História Mirrors ( Camila G!P ) - Capítulo 31


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Tags Camila Cabello, Camila G!p, Camren, Camren G!p, Lauren Jauregui
Visualizações 2.704
Palavras 1.202
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente!

Boa leitura oh na na :)

Capítulo 31 - Falta


Fanfic / Fanfiction Mirrors ( Camila G!P ) - Capítulo 31 - Falta

Um misto de alívio e felicidade me invadiu ao ver um sorriso, mesmo que mínimo, nos lábios de Camila, foi a primeira vez que ela sorriu pra mim desde que eu entrei no quarto irritantemente branco. Ela tinha os olhinhos um pouco fechados devido a claridade do quarto, sua pele estava pálida, sem contar que ela estava um pouco desidratada, me partia o coração vê-la tão frágil. 

Senti seus olhos sobre mim e sorri segurando a sua mão, ela ainda estava quentinha, e não é um bom sinal devido à febre que, segundo o doutor, vai e volta, eles não sabem exatamente o motivo, mas como não deu nada nos exames, desconfia-se que seja febre emocional. Mas por precaução, eles decidiram deixá-la em observação. 

- Você precisa se alimentar bem, princesa. - falei calmamente vendo seu rosto se contorcer em uma careta fofa. - Nem se eu der na sua boquinha? - fiz um biquinho e ela suavizou a expressão. 

- Camz naum sente fome, Lolo. - suspirei fazendo carinho na sua mão. 

- Por quê você não me conta  porque veio parar aqui? - ela mordeu o lábio e olhou em direção à porta por onde Alejandro acabou de sair para nos dar mais privacidade. - Você confia em mim, certo? 

- Camz confia. - sorri e ela desviou os olhos dos meus. 

- Então meu amor, o que você está sentindo? - perguntei em um tom calmo. Seus olhos marejaram e eu senti um aperto no meu peito. 

- Camz....- uma lágrima escorreu pela sua bochecha e eu passei meu polegar na tebtentativa de secá-la. 

- Não chore, princesa. Me parte o coração te ver chorando. - ela fungou assentindo. 

- Dói muito Lolo, Camz....que-queler uma mamãe. - abri a boca surpresa e ela continuou. - Voxe tem uma mamãe, puque Camz só tem um papai? voxe também só tem uma mamãe....- franziu o cenho e eu sorri beijando sua mão. 

- Eu tenho um papai, Camz. Só que ele teve que ir mais cedo, entende? - negou e eu pensei em uma forma mais fácil de explicar. - Humm....você gosta de estrelas? - ela assentiu atenta. - Pois então, meu pai teve que ir mais cedo porque o céu estava precisando de mais estrelas para deixá-lo ainda mais lindo. Então...meu pai foi um dos escolhidos. Entendeu? 

Camz ficou com uma carinha pensativa, a minha vontade era de enchê-la de beijos, mas agora não era o momento. Camz eestalou a língua e eu tive que morder meu lábio para não beijá-la. 

- Então....o papai da Lolo tá com a mamãe da Camz...- conclui e em seguida eu sorri assentindo. - Maix Camz naum conheceu a mamãe, Lolo. Ela foi embola quando Camz chegou. - ela disse com os olhos brilhando pelas lágrimas. - Camz queler uma ma-mamãe Lolo. 

- Ei princesa....- me levanto da cadeira e sento na beirada da cama à puxando para um abraço. - Não precisa chorar, meu amor. 

- Colação de Camz tá doendo, Lolo. Palece qui...tem um mosnto malvado apetando ele. - respirei fundo controlando a imensa vontade de chorar e apertei ela ainda mais nos meus braços. 

- Eu prometo que eu vou tirar essa monstro malvado daí, tá? 

- Pomete? - sorri beijando seus cabelos. 

- Prometo princesa. - senti seus braços ainda frágeis apertar minha cintura. - Eu te amo, princesa. 

- Camz também ama voxe, Lolo. - suspirei e me afastei dela o suficiente para observar seus olhos em um tom avermelhado. - Tá dodoi, Lolo. - disse manhosa e passou a mão fechada em punho nos olhos. 

- Tá bem vermelhinho amor, não deve ser só por conta do choro. - encostei minha mão na sua testa. - É, você tem febre. - constatei preocupada. 

- Camz queler domiiir....- suspirei e apertei o botãozinho que ficava ao lado da cama. 

- Não dorme agora, princesa. O médico já deve estar vindo te examinar. - ela assentiu bocejando e eu fiquei segurando sua mão até que a porta foi aberta. 

- A febre voltou? - franzi o cenho ao reconhecer a voz. 

- Keana? - a mulher sorriu de orelha a orelha e eu retribui, não na mesma intensidade. 

- Que surpresa, é sua irmã? - perguntou indo até a minha princesa checando a sua temperatura. 

- Não. Ela é filha do namorado da minha mãe. - falei e ela assentiu. - Você não era cardiologista? - ela sorriu. 

- Boa memória. - riu - Mas como o médico responsável por ela teve uma emergência, nesses casos, eu cuido de tudo aqui. - falou anotando algo na seu prontuário. - Vocês são muito apegadas? 

- Camz pega Lolo. - Camz falou com um sorriso engraçado no rosto. 

- Sim, desde que Camz foi morar comigo. Somos praticamente inseparáveis. - falei com um sorriso bobo no rosto e Keana assentiu sem tirar os olhos da prancheta. 

- Hum....bom. O pai da paciente nos informou que não é a primeira vez que ela fica assim, constatamos que deve ser febre emocional já que não deu nada nos exames. E como o pai informou, ela sempre fica extremamente sensível no dia do aniversário. Pois é também o dia do falecimento da mãe. Somando isso ao fato dela ser muito apegada à você....não é muito difícil constatar que a sua falta agravou o estado dela. 

Fiquei perplexa ao ouvir aquilo. 

Eu não fazia idéia do motivo que à trouxe aqui. 

Keana falou mais alguma coisa mas meus olhos e ouvidos estavam voltados apenas para a latina à minha frente. Camz brincava com a minha mão distraidamente, enquanto encarava Keana com uma carinha nada boa. 

- Lauren? - pisquei algumas vezes tentando similar o que eu acabei de descobrir pela boca da médica. Como assim ninguém me contou que minha bebê passaria por uma semana tão....dolorosa. - Lauren? 

- Lolooo....- vi um biquinho se formar na boca da minha bebê.

- Sim? 

- Você ouviu o que eu falei? - perguntou tocando meu ombro de leve. 

- Não, desculpa. - pedi sem jeito e ela riu. 

- Tudo bem, eu falei que você precisa fazer com que ela se alimente, caso contrário ela não receberá alta tão cedo. Apesar de ser uma febre emocional, ela atinge diretamente o metabolismo do paciente. E essa pequena aqui precisa de muitos mimos. - sorriu e eu retribui. Quem parecia não gostar muito era Camila que tinha uma carinha emburrada no rosto. 

- Pode deixar, dout-

- Apenas Keana para você, linda. - corei e ela beijou a minha bochecha. - Foi bom te ver, apesar das circunstâncias. 

- Err....foi bom te ver também. - falei meio sem jeito e ela sorriu com o lábio preso ente os dentes. 

- Me chama se a febre insistir. - piscou pra mim e saiu do quarto me deixando com uma latina toda emburradinha. 

- Que foi meu amor? - perguntei me aproximando dela que, recuou. - Ei...sou eu, princesa. Sua Lolo. 

Camz encarou a porta e depois me olhou friamente. 

- Camz....você está me assustando. - eu disse voltando à sentar. 

Camila suavizou a expressão e suspirou, eu ia sorri aliviada mais um soluço me tirou todo o ar. 

- Camz que-queler xe no-nomal...Lolooo...


Notas Finais


Até o próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...