1. Spirit Fanfics >
  2. Mirrors of our souls >
  3. Capítulo único

História Mirrors of our souls - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Aqui está mais uma fanfic maravilhosa. Espero que gostem e leiam tranquilos

Capítulo 1 - Capítulo único



Estrelado estava o céu e a noite agradável.

No imenso e acolhedor salão, reunia-se a rainha com seus mais fiéis soldados, como de costume nos últimos anos.

— Branca de neve finalmente está morta. — exclamou a rainha, recebendo os olhares chocados de todos soldados que estavam na grande mesa.

— Mas como isso pode ocorrer? — Um dos soldados perguntou alterado, enquanto todos levavam seus olhos para o homem barbado.

— Isso não importa, agora sem a princesa em nosso caminho, podemos dominar todos reinos. — pronunciou-se.

— Tens razão rainha, assim será bem melhor.

Ao longo da noite o jantar se tornou uma grande comemoração, farta de comida e mulheres que satisfaziam os jovens soldados, mas enquanto no castelo tinha festa, na floresta a tristeza e melancolia estava tomando conta. Jackson estava desolado, enquanto alguns dos anões – os que haviam sobrevivido a emboscada da rainha estavam completamente acabados – já não tinham forças para lutar por mais nada. Podia-se falar que estavam aposentados de seus dias de glória.

— Jack… tudo vai ficar bem. — citou um dos anões, enquanto estava sentado na cadeira de madeira observando o homem alto que estava sentado sobre um toco de madeira. — seria esse Jackson.

— Como tudo vai ficar bem? Eu perdi minha amada, perdi meus amigos e você ousa dizer esse absurdo? — Estava alterado, Jackson ao ver a expressão de surpresa do anão, rapidamente caiu em si novamente. — Desculpe… eu estou descontando minha raiva em você, sendo que a culpada é a rainha. — Era notável que quando citava o nome da odiada Rainha, seus olhos transpareciam raiva e nojo.

— Está tudo bem. Entendo seu lado. — O anão falou, logo levantando-se da cadeira e observando as flores sobre o chão onde estava enterrada a princesa amada por todos. Branca de Neve e ao seu lado algumas outras flores, em homenagem aos anões que perderam suas vidas para defender a princesa.

— Eu não consigo mais observar essa cena. — Disse se afastando, o caçador estava mal demais para continuar ali naquele local, então se retirou, andando em direção ao bosque que havia no meio da floresta. Um dos anões se moveu para ir atrás de Jackson, porém outro tocou seu peito enquanto olhava o grande e forte homem se gastar enquanto arrumava a mochila nas costas.

— Ele precisa de tempo… — citou o anão.

Minutos longos se passaram, a floresta não estava mais como antes — quando branca de neve era viva — estava morrendo, a floresta não aguentava a morte de branca de neve, que sempre cuidou do local como se fosse seu próprio jardim, mas foi morta de uma forma tão brutal! Tendo seu coração arrancado com as próprias mãos da rainha, enquanto Jackson observava a cena sem poder fazer nada por estar paralisado pelos guardas. Ver a sua amada morrer em sua frente sem poder fazer nada era o pior dos castigos, mas achava mesmo a rainha que ele deixaria isso passar em branco? Misteriosamente ele conseguiu escapar do castelo quando foi capturado. Nem mesmo ele sabe como sabe como abriram a porta de suas grades para sair sem que os guardas vissem, mas nem se importava em saber quem havia feito. Estava planejando tudo. Nesta madrugada, a rainha iria morrer em suas mãos! Em vingança a Branca de neve.

Pisava sobre os galhos quebrados que caiam das árvores que morriam aos poucos, quando escutou um barulho vindo das mesmas. Os pássaros voaram avisando que havia alguém ali presente, estavam agitados e mostrava que poderia ser um humano. Ou para Jackson, um dos guardas da rainha.

Seu sangue ferveu ao se lembrar dos guardas e supor que seria uma deles, levando sua mão ao punhal que carregava em sua cintura e o retirou de sua capa. Assim ficando com o braço sobre o peito, enquanto a mão que segurava o punhal ficava sobre o braço acima do peito.

— Quem está aí? — perguntou o homem enquanto deixava suas pernas firmes, nada poderia o derrubar. Ou será que sim?

Não obteve uma resposta, com isso continuou na sua formação de ataque e escutou os galhos se moverem rapidamente, alguém estava pulando sobre os mesmos e estava próxima de Jackson, então quando se virou pra trás não observou nada. Era como se alguém estivesse respirando em seu cangote.

— Está brincando comigo?! — perguntou ainda muito alterado, enquanto olhava para os lados, foi então que ouviu novamente o barulho olhando para os galhos e não vendo nada. Então quando observou as árvores ao seu lado uma pessoa caiu dos galhos fortes das árvores, derrubando Jackson, pisando sobre seu corpo enquanto o homem estava jogado contra o chão. Mas ele não deixaria isso ocorrer, se virou rapidamente tentando depositar uma facada na mulher de cabelos negros que segurava os braços de Jackson contra o chão.

Jack era bom em luta corporal, mas quando estava contra o chão — caído — era fácil de ser dominado. E foi isso que ocorreu, a mulher conseguiu retirar a faca brutal que ele segurava, a fincando no chão e segurando seus braços enquanto olhava em seu rosto sujo de terra.

— Tem como ficar quieto? — Disse a jovem mulher tranquila enquanto o observava.

— Quem é você? Por que está me segurando? É uma das mandantes da rainha? — Disse o homem que continuava tentando se soltar, mas neste momento estava dominado.

— Cala boca! Eu sou Solar, filha do fazendeiro dos sul… — A mulher soltou Jackson ao ver que o medo havia a reconhecido por conta de seu pai, se levantou arrumando sua roupa muito parecida com a de uma arqueira. Sendo totalmente de couro.  — A rainha destruiu a fazenda da minha família, e matou sua amada. Vamos juntos acabar com ela! — Dizia a garota enquanto parecia animada demais.

— Não. — exclamou, Jack já estava de pé. Pegava seu punhal o colocando na cintura novamente.

— O que? Por quê? — perguntou a garota, levantando um pouco seus braços enquanto exigia uma explicação plausível.

— Eu não faço “parcerias” com garotinhas. — Esse comentário machista fez a garota rir de fora debochada.

— Garotinhas? Essa garotinha conseguiu te imobilizar no chão… — Se vangloriou.

— Eu não bato em mulheres… e não quero me aliar a você — Disse enquanto seguia seu caminho, passando reto pela garota que não desistiria com facilidade. E então seguiu o homem.

— Eu sou rápida você viu! Eu sou sorrateira, você nem me notou vindo do alto… e está me devendo uma. — Quando sua última palavra foi dita Jackson se virou, olhando para a garota com um semblante confuso.

— Eu? O que você fez por mim? —, perguntou.

— Eu te soltei você da “jaula” onde havia sido preso no castelo da rainha. Está me devendo uma, e eu quero ir junto com você. Você não bate em mulheres, perfeito, eu mato a rainha com todo prazer! — O ódio que a garota estava sentindo da rainha era igual o de Jackson, ele conseguia ver isso nos olhos da garota que pareciam ecoar uma aura vermelha de ódio.

— Tudo bem… — Após a fala da menina ele suspirou, apesar de não a querer por perto ainda sim estava devendo uma. E se tinha algo que Jack odiava era dever para alguém, ainda mais sendo uma mulher.

A garota ficou animada como uma criança, formando um sorriso leve em seus lábios rosados e carnudos, começando a andar com Jackson em direção a aldeia onde era seu principal destino. Já estava amanhecendo quando ambos chegaram na aldeia, os portões eram gigantes e para entrar precisariam passar pelos guardas. Então Jackson olhou para cima, e em seguida para a grande árvore que havia atrás de si.

— Vamos pular o muro, não é preciso gastar energias com os guardas. — Ao dizer tais palavras Solar apenas assentiu, olhando a árvore e já indo em sua direção. Eles subiram na árvore como se fosse a coisa mais fácil do mundo, para Jackson ainda era complicado por conta de seu peso. Mas para Solar, era extremamente fácil, uma mão na massa por assim dizer.

Chegando no topo da árvore de galhos bem fortes e grossos, a garota pegou um forte impulso com os pés pulando para cima do muro e observando abaixo. Havia a frente uma casa a atrás da mesma muito feno usado para os cavalos, a garota se jogou sobre os tênis já que os mesmos estavam abaixo de si. Jackson precisou esperar alguns segundos, para que os guardas não notassem. E logo que foi possível pulou fazendo as mesmas ações que Solar. Ele caiu sobre o feno mas não viu solar, então mais para frente observou a menina olhando para a estrada que havia várias pessoas. Jackson foi até a menina se deparando com a pior cena que conseguia ver, a aldeia estava mergulhada na fome e desespero, as ruas estavam com pessoas jogadas e algumas sendo trancadas em gaiolas principalmente jovens meninas.

Eles se perguntavam a que ponto a rainha poderia chegar, mas parece que agora haviam descoberto. Jackson segurou no pulso de Solar que ao ver a cena sentiu seus olhos lacrimejarem. Então puxou a mesma para seguirem seu caminho em direção ao castelo, não poderiam ser vistos e estavam passando por trás das casas.

— Vamos vingar cada um deles. — Jackson citou em voz baixa enquanto olhava para a menina e se escorava no muro enquanto andava. Seu uniforme era da cor do mesmo, servia como uma camuflagem assim como para Solar também.

— Eu imagino quantas pessoas já não morreram, mulheres e jovens meninas inocentes. Apenas pelo prazer de ser a mais bela de todas, será que essa doença irá atingir o futuro? As pessoa vão ser assim daqui a 30 anos? — A menina perguntava enquanto o olhava.

— Eu não posso falar do futuro, mas vou fazer de tudo para que isso não aconteça no agora. — Foram as últimas palavras de Jackson antes de o mesmo esticar a mão tapando a boca de Solar. Mais para frente havia alguns guardas que faziam suas rondas.

Ele fez sinal para que a mesma ficasse em silêncio e em seguida continuaram caminhando, então viram que não teriam como passar sem serem vistos pelos guardas. Estava na hora da vingança, ele fez sinal. A garota entendeu e em seguida foi em direção aos guardas, os derrubou eram apenas dois e a menina conseguiu os derrubar e desmaiar ambos. Assim que os derrubou Jackson assentiu, a menina era bem menor que si e havia Menas chances de ser vista do que Jackson se fosse derrubar os mesmos.

A menina então arrumou seu capuz e chamou Jackson que foi em sua direção.

— Mais a frente podemos entrar no castelo pelas portas de trás, mas haverá guardas. Você cuida deles e eu dou um jeito de libertar algumas das pessoas que estão presas aqui. — A garota disse enquanto olhava para as pessoas amarradas enquanto estavam escoradas nas casas. Jack assentiu então segurou a mão da menina.

— Eu te espero lá dentro. Tome cuidado. — Ao dizer isso a garota assentiu, seu sorriso agora estava mais carinhoso. Então Jack soltou a mão da mesma, seguindo seu caminho minucioso em direção ao castelo. Enquanto Solar olhava as pessoas e iam em suas direções sem que os guardas percebessem.

Sua roupa se misturava com as cores opacas das paredes de tijolos cobertas de muco, enquanto isso Jackson fazia o mesmo. Estava ansioso para sua vingança, acabar com o coração da rainha como ela o fez com a sua amada Branca de neve. O caçador agora iria ser a caça.

Ao observar os guardas ele se aproximou, querendo que eles o vissem.

— Olha só quem temos aqui, Jackson Wang, o caçador da colina. O que faz por aqui? Veio ver o coração de sua amada nas mãos da rainha? — pronunciou o homem enquanto ria de forma debochada junto de seu parceiro de guarda.

Então Jackson ao escutar a provocação se irritou, segurando com força seu punhal de couro e correu na direção dos homens, eles vieram. Eram dois mas não eram fortes o bastante mesmo com suas espadas banhada em ferro puro, ele segurou o braço de um dos guardas e fincou o punhal no peito do outro. Em seguida quebrando o braço deste que estava segurando, e cravou o punhal em seu peito. Foi uma luta curta e rápida, aqueles dois não tiraram nem mesmo o suor de Jackson que pegou as chaves no bolso de um dos homens e abriu o portão e entrou. Esperava Solar dentro do portão, mas a mesma aparentemente estava demorando o que o fez pensar que não deveria a esperar por mais tempo. Iria perder a oportunidade de sua vingança. Então, com raiva em seus olhos subiu as escadas que levavam para o topo, derrubando e matando todos os guardas que tentavam o impedir. Eram poucos já que não sabiam ou conseguiam avisar que Jackson estava presente no castelo.

Enquanto subia o sangue em seu corpo estava ficando mais quente, suava um pouco já que eram grandes escadas que aparentavam nunca acabar. Foi então que ele se aproximou da porta do quarto da rainha. Estava um pouco ofegante mas a porta abriu-se em seguida, ela o esperava sentada sobre seu sofá de couro vermelho, estava com um lindo vestido dourado e cabelos soltos, estava idêntica a Branca de neve. Quando a cena passou em seus olhos o homem havia paralisado, como ela conseguiu ficar tão parecida?

— Se eu não posso ser a mais bela, me tornei a mais bela. — Disse em um pequeno riso no final, até sua voz estava idêntica a de branca de neve. Enquanto levava suas mãos ao cabelo negro como a noite e acariciava uma pequena madeixa.

— Como você fez isso? Você é um demônio! — Disse Jackson enquanto segurava seu punhal com força e a observava.

— Você é patético, acha mesmo que vai conseguir me matar? Você é só um mortal, e eu viverei para sempre! — Se levantou de seu sofá, Jackson estava em posição enquanto olhava cada passo da jovem mulher. — Espelho espelho meu, me mostre a dama que acompanhou Jackson nesta curta e trágica jornada. — Ao falar tais palavras o espelho dourado que estava na parede ao lado da rainha mostrou a cena em que estava Solar amarrada cercada pelos guardas, a mesma estava bastante ferida havia apanhado muito dos guardas que seguravam em seus braços.

— LARGUE ELA! — gritou enquanto se aproximava da rainha com seu olhar raivoso.

— Se afaste ou eles vão a matar, bastante eu falar uma palavra por meio do espelho e eles cortaram a garganta da sua dama. — Disse em um tom ameaçador, enquanto apontava para a própria garganta e com suas unhas douradas imitava o corte de uma faca. Jackson não teve escolha, se afastou enquanto a observava. — Largue o punhal.

Ele demorou para que largasse o punhal, assim observando a mesma. A situação em que estava Solar era muito tensa, a mesma estava com uma faca em seu pescoço e poderia morrer a qualquer momento, ele não aguentaria mais uma morte em suas mãos sem poder a ajudar. Então largou o punhal sobre o chão, chutando em direção a rainha que com seu salto dourado a segurou e em seguida pegou olhando para a mesma. Enquanto acariciava sua lâmina.

— Este punhal é tão lindo, branca de neve que lhe deu? — perguntou o olhando de relance.

— Sim, agora solte Solar. — Disse o homem enquanto estava um pouco alterado, tinha realmente medo de que algo acontecesse a garota. Estava com medo quando como ficou quando Branca de neve foi morta.

— Vou a soltar… vou soltar sua alma. — A rainha o olhou e logo se virou para o espelho. Quando estava prestes a falar Jackson correu em sua direção. Mas era tarde demais.

— Acabe com ela! — gritou do espelho e deu para escutar entre todo o reino. Com isso o guarda que a segurava puxou a faca afiada que estava em mãos e no pescoço de Solar. O cortando e a deixando cair sobre o chão enquanto sangraria até a morte.

Jackson estava correndo em direção a rainha, se aproximando da mesma porém ao olhar para o espelho e ver solar cair sobre o chão seu mundo todo caiu. Era como se Branca de neve estivesse caindo quando a rainha arrancou seu coração. Ele paralisou de pavor e caiu de joelhos sobre o chão, lágrimas escorriam sobre seu rosto que já não conseguia se conter. Por mais que tenham convivido por apenas algumas horas ainda sim havia o ajudado de todas maneiras possíveis. Então quando a viu morrer, também viu a perdição de sua família que talvez a esperasse chegar em casa para conversar sobre seu dia. Ela era tão jovem com um espírito tão forte e agora sua alma estava livre para vagar pelos confins do universo ou para onde ela acreditasse que sua alma iria.

— Você a perdeu, assim como perdeu branca de neve, como se sente? Sente seu mundo cair? Caçador… — A rainha se aproximou do homem que estava de joelhos para si, encarando seu rosto enquanto lágrimas desciam por todo seu rosto.

— Você destruiu tudo que eu tinha, matou pessoas que eu amo… um dia você vai pagar por tudo que fez, vai sofrer as consequências dos seus atos. — Quase não conseguia falar, as palavras em sua boca estavam saindo em meio a lágrimas de pavor e medo.

— Não se preocupe, ainda estou longe de sofrer pelas consequências. — Se abaixou lentamente e então enfiou o punhal de Jackson no abdômen do homem que agora estava sentindo seu sangue escorrer por toda sua barriga. Ele levou as mãos ao punhal assim que a rainha o soltou e se levantou, então o retirou jogando o mesmo para o canto. Deitando se sobre o chão o homem se sentia livre, sua alma agora estava livre. Seus olhos se fechavam lentamente enquanto a noite chegava em seus pensamentos, finalmente se juntaria a Branca de neve e Solar e por mais que não teve sua vingança. Outro iria o vingar, alguém corajoso, forte e destemido que não irá falhar como Jackson falhou deixando que seus sentimentos fossem dominados.

— Fique em paz com sua amada caçador… — Foram as últimas palavras que Jackson ouviu antes que seu coração parasse de bater e o homem estivesse morto no chão do quarto da rainha, o qual estava coberto por uma poça do seu sangue.

[...]

Foram tempos de luta, para o reino e para todos outros ao seu redor, a rainha se tornou ainda pior do que já era e agora com a morte de Jackson não teria mais que se preocupar, ou ao menos era o que todos pensavam.

— Vovó! Isso é muito triste, por que não acaba como as histórias de verdade? — perguntou o pequeno garotinho no colo da idosa que o observava.

— Ah meu querido, as histórias não tem apenas finais felizes… — A mulher acariciou o rosto da criança, o deitando sobre a cama e o cobrindo.

— Eu te amo vovó, amanhã me conta outra história? Uma com final diferente. — O garotinho de voz fina perguntou enquanto olhava para a mulher.

— Sim meu querido, agora durma. Amanhã você tem aula. — ruu saindo do quarto do garoto, a mulher de cabelos negros saiu do quarto do garoto andando pelo vasto corredor do apartamento. Passou por diversos quadros os quais havia pintado em sua juventude e por um calendário que marcava dia 14/01/2019 a data que eles estavam. Chegando em seu quarto a mulher aproximou se da porta e a trancou quando já estava dentro do mesmo. Observando a grande penteadeira que estava ao lado da cama a mulher se sentou em sua cadeira, abrindo uma gaveta que estava trancada com uma chave bastante antiga. Assim que a mesma foi aberta havia um pano, e com esse pano a mesma esticou sobre a penteadeira olhando para o grande punhal que havia usado para matar o caçador.

— Nem todos finais são felizes… caçador. — Disse a mulher enquanto dava um pequeno sorriso de canto olhando para o espelho da penteadeira. — Espelho espelho meu, existe mulher mais bela do que eu?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...