História Mischievous School - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Tags Bruxa, Bruxas, Colegial, Escolar, Fantasia, Halloween, Lobisomem, Professor, Professorxaluna, Sasusaku, Vampiros
Visualizações 417
Palavras 1.500
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Shounen, Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olaaaaa meus amores, espero que estejam bem e apreciem mais um capítulo desta maravilhosa obra que é mischievous School.
Me digam o que estão achando! Quais são as teorias de vocês pro que está acontecendo na Saint Andrés. ❤

Capítulo 3 - Uniforme


- Algumas crianças infelizes disseram que foi ela quem matou o antigo professor de história - ele disse me fazendo engolir em seco - ela até foi levada sob a custódia da polícia por conta disso, mas ela tinha um álibi

- Qual álibi? - perguntei curioso.

- As câmeras do colégio gravaram ela entrando no quarto antes do assassinato e saindo só no dia seguinte, a amiga que divide o quarto com ela também disse que ela ficou lá a noite toda.

- Entendo - disse enquanto comia - crianças realmente podem ser cruéis.

- Sim - ele anuiu - creio que falaram isso por inveja, como disse, a garota é impressionante, boa nos esportes, as melhores notas do colégio, líder de turma e do clube de história, só não lidera o grêmio porque simplesmente não quer.

- Nossa - respondi admirado.

- Essa garota pode conquistar o mundo - ele disse rindo e devolvi um sorriso.


~#~


Depois do jantar, segui para o meu quarto, estava cansado, precisava dormir. Tomei um banho frio e peguei meu celular antes de deitar na cama, havia uma mensagem do meu irmão e minha mãe de boa sorte, aquilo me deixou de bom humor e me fez dormir bem.

No meio da noite acordo e a primeira coisa que vejo são um par de olhos verdes brilhando, os cabelos cor de rosa que balançaram com o vento que entrou pela janela do quarto e seu rosto próximo demais do meu. Suas sobrancelhas arquearam em surpresa ao meu estado de consciência.

- O quê? - perguntei em choque, por que, afinal, a garota estaria no meu quarto?

- Você não comeu o chocolate - a garota exclamou em surpresa, segurou meus ombros e me encarou firme, eu não me movi pelo choque de tê-la ali - somnum - a voz doce da garota exclamou e minha vista apagou novamente.

Acordei na manhã seguinte assustado, o que tinha acontecido? Aquilo foi um sonho?

Olhei para o resto do quarto em que eu vivia nas instalações do colégio e tudo parecia normal, olhei para o relógio na cabeceira da minha cama e ele marcava 7:13.

Levantei, esfreguei o rosto e segui para o banheiro, não sabia se o mais estranho era o fato de minha neurose ter me feito sonhar com a garota ou o fato de eu lembrar de um sonho com tanta vivacidade como não lembrava de nenhum outro.

Suspirei, parecia que meu cérebro estava me pregando peças.

Pus uma camiseta, uma calça Jeans e um tênis. Apesar do nível que aquele colégio tinha, os professores não tinham uma norma de vestimenta e eu também não me importava muito com isso.

Saí do quarto, tomei meu café novamente com Kakashi e mais alguns professores, dei minha aula daquele dia para o primeiro ano, uma turma tão tranquila quanto a do dia anterior.

No final, decidi que visitaria a biblioteca, e segui para ela. No corredor esbarrei na garota de cabelos cor de rosa e na loira.

- E aí, professor gato – Ino me cumprimentou e Sakura escondeu o risinho sob a mão.

- Digam, minhas queridas alunas – respondi com o sorriso de canto que só aumentou o sorriso de Ino.

- Então, professor – dessa vez Sakura puxou o assunto – o antigo professor de história coordenava o clube de história, é como um decatlo acadêmico, mas de história do mundo.

- Gostaríamos de convidá-lo, obviamente, para liderar o clube de história, se o clube não for mediado por um professor ele terá que ser fechado – dessa vez Ino comunicou.

- Interessante – refleti – bem, me coloco a disposição das senhoritas para analisar o clube a princípio, mas é provável que se eu realmente mediar o clube, vou acabar mudando algumas coisas e não quero trazer desconforto a ninguém – expliquei.

- Isso é com a líder do clube – Ino apontou para Sakura e se voltou para ela, segurando as mãos da amiga.

- Saky, tenho coisas do grêmio para resolver – vi Sakura arquear uma sobrancelha – resolva as coisas com o sensei gato e depois passe para mim, estamos entendidas? – a garota terminou de falar e eu sentia o quanto aquela conversa era forçada e estranha.

Sakura suspirou e olhou para a amiga.

- Tudo bem – Sakura respondeu e Ino se encaminhou para algum lugar.

A loira saiu saltitante na direção oposta e eu e Sakura a vimos se afastar.

- Da mais alguma aula hoje, professor? – Sakura perguntou e eu a fitei.

- Não.

- Gostaria de tomar um chá comigo para que lhe explique algumas coisas? – ela perguntou e por um momento as cenas daqueles olhos verdes vívidos no meu sonhos povoaram meus pensamentos, eu logo fiz questão de varrer pra algum lugar em minha mente e me concentrar.

- Sim.

A garota sorriu e rumou para o refeitório e eu caminhei atrás dela com as mãos nos bolsos, eu não sabia se era verdade que existia algum fetiche ou tensão no relacionamento professor e aluna, mas eu sabia que eu tive que fazer um esforço para desviar os olhos do traseiro da garota que rebolava sob a saia pregada do uniforme do colégio.

Era o uniforme, eu repeti pra mim mesmo, o uniforme é um fetiche.

Chegamos ao refeitório e ela me fez esperar em uma das mesas enquanto ia em uma das várias bancadas pedir o chá aos cozinheiros, não demorou muito para que ela chegasse com a bandeja na mão depositando-a sobre a mesa, ela serviu o chá que estava no bule, como a tia havia feito no dia anterior em sua sala, e me ofereceu uma xicara, serviu a si mesma e se sentou a minha frente.

- Eu entendo que o senhor terá que mudar algumas coisas para se adaptar a forma como você age e trabalha, mas acredito que como a líder do clube podemos os dois sentarmos e discutirmos como podemos facilitar ambos os lados – a garota falou.

- Olhando por esse ponto de vista, acho que podemos trabalhar sim – respondi.

Levei a bebida a boca e o gosto amargo era diferente.

- Que chá é esse? – perguntei encarando o liquido dourado.

- Chá de sálvia – ela respondeu – ajuda na concentração.

- É delicioso – comentei bebericando mais um pouco o líquido quente.

Ela sorriu como se apreciasse algo e entrelaçou os dedos sobre a mesa.

- Nos reunimos às segundas, quartas e quintas de tarde – ela falou – o senhor tem disponibilidade?

Eu havia acabado de começar minha vida nova aqui, ainda não havia incluído nada nas minhas tardes além de pequenos passatempos.

- Sim – respondi e o sorriso da garota ampliou.

- Isso é ótimo, vou anunciar para o resto do clube – ela falou pegando o celular e digitando algo nele.

- Informando a Ino? – perguntei servindo mais um pouco de chá para mim e a garota me olhou com os dois olhos arregalados e o rosto corado, foi breve, logo sua expressão mudou para um sorriso doce novamente.

- Ela não faz parte do clube de história, estou contando só ao pessoal que faz parte do clube mesmo.

- Desculpa – falei – mas aquilo que ela falou para você soou um pouco estranho para mim.

Sakura corou novamente, mas dessa vez soltou uma risada gostosa.

- Ino é louca – ela respondeu – a gente chama ela de a fada dos relacionamentos, porque ela passa por aí voando juntando casais e ela jura que eu e você devemos ficar juntos, porque “ela sempre acerta” – ela falou rindo.

Beberiquei o chá e fitei por trás da xícara.

- E ela acerta? – perguntei curioso, não estava dando em cima da minha aluna, sua inteligência, graça e o belo traseiro não me fariam chegar a esse ponto.

- Da última vez deu bem errado – Sakura disse ainda rindo, parecia que um clima amistoso havia se instalado ali – apreciou o nosso presente? – ela perguntou curiosa.

- Eu guardei pro meu sobrinho, não gosto de doces – apesar de que apreciaria algo como você... Sim eu realmente pensei isso, sim estou me condenando agora.

- Vou anotar isso – ela respondeu.

A conversa amistosa continuou, falamos sobre as competições, as chances de competir mundialmente, os grandes prêmios e as visibilidades que as faculdades davam para os alunos.

Eu esperava que com o tempo minha neurose deixasse de ser alimentada e eu pudesse fazer amizade com meus alunos, principalmente a aluna querida de toda escola, nunca imaginei que a minha neurose iria me levar além.

Desisti de ir à biblioteca, decidi que iria amanhã antes do clube de história e minha tarde foi como a de ontem, estudos e jantar ao lado dos professores, o diferencial havia ocorrido de noite quando dormi.

Acordei de madrugada quando ouvi minha porta se fechando, olhei para ela e uma fresta de luz passava por ali, levantei no salto e saí do quarto.

Vi mechas de cabelo rosa virando um corredor e corri o mais silencioso possível para que ninguém me pegasse, e então vi a menina dona desses cabelos atravessando a parede.


Notas Finais


Espero que tenham gostado meus amores ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...