1. Spirit Fanfics >
  2. Miss U more than U Know - Sofadil >
  3. Cap 39

História Miss U more than U Know - Sofadil - Capítulo 40


Escrita por:


Capítulo 40 - Cap 39


■|P.o.v Sofia|■

As malas estão todas no carro. Fadil e todo o pessoal estão conferindo os quartos para ter certeza de que não esqueceram nada, e eu acabei de trazer a última mochila para o carro do Fadil. Bato a porta do porta-malas e quando me viro, dou de cara com China.

Dou um pequeno pulo para trás e ela, sorrindo, me segura nos braços.

Desculpa, não quis te assustar

Nego com a cabeça e respiro fundo. - Não, tudo bem amiga

Fadil pediu para avisar que já vai descer

Concordo balançando apenas a cabeça e dou um sorriso de canto. Me encosto no carro e cruzo os braços.

Então, vocês dois estão bem?

Estamos, acho

Ela sorri e concorda com a cabeça. - Ele gosta muito de você, amiga

Eu também gosto dele

Ele contou que ficou muito tempo sem se entregar a alguém como está fazendo com você, não o deixe ir e nem se permita se machucar caso não de certo

Franzo o cenho e tenciono o maxilar. - Eu nunca quis me machucar amiga, mas tem coisas que acontecem sem a gente nem mesmo saber

Eu sei, Sof. É mais um aviso de amiga. Se você não conseguir estar em um relacionamento, não o deixe se apaixonar

■|•••|■

Provavelmente, Fadil falou para os meus amigos que sou estranha, que tenho problemas e eles não querem me ver magoada. Mas eu também não quero ter que me esforçar tanto para não estragar tudo com ele devido aos meus pensamentos irritantemente insistentes e ainda ter que ouvir dos meus amigos como eu devo me preocupar nesse relacionamento. Quando vou responde-la, vejo Fadil e o restante do pessoal saindo de dentro da casa, então apenas sorrio para ele. Deixei com que Matteo levasse meu carro, já que Fadil pediu para eu acompanhar ele.

Me despeço de Matteo apenas acenando com a mão e não desço do carro. Vejo minha irmã entrar no meu carro, logo depois Dove entra e China vai na frente. Peço a Matteo que tome todo cuidado na volta e aviso que chegaria logo depois deles. Fadil se despede deles também e logo vem até o seu carro onde eu espero por ele. Quando entra e se senta me encara sem entender o meu comportamento. Fico calada a viagem de volta para Los Angeles, fingindo não notar os olhares preocupados dele.

Apesar disso, o final de semana ao seu lado naquela casa maravilhosa havia sido perfeito. Nos divertimos todos os dias e ficamos muito tempo sozinhos. Me sentia como uma adolescente aprendendo a namorar já que eu e Fadil nos beijávamos sempre que estávamos sozinhos, e conforme isso acontecia, a intensidade do momento crescia. E minha preocupação crescia.

O que ele iria achar quando tentasse algo a mais e eu dissesse a ele a verdade?

Por mais preocupada, aquele desejo e formigamento que ando sentindo estão se fazendo cada vez mais presente e atrapalham qualquer decisão baseada na razão que eu queira tomar. Quando ele me toca não consigo pensar em mais nada, e muito menos depois que ele me deixa sozinha.

Tudo o que consigo pensar é na tentativa de entender porquê meu corpo se comporta dessa forma, como pode ser tão bom estar com ele desse jeito?

■|•••|■

Depois de descarregar do carro minhas coisas, nego a Fadil que algo tinha acontecido e o beijo antes de ir embora. Já era noite e ele ainda teria que resolver umas coisas antes de ir para a casa, não queria atrasá-lo e nem faze-lo brigar com sua amiga que, na verdade, estava apenas preocupada.

■|•••|■

Os dias passam rapidamente. Estou sempre ocupada entre trabalhar e estar com ele. Paulina havia conseguido outra campanha, agora para sapatos, e começou a me poupar de pagar algumas de suas despesas. Ela dizia que não poderia estar mais feliz em me ver tão bem. É claro que Fadil me fazia bem e me deixava leve, e agora, com minha irmã se tornando independente era bom que eu tivesse algo com que me preocupar além dela, e meu relacionamento era uma ótima ocupação. Com os dias corridos no trabalho, não via ele há três dias, mas jantaria com ele hoje a pedido dele.

Você comprou o vestido? - Paulina me pergunta, entrando no meu quarto. Ela estava em seu quarto, assistindo a um filme com Arthur. Ela passou o dia com ele, mas me pediu que durante a tarde eu fosse ao shopping e comprasse um vestido novo com o dinheiro que tem me sobrado.

Comprei um - respondo e me viro para ela, já vestida com a roupa nova. Era um vestido preto e curto, com o comprimento acima do joelho, decotado e com uma pequena abertura redonda nos seios, que era detalhe do vestido, mas consequentemente, tornava o decote ainda maior. Justo em meu corpo, me fazia ver quão bem eu estava.

Uau! - ela aplaude e concorda com a cabeça. - Foi um dinheiro bem gasto, você ficou linda!

Sorrio para ela e pego minha bolsa, pois o táxi já deveria estar me esperando, sim eu iria de táxi. Fadil trabalharia até mais tarde nesse sábado e, portanto, para dar tempo a ele de descansar e tomar um banho, combinei de encontrá-lo em sua casa.

Estou me sentindo muito bem

E eu estou sentindo que a Sofia de antes está sumindo

Começo a rir e nego com a cabeça. Ando pela sala e minha irmã me segue.

Nada mudou, Doll. Só estou conseguindo controlar todas as situações

Mas você está feliz, alegre, viva

Reviro os olhos para ela e mando um beijo de longe antes de sair. O táxi já estava me esperando e ele me leva para a casa de Fadil.

■|•••|■

Quando chego, ele abre a porta para mim e sorri ao me ver, mas percebo que quando seus olhos realmente me notam e percorrem o meu corpo, seu semblante muda. Seus lábios se entreabrem e ele me encara sem dizer nada. Sorrio para ele e me aproximo, lhe dando um selinho.

Oi

Você está linda! - diz e se afasta para me olhar. - É da sua irmã? - pergunta se referindo a roupa.

Não, eu comprei. Paulina tem se virado com o dinheiro que está ganhando e resolveu me dar um presente

Que notícia boa, Sof! - sorrindo, ele segura minha mão e me puxa para entrar em sua casa. Guarda o casaco que tiro e dou a ele. O cheiro que vinha da cozinha tomava toda a casa e era delicioso. Vamos até a sala de jantar, que estava arrumada, ele se vira para mim e sorri.

Sem soltar minha mão, ele me leva até uma das cadeiras e a puxa para que eu me sente, e logo em seguida sentando-se de frente para mim.

■|•••|■



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...