
Dylan: Certo kkkk

Mensagem off

Bloqueio o celular e levanto a bunda pra subir e ver como minha mãe está. 

Subo as escadas e quando chego em seu quarto a vejo deitada na cama com o braço esquerdo engessado e o colar cervical no pescoço, enquanto tentava trocar os canais da TV com o controle na mão direita.

Entreabro a porta e coloco só minha cabeça para dentro. Assim que ela me vê larga o controle ao seu lado na cama e sorri. Retribuo o sorriso.

- Entre, querida. - ela diz mantendo o sorriso e eu faço o que ela pediu, fechando a porta atrás de mim. Ando até a cama e me sento na ponta. 

- Você me deixou preocupada, mãe. - sinto meus olhos arderem - Quando me ligaram do hospital eu pensei que iam me falar que você...

- Shiiiuuu - me interrompeu - eu estou aqui agora, ok? - assinto - Agora vem me dar um abraço - ela estendeu os braços e eu me estiquei até ela para me aninhar no seu abraço
Nós ficamos conversando por mais um tempo, até que decido começar a me arrumar pois faltava 1h30min para que Dylan chegasse.

Tomo um banho, tomando cuidado para não molhar o cabelo. Passo o hidratante no corpo todo e visto uma t-shirt com um short jeans e uma camisa aberta por cima. 

Faço um coque na parte de cima do cabelo deixando o restante solto e uma maquiagem simples, só pra esconder a cara de morta. 

Assim que termino o milagre vou para o quarto da minha mãe e vejo que a mesma dormia por conta dos remédios. Fecho a porta com o maior cuidado do mundo para não acorda-la e desço as escadas até a sala. 

Sento no sofá enquanto espero ouvir a buzina do carro de Dylan do lado de fora. Abro meu Whatsapp e vejo algumas mensagens dele, de Adele e do grupo das meninas da facul. Vejo as mensagens de Dylan primeiro.

Mensagem On

Dylan: Foi mal Gwen, meu irmão teve uma emergência e precisou sair com o carro, não vou conseguir ir te buscar :(
Eu: Droga
Dylan: Será que você poderia ir indo e eu te encontro lá?
Eu: Pode ser
Dylan: Ok, vou te esperar na frente da bilheteria

Mensagem Off

Ótimo. Como vou conseguir alguém que me dê uma carona em plena sexta a noite?
Decido recorrer a minha última e única opção no momento: chamar um uber. Coisa que eu evito bastante, até prefiro ir a pé ao chamar um, porque eu assisto o noticiário e fico ciente das atrocidades que acontecem com mulheres nesse meio de transporte. Abro o aplicativo, e nesse exato momento meu celular vibra indicando uma ligação. Era meu querido irmãozinho.

Ligação On

Eu: Alô?
Peter: Tá em casa?
Eu: Sim, mas já estou saindo.
Peter: Como assim?
Eu: Vou ao cinema
Peter: Com quem?
Eu: Olha, acho que isso não te interessa.
Peter: Se não interessasse eu não estaria perguntando
Eu: Com um carinha da minha turma da faculdade
Peter: Carinha, tipo, homem, com pênis?
Eu: Peter!
Peter: Porra... Vou pedir pra um dos moleques ir te levar e buscar
Eu: O que? Pra que? - Ah não mesmo, ele acha que eu tenho o que? 15 anos?
Peter: Gwen, não discute, se quiser ir ver esse garoto só vai se alguém da minha confiança for junto - posso não ter mais meu pai comigo, mas tinha vezes que meu irmão conseguia cumprir o papel exato dele.
Suspiro indignada
Eu: E Por que você não vem?
Peter: Então... - ouço um gemido de uma mulher - Eu tô meio ocupado agora
Eu: Você é nojento!
Peter: Não saia de casa até que um dos caras chegue

Ligação off

É, quando eu penso que já tô na merda...
Resolvo ligar a televisão pra me distrair enquanto quem quer seja chegasse pra me levar. Eu realmente esperava que fosse Joshua, porque aí eu poderia confrontá-lo em relação a Eadlyn, mas se fosse Nathan eu também não reclamaria, ele parece ser um cara legal, até pegou minha melhor amiga no sete minutos no céu. Depois de mais uns 15 minutos rondando os canais da TV, ouço uma buzina. Desligo a televisão, pego minha bolsa que estava em cima da mesinha e saio. Depois de trancar a porta me viro para ver quem era e nesse exato momento me amaldiçou por ter nascido. 

Shawn estava encostado na porta do lado de fora de sua lamborghini. Extremamente secreta, por sinal. Ando até ele e sinto o cheiro da maconha inebriar.

- Se eu soubesse que seria você, teria ido a pé.

- Ó, Shawn, muito obrigada por reservar uma parte do seu precioso tempo para me levar ao cinema - ele fingiu uma voz super forçada, falhando totalmente em me imitar. 

Dou a volta e entro no carro, batendo a porta com força de propósito, me arrependendo logo em seguida. 

Ele entra e fecha as janelas, ligando o ar condicionado, mantendo o maldito beck na mão esquerda. 

- E pode jogar essa merda de cigarro fora, não é porque os seus pulmões são podres que os meus também precisam ser.

Ele traga e solta a fumaça em minha direção.

- Desculpe, o que disse? 

Reviro os olhos e abro a janela. 

Fizemos a metade do trajeto em silêncio, até que o idiota começa a falar.

- Então Gwendolyn, me fale sobre esse seu amigo. Quer dizer, são apenas amigos?

- Estamos indo para um encontro, com certeza não somos apenas amigos - minto. Eu nunca tive nada com Dylan, já quis, mas nunca tive. 

Shawn dá de ombros e encerramos o assunto por ali mesmo. 

Depois de alguns minutos, o carro para na frente do cinema. Consigo avistar Dylan apreensivo na frente da entrada. Me viro para abrir a porta mas a mesma estava trancada. Olho sem paciência para Shawn, esperando mais uma idiotice sair de sua boca. 

- Esteja aqui as 21h30 - diz e destrava a porta. Saio sem falar nada. Assim que me vê, Dylan vem em minha direção.

- Uou, não sabia que tinha uma lamborghini.

- Não é minha. Vamos? - mudo de assunto. Não quero que o carro de Shawn seja o tema da minha noite. 

- Vamos - Dylan sorri, e como eu sou rendida por esse sorriso. 

Decidimos assistir Parasita. Depois de comprarmos os ingressos, a pipoca, o refrigerante e os doces, fomos para a sala. 

Durante o filme, eu sentia as segundas intenções dele, mas podia deixar os amassos pra depois, estava muito focada no filme. 

O filme chegou ao fim, e nós saímos comentando sobre. Olho para o visor do meu celular que marcava exatas 21h28. 

- Obrigada pela noite, eu me diverti bastante 

- Eu também - ele voltou a sorrir - Então... é isso

- É - digo sem jeito.

- Nos vemos segunda? 

- Sim, até segunda - sorrio e já ia andando quando ouço sua voz novamente.

- Gwen - Ele anda até mim e fica a centímetros de distância. Olho seus olhos que estavam tão próximos de mim quanto a sua boca. Estávamos quase selando a distância quando uma buzina alta e contínua ecoa, me fazendo dar um pulo de susto. Me viro e vejo a cabeça de Shawn na janela da lamborghini.

- Vamos crianças, já está tarde - me mato psicologicamente por essa vergonha. Dylan alterna o olhar entre mim e Shawn e solta um sorriso sem jeito.

- Acho melhor você ir, até segunda.

- Até - vejo ele seguir até o ponto de táxi. Fecho os olhos buscando paciência antes de entrar na porcaria do carro.

- Será que você não podia ter esperado nem um minuto? 

- Se queria ter beijado aquele engomadinho por que não fez isso durante o filme? - ele dá a partida e acelera. 

- Eu não vou falar sobre a minha noite com você.

- Relaxa, não deve ter perdido muita coisa, aliás, você já beijou coisas melhores - ele diz e olho para ele, que estava com uma expressão séria, realmente muito convencido.

- Seu ego é extremamente alto, e eu não vou tocar no assunto beijo com você, eu estava fora de mim naquele dia. 

- Ah é? Porque não parecia estar fora de si quando me beijou - Oi? ele só pode estar de brincadeira!

- O que? Como assim EU te beijei? - minha voz começa a se alterar e eu a perder a minha paciência. 

- Quer que eu te lembre como foi? - ele diz e vejo um sorriso torto surgir em seus lábios. 

Bufo e me viro pra janela, me segurando para não voar no pescoço dele. Como ele tem coragem de jogar isso na minha cara? Estava óbvio que eu nao estava sóbria naquela noite, com o psicológico fudido e embriagada. 

Olhando a vista da noite agitada de uma sexta-feira em Toronto, percebi que ele não me levava para casa, estávamos indo para o outro lado da cidade. 

- Pra onde está me levando?

- Relaxa, preciso ir resolver umas coisas antes de te deixar em casa 

Eu bem sabia o que significava a palavra "coisas" no dicionário de pessoas como Shawn. Coisas essas das quais eu prefiro nem idealizar na minha mente inocente e purificada. 

Seguimos por uma rua estreita, já não estávamos no centro agitado como antes. O carro parou num beco estreito e sujo.

- Me espera aqui, não sai do carro por nada.

Assenti e vi ele saindo do carro e seguindo até o final sem saída do beco, entrando por um portão que tinha ali. O local estaria num completo breu se não fosse por um poste velho com luz piscante. 

Pego meu celular e leio as mensagens do meu whatsapp. Não havia nenhuma de Dylan. É, acho que minhas chances com ele cessaram de vez. Vi que Adele tinha mandado mensagem de voz.

Mensagem On

Adele: "Amiga" - As batidas de fundo indicavam que ela estava numa festa - "Eu tô na Devil eyes com a Eadlyn, manda oi amiga...Eita porra!" - ouço uma risada escandalosa - "Uma pena que você saiu com Dylan gostosão, porque aqui tá muito bom" - ouço um grito animado que parecia ser de Eadlyn - "Ai meu Deus, que porra é essa Collins?" - ouço mais risadas e de repente uma voz desconhecida - "Desliga essa merda e vem dançar".

Mensagem off

Assim que a mensagem acaba fico preocupada. Em questão de segundos já estava tremendo a perna, sinal que eu e estava nervosa. E se eu pedisse para Shawn me levar até a Devil eyes? Só para garantir que as duas estão bem, ou não. É, acho que sim, só por precaução. Adele quando está bêbada faz coisas das quais eu não acho apropriadas para falar aqui. 

O áudio havia sido enviado há uma hora atrás. Tento ligar para ela mas só dava caixa postal. Minha preocupação só aumenta. 

E pra piorar, Shawn ainda não dava sinais de que estava voltando, fazendo meu medo só aumentar por eu estar sozinha num beco abandonado, dentro de um carro de luxo super extravagante. Se algum ladrão aparecer e me matar, eu volto para matar Shawn e levá-lo junto comigo. 

Depois de 5 minutos ouço o estrondo de algo batendo. Olho para frente e vejo no fim da rua Shawn empurrar um homem no chão. O pobre coitado tenta se levantar, mas Shawn pega na gola de sua camiseta, o levanta a força e bate sua cabeça num muro. O homem consegue acertar um murro nele, mas logo depois é jogado novamente no chão e chutado até ficar inconsciente. Shawn para os movimentos e volta depressa para o carro. Meus olhos estavam arregalados e minha boca aberta em um completo "O". Meu coração estava acelerado e eu tremia mais do que antes.
Assim que entra no carro, pega a chave e liga o mesmo, dando ré e saindo dali. 

- O que foi aquilo? - minha voz sai num fio 

- É um velho amigo meu, tava com tanta saudade que vim fazer uma visita - ele diz e eu arqueio uma das sobrancelhas, fazendo ele soltar uma risada fraca - Não é você que sempre diz que prefere ficar longe desse lance de máfia? 

Suspiro fundo e encosto minha cabeça no encosto. Olho de relance para ele e percebo sangue saindo de seu lábio inferior. 

- Você precisa de um curativo - digo e ele olha confuso, mas depois se dá conta do que eu me referia

- Isso não é nada, já tive coisas piores. 

Suspiro fundo ao pensar quais seriam essas "coisas piores", e o que me dói mais é saber que o meu irmão pode passar por essas coisas a qualquer momento. 

- Ah, já ia me esquecendo... - lembro de Adele e Eadlyn - podemos passar na Devil eyes antes de ir pra casa?

Vejo sua testa franzir

- O que quer fazer na minha boate? 

- Como assim sua? 

- Eu sou o dono ué - ele dá de ombros - tenho ela e mais quatro só aqui em Toronto.

- Não me diga que também é proprietário da demon throat... - ele afirma e eu não consigo acreditar 

- Pelo visto a madame conhece os pontos de Toronto, hein?

- Eu e Adele costumávamos frequentar boates no ensino médio.

- E eu pensando que você era do tipo cdf, certinha e cheia dos Caralho a quatro. 

- Tem muita coisa de mim que você não sabe.

                                      (. . .)

As batidas da musica ecoavam como martelo na minha cabeça. Talvez eu tenha uma alma de 87 anos num corpo de 20. Shawn andava por entre a multidão e segurava a minha mão me guiando. Chegamos a um local bloqueado por um segurança que quando nos vê abre a passagem. O local tinha uma vista privilegiada da pista de dança e do bar. Haviam sofás de couro vermelho e detalhes de ouro por toda a parte, logo percebi que estávamos na área vip. Vi os meninos, incluindo meu irmão que estava com uma mulher sentada em seu colo, no sofá.   

- E aí Gwen, tudo em cima? - Nathan pergunta quando me vê 

- Oi gente, vim procurar Adele e Eadlyn, por acaso viram elas por aí? 

- Não vi minha irmã desde quando chegamos - Joshua diz e continua fumando em silêncio. Ele não parece ser muito de papo. 

- Você deveria estar em casa - Peter diz e volto meu olhar para ele 

- Você não está na posição de me dizer o que tenho ou não que fazer - falo me referindo a puta sentada em seu colo que quase sugava seu pescoço com a boca. 

- Ahn... gente, olha aquilo - Joshua diz e todos nós nos viramos para olhar. 

A pista de dança estava abarrotada de gente, e a fumaça do projetor dificultava ainda mais a visão, porém, ainda assim consigo avistar a garota de cabelos medianos e castanhos vulgo minha melhor amiga aos beijos com um cara desconhecido realmente bonito. Ele tinha cabelos loiros e tatuagens espalhadas pelos braços, que circundava a cintura de Adele. Olho para os meninos e vejo o maxilar travado de Shawn combinar com as veias saltadas de sua testa. Ele emitia puro ódio e me dava medo do que ele estava prestes a fazer, mesmo sem saber o porque dele estar assim. 

Entretanto, todo o barulho ao redor sumiu e um silêncio tomou conta do meu cérebro após ouvir a seguinte palavra sair da boca de Shawn Mendes.

- Bieber.


Notas Finais


Helloooo!!!
Demorei mas voltei.
Comentem o que acharam, críticas construtivas são sempre bem vindas ❤

Até o próximo cap 💤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...